História Turma da Mônica Jovem - Capítulo 39


Escrita por:

Postado
Categorias Turma da Mônica Jovem
Personagens Personagens Originais
Visualizações 202
Palavras 2.379
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Musical (Songfic), Saga, Violência
Avisos: Spoilers, Suicídio
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Turmênicos, me desculpem pela demora, eu fiquei um tempo sem o celular, mas prometo que sábado ou domingo vai ter outro capítulo, ok?
E gente, a dois capítulos atrás eu estava comemorando 70 fvs, e agora são mais de 80, Meu Deussssssss, obrigada por lerem até aqui e quero que me acompanhem até o final ❤❤❤
LEIAM AS NOTAS FINAIS!!!!!!!!!!!

Capítulo 39 - I Hate u, i Love You


Fanfic / Fanfiction Turma da Mônica Jovem - Capítulo 39 - I Hate u, i Love You

And now all this time

Is passing by

But I still can't seem to tell you why

It hurts me every time I see you

Realize how much I need you

(E agora todo esse tempo

Está passando

Mas eu não consigo dizer-lhe por que

Me dói cada vez que eu vejo você

Percebo o quanto eu preciso de você)

I hate you, I love you

I hate that I love you

Don't want to, but I can't put

Nobody else above you

(Eu te odeio, eu te amo

Eu odeio te amar

Não quero, mas não consigo colocar

Mais ninguém acima de você)


P.v.o Cebola 

Depois que Mônica saiu chorando, eu não conseguia sair daquele lugar, eu não conseguiria entrar em casa e ver ela chorando no quarto dela, não conseguiria encontrar ela na escola segunda, eu sou um total idiota.

-Cadê ela? -Era Magali, levantei meu rosto, que com certeza estava vermelho. -Cadê ela Cebola? -Cascão, Xaveco e Denise estavam juntos. 

- Eu não sei... -Respondi, com a voz totalmente trêmula. -Se você veio aqui pra gritar, jogar na minha cara o que eu fiz, não precisa... - Ela me olhou confusa. -Sua amiga já fez esse trabalho. -Coloquei a mão no rosto novamente. 

-Lamento Cebola, mas eu não vou ficar aqui ouvindo suas mágoas. -Passou na minha frente. Denise, parou. 

- Cebola, pra todo erro, tem a consequência, a sua é este. -Deu duas batidinhas no meu ombro. Se as duas soubessem tudo oque ela disse pra mim, pelo menos as duas. Retirei as mãos do rosto, Xaveco e Cascão se sentaram ao meu lado. As duas sumiram por completo. 

-Careca, fica tranquilo, é uma briga como qualquer outra que vocês já tiveram, já já, vão ta se falando de novo. - Cascão disse. 

- Não Cascão, não foi umas dessas brigas idiotas de criança, foi a pior briga da minha vida, ela me odeia...

-Segunda vocês vão se encontrar cara, vão poder conversar... -Interrompi Xaveco. 

- Eu conheço a Mônica, Xaveco, até os pais dela voltarem de viagem, ela nao vai encostar um dedo na escola. -Suspirei, meus olhos ainda estavam molhados. -O Felipe tinha razão, era melhor eu ter ficado longe dela. -Me levantei. -E acho que é isso que vou começar a fazer. -Comecei a andar até o portão. 

- Ei cara, vai desistir dela tão fácil assim? - Cascão colocou a mão em meu ombro. 

- De que adianta Cascão? Ela vai bater a porta na minha cara. -Novamente caiu uma lágrima solitária. -Valeu por terem ficado aqui comigo. -Dei um sorriso de lado, coloquei a mão no bolso da calça e comecei a andar, só quero minha casa...

P.v.o Magali 

-Era só oque me faltava, o Cebola fez a Mônica chorar denovo! -Falei, andando com Denise até a casa da Mônica. 

- Olha Magali, eu sei que você tá P da vida com o Cebola, mas vamos combinar que o Felipe exagerou né? Ele devia ter ouvida a Mônica primeiro, é o que eu faria. - Ela falou gesticulando com as mãos. 

-Nisso, eu realmente não posso discordar.- Fomos caminhando, discutindo oque poderíamos fazer pra animar Mônica. Até chegarmos na casa dela. Ficamos paradas, olhei pra Denise, ela balançou a cabeça positivamente, toquei a campainha. Mônica nos atendeu, ela estava com a cara toda borrada de maquiagem, o vestido amassado e os olhos vermelhos. 

-Amiga... -Denise e eu abrimos os braços. Ela se derramou toda em lágrima e foi para o nosso abraço aconchegante. Nos molhamos todas? Sim, mas ela é nossa amiga, é isso que se deve fazer. 

-Isso só acontece comigo. - Ela foi entrando na casa, secando as lágrimas, mas de que adiantaria?

-Miga não fica assim... -Denise disse. Ela olhou pra nós duas. 

-É... De que adianta você ficar assim? Não quero ver você sofrendo por macho. -Falei, ela suspirou e nos chamou para subir em seu quarto, segundo ela, o lugar mais seguro pra ela. 

- Eu só tô assim porque... -Ficou mexendo no fio na ponta da almofada, em cima da sua cama. - Eu amo o Felipe, não queria que tudo acabasse desse jeito... - Eu  e Denise  ficamos nos olhando. 

-Mô... Lembra quando o Quim terminou comigo? Você ficou comigo todos os dias e me fez esquecer por completo ele.- Falei. -E olha que eu e o Quim estávamos juntos a muito tempo. -Dei um sorriso de lado. Ouvimos um barulho vindo longe. Olhamos para o lado, era o Cebola que tinha chegado. Infelizmente ele deixou a janela aberta, fazendo o barulho da chave jogada na mesa se expandir por nós. Olhei pra Mônica, que estava com a cabeça baixa. Voltei o olhar para Cebola. Ele retirou o paletó e pegou o celular, se sentou na ponta da cama e começou a digitar algo. Mônica finalmente levantou a cabeça, bem no momento em que Cebola sorriu, retirando o sapato e olhando algo. Ficamos nos três olhando pra janela dele. Quando ele percebeu, se levantou lentamente da cama e fechou a cortina com força. Denise levantou umas das sombracelhas. 

-Mô... O Cebola...- Denise disse.

- Eu não vou falar sobre ele... - Ela me interrompeu. 

- Você vai pra escola segunda? -Perguntei. 

- Não sei... Tudo que eu menos quero é ver a cara do Felipe ou do Cebola. - Ela disse, secando as lágrimas. Suspirou 

-Miga, não se preocupa, vamos ficar aqui com você, até esquecer ele. - Ela deu um sorriso pequeno de lado. 

P.v.o Cebola 

Cheguei em casa sem falar uma palavra, minha mãe estava na cozinha lavando a louça. 

-Oi filho, voltou cedo, foi legal lá? -Subi em silêncio, com certeza ela me olhou feio. Entrei no meu quarto e meu celular vibrou. Tirei o paletó e o peguei. Era uma mensagem da Mila. 

Conversa On

-Oi ursinho, pq foi cedo? -Me sentei na ponta da cama. 

-Oi Mila, acho melhor vc não saber

-Oxe, sou sua melhor amiga, me conte TUDO!!!!- Me lembrei de tudo oque falei pra Mônica quando estamos do lado de fora. Deixei escapar um sorriso tímido. Retirei o sapato. 

- kkkkk Amanhã te encontro, ok? 

-Kkkk ok. Tchau ursinho 😘

-Tchau Mi 😘 -Percebi Mônica, Magali e Denise me olhando pela janela, eu realmente não sei oque estava sentindo pela Mônica, raiva ou tristeza? Eu realmente não sei. Levantei lentamente e fechei bruscamente a cortina. 

Conversa Off 

Desliguei o celular e joguei o resto do corpo na cama, comecei a olhar o teto, pensando em absolutamente tudo. A Mônica me odeio, a Mila me acha o melhor amigo dela, a Magali a qualquer momento vai me matar, o Felipe vai me estrangular segunda, a Luísa e eu não com certeza não vamos nos falar mais, o Cascão e o Xaveco estão preocupados comigo. Resumindo, está tudo uma merda. Suspirei. Ouvi uma batida na porta. 

-Entra. -Falei. Ouvi os passinhos pequenos vindo em minha direção. -Oi Maria. -Virei minha cabeça pra ela. 

-Como foi lá? Você gostou? Você beijou alguém? A Mônica tava bonita? - Ela logo soltou o questionário típico de quando eu vou em uma festa. Ri das perguntas dela.

- Até que foi... Legal. -Respondi. Ela subiu em cima da cama e se deitou junto comigo. Percebi ele fazer um biquinho. 

- Porque a Mônica veio chorando? -Fechei os olhos. 

-O que? 

- Eu vim no seu quarto pegar uma coisa que a mamãe pediu, ai eu vi pela janela ela entrando chorando na casa dela. - Não respondi. - Porque Cebolinha? 

-Aconteceu.... Aconteceu uma coisa de gente grande Ma, você não vai entender. -Disse com a voz trêmula. Ela ficou em silêncio por um tempo. 

- Nós ainda vamos sair pra tomar um sorvete denovo com ela, né?- Falou inocentemente. 

- Acho que não... 

- Vocês não são mais amigos? - Ela olhou pra mim com os olhinhos brilhando. Suspirei. 

-Ela... Não gosta mais de mim Ma. - Ela se levantou e ficou sentada na ponta da cama. 

-Gosta sim, se não gostasse, não teria ido com a gente tomar sorvete. - Ela se encolheu. Gostava do jeito que ela via o mundo, era tudo um mar de rosas, sem nenhum problema, com certeza, nesse mundo eu sou o príncipe e a Mônica a princesa, como ela me disse uma vez. - Você que machucou ela? -Me levantei e fiquei na ponta da cama com ela. Coloquei minhas mãos entrelaçadas á minha frente e abaixei minha cabeça no meio das pernas. 

- Eu sou... A metade da mágoa dela. - Ela ficou em silêncio denovo. 

-Pede desculpa pra ela. -Olhei confuso pra ela. -Se você magoou ela, pede desculpa. 

- Ela não me ouve. -Pareceu pensativa. 

-Convence ela... - Ela pareceu um pouco feliz. - Eu gosto dela, quero que vocês fiquem amigos denovo. -Dei um sorrisinho de lado. Eu considero ela como minha conselheira Mirim, ela sempre me ouve. Passei meus braços por volta do corpinho dela e a puxei para perto. -Agora podemos assistir Moana? - Ela falou toda feliz.

-Assistimos esse filme um milhão de vezes. 

-Por favor. -Juntou as mãozinhas e fez biquinho, de um jeito muito fofo. Revirei os olhos e peguei o controle. Ela comemorou. Cantou todas as músicas, já tinha decorado. Quando deu 23h30, ela adormeceu em meu colo. Sua respiração estava calma, o quarto ficou em silêncio novamente. Consegui ajeitar ela na minha cama, sem acorda-la. Não sabia se as meninas já tinham ido embora da casa da Mônica ou não, mas abri a cortina mesmo assim. O quarto dela estava escuro e mesmo sem luz, dava pra ver que não havia volume na coberta, ela estava acordada. Passei as mãos no cabelo suado e suspirei. 

- Que dia Cebolácio.-Me deitei junto á Maria, que dormia calmamente. Adormeci logo. 

P.v.o Mônica 

Eu e as meninas descemos para a sala novamente. As duas tentaram escolher um filme para me animar, mas eu estava nem aí, qualquer filme iria ser ruim. Ela escolheram "Como eu era antes de você", um que eu nunca tinha assistido. Elas ficaram em uma ponta e eu, deitada meio torta, na outra. Nem estava prestando atenção. 

Fiquei pensando, tinha que ser uma ironia do destino, á horas atrás eu e Felipe estávamos jurando o amor pelo outro, prometemos ficar juntos até o final, é agora? Como sempre meus planos foram destruídos.

Outra ironia do destino, o Cebola e eu, eu falei que o amo e ele falou que me ama. Eu tive o idiotice de falar que o odeio, que ele é a pior pessoa do mundo, mas na verdade, eu sou. O celular da Magali começou a tocar. 

-Alô, oi mãe.... Eu tô bem, to na casa da Mônica... É que aconteceu uma coisa com ela, coisa de adolescente sabe... Tá, já tô indo.... - Ela desligou. -Mô, você vai ficar bem? Não quer que a gente durma aqui? - Ela falou, Denise só concordou com a cabeça.

-Fiquem tranquilas meninas, eu me virar sozinha. -As duas se olharam ainda não convencidas. -É sério, podem ir, amanhã vocês podem vir. - Elas pegaram suas coisas e nos despedimos. Na real, eu gostaria que elas ficassem, estava precisando de um ombro amigo. Olhei pro celular e pensei em ligar pro Cebola, mas não, ele não. 

(...) 6h00

Acordei com o despertador no máximo. Todo sábado eu e o Cebola fazemos uma corrida. Por mais que seja totalmente loucura acordar cedo em um sábado, para nós é normal. Mas hoje não, eu não quero sair, além de eu estar exausta, não quero ver de jeito nenhum a cara dele. 

Por mais que eu tenha um sono pesado, quando sou acordada, é difícil eu voltar a dormir, então levantei da cama e logo troquei de roupa. Pelo menos ficar lá no quintal não irá ter problema. Fui para o banheiro e fiz minha higiene. Desci e comi um pão com presunto e queijo e tomei café, precisava ser acordada. Sai pela porta da frente e me sentei em um pequeno banquinho, que meu pai havia colocado ali quando eu tinha uns 8 anos. Comecei a mexer no celular, para ver as mensagens do grupo da escola, a maioria falava de mim e do Felipe, esse povo não tem mais o que falar, não? Ouvi uma porta sendo trancada. Levantei um pouco o olhar, era o Cebola. Ele estava com um moletom, que sempre usa quando está frio, um shorts preto meio folgado e uma tênis azul, preto e verde água. Seus fones já estavam no ouvido e estava cantarolando uma música baixinha, que parecia ser Castle on The Hill, do Ed Sheeran, ele ama essa música. Começou a esticar os braços e as pernas, ainda não tinha me percebido. Quando estava preste a começar á correr, me percebeu. Ficamos nos olhando por mais ou menos 10 segundos. 

-Bom dia... -Disse baixinho, mas ouvi mesmo assim. Ele foi embora. Passei alguns dedos no cabelo. 

- Não tem como o dia começar melhor. -Disse para mim mesma, entrei novamente em casa. 

P.v.o Cebola 

Cheguei da minha corrida e fui logo pro banho. Preciso me acalmar. Que merda estava acontecendo com a minha vida? A Mônica estava muito mal, nunca vi ela assim. Sai do banho e logo peguei o celular, tinha uma mensagem da Mila.

-Ursinho, vou passar na sua casa 10h00 ok? 

Merda! Era 9h40. Coloquei uma blusa de frio de moletom, uma calça jeans e um tênis. Passei o gel no cabelo. Ouvi a campainha tocar, bem a tempo. 

-Oi ursinho. - Ela me deu um beijo na bochecha. 

-Oi Mi... -Começamos a caminhar pra qualquer lugar. 

-Então... Oque aconteceu ontem? Cê tá estranho... -Suspirei, coloquei as mãos no bolsa da blusa. 

- Eu e a Mônica nos beijamos, cê lembra né? -Percebi ela fazer uma careta, não quero ser convencido, mas pra mim, ela ainda gostava de mim, pelo menos lá no fundo. - Depois dela sair correndo do palco, o Felipe... Terminou com ela...

-Xiii, deu merda. -Nos dois rimos de nervosos. -E aí? 

- Aí, quando o Felipe foi embora... Ela falou que eu sou a pior pessoa do mundo e que... Me odeia....-Suspirei. Ficamos em silêncio. 

- Cebola, eu sei que você gosta muito dela, mas ela foi uma idiota... -Parei de andar e olhei confuso pra ela, que teve que voltar uns passas para trás. -Cê, você é a melhor pessoa do mundo... -Passou a mão em meus cabelos. - Ela pode te odiar, mas eu não... -Deu um sorriso meigo.

Continua....


Notas Finais


Turmênicos, semana que vem vai começar minha provas dia 17/11, e vai durar até 30/11, então é bem provável que eu quase não pegue o celular,mas nas férias, vou tentar postar 2 capítulos por semana, ok?
Obrigada por lerem e até o próximo capítulo 😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...