História TUNNEL VISION; - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Kai, Kim Namjoon (RM), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Sehun
Tags Abo
Visualizações 39
Palavras 2.804
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Ficção, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


assim, eu estava sem fone
música = criatividade
sem fone = sem música
sem música = sem criatividade
sem criatividade = sem capítulo
foi mal ae

Capítulo 4 - Quatrième;


Seoul, 29 de março de 2019

"— Não estava procurando por isso, mas agora você está no meu caminho..." Min Yoongi não tinha tempo para raciocinar o que o mais novo quis dizer com esta frase, mas ele soube apenas pelo tom da voz dele que não se tratava de algo ruim. Seus olhos focavam no ômega á sua frente, que agora tinha os lábios mais avermelhados pelo beijo.

O alfa tirou de seu bolso uma chave e sorriu de lado voltando a atenção para Jimin, que continuava em um belo silêncio observando o alfa á sua frente. Yoongi era muito atraente quando queria, quando conheceu o ômega não teve a chance de mostrar esse lado por estar se estressando com discussões desnecessárias, mas apesar disso não deixou de reparar como Park era atraente mesmo não tendo a intenção. Ele era exatamente o tipo de ômega que passava a impressão de pertencer à uma família rica, de ser mimado e metido, e não de segurar em armas e ameaçar alfas.

Quando foi anunciado que Jimin iria junto na viagem Yoongi escutou muitas coisas, coisas do tipo: ele ser explosivo e até dele já ter atirado na mão de um alfa que o tocou sem permissão. Yoongi confessa que ficou com medo no começo, por isso sempre evitava olhá-lo diretamente ou fazer comentários grotescos, Park foi o primeiro ômega que Min sentiu um certo receio de uma futura convivência.

— Está me chamando para ir para o seu quarto?

Jimin pergunta o óbvio, era como ele se esperasse que isso saísse da boca do mais velho. Encarou a chave a pegando das mãos que a segurava, desviando do corpo mais alto que o seu e seguindo para alguns metros á frente, onde havia uma escada que dava para o interior do navio.

Yoongi seguia o ômega, reparando no seu corpo de costas e de como aquela bunda grande ficava linda dentro daquela calça jeans apertada enquanto ele andava rebolando. Ele suspirou com a visão sentindo um arrepio em seu corpo enquanto descia as escadas, ele estava determinado a transar, seria uma foda inesquecível com incríveis oitenta e duas mil toneladas de cocaína e metanfetamina sobre suas cabeças, e ele na cama com o ômega original mais bonito que seus olhos tiveram a oportunidade de ver. Não tinha dúvidas que quando essa viagem acabasse e ele estivesse nadando em dinheiro essa seria a melhor recordações dos longos dias que passara no navio.

Quando já deu-se conta estava dentro do quarto com Park, Yoongi olhou em volta e sorriu satisfeito com o tamanho da cama, começando sem delongas a abrir os botões da camisa social que cobria seu tronco enquanto observava Jimin já sem a camisa que usava, agora tirando as calças; aquela vista prendia o olhar de Yoongi, era como se estivesse mergulhado em uma paixão á primeira vista pelo corpo do mais novo. Min sempre escutou que era errado apaixonar-se primeiro de maneira carnal, mas quem disse que ele se importava? Yoongi nunca foi de seguir regras, e nesse ponto ele e Jimin eram almas gêmeas.

O ômega sem pressa aproximou-se de Yoongi, removendo de seu corpo a camisa preta social já aberta, recebendo em troca duas mãos o empurrando sobre a cama e o corpo de Yoongi indo parar acima do seu. Park sorriu com a atitude que o alfa tomou, logo colando seus lábios que não demoraram para começarem a se beijar.

— Eu… preciso te contar uma coisa…

Yoongi diz no momento em que as mãos de Jimin abriam com pressa o zíper da sua calça, Park respirou e colocou o dedo indicar sobre os lábios de Min indicando que ficasse quieto.

— Se não for nenhuma doença sexualmente transmissível, cale a boca.

O alfa sorriu de lado empurrando a mão do mais novo para longe de seu rosto, puxando o ômega para o seu colo e riu baixo vendo como mesmo em momentos assim ele gostava de dar ordens.

— Você é tão mandão, por que não me deixa comandar isso, hum?

Pergunta sussurrando ao pé do ouvido de Jimin, que mordeu os lábios assentindo. Os dois ainda não haviam começado, mas o quarto já fervia, Yoongi sorriu satisfeito removendo a boxer do mais novo e junto a dele. Jimin voltou para o colo de Yoongi, sentindo o membro já ereto em contato com sua intimidade sedenta.

Min levou seus dedos para a entrada do mais novo, passando dois dedos ali e os penetrando de forma lenta, recebendo um gemido baixo que era tão provocante quanto a existência de Jimin. A parte do preparo parecia eterna na mente do alfa, aquilo parecia não acabar, ele movia seus dedos ali dentro quando suspirou aliviado quando os mesmo foram melados pelo lubrificante natural do mais novo; que quando os dedos foram removidos arrumou-se sobre o colo de Yoongi, posicionando o membro do alfa em sua entrada, sentando sobre ele devagar. Yoongi gemeu arrastado e Jimin também, Park fechou os olhos enquanto sentia a boca quente de Yoongi tocar seu pescoço, beijando e marcando a pele leitosa do ômega que gemia a cada centímetro que o membro grande e espesso o adentrava.

Quando o alfa já estava intimamente dentro de Jimin, ele inverteu as posições, deixando o ômega por baixo para que ele tivesse o controle. Jimin não se arrependeria de abrir mão do comando, e ele sabia muito bem disso.

ㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤ✎ ✐

Acordar nunca foi tão satisfatório nos últimos anos para Yoongi, acordou sem nenhum motivo, naturalmente com suas energias cem por cento renovadas. Era ótimo acordar sem o som do maldito despertador, e ainda mais com a vista linda de Park Jimin, que parecia um anjo dormindo no meio daquelas cobertas branquinhas. Os cabelos bagunçados, o rosto de expressão serena, as marcas de sexo pelo corpo bonito e delicado, teria Yoongi acabado de se apaixonar internamente? Talvez, ele se pegou hipnotizado com o que via, hipnotizado não querendo acordar o mais novo para poder olhá-lo por mais e mais minutos. Aquela sensação era tão errada mas tão boa; aproximou-se do rosto de Jimin selando seus lábios, e quando se separou deles viu os olhos do ômega se abrirem lentamente o olhando. Yoongi podia declarar-se oficialmente apaixonado, sabia que Jimin podia estar usando seus poderes de ômega original com ele, mas Min não dava a mínima.

— Nós transamos mesmo?

Jimin pergunta sonolento, coçando seus olhos que ainda se acostumavam com a luz, havia dormido muito bem e agora seu corpo doía pela foda do dia anterior, mas Park adorava essa dorzinha, o recordava coisas boas.

— É, transamos. Mas… foi sem camisinha.

— Tudo bem, eu trouxe meus anticoncepcionais…

Park diz tirando as mãos de seu rosto e olhando diretamente para Yoongi, que estava sentado próximo de si também o olhando.

— É? E por que caralhos você traria anticoncepcionais para uma viagem de tráfico?

O alfa sorri, se curvando e distribuindo beijos por todo o rosto de pele macia de Jimin, que sorriu e o puxou beijando seus lábios.

— Porque me falaram que os alfas da China são muito bonitos, queria provar de alguns.

Yoongi riu baixo assentindo, mesmo que um sentimento estranho de um nome conhecido tivesse invadido o seu corpo, ele tentou ignorar, não seria muito convencional da parte dele sentir ciúmes de algo tão desnecessário.

Yoongi encerrou as carícias com um beijo e saiu de cima de Jimin, vestindo sua boxer indo para uma janela que dava para o mar e ficou encarando ali enquanto o sol batia contra seu rosto. Jimin se espreguiçou na cama e levantou-se pegando sua boxer que estava sobre o chão a vestindo, e vestindo também a camisa de Yoongi que ficava grande em si.

— Traga o meu cigarro, por favor. Está no bolso da minha calça…

Yoongi pediu e Jimin pegou a calça do mesmo que estava sobre o chão, procurando nos bolsos o cigarro, quando viu algo de cor dourada cair sobre a cama. Yoongi não havia percebido, então Jimin esticou-se pegando aquilo, e vendo que não era um simples anel, e sim uma aliança. Olhou na parte interna da aliança, lendo em letras pequenas um nome feminino, Hirai.

— Que porra é essa, Yoongi?

Ele perguntou alto, fazendo o alfa virar para ele e encarar sua mão onde estava a aliança.

— Jimin, eu…

— Você é casado, caralho? Por que não me disse?

Park sentia a raiva invadir o seu corpo, o ômega nunca admitiu traições, e agora estava no lugar do amante. Ao mesmo tempo que ele sentia-se sujo, ele sentia vontade de matar Yoongi.

— Jimin, eu tentei te falar ontem, mas você me mandou calar a boca. E eu não estou casado, sou apenas noivo dessa mulher…

Min não sabia onde enfiar a cara, sabia que havia feito merda mas nesse momento não estava preocupado com isso. O que o preocupava nesse momento era a expressão triste de Jimin, eram as lágrimas nos olhos do ômega. Por que vê-lo chorar estava o machucando? Nem ele mesmo tinha uma resposta para isso.

— Quando… quando vocês vão se casar?

Park segurava o choro, mas seus olhos não deixavam de brilhar, era um brilho triste, o brilho das lágrimas.

— Dois dias depois que eu voltar de viagem…

Yoongi diz baixo, ele não queria que Park escutasse, mas foi impossível. Jimin abaixou a cabeça deixando as lágrimas caírem, ele sentia-se usado, sujo, Yoongi já tinha alguém e Jimin foi para a cama com ele. Um dos motivos da separação da família de Jimin foi a traição, e isso o afetava muito.

— Jimin, me desculpa. Por favor.

Yoongi tentou aproximar-se, mas Jimin não deixou dando alguns passos para trás e largando a aliança do alfa no chão.

— Hey, deixa eu me explicar…

Em um ato de raiva Park abaixou-se, pegando a primeira coisa que viu no chão a jogando contra Yoongi -que foi um silencioador de arma que eles compraram juntos, que estava dentro de uma mala aberta perto da cama- Yoongi desviou vendo o objeto pesado passar muito próximo de sua cabeça, gerando um barulho alto quando bateu na parede logo após caindo no chão.

— Você é nojento, Yoongi!

Park exclamou alto, pegando suas coisas e saindo do quarto entre lágrimas de raiva e decepção. Andava rápido pelo corredor á caminho de seu quarto, quando chegou na frente da porta pegou a chave do quarto no bolso de sua calça que ele segurava, destrancando a porta e entrando, a batendo com força gerando um grande e alto estrondo.

Aquilo era o inferno interno de Jimin, dês de que se entende por gente foi traído. Pessoas que fingiam querer o seu bem mas apenas queriam derrubá-lo, namorados infiéis que o magoaram, amizades falsas, e agora ali estava ele, participando de uma traição. Park reconhecia que não era sua a culpa, afinal, ele não sabia, mas da mesma forma sentia-se mal.

Mesmo não parecendo, Jimin tinha uma certa empatia pelas pessoas, e nesse momento pensava onde estava a tal noiva. Provavelmente em sua casa, preocupada com Yoongi e se estava ocorrendo tudo bem na viagem, atarefada com as coisas do casamento planejando os últimos detalhes da majestosa cerimônia, enquanto Yoongi estava ali, indo para a cama com outro, e esse outro era ele, Jimin era o outro.

Limpou as lágrimas e jogou suas coisas sobre a cama, seguindo para o banheiro onde tomou um banho quente e bem demorado, aquilo relaxou o seu corpo e liberou a tensão que sentia, o acalmando.

ㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤ✎ ✐

Park seguiu para onde era o local da refeição, ele teria que olhar para a cara de Yoongi mas ele podia garantir que estava com as emoções controladas. Quando adentrou o lugar viu alguns alfas que estavam sentados na grande mesa central o olharem, e os outros continuarem a comer e conversar. Jimin dirigiu-se para o lugar mais afastado das pessoas na mesa, serviu-se e se sentou ali, apenas ficando quieto escutando as conversas alheias. Eles pareciam animados com o dinheiro que ganhariam de Jay, Jongin se envolvia na conversa e já parecia meio alterado.

— Um brinde ao chefe!

Gritou alto o comandante no navio, então todos presentes á mesa levantaram ao alto os copos com vinho barato, e então Park notou do outro lado da mesa Yoongi.

— Não vai se juntar á nós, gracinha?

Um dos alfas marinheiros se dirige á Jimin, que apenas sorri pequeno e ergue o copo escutando os gritos animados dos alfas. Em seu silêncio ele observava á todos, algum dos alfas mais novos aparentemente eram filhos dos marinhos, os mais novos eram claramente os mais atraentes e fortes.

Park não comeu muito, tomou dois copos cheios do vinho e se retirou do local, deixando os alfas a sós. Foi para o seu dormitório pegando sua arma e as coisas necessárias para limpá-la, subindo as escadas para o convés.

Sentiu o vendo frio tocar seu rosto e observou em volta, aquela imensidão de água salgada parecia não ter fim. Sentou-se em um caixote de madeira próximo do parapeito, desmontando a glock sobre o seu colo, começando a limpá-la enquanto cantarolava baixinho uma música para a sua própria distração.

— Está fugindo de mim?

A voz -talvez- infelizmente conhecida pergunta de longe, então Park vê pelo canto do olhar a silhueta de Yoongi aproximando-se dele.

— Estamos em um navio, Yoongi. Apesar de ser grande não tenho para onde fugir, mesmos que pular no oceano esteja começando a ser uma opção…

Yoongi riu, puxando para perto do ômega um outro caixote, sentando ao lado de Jimin o observando limpar a arma, algo tão forte em umas mãos fofas e delicadas, mas que pareciam saber bem o que faziam.

— Não querendo ser grosso, mas eu quero muito que você saía daqui.

Jimin comenta baixo ainda sem olhá-lo, tentava manter o foco em limpar as peças da arma em seu colo ao som da própria voz cantando e da brisa do mar de fundo.

— Jimin… eu… eu fiz merda. Mas eu não fiz merda em ficar com você, eu fiz merda em aceitar me casar com Hirai, sabe? Eu não a amo, descobri que ela não tem nada a ver comigo. Eu entrei nesse noivado por desespero, medo de ficar sozinho, eu e Hirai transávamos com frequência, começamos a ficar sério e eu a pedi em noivado… Mas eu não gosto dela, Jimin. Por favor, acredita em mim, e me desculpa por isso…

Yoongi não mentiu em suas palavras, Hirai não foi a primeira ômega que disse que o amava, mas foi a última. Ele sabia que não a amava, mas temia não encontrar ninguém que o entendesse. Yoongi acabou encontrando Jimin, que o fez sentir tantas coisas em apenas um dia, Jimin o dava emoção, Jimin deixava aquele gosto de quero mais; coisa que Hirai nunca o fez sentir, dando um ponto final as poucas chances que tinha da ômega ser amada por Yoongi.

— Eu não me arrependo de ter ficado com você, foi… perfeito. Mas eu quero que me entenda, quero que… apenas se esforce para isso.

Yoongi falava e nesse meio tempo Jimin montava a arma já limpa, quando sentiu seu braço ser puxado para que ele olhasse para Yoongi o ômega se levantou, colocando a arma contra a testa de Min.

— Foda-se que você não a ama, isso não é a porra de uma justificativa. Você podia simplesmente terminar a porra do noivado, ou nem ter começado essa merda, você apenas está a ferindo e fazendo merda por suas costas.

Jimin destravou a arma, o que apenas aumentou o medo que tinha no corpo de Yoongi.

— Talvez eu devesse lhe mostrar o fim que os traidores tem de onde eu vim…

Park forçou a arma contra a testa de Min, fazendo o alfa fechar os olhos já preparado para qualquer coisa. Aquilo teria um fim trágico se um barulho alto de proporção absurda não tivesse interrompido os dois, Yoongi abriu seus olhos agradecendo aos céus por estar vivo e Park olhou em volta, abaixando a arma ao ver o que menos queria nessa viagem.

— Porra…

Yoongi levantou-se, olhando para a mesma direção de Park. Pegou o ômega pelo braço o puxando para que corressem dali, desceram as escadas às pressas.

— Vá pegar as armas que eu vou avisar os alfas e o comandante!

Jimin diz alto correndo em desespero para onde a voz dos alfas vinha, e Yoongi, correu para onde encontrava-se todas as armas do navio, as carregando com pressa. Não demorou para escutar os passos rápidos aproximarem-se dali, e cada um se armar e correr para o convés, enquanto escutavam o comandante gritar para que mantessem a calma, os lembrando de que não era a primeira vez que estavam fazendo aquilo. Mas diferente dos outros, era a primeira vez do trio.

Jongin, Yoongi e Jimin temiam onde estariam daqui à algumas horas, e entendiam o porquê de Jay justificar as armas como "para um imprevisto". Esse talvez fosse o imprevisto, uma guerra nos mares.

— Vocês sabem como se chama esse lugar? A fronteira dos mares! Então apenas apontem a porra das armas e atirem nesses merdas!

Gritou o comandante que carregava consigo uma AK junto de muita munição, dando início á tudo.


Notas Finais


hum que vontade de matar alguém importante


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...