1. Spirit Fanfics >
  2. Turned Love >
  3. Ten

História Turned Love - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


Olha só quem finalmente postou o capítulo 10 Rsrs eu mesma!
Boa leitura 💓😊

Capítulo 10 - Ten


Fanfic / Fanfiction Turned Love - Capítulo 10 - Ten

Norma voice : (Era muita coisa pra minha mente pensar, me sentia encurralada,  era Caleb de um lado e Norman de outro sendo que o Alex nem sabia que o pai do Dylan era o Caleb meu próprio irmão. Ele tinha que saber  más tinha meso do que ele ia pensar de mim depois que contasse tudo.

Norman muito menos sabia do meu casamento com Alex, naquele dia tive que contar duas verdades uma intensa e dolorosa e outra muito boa pra ser verdade. 

Minha cabeça estava latejando de tanta dor, resolvo tomar um bom e longo banho de banheira pra conseguir pensar com um pouco mais de calma e tentar resolver a situação. 

Sinto meu corpo leve, minha mente em paz sentindo a água fluir em meu corpo. Estava inteiramente deitada na banheira, tinha acabado de pensar em tudo e chegado a uma solução. 

Escuto alguém chamar meu nome bem baixo más não conseguia levantar, era como se estivesse em um sonho no qual não conseguia acordar. Sinto alguém me puxar pra cima me fazendo sair do transe e  abrir os olhos imediatamente. 

A: Norma! O que você estava fazendo? Achei que estivesse morta, porque fez isso?

(Alex dizia com a voz assustada trêmula, ele estava nervoso e preocupado)

N: Eu tô bem, eu só quis relaxar um pouco e... 

A: E me matar de susto? Chamei você três vezes e fiquei olhando pra ver se você ia levantar pra respirar e nada. 

N:Desculpa não queria assustar você eu só quis relaxar um pouco. 

(Ele me abraçou, e beijou meu ombro direito, ele respirava fundo aliviado)

A: Você tá bem? Porquê queria relaxar? Ta acontecendo alguma coisa? Você parece triste. 

N:Sim, e eu preciso contar pra você más não sei se entenderia. Tô com medo e vergonha de te contar isso. 

A: Ei? Não precisa ter vergonha de mim, o que quer que seja eu vou tantar entender e te apoiar. (Ele se senta no chão encostando suas costas na banheira) uma vez li em um livro que quando sentimos vergonha de contar algo, é mais fácil não olhar nos olhos da pessoa. 

( Ainda dentro da banheira, me ajeito encostando minha cabeça na borda da mesma, como estava antes de me deitar por completo na banheira. ) 

Alex voice: (Era como se ela contasse a história de algum personagem de filme trágico que parecia não ter final feliz. Quanto mais as palavras saiam da boca de Norma, mas triste eu ficava pela vida que ela levava antes. Quando ela terminou de dizer todas aquelas palavras, ouvi um choro baixo e delicado. Não conseguia dizer nada, não tinha as palavras certas) 

N: Alex diz alguma coisa por favor.

(Continuei sem dizer nada, apenas levantei, me virei pra olhar em seus olhos e adentrei na banheira acolhendo Norma em meus braços que chorava um choro calmo e dolorido. Passei a mão em seus cabelos e beijei sua cabeça) 

A: Não foi culpa sua, você era muito jovem, vocês só tinham um ao outro. Sinto muito por ele ter feito mal a você, se um dia eu ver esse cara na minha frente de novo eu o mato. 

N: Não Alex! Não diga isso. (Ela olhou em meus olhos) Dylan quer chama lo pra passar o Natal com a gente. 

A: O que? Como assim?

N:Caleb é o pai dele! Dylan ficou próximo dele quando o pai esteve aqui daquela vez.  Ele não tem culpa de ter nascido, não tem culpa de nada disso. Não posso negar uma coisa que é tão importante pra ele. Eu só preciso que você entenda isso e me apoe que fique do meu lado. 

A: Então ele vem mesmo? 

N: Dylan perguntou pra mim primeiro, eu disse que ia pensar mas não posso negar isso pra ele. Eu devo isso a ele. 

A: Eu não sei Norma, não sei se consigo ficar na frente desse cara sem querer mata lo pelo que ele fez com você. Não sei se consigo. 

N: Alex por favor! Por favor! Por mim, faça isso por mim. Não precisa você interagir com ele, só preciso de voce ao meu lado. Sem você eu não consigo. 

A: Tudo bem, eu vou estar com você, não vou te deixar vou está aqui. (Ela me abraça respirando calmamente)

N: Obrigada! Obrigada Alex. E ainda tem mais uma coisa. 

A:O que? 

N: Norman foi liberado, vou buscá-lo na clínica e contar sobre o nosso casamento.

A: Quer que eu vá com você? 

N:Não, é melhor eu ir sozinha. Qualquer coisa eu te ligo tá?

A:Tá bom

N: Convidei o Marcos pra passar o Natal com a gente. 

A: Tudo bem, eu gosto dele. 

N: HIII ele é casado tá? (Norma resolve brincar com a Situação)

A: Quê isso? Me respeita! Já tá mais que provado que eu não sou gay. (Gargalhamos) 

N: Tá sim. Nossa você tá todo molhado Alex, vai trocar de roupa. Eu vou vesti uma . (Ela me deu um selinho e saiu do banheiro me deixando sozinho com meus pensamento. Ainda estava arrasado em saber daquilo, como o próprio irmão, a pessoa que ela mais amava teve coragem de estupra la. Ao saber disso só me fez admirar cada vez mais a minha esposa, a mulher forte que ela é. Vou fazer o possível pra me conter e não perder a cabeça com aquele desgraçado,  vou fazer de tudo pela Norma.)

D: Onde você está indo? 

Norma voice: ( Pergunta Dylan ao me ver abrindo a porta) 

N: Buscar o Norman, quer dizer eu vou conversar com ele primeiro, contar do meu casamento com Alex. Tudo vai depender da reação dele se vai poder vim, não sei se ele vai querer. 

D: Eu vou com você. 

N: Dylan não precisa! 

D: Sim, precisa. Você fica muito sentimental e costuma fazer tudo o que o Norman quer, você deixa ele pisar em você, dizer o que quer e não é assim que as coisas funcionam, Você é a mãe dele e precisa de alguém ao seu lado pra te  dar um choque de realidade. 

N: Eu não preciso que você me ensine como ser mãe! 

D: Nossa! Você é tão boa mãe e olha só onde o Norman foi parar! Olha onde você deixou as coisas chegarem! 

(Fiquei em silêncio por um tempo, ele tinha razão. Não sei ser uma mãe pro Norman, não a mãe que ele precisa que eu seja, deixei as coisas chegarem longe demais)

D: Desculpa, eu não quis te magoar, falei sem pensar.  

N:Tudo bem. 

D: Emma??? (Chamou por ela em voz alta com medo de que eu pudesse sair dali correndo e deixá-lo pra trás, ele me conhecia muito bem)

E: Oi! (Emma aparece perto da escada)

D: Vou sair com a minha mãe, não vamos demorar muito. 

N: Deixei uma lista de ingredientes Alex comprar no mercado, você pode ir com ele pra ajudá-lo? 

E: Claro, vou sim. 

(Saímos rumo a clínica, a metade do caminho fomos em silêncio até que Dylan resolve quebrar o gelo)

D: E então? Pensou naquele assunto? 

N: Sim, pensei. Contei tudo pro Alex.

D:Ele ainda não sabia?

N:Não. 

D: E como reagiu ?

N: Ele não falou muita coisa na verdade, me abraçou, disse que não era culpa minha e que ia me apoiar, ele ficou sem palavras na verdade. 

D:Que bom ele entendeu, Ele é uma boa pessoa, gosta de voce de verdade. 

N: Eh eu sei, também gosto muito dele. 

D: Então eu posso chamar o meu pai?

N:sim, pode.

(Continuo concentrada na estrada até chegarmos)

_ O paciente já está vindo podem se sentar pra aguarda lo. 

N: Obrigada! (Aperto a bolsa com minhas mãos suadas, estava muito nersova. Dylan percebe meu nervosismo e põe sua mão sobre a minha.) 

D: Vai dar tudo certo mãe. 

(Era uma forma de dizer que estava comigo pro que eu precisar e isso me deixou muito feliz, o sentimento que Dylan tinha por mim tinha mudado, pra quem me chamava de Norma ou vadia agora me chama de Mãe e se preocupa comigo.)

Nn:Oi mãe, oi Dylan! Não esperava ver você por aqui. 

(Norman chegou me fazendo desapertar dos meus pensamentos. Ele estava com a aparência boa, tinha ganhado mais peso e o cabelo estava bem grande)

N: Norman, oi como está? (Nos abraçamos , um abraço longo e forte. Era como se ele não quisesse sair nunca do meu abraço)

Nn: Estou bem mãe , e vocês? 

(Norman e Dylan deram o breve abraço)

D:Que bom te ver. 

Nn: Muito bom te ver também Dylan, então? Vamos pra casa? 

D: Precisamos conversar antes com você , temos que te contar uma coisa. 

Nn: É mesmo? O que seria? 

N: Senta querido. (Nos sentamos, eu e Dylan no mesmo sofá e  Norman sentado em uma poltrona na nossa frente) Querido, assim quando eu percebi que você tinha que vim pra cá eu tentei de várias formas fazer com que voce entrasse aqui, porque aqui é um lugar muito.  (Dylan me interrompe)

D: Resumindo a mamãe não tinha grana pra te por aqui, então ela se casou com o Xerife Romero pra conseguir o plano de saúde e  que acabou se apaixonando por ele que também é apaixonado por ela a um tempo. Então eles estão casados de verdade estamos muito felizes por eles. 

Nn: Estamos? 

D: Eu e a Emma estamos muito felizes por eles dois, e você devia ficar também a não ser que seja contra a felicidade da nossa mãe.

( Dylan desfez o meu plano de contar com calma pra contar resumidamente tudo de uma vez, o que era melhor mas eu não achava isso. Norman ficou em silêncio por um tempo me deixando mais nervosa do que já estava)

Nn: Não precisava se casar com ele, não tinha que se casar com um homem que não amava por minha causa mãe. 

N: Eu sei querido más... (Dylan interrompe más uma vez)

D: O casamento falso deles só trouxeram coisas boas, conseguimos colocar você aqui que é o melhor pro seu bem e a mamãe encontrou o amor , alguem que finamente a merece. 

N: Eu sei que vai ser difícil pra você se acostumar , porque éramos muito apegados. Mas o amor que eu sinto por você é completamente diferente do que eu sinto pelo Alex. 

Nn: Éramos muito apegados? Não somos mais então? 

D: Não neh, até porque você está preso aqui e precisa crescer um pouco. 

N: Dylan! Dá pra você calar a merda da boca por um instante? 

Nn: Não! Deixa ele falar, parece que ele é o único a me contar a verdade. Estou a dias internado aqui e agora que vem me contar isso!

N: Tentei te contar antes más não conseguir. 

D: Bom, se me permite posso falar mãe? ( Dylan levanta a mão e me olha com deboche pedindo pra falar como se estivéssemos na escola) 

N:Fala Dylan! 

D: Tá tudo bem, melhor do que estavam em anos. Você está aqui recebendo a ajuda que merece, logo logo se recupera e volta pra casa. Norma está feliz por que você está melhorando e também porque está casada com um homem que a ama e que sempre fez questão de ajudar a gente,Emma esta se recuperando da cirurgia e estamos juntos. Então tá tudo bem Norman, tudo está bem. Você precisa entender que uma hora a nossa mãe ia arranjar alguém e essa hora chegou.

(O caminho de volta pra casa foi em silêncio , Norman tinha apenas acenado com a cabeça e disse que estava tudo bem e que queria ir pra casa. Pareceu conformado com a situação mas não falou muito a respeito, não como eu achava que iria.) 

N: Chegamos, bem vindo de volta ao lar querido. 

(Norman não diz absolutamente nada, pega sua mala, observa o Motel e sobe para casa. Dylan e eu os seguimos)

Nn: Como aqui está mudado, essa decoração. 

D:Decoramos ontem, só faltou você aqui com a gente. 

N: Mas agora você está, vamos subir pra colocarmos sua mala no quarto. 

(Subi com Norman e Dylan ficou na sala. Entramos no seu quarto, ele olhou cada detalhe)

Nn: No meu quarto nada mudou. 

N: Está como você o deixou querido. 

Nn: Tá sim, e onde estão Emma e o Xerife Romero? 

N: Saíram pra comprar ingredientes pra ceia de Natal. 

Nn: Vou ajudar você na ceia, posso? 

N: Claro que pode, eu adoraria ter você me ajudando como antes. Estou tão feliz de ter você aqui. 

Nn: Também estou. (Demos um longo abraço novamente) saudade de sentir seu cheiro mãe. 

N: Também estava com saudade de você.

E: Norman? (Emma entra no quarto bem alegre por ver Norman)

Nn: Emma! Oi. (Eles se abraçam)

E: Que saudade eu estava de você . 

Nn: Que bom que conseguiu o transplante, não está mais usando aquela coisa rsrs 

E: Isso é um alívio, as vezes quando ando olho pra trás procurando o meu bichinho aí lembro que não preciso mais dele. 

N: Isso é ótimo! Cadê o Alex? 

E: Na cozinha guardando as coisas. 

N:Vou lá com ele, já volto. 

E: Pode deixar, vamos ficar aqui conversando. 

D: Também quero fazer parte dessa conversa (Dylan entra no quarto sorridente se enturmando com Emma e Norman, desco os deixando sozinhos. Entro na cozinha e vejo Alex guardar algumas coisas no armário)

N: Qua marido mais gentil que eu tenho. 

A: Você é uma mulher de sorte Norma Bates. (Se virou e veio em minha direção me abraçando pela cintura e me beijando)

N: Adoro quando você me chama pelo meu sobrenome, confesso que gosto mais quando me chama de senhora Romero. 

A: E de senhora delegada. (Sorrimos e demos um beijo calmo que foi se intensificando cada vez mais, abro minha boca dando passagem para sua língua explorar cada canto da minja boca, Alex desce suas mãos para minha bunda as apalpando)

N: Eh melhor a gente parar por aqui, para! (Digo me afastando dele)

A:Tava ficando tão bom. (Faz cara de triste) 

N: Eu sei, estava mesmo, más agora não. Norman está lá em cima com Dylan e Emma. 

A: O que você acha de eu ir falar com ele? 

N: Acho ótimo, ain! Tô nervosa. 

A:Vai dar tudo certo.

N:Então vamos! 

A: Espera, deixa só baixar um pouco. (Diz olhando pro volume em sua calça. Gargalho olhando pra sua excitação)

N:Promero te recompensar depois. 

A:Gostei dessa idéia.

(Esperamos alguns segundos até a "Poeira" baixar rsrs e subimos. Escutamos risos atrás da porta, a conversa estava Boa. Abri a porta)

N:Oi, voltei. (Entramos no quarto)

A:Oi, bem vindo de volta Norman. (Alex chega perto do Norman que estava sentado na cama e estende a mão o cumprimentando.)

Nn: Obrigada Xerife Romero. (Norman se levanta estende a mão retribuindo o cumprimento com um sorriso forçado no rosto no qual eu conhecia muito bem.)

A: De nada, mas pode me só de Alex.  

D: Ou de papai (Brincou Dylan tirando risadas de todos menos de Norman)

A: Não precisa tanto. 

Nn: Também, acho. Alex tá bom

A: Tá ótimo.  

D: Agora temos mais um pra aguentar as loucuras de Norma Bates. (Risos)

N: Para tá! Eu não sou tão louca assim. 

D:Não! Imagina.

E:Olha a coisa mais louca que eu vi a Norma fazer foi entrar no carro correndo dá partida nele, o Norman entrou no carro pela janela pra impedir a Noema de sair e ficaram rodando com o carro na garagem no Motel.(Risos)

Nn: É verdade eu lembro disso. 

D:Eu não tava aqui.

Nn: Você chegou depois.

E:Eu fiquei bem assustada, fiquei pensando " Que família é essa?" (Risos de todos) 

N:Mas eu tinha razão de ficar daquele jeito, estava morrendo de raiva por ser enganada pelo Shelby aquele filho da mãe!

D:Mais um episódio triste da Família Bates, tem que ir se acostumando Emma e Alex. 

A:Eu já estou totalmente acostumado.(Alex me abraça por trás e beija meu pescoço, olho para Norman que estava olhando pro Alex com um sorriso forçado )

E: Eu ainda tenho que me acostumar, mas vou conseguir rsrsrs.

(Descemos fomos em um restaurante almoçar, Alex no volante, eu no banco do passageiro ao seu lado e os três atrás. No caminho fomos conversando sobre a Cidade em que Dylan e Emma estavam morando por um tempo, sobre coisas de Natal e sobre os pratos da Ceia. Aproveitei pra contar sobre o Marcos)

A: Parecia que ele estava cantando a Norma, ainda bem que ele é gay. 

E:Ele é bem bonito, muito gentil. Gostei dele. 

N:Você vai adorar conhecê-lo Norman.

Nn:Convidou para a Ceia? 

N: Sim, você vai gostar dele assim como todos nós gostamos. 

(Entramos no restaurante, fomos logo atendidos, fizemos os pedidos e esperamos a comida conversando assuntos aleatórios.  Dylan e Emma sempre fazendo com que Norman participasse da conversa, ele parecia estar gostando daquilo daquela nova família. Eu estava amando.)

A: Tá feliz? (Alex sussurrou no meu ouvido, estávamos sentados um do lado do outro naqueles bancos/sofá e Dylan, Norman e Emma do outro lado da mesa) 

N:Tô, um pouco nervosa mas estou bem. Parecr que ele esta gostando, ta interagindo com a gente. 

A: Sim, isso é bom. Vai ficar tudo bem meu amor. (Ele beija minha mão e em seguida me dá um leve e rápido selinho)

D: Só faltou uma vela pra gente segurar.(Risos)

Nn: Pra eu segurar! (Norman diz em um tom de brincadeira fazendo a gente rir mais ainda. E nesse clima almoçamos conversando sobre assuntos aleatórios, de vez em quando via Norman olhar pra mim e pro Alex com um semblante sério, mas logo ele sorria pra disfarçar o ciúme que eu sabia que ele estava sentindo. 

Alex, Norman e Dylan foram pra casa no carro e eu e ficamos pra irmos a uma loja comprar um vestido pra mim. )

E: Norman parece melhor. (Diz Emma vendo alguns vestidos)

N: É ele está sim. 

E: Percebi ele com ciumes do Alex 

N:Eu também, mas isso vai passar.

E: Eu espero, é tudo questão de costume. 

(Experimentei vários vestidos e por fim experimentei um vermelho tubinho até o joelho, mangas até a metade do braço e decote V)

E: Nossa! Tá perfeito! Você está linda Norma.

N:Não sei, tô achando...

E: Nada! Ele tá lindo, nem se atreva a dizer que está feio. 

N:Tá! Rsrs vamos levar. (Emma vai pra outra parte da loja ver se tinha um vestido que ela queria, olho pro lado e vejo algo que me interessei, chamou minha atenção. Olho vários e escolho um) 

E: Já, vamos. 

N:Vamos. (Pegamos um táxi e fomos pra casa)

N: Oii, chegamos! O que é isso? (Encontro Dylan e Norman assistindo TV, uma TV muito grande por sinal)

E: De quem é essa TV enorme?

D: Queriamos  assistir o jogo, mas a TV daqui de casa estava falhando então fomos na casa do Alex pegar a dele. 

N:E onde ele está? 

Nn: No meu quarto ajeitando o chuveiro do banheiro. 

N:E porque vocês nao foram ajudar ele?

D: Oferecemos ajuda mas ele disse que podíamos ficar aqui mesmo. Disse que ia ser rápido. 

(Subi as escadas indo em direção ao quarto em que Alex estava, ele já estava saindo do banheiro) 

A: Já chegou, como foi as compras?

N: Foi ótimo, não precisava ajeitar isso eu ia chamar o encanador amanhã. 

A:Não foi nada demais, era só uma coisinha de nada. Gostou da TV? 

N: Aquela enorme lá embaixo? Rsrs não precisava trazer a sua TV.  

A: A nossa TV, tudo que é meu é sei agora. (Demos um beijo e fomos pro quarto descansar um pouco.

Acordamos por volta das 15:30 da tarde, desci pra começar a preparar as comidas para ceia de Natal com a ajuda de Emma e Norman. Estava um clima muito bom,conversávamos conquanto faziamos a comida e nos divertiamos. Alex e Dylan sairam para comprar outros ingrediente que eu por deslize esqueci de colocar na lista. 

A tarde foi passando naquele clima natalino de preparações dos pratos ,música natalina que Norman colocou no rádio e muita conversa, tinha tudo pra ser o Natal perfeito. 


























Notas Finais


Muito bom pra ser verdade não acham?
O que acham que vai dar no próximo capítulo? Rsrs 💓


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...