1. Spirit Fanfics >
  2. Twice'life 2 >
  3. Stop

História Twice'life 2 - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura.

Capítulo 9 - Stop


January 5, 2020, Sunday. 

P.O.V. Nayeon. 

Foi muito bom saber que ocorreu tudo bem da cirurgia melhor ainda saber que agora podemos pelo menos um pouco vê-la, os primeiros a irem foram os pais dela depois foi a Mina e a ordem seguiu em Jihyo, Dahyun, Tzuyu, Momo, Sana, Jeongyeon e por último eu, sendo sincera quis ficar por último pois estou com um pouco de medo vê-la ligada a aparelhos e em coma de uma forma tão frágil, é extremamente ruim saber que uma amiga tão próxima minha está assim, tão ruim que eu não desejo isso nem aos meus piores inimigos. 

- Vou deixar você as sós com ela. - A enfermeira disse quando me deixou na UTI onde ela está. 

Como eu pensei doeu ver ela nessa situação, doeu de dar vontade de chorar com isso, simplesmente fiz, chorei, algumas lágrimas caíram e eu as enxuguei com a manga da minha blusa e depois fiz um carinho de leve no rosto dela. 

- Vai ficar tudo bem Chaeyoung, tenho certeza que vai. - Disse enquanto ainda fazia carinho na sua bochecha. 

- É tão bonito ver como você é realmente amiga delas. - Uma voz masculina e incomum a mim disse me assustando, quando me virei para ver quem é o susto só aumentou impossível não o reconhecer o homem que muitas Onces me alertaram sobre está atrás de mim dizendo que me ama foi impossível não saber que é o Josh. 

- Como você chegou aqui? - Perguntei tentando não transparecer o medo que eu estou com essa situação, nesse momento aproveitei para aperta a campainha que chama um enfermeiro sem que ele visse. 

- Esse não é o assunto de agora, sei que você mal me conhece, mas eu te amo, amo de verdade e sei que se você permitir eu mostrar esse meu amor você também vai se apaixonar por mim, por isso eu só de peço essa chance deixe eu te demostra o meu amor. - Ele disse calmo e sempre me olhando nos olhos o faz parecer que ela estranhamente fala a verdade.   

- Como você mesmo disse eu mal te conheço e como minha mãe sempre diz não se deve falar com estranho. - Disse ainda tentando não transparecer o meu medo, mais por dentro eu me tremia inteira. 

- Faz sentindo o que você disse, então pergunte o que você quiser sobre mim, assim deixamos de ser desconhecidos. - Ele disse se aproximando de mim o que me deixou mais nervosa chegando a soar frio. - Calma, não precisa ter medo de mim, eu não vou te fazer nenhum mau. - Ele disse tentando encostar no meu rosto, mas eu me afastei e ele aparentemente desistiu disso. 

- Está tudo bem aqui? - A enfermeira que me deixou no local disse entrando na sala e se assustando com a presença dela aqui. 

- Você vai ficar caladinha e se sentar naquela cadeira ali. - Ele disse apontando um amar para ela que levou um susto com isso e ficou sem reação, nesse momento eu já não conseguia mais esconder o quando nervosa e com medo eu estou. - ANDA! - Ele disse gritando o que me assustou, a enfermeira fez o pedido. - Pronto meu amor podemos agora voltar a o assunto de antes. - Ele disse com um sorriso no rosto que até me deu ânsia de vomito.  

- Por favor não faz nenhum mal a elas duas. - Disse morrendo de medo de ver aquela arma da mão dele. 

- Você é realmente uma pessoa maravilhosa, sempre se preocupando com os outros. - Ele disse ainda com aquele sorriso medonho no rosto. 

- Não seria melhor a gente conversar a sós sem ninguém para nós incomodar, uma outra sala do hospital por exemplo. - Disse pois realmente me preocupo com a Chaeyoung e a enfermeira além de assim ela poder avisar aos seguranças do hospital o que está acontecendo. 

- Gosto de saber que você quer ficar a sós comigo, já é um começo para a nossa relação. - Ele disse e foi olhar se vinha alguém no corredor. - Tudo certo vamos. - Ele abriu a porta e fez um sinal para que eu saísse, ao chegar perto dele ele me segurou pelo braço e apontou a arma para a minha cabeça. - Espero que eu não tenha que fazer nada contra você. - Eu me tremia inteira de medo, mas preferi não fazer nada, senhor não deixa nada acontecer. 

A primeira vez que soube dele foi em uma reunião com o JYP onde ele disse que havia recebido vários e-mails das Onces sobre ele ter postado no twitter sobre está atrás de mim e dizer que me ama e vara de tudo para que eu o amasse também, o nosso chefe disse que fez tudo para que ele não pudesse chegar perto de mim, mas aparentemente isso não funcionou já que no nosso voo para o Japão ele apareceu e tentou falar comigo, mas os seguranças o impediram, o JYP disse que estava tomando as medidas legais para ele nunca mais poder chegar perto de mim só que agora ele está aqui apontando uma arma para a minha cabeça e me levando sabe-se lá onde desse hospital. 

Nós entramos em uma sala, que aparentemente é um quarto do hospital, logo reparei que na sala continha tem um spray de bom cheiro provavelmente esquecido por uma faxineira aqui, eu sinceramente estou morrendo de medo do que pode vim a acontecer, tomará logo que alguém apareça. 

- Pronto baby agora estamos a sós. - Ele disse colocando uma mecha do meu cabelo atrás da minha olheira, sendo sincera eu não consegui reagir a isso meu corpo parece paralisado agora ainda mais vendo a amar que está na mão dele. - Você disse que quer me conhecer melhor, então pode perguntar o que você quiser. - Ele disse fazendo um carinho no meu rosto que sinceramente está me dando nojo. 

- Como você sabe que me ama sendo que essa é a primeira vez que está realmente conversando comigo? - Perguntei algo que eu realmente quero saber, pois não é possível alguém se apaixonar por outra só a vendo na internet. 

- Você está duvidando do meu amor? - Ele perguntou com uma cara confusa e parando o carinho que fazia. 

- Não, só quero saber o que te fez se apaixonar por mim? - Logo reparei que não foi uma boa ideia então reformulei a pergunta. 

- Já se olhou no espelho pôr a caso? - Ele perguntou em um tom sarcástico de voz que me deu medo. - Você pode não ver, mas é maravilhosa, linda, perfeita, o seu único defeito é não estar comigo. - Ele disse de um jeito que só me dá mais medo ainda de tudo isso. - Olhar para você só me dá vontade de fazer outras coisas. - Ele disse com um tom de voz malicioso que me deu medo e nojo ao mesmo tempo. - Posso te beijar? - Ele perguntou e eu neguei com a cabeça, mas mesmo assim ele começou a se aproximar de mim com um sorriso medonho no rosto. - Resposta errada mocinha. - Ele disse e eu tentei-me afastar, mas ele me segurou pela cintura, tentei sair dali, mas não conseguia como se o medo fizesse me paralisado por completo, tudo piorou quando ele selou nossos lábios, nesse momento eu só conseguia sentir nojo daquilo. 

“Será que ela vai conseguir sair das mãos dele?” 


Notas Finais


Obrigada por lerem.
O que estão achando da segunda temporada da fic?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...