História Twice's life - Capítulo 27


Escrita por:

Postado
Categorias TWICE
Personagens Chaeyoung, Dahyun, Jeongyeon, Jihyo, Mina, Momo, Nayeon, Sana, Tzuyu
Tags Drama, Romance, Twice
Visualizações 38
Palavras 1.771
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura.

Capítulo 27 - Ho


Fanfic / Fanfiction Twice's life - Capítulo 27 - Ho

March 4, 2018 Sunday. 

P.O.V. Jeongyeon. 

Hoje é um dia de folga, e todas nós estamos em casa fazendo vários nadas, no caso Nayeon está mexendo no seu notebook no quarto, Mina, Chaeyoung, Sana e Jihyo estão assistindo um filme na sala, Dahyun e Tyuzu estavam jogando um jogo de cartas no seus quarto e eu estava na varanda vendo a vista da cidade ou seja fazendo vários nadas quando então Nayeon chegou no local. 

- Está fazendo o que? – Perguntou a mais velha quando entrou na varanda. 

- Estou observando a vista. 

- Tá afim de fazer alguma coisa? 

- Não sei, o que você quer fazer? 

- Estava pensando em dar uma volta pelo parque que tem aqui perto, você quer ir comigo? 

- Pode ser. – Depois da minha fala nós saímos de casa. 

Nós fomos até o parque que é bem preto de casa, nós fomos numa conversa agradável sinceramente eu gosto de passar o tempo com a mais velha, posso dizer que da casa ela foi quem eu mais me identifiquei. 

O parque estava um pouco cheio acredito eu que pelo fato de hoje ser domingo então muitas famílias estavam lá curtindo a sua tarde de domingo. 

- Eu gosto dessa época do ano onde ainda é inverno, mas já está começando a primavera. – Disse a mais velha enquanto nos caminhávamos pelo parque. 

- Também gosto, mas sinceramente prefiro o verão. 

- No verão eu gosto do fato de não ter que usar um monte de casaco, mas eu não sou fã de altas temperaturas. 

- Entendo essa e para mim a pior parte do verão, mas eu ainda prefiro as altas temperaturas do que as baixas. 

- Olha uma carrocinha de pipoca, vamos lá eu agora fiquei com vontade de comer pipoca? 

- Vamos eu também fiquei com vontade. – Falei e nós fomos até a carrocinha. 

- Boa tarde moço, poderia me ver uma pipoca grande mista? – Disse Nayeon ao pipoqueiro. 

- Aqui minha linda jovem. – Falou o moço entregando a pipoca para Nayeon. 

- Obrigada. – Nós duas falamos juntas. 

Nós sentamos num banco do parque para comer a pipoca. 

- Jeongyeon, você prefere pipoca doce ou salgado? – Me perguntou a mais velha. 

- Sinceramente eu prefiro a salgada. 

- Já eu prefiro a doce. – Depois da fala da Nayeon eu percebi um grupo de pré-adolescentes de no máximo quatorze anos olhando diretamente para nós então eu acenei pala eles que então vieram na nossa direção. 

- Com licença vocês são a Nayeon e a Jeongyeon do Twice? – Perguntou uns dos pré-adolescentes. 

- Sim somos nós mesmo. – Disse Nayeon. 

- Eu sou muito fã de vocês, acompanho os seus trabalhos desde a época do sixteen. – Disse a mais baixinha dos pré-adolescentes. 

- Obrigada por nós acompanharem a tanto tempo. – Disse. 

- Vocês querem tirar uma foto? – Eles concordaram com a cabeça então nós tiramos um monte de fotos com eles e bom ter o seu trabalho reconhecido, ou seja é muito bom encontrar uma ou várias Onces assim faz eu até ficar com mais vontade de continuar o meu trabalho e um verdade gás a mais para mim e acredito que para as outras meninas também. 

Depois da sessão de fotos com os nossos fãs nós decidimos voltar para casa, essa tarde passeando com a Nayeon foi maravilhosa eu sinceramente gosto da mais velha. 

Chegando em casa eu e Nayeon fomos para o nosso quarto onde a mais velha disse. 

- Eu gosto muito da amizade que nós temos Jeongyeon. – É bom saber que ela gosta dessa nossa amizade, mas ainda é frustrante até porque eu sei que o que eu sinto pela mais velha não é só amizade e muito mais que isso então de sabe-se lá aonde eu tive coragem para contar a ela tudo que eu estou sentindo por ela. 

- Nayeon, eu não consigo mais esconder o que eu sinto por você, a verdade é que eu sinto muito mais que uma amizade por você a verdade é que eu estou gostando de você. – Disse, mas só pelo jeito que ela me olhou foi o suficiente para eu me arrepender de ter contado tudo. 

- Jeongyeon, você deve estar confundindo as coisas até porque esse tipo de relacionamento e errado então nós não podemos ter nada além da amizade que nós já temos. – A frase da mais velha foi o suficiente para fazer lágrimas começarem a escorrerem pelo meu rosto e a única coisa que eu queria fazer era sumir naquela hora então eu saí do quarto. 

P.O.V. Nayeon. 

Depois de ouvir aquelas palavras da Jeongyeon eu não sei explicar o que senti com isso tem horas que eu não consigo entender como tem pessoas que conseguem fazer algo tão errado, mas eu sinceramente acredito que ela está confundindo as coisas.  

- Jeongyeon, você deve estar confundindo as coisas até porque esse tipo de relacionamento e errado então nós não podemos ter nada além da amizade que nós já temos. – Após a minha fala pude perceber que ela estava começando a chorar, mas não teu tempo de eu falar nada e ela saiu correndo do quarto, as vezes ouvir a verdade dói muito. 

- Aconteceu alguma coisa? – Perguntou Jihyo que entrou no quarto logo após a saída da Jeongyeon. 

- Não foi nada. 

- Então porque Jeongyeon saiu com uma cara estranha desse quarto? 

- Jihyo você sabe muito bem o que eu acho sobre relacionamentos com pessoas do mesmo sexo não sabe. 

- Sei e acho esse seu pensamento bem antiquado, mas nós já discutimos sobre isso, o que aconteceu nesse quarto? 

- Ela se declarou para mim ainda agora e eu disse o que eu acho sobre isso. 

- Nayeon eu sei muito bem o porquê você tem esse tipo de pensamento e isso nunca foi um problema na nossa amizade até por que você sempre respeitou as escolhas das outras pessoas e o que você fez só servil para magoar a Jeongyeon. 

- E você queria que eu disse o que para ela. 

- Você, poderia ter só dito que o que ela sentia não é reciproco e não falar o que eu imagino o que você falou, até porque você estaria mentindo se só dissesse que é hétero. - Depois da fala ela saiu do quarto e memorias de uma época da minha vida, que eu sinceramente não queria lembrar voltaram na minha cabeça. 

Memoirs on: 

October 2010 

Eu estava voltando da escola junto com a minha melhor amiga, Areum, nós nos conhecemos desde pequena e sempre estudamos juntas e ela foi a única pessoa que eu conheço a me apoiar na decisão de ser trainee, já que nem meus pais me apoiaram, sinceramente eu gosto muito dela nós somos muito próximas e como ela mora uma rua antes da rua do alojamento nós sempre voltamos juntas da aula. 

- Nayeon. - Disse ela segurando as minhas mãos e parando na esquina da rua dela. 

- O que foi? 

- Eu sei que esse é provavelmente o último ano que vamos estudar juntas então eu decidi que tenho que der contar algo. 

- O que? Fala. 

- Eu gosto de você. - Ela disse essa última frase extremamente baixo que eu quase nem ouvi, mas ao processar o que ela disse meu coração começou a bater mais forte e eu comecei a me sentir nervosa, as palavras dela realmente mexeram comigo. 

- É sério o que você disse? - Ela balançou a cabeça em confirmação o que vez eu ter uma vontade inexplicável de beija-la é foi o que eu fiz, o beijo começou num selinho calmo até virar um beijo de verdade muito mais quente e cheio de vontade de nós duas. 

- Nayeon!! Que pouca vergonha é essa? - Após ouvir a voz tão familiar nos duas nos separamos e eu olhei para trás. 

- Pai! O que o senhor faz aqui? 

- Isso não importa. Eu que quero saber o que está acontecendo aqui? 

- Não foi nada pai. Eu posso explicar. - Após a minha fala ele me puxou belo braço em direção ao carro dele que estava estacionado no meio fio. 

- Você hoje vai aprender como é ser uma mulher de respeito, e não a vagabunda que anda sendo. - Ele disse isso me colocando dentro do carro e entrando logo depois. 

O caminho inteiro nós dois fomos em silencio e eu não consegui segurar o choro. 

Chegando na casa dele com a minha mãe no dois entramos e então ele falou. 

- Nayeon explique o porquê você estava beijando outra mulher. 

- Pai foi só um beijo, nada demais. 

- Você ainda tem coragem de dizer que foi só um beijo. Eu não criei filha minha para ficar se agarrando com outra mulher pôr aí. - Ele disse isso tirando o cinto que estava usando. 

- Pai o que o senhor vai fazer? 

- Vou de ensinar a ser uma pessoa de verdade. - Depois da fala ele começou a me bater com o cinto como se castigasse uma criança que quebrou algo caro só que era possível perceber o ódio no olhar dele. 

-  Amor para. - Disse minha mãe ao entrar na sala e ver a cena. 

- Sua filha hoje vai aprender a se gente, porque pessoas de verdade não se agarram pôr aí com outras pessoas do mesmo sexo. - Após a fala dele minha mãe não fez nem disse mais nada como se concordasse com o que ele disse e ele começou a bater mais forte em mim. 

- Pai por favor para. - Eu implorava, mas parecia que ele nem me ouvia. 

Depois de uns dez minutos dele batendo em mim ele enfim parou e saiu do comado me deixando ali sozinha chorando e cheia de hematomas. 

Então recuperei minhas forças e sai daquela casa e voltei andando até o dormitório, chegando lá a única que estava era Jihyo. 

- O que aconteceu Nayeon? - Depois da fala dela eu voltei a chorar sem controle, ela então me abraçou com o tempo eu fui-me acalmando e consegui explicar tudo o que aconteceu. 

Depois daquele dia eu jurei a mim mesma que nunca mais teria algo com uma garota e que a partir de agora eu considerava tudo isso errado.    

Memoirs off. 

Com tudo que aconteceu nesses últimos messes essas memorias vivem voltando come se tudo tivesse ocorrido ontem e agora estava eu sozinha chorando no meu quarto por ser uma idiota ao ponto de magoar alguém do mesmo jeito que meu pai me magoou. 

“será que a Jeongyeon está bem?” 


Notas Finais


Obrigada por lerem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...