História Turma da Mônica: Quando o amor floresce - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Turma da Mônica
Tags Cascao, Magali, Turma Da Mônica
Visualizações 23
Palavras 876
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gente, muito obrigada pelo incentivo e carinho de vocês, me motiva bastante... ❤️😍

Capítulo 7 - Encontro indesejável


Magali acordou já na esquina do seu bairro, olhou para Cascão que continuava a alisar seus cabelos, ele deu outro beijo na testa da garota, esse a fez estremecer, e com um largo e delicado sorriso falou:
- Acordou dorminhoca?
Ela apenas sorriu, mas foi um sorriso tão grande, que nem ela sabia que poderia dar, ela estava segura, tranquila e feliz. Só pedia para que aquele momento se eternizasse.
- Chegamos! Disse Lurdinha para os garotos que ainda se olhavam, Magali enrubesceu.
- Obrigada pelo passeio! - disse Magali enquanto descia do carro
- (Lurdinha) O que é isso minha linda, obrigada você. Por tudo! - deu um sorriso cúmplice para Magali e foi devidamente retribuída.
- (Cascão) Tchau Maga, se cuida!
Ela deu seu melhor sorriso, enquanto via o carro se afastar. Abriu a porta de sua casa dando um último suspiro e com um sorriso bobo estampado na cara.
- Meu amor! - disse Quim com uma ironia tão sutil que nem dona Lili que estava em pé abraçando a filha percebeu.
A situação fez a comilona engolir seco, todas as coisas boas que ela estava sentindo se esvaíram quase que como sopro.
- (Lili) Bom, vou deixa-los a sós. O Joaquim está te esperando a um tempinho... - Lili deu um beijo em sua filha e foi para a cozinha
- ONDE VOCÊ ESTAVA? - gritou Quim apertando o braço de Magali com um semblante tão carregado que arrepiou a garota dos pés a cabeça. Ela permaneceu estática e pálida, as palavras haviam sumido de sua garganta.
- (Quim) Eu tento Magali, EU TENTO DE VERDADE - jogou a menina no sofá, em seguida o esmurrou, provocando um gritinho abafado na garota.
- (Quim) Desde ontem você não me atende, PASSOU O DIA NÃO SEI ONDE, ME FALA O QUE TENHO QUE FAZER COM VOCÊ. - gritou enquanto a balançava pelos braços.
Em um impulso rápido Magali o empurra e lhe dá um tapa na cara.
- VOCÊ ME PROMETEU QUE ISSO NÃO VOLTARIA A ACONTECER! - gritou Magali aos prantos, alisando em seguida os seus braços vermelhos pelos apertos e sacudidas.
- Me desculpa meu amor, é que eu fico descontrolado quando você faz essas coisas. Você não me ama mais, só me maltrata, não quer estar comigo... Me deixou esse tempo todo sem nem uma mensagem avisando se tava bem. Ainda passa o dia inteiro com o idiota do Cascão, se ponha no meu lugar - sussurrou Quim enquanto se ajoelhava em frente a Magali, tentando forçar um choro que a comoveu . Vendo que sua expressão mudou, continuou:
- Eu fiquei com ciúmes, porque você me maltrata tanto?
Magali estava se sentindo muito culpada, principalmente ao lembrar das coisas que sentia quando estava perto do seu amigo sujinho, de todos os carinhos... Mas, ajudou o namorado a se levantar e foi firme em suas palavras
- (Magali) Acho que você lembra que te pedi um tempo depois do que vi em seu celular.
Quim voltou a ter a mesma expressão carregada do início da conversa e gritou:
- EU JA EXPLIQUEI QUE O JEREMIAS PEDIU MEU CELULAR EMPRESTADO PARA CONVERSAR COM AQUELA GAROTA - suspirou tentando se controlar, deslizou sua mão da nuca até a cintura dela e sussurrando em seu ouvido:
- Vamos esquecer isso meu amor, vamos até minha casa um pouco, lá a gente se acerta.
As carícias que antes despertavam prazer em Magali, estavam lhe causando repulsa, mas ela se conteve e juntou todas as forças e o afastou com gentileza.
- (Magali) Eu não estou tão certa de que foi o Jeremias, não pense que sou idiota. E não tenho intenção nenhuma de ir a qualquer lugar com você, nesse momento.
- EU NÃO DISSE QUE VOCÊ TA ME TRAINDO? ATÉ ME REJEITANDO VOCÊ ESTÁ! 
Magali o olhava com espanto, com certeza ele estava perturbado, tentou tocar seu rosto com pena, mas foi surpreendida quando ele pegou na sua mão e a entortou fazendo ela ficar de costas, e sussurrou:
- Se eu tiver a certeza que você está me traindo, eu vou ser obrigado a matar o seu amorzinho, e vou sumir com você também. - ele a largou seguindo até a porta, as palavras dele tinha tanto ódio, que fez Magali cair no chão aos prantos.
- (Lili) FILHA, O QUIM JA FOI? OUVI A PORTA BATER - gritou a mulher da cozinha, fazendo Magali se recompor rápido e ir em busca da companhia da mãe
- Já foi sim, mãe. O que tem para o jantar? - disse a garota abraçando sua mãe, tentando ao máximo dar um sorriso
Em seguida Carlito chegou e os três jantaram. Magali terminou rápido e correu para o seu quarto, trancou a porta e desabou em um choro que parecia interminável. Seu telefone toca e ela resolve olhar.

 _Oi maga! Só queria agradecer pelo dia de hoje... Você é muito especial para mim, se cuida, linda!_ ��
                    Cascão

O coração de Magali se apertou ainda mais ao lembrar das ameaças de Quim, ela não podia colocar o seu amigo nessa história. Além do mais, a culpa estava corroendo o seu coração,  ela questionava o motivo das coisas serem tão difíceis para ela, até que adormeceu.


Notas Finais


Tadinha da Maga, vamos torcer para que ela saia desse relacionamento abusivo com segurança. O que vocês acham?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...