História Twelve sweeter than coca - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Stray Kids
Personagens Bang Chan, Han Ji-sung, Hwang Hyun-jin, Kim Seung-min, Kim Woo-jin, Lee Felix, Lee Min-ho, Seo Chang-bin, Yang Jeong-in
Tags Binlix, Boyxbog, Changlix, Hyunlix, Jeongmin, Jyp, Menção Jeongmin, Menção Woochan, Minsung, Ski, Skz, Stray Kids, Woochan, Yaoi
Visualizações 308
Palavras 2.079
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shounen, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OLHA SÓ EU AQUI !!!

Gente, esse capítulo é só na visão do Felix, como se fosse um especial, já que não teve muito dele no prólogo.
Os próximos já vão ser em terceira pessoa, não se preocupem.

eu não betei mas tomara que não tenham muitos erros kskksks

Boa leitura, espero que gostem ♡

Capítulo 2 - Enfermaria?


(Felix)

Tinha passado o dia de terça inteirinho comendo e arrumando as coisas no meu quarto, dobrando roupa por roupa e até encontrando algumas camisetas que tinha jurado perder.

Meus pais eram divorciados e durante muitos anos, na minha opinião, ficar morando na Austrália com minha mãe era a melhor das opções até meu pai me convencer de que o ensino médio e faculdade na Coréia seriam muito melhores - e também tocar no meu ponto fraco dizendo que estava sentindo minha falta -, me fazendo criar coragem e sair do conforto do meu país para acabar indo à um lugar que eu não ia há anos. A única coisa - além da minha família - que poderia me deixar confortável, seria Jisung. Han Jisung tinha sido um amigo meu que conheci pela internet e fiquei extremamente feliz ao descobrir que tinha ido morar na Coréia após se mudar da Malásia pois, bem na época, passaria as férias com meu pai e poderia o conhecer; Jisung tinha sido de grande ajuda por muito tempo - ainda era, na verdade - no quesito não me deixar sozinho, nem que fosse virtualmente quando não estava em seoul a visita. Aproveitava nossas conversas para treinar meu péssimo coreano inclusive.

Já eram seis da tarde quando eu finalmente terminei de arrumar meu guarda roupa e, sim, metade eu tinha apenas jogado nas gavetas. Futuramente eu me preocuparia com aquilo.

Escutei curtas batidas na porta, vendo meu pai entrar no cômodo, com um sorriso empolgado no rosto.

- Yongbok… - começou, me fazendo revirar os olhos.

- Pai, por favor.

- Okay, desculpa, Felix, eu queria falar com você - começou sem tirar o sorriso, sentando ao meu lado na cama - de verdade, fico feliz que tenha vindo, filho. Você sabe que é complicado se adaptar à coisas novas, mas eu espero que confie em mim pra ajudar… Eu trouxe seu uniforme já para amanhã, mas se você quiser esperar até semana que vem, treinar seu coreano ou…

- Calma, pai, olha, tudo bem, eu sei que vou ter sua ajuda - sorri tentando passar confiança, mesmo que nem eu estivesse realmente certo de como as coisas seriam - eu não quero realmente ir na escola mas isso é porque eu nunca quero - dei de ombros e ri, sendo acompanhado por ele.

- Como você tem coragem de falar isso na frente de um professor?

- Eu vou ser o melhor da turma na sua matéria, não estou preocupado… Mas com todo respeito, né? Enfim, pai, eu ainda falo com aquele amigo que eu tinha aqui, lembra dele? Jisung, ele disse que é seu aluno.

- Espera, Han Jisung? Do segundo ano?

Assenti, com o cenho franzido. Meu pai parecia surpreso e… Divertido?

- Felix, ele e os amigos dele vão deixar você de cabelo em pé. Eu acho que vou deixar você com Seungmin e Hyunjin pra não atrapalhar minha aula.

- Quem?

- Ah, são do segundo ano também, mas, de qualquer forma, espero que você goste daqui, estou feliz por ter você e espero que se dê bem aqui. Seu uniforme está em cima do sofá e daqui a pouco vou pedir algo para comermos… Quer frango? Pizza?

- Frango, pode ser. E obrigado, pai, eu vou me esforçar.

Sorri e ele saiu do quarto logo depois. Suspirei, rindo comigo mesmo ao lembrar do que ele tinha dito sobre seu amigo. Faria questão de esfregar aquilo na cara de Jisung mais tarde.


¤


Não estava com o mínimo de vontade de dormir mas não tinha como ao menos me forçar a parar quieto e fechar os olhos. Toda manhã manhã eu me martirizava por dormir tarde demais mas na noite seguinte eu apenas não dormia mais cedo novamente.

Não soube exatamente quando peguei no sono mas acordei com o som do despertador mesclado ao sonho que tive naquela noite, somado às batidas na porta que meu pai dava na tentativa de me tirar da cama. Resmunguei, avisando com a voz alta que já sairia dali e as batidas cessaram, me fazendo espreguiçar o corpo e choramingar antes de levantar, quase caindo de tanta preguiça e indo até o banheiro, lavei o rosto e me olhei no espelho, fazendo careta antes de pegar a roupa que tinha que vestir e a colocar sobre o corpo. Tinha total preguiça de apenas existir durante a manhã mas se eu tinha que ir até a escola, não?

Depois de tomar café, enviei uma mensagem à Jisung avisando que estava indo para a escola e guardei meu celular no bolso da mochila, entrando no carro junto com meu pai. Não tinha notado que chegaria na escola como aluno novo junto ao professor de inglês mas - dando de ombros - não importava muito. O carro chacoalhava levemente durante o caminho e eu não ficava muito confortável no silêncio mas também não sabia exatamente qual assunto puxar e meu pai parecia muito concentrado na rua, então fiquei brincando de passar as músicas no rádio até que o automóvel parasse na frente dos portões da escola, destravando as portas para que eu saísse antes de desviar e ir até os estacionamento dos fundos por onde os professores entravam.

Nunca fiquei realmente confortável em lugares onde não conhecesse ninguém mas quando resolvi tomar coragem e encarar aquelas várias pessoas desconhecidas dentro do pátio, senti meu corpo ser quase esmagado por outro e demorei alguns instantes para entender que era um abraço. Espera... Abraço?

-Jisung! - exclamei com um sorriso, retribuindo o ato alheio já sentindo uma animação não esperada tomar conta de mim.

- Você ‘tá gato, hein? Não tinha me dito que ia voltar pra cá com esse cabelo loiro, aí. Como você ‘tá? Já conseguiu treinar bem seu coreano? Você é um idiota, aposto que guardou o celular e nem esperou eu responder se ia vir poder te catar no portão - jisung me metralhou com perguntas e eu mal sabia qual responder primeiro, por isso apenas comecei a rir mais ainda e o empurrei sem força alguma.

- Caralho, calma… Sim eu treinei meu coreano mas ele continua ruim e claro que eu guardei meu celular, você não ia deixar de vir me ver, querido.

- Nah… - estalou a língua e deu de ombros, me pegando pelo braço e puxando meu corpo para dentro da escola.

Fazia cerca de um ano que eu não o via, e com certeza ele tinha mudado muito mais do que eu esperava, seu rosto bochechudo ainda parecia o mesmo tirando alguns detalhes pequenos mas ele com certeza tinha ficado um pouco mais alto e bonito. Estava meio perdido nas minhas avaliações sobre Jisung, esperando que as informações sobre ele fossem atualizadas na minha cabeça, então não prestei a devida atenção no caminho que fazíamos, mas felizmente a escola não era grande, eu não me perderia com tanta facilidade caso ficasse sozinho e, só vi que ele tinha ne arrastado até a secretaria quando estavamos mais perto dali e com algum esforço eu consegui ler a palavra “secretaria” na plaquinha colada na porta. Jisung pediu para que eu dissesse meu nome e minhas informações para que a moça da recepção me entregasse um papel que eu deveria mostrar aos professores e sorri satisfeito por conseguir fazer isso sem quase nenhum problema. Não parecia tão difícil me virar ali na prática, principalmente enquanto tinha Jisung para me guiar e explicar uma informação ou outra que meu cérebro não fosse capaz de absorver tão rápido, por isso eu conseguia ir relaxando aos poucos. Parte de mim dizia que daria tudo extremamente errado, mas eu socava ela e prestava atenção no pessoal que andava pelos corredos enquanto os analizava. Aquilo era um milhão de vezes mais sem graça que o de costume… Que tipo de ensino médio tinha uso de uniforme obrigatório e nenhum armário? todos ali tinham o cabelo parecido e andavam por toda escola esquanto o sinal não batia. Bizarro.

Cutuquei o braço de Jisung quando entramos na sala, vendo que haviam poucas pessoas ali ainda.

- Por que ninguém espera dentro da sala? - murmurei confuso, me mantendo em pé ao lado dele por não saber onde sentar.

- Não sei, ninguém nunca esperou desde que eu vim mas também nunca perguntei… Deve ser porque ninguém aqui se gosta muito - deu de ombros. Fiz careta.

- Huh?

- O pessoal é meio chato, tirando algumas pessoas que você pode confiar… Por exemplo, em mim! - sorriu convencido - tem também… hm… meus amigos. Eu vou apresentar você à eles mais tarde, são do terceiro ano. Da nossa turma acho que Hyunjin e Seungmin são legais, tem umas garotas que são inteligentes e podem te ajudar com algumas matérias… E se você precisar de qualquer informação na escola pode ir no conselho estudantil, Woojin e Minho sabem tudo sobre qualquer coisinha que aconteça aqui e, se gostarem de você, ajudam com todos os problemas que tiver. Principalmente Minho… - resmungou o final e me encarou por alguns segundos com o cenho franzido, como se tivesse se dado conta de algo.

- O que tem ele? - já tinha escutado aquele nome, com certeza. Não era o garoto que Jisung vivia falando que ia em sua casa?

Fiquei calado esperando que o moreno o respondesse.

- Felix eu sou muito burro! Puta merda… Eu já volto, nosso primeiro período vai ser inglês então você aproveita que é seu pai e me acoberta, por favor, eu te amo, fica aí quietinho e espera que eu preciso resolver um negócio.

- Mas eu-

- Eu falei bosta ontem, esqueci de te contar, aliás, mas no recreio a gente se vê, tá? Na dúvida eu to na enfermaria.

Sorri confuso e assenti, mesmo que não quisesse ficar sozinho na sala, em menos de cinco minutos a aula começaria. Não tinha entendido onde Jisung disse que estaria mas ninguém perguntaria, certo? Dei de ombros e fiquei ali parado pensando no que Jisung tinha dito até sentir uma mão em meu ombro, me fazendo virar na direção do garoto com um pequeno sorriso que me olhava.

- Você é o aluno novo, não é? Sou Kim Seungmin, qual seu nome?

- Lee Felix… O prazer é meu…

- Felix? - repetiu confuso.

Céus ele era fofo demais.

- Eu não sou daqui, eu sei que meu nome parece  estranho mas-

- Não, é bonito! Eu gostei - comentou e deu de ombros antes de tirar a propria mochila das costas e a colocar sobre uma das carteiras - Você pode sentar aqui comigo se quiser, aí eu posso ajudar com a matéria…

Finalmente alguém realmente prestativo nessa escola! Jisung além de não ajudar, ainda dificultava.

- Eu agradeceria você pra sempre… - ri divertido e me sentei ao lado dele. Seungmin parecia legal, já tinha escutado seu nome duas vezes em menos de vinte e quatro horas ( por causa do meu pai e jisung), mas podia entender o porquê daquilo no momento em que ele começou a me explicar as matérias que a turma estava aprendendo e mostrando os cadernos que ele tinha consigo mesmo que em poucos minutos.

Quando a sala já estava quase cheia de alunos, escutei uma risadinha da parte de Seungmin e ergui o olhar por curiosidade para saber por qual motivo o outro havia começado a rir do nada, vendo que sua atenção estava além de mim. Acompanhei seu olhar até a pessoa que estava prendendo sua atenção, ficando surpreso ao ver que não era um aluno entrando naquela sala e sim um anjo, não era possível.

- Seungmunnie, bom dia! - sorriu, lindamente, devo dizer, e me olhou com um misto de curiosidade e s

divertimento enquanto sentava em uma das carteiras à nossa frente, com o corpo de lado quase completamente virado na nossa direção - E quem é você? Como é seu nome? De onde você veio? - Começou a perguntar, tendo a mão de Seungmin sobre sua boca, o fazendo ficar quieto.

- Seja educado, Hyunjin! - murmurou o ruivinho, tirando a mão da boca do outro e me olhando. O moreno sorriu sem graça e coçou a nuca.

- Desculpa… Sou Hwang Hyunjin! Qual seu nome?

- Felix! Lee Felix… E não, eu não sou daqui.

- E de onde você é? - perguntaram em uníssono.

- Eu vim da…-

- Bom dia, Turma! Hello, Class! Good morning - fui interrompido, mais uma vez, mas nessa, pelo meu digníssimo pai-professor entrando na sala. Me ajeitei sobre a cadeira, enquanto Seungmin e Hyunjin viravam para frente para prestar atenção na aula.

Suspirei com preguiça, apoiando a cabeça nas mãos, nem um pouco preparado pra “aprender” o a classificação do verbo To Be mais uma vez.


Notas Finais


irra eh isto, Jisung tem os problemas dele pra resolver :)

Próximo capítulo vocês acham que o foco vai ser em qual dos meninos? Mesmo que eu volte na terceira pessoa, sempre tem um protagonista, né?

Me sigam no twitter caso queiram saber algo sobre a fic ou qualquer outra coisa:
https://twitter.com/yubakugouz?s=09


até a próxima


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...