História Twilight of Blood - Capítulo 24


Escrita por:

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Azusa Mukami, Kanato Sakamaki, Kou Mukami, Laito Sakamaki, Personagens Originais, Reiji Sakamaki, Ruki Mukami, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Yui Komori, Yuma Mukami
Tags Amnésia, Blood Lines, Dark Brial, Eve X Subaru X Near, Hentai, Horror, Kou Mukami, Magia, Mistério, Ozmafia!, Sangue, Subaru Sakamaki, Suspense, The Lost Eden, Tug, Twilight Of Blood
Visualizações 71
Palavras 4.120
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Ficção Adolescente, Harem, Hentai, Literatura Feminina, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 24 - Exhibition


Fanfic / Fanfiction Twilight of Blood - Capítulo 24 - Exhibition

Diabolikis Love

Quarto de Eve

Eve começará com um beijo voraz e cheiro de desejo. As mãos levantaram-se para a sua nuca,muitas das vezes puxando levemente os cabelos brancos para aprofundar o beijo.

Acharia que estava abusando de seu serviço, se ele não tivesse correspondido aos seus toques,passando suas mãos sobre suas pernas. Ela se arrepiava toda aos toques dele pois sentia saudades daquilo.

Eve deslizou suas mãos pelo seu peito, abrindo os botões de sua camisa, para retirá-la de uma vez. Se tiver uma coisa que a deixava excitada, era o peitoral/abdômen do vampiro. Depois de ter tirado sua roupa e a jogado em um canto qualquer,ela começa a fitar o conteúdo diante de seus olhos.

Ela estava muito maliciosa e excitada. Passou delicadamente suas mãos em seu corpo enquanto que mordia seu lábio inferior por tanta vontade e excitação que estava pois, estava embebeidada por tamanha luxúria nem hannya a perdoaria pelos seus pecados.

Ela se aproximará de seu pescoço e começará a mordê-lo levemente até chegar em sua boca para voltar a beijá-lo. Depois de afastar seus lábios dos dele, ela o olhou bem no fundo de seus olhos antes de arranhá-lo fortemente por toda extensão da frente, até parar no cós de sua calça. Como um gato. E agradeceu por não ter cortado suas unhas e ter as deixado crescer e ficarem grandes o bastante para levar a sangrar seus arranhões.

Tão forte, que foi inevitável para que Subaru não segurasse sua mão fortemente e a encarasse com raiva. Eve ficou surpresa e ao mesmo tempo assustada,pois pensou que foi uma má idéia tê-lo o arranhado mas sua raiva foi substituída por um sorriso. A garota não entendeu direito do porquê dele ter sorrido assim do nada, o que fez ela relaxar e dele ter se aproveitado e trocado de posição com ela.

Ela ficará com os olhos arregalados e sua boca estava entreaberta pela surpresa que ele fez com ela, Subaru não tirava aquele sorriso de seu rosto que dizia: “Te peguei, agora é a minha vez de brincar com você”, era o que entendia.

O rapaz rasga as suas roupas não se importando pois ela não as usará, deixando seu busto à mostra. Seus olhos vermelhos brilhavam que qualquer crepúsculo, ele estava com sede, sede de sangue e sede de se satisfazer dá vontade de Eve.

Subaru se aproxima de seu corpo nu e já começa a marcá-la. Primeiro o colo de seus seios, depois suas clavículas e por último o seu pescoço. Ele não parava um segundo sequer pois gostava de fazer aquilo, se saborear do melhor sangue já visto e se saborear e abusar da intimidade dela.

Ele arrancá-lhe sua roupa de baixo junto a sua calcinha. Após vê-la sem suas roupas o garoto estava mergulhado na própria luxúria. Não perdeu tempo para tirar suas roupas e começar a penetrá-la.

Devagar ele fazia, fazendo a menina gemeia e ficava com o rosto todo vermelho e com mais e mais excitação para que ele continuasse. A cada estocada que ele dava ela lhe implorava para ele fazer mais e com força e precisão.

Seu coração batia aceleradamente, isso é o que se chama de estar podre na próxima luxúria. Era o que ela sentia por ele.

-Subaru, você sabe como intimidar e se aproveitar,se deliciar,se saborear de todo o meu corpo. Eu sempre serei sua e nunca o deixarei nas mãos de outras,posso estar sendo egoísta e pecando na luxúria,mas é o que meu coração sente e não me arrependo de minhas ações. 

Faça-me sua, somente eu você pode me satisfazer nem mais ninguém, pois nossos corações estão presos nas correntes de mammon e nem hannya nos atrapalharia,pois eu sou sua garota masoquista compulsiva.

(Mammon= Demônio da Luxúria; Hannya=Máscara demoníaca japonesa que possui um significado popular de sorte)

Dias Depois..

Mansão Sakamaki

Consegui me reconciliar com os Mukamis e os Sakamakis tudo graças a esse poder que inconsequente adquiri da noite para o dia? Bom, eu não sei muito bem a origem de eu ter esses poderes e o que farei daqui em diante com eles. Eu não sei de nada sobre eles, mas, uma pergunta veio não sei o porquê será que isso tem alguma coisa haver com a minha família?

-São tantas questões sem respostas que dá dor de cabeça!

-Eve-chan tá tudo bem?-disera a loira

-A-ah…. Sim tá tudo bem…-eu tenho que parar de dizer tais coisas em voz alta

-M Neko-chan, porque estava falando em voz alta?

-Bom… er… eu tenho esse costume sabe…

-Você é estranha Eve…-disse Azusa

-Mas, porque eu…?

-A M Neko-chan, não é esquisita e muito menos estranha-disse ele manhoso e fazendo biquinho

-Você se preocupa demais com a porca-disse Yuma sentado na cadeira ao contrário

-E daí, ela é minha…. Amiga-o loiro deu uma enfatizada na palavra minha

-Vocês estão se dando muito bem-disse Yui sorrindo

-É-eu olhava para os Mukamis conversando até que é verdade nesses últimos dias e meses temos nos dado tão bem que posso considerá-los como meus irmãos mais velhos tipo isso.

Ruki Mukami

Eve, aquela menina ainda me é estranha…. Ela tem aquele negócio de ver o através do passado das pessoas, mas como ela conseguiu isso? No quarto dela não tem respostas além daquela carta que não ajuda muito.

Ela também me contou sobre o seu passado mas ainda sim tenho dúvidas sobre essa família onde essa garota saiu.

Ruki estava perdido em seus pensamentos pensando muito sobre Eve. Por mais que tenham se aproximado um pouco ele ainda sim possuía dúvidas sobre ela,não era culpa dele e som sobre o que envolvia ela.

No Jardim atrás da Mansão

-Ei, porca pode pegar mais adubo-eu vou para um canto para pegar abudo e quando vejo a mansão do lado de fora de uma das janelas vi Ruki que por via olhou para mim eu ascenso para ele e o mesmo se retira Dalí.

-Porque será que ele foi embora?-Ruki por mais que tenhamos nos aproximando um pouco ainda sim você não se mostrou confiante a mim

-Ô porca, vai demorar muito!

Sai dos meus pensamentos ao ouvir a voz de Yuma peguei a sacola com o adubo e fui de encontro com o vampiro

-Yuma o que tem de errado com o Ruki?-ele se vira rapidamente quando falei isso e por impulso me assustei também- Bom…., É que ele tá agindo de um jeito como se suspeitasse de algo..

-Ele é assim mesmo….-ele pôs a olhar para a plantação

-Entendo….-me agaichei perto do moreno

O maior pegará um pouco de terra e jogará em mim

-Ei!-digo me limpando e eu também peguei a terra e joguei nele

-Á é, sua porca maldita-ele pega uma mão cheia de terra e tenta atacar em mim mas eu desvio para um lado e pego um tanto quanto o dele e jogo nele mas ele se desvia e jogo de novo

-Há ganhei-disse vitoriosa na verdade eu fingi ter jogado só estava esperando ele se desviar e me aproveitar dele

Eve e Yuma se divertiam no lado de fora da mansão o clima entre eles tinha melhorado. Ao longe deles estava Laito ao olhar os dois se divertindo, ele sorria maliciosamente para Eve até que Subaru passava por alí normalmente

-Subaru-kun, olha a Bitch-chan está brincando com Yuma-o albino olhava para a menina que estava a rir junto com ele

O garoto a observava atenciosamente e depois desviará o olhar para ela e continuou a caminhar

-Subaru-kyun, não vai fazer nada?-o garoto ignora o comentário do ruivo ele não dava importância para quem Eve tenha intimidade tudo o que importava era que Ela era só sua presa e de mais ninguém.

Na Escola

-Hoje nós faremos uma visita ao museu. Recebemos um convite especial pelo gerente do museu e eu quero que vocês todos façam grupos em torno de quatro á sete alunos vocês podem escolher das outras salas também.

Todo mundo ficou feliz com a notícia que a professora de português nos disse eu vou finalmente fazer grupo com Mia e Akame. 

Depois do recado todos se reuniram para o pátio da escola e tinha muita gente mesmo eles não estavam brincando com o lance do convite especial. Eu tentava procurar minhas amigas no aglomerado de gente eu tentava ao máximo tomar cuidado para que elas não esbarrassem em mim se não eu as empurraria com força. O que eu mais odeio é esses tipos de pessoas reunidas em um só lugar por mais que o colégio seje grande a quantidade de alunos chega um tanto a superar isso, e se alguém me empurrar eu juro que empurro de volta só que pior.

-Eve! Eve!-no meio da multidão Akame gritará alto eu escutei sua voz e fui atrás da menina

-Você sabe né-dizia a ruiva com um sorriso ponta a ponta

-Sim!

-Yei viado, nós vamos ao museu-comemorou Akame

-Não sei o porquê dessa empolgação toda, nós fomos ao museu meses atrás-disse Mia acabando com a alegria

-Vá se fuder Mia, acabou com a nossa alegria-bufou a maior

-Não não tô afim-responderá afiamente a morena

-Como é que é?-ela mostra seu punho

-Meninas se acalmem-Akame respira fundo acalmando os ânimos e abaixou o braço e Mia dera de ombros

-Ei, mas só vai ser a gente? Precisamos de mais-diz Mia

-Ah foda-se, só se for a gente mesmo é uma boa. Odeio ter que aturar mais gente.

-Você não gosta da gente?-digo eu

-Não tá doida? Eu amo vocês mas odeio mesmo é ficar com gente que só fresca a minha paciência

-E olha que você tem muita-disse a castanha irônica

-Acordou bem hoje Mia Haruno. O que te deu?

-Nada, só os meus pais vão ao congresso nacional e não me chamaram

-É uma pena

-Hunf, e eu achando que tinha vandalizado por aí.

-Atá, sou bem você-retrucou ela

-Por favor não briguem por besteira

-Não Eve, não é uma briga são só cortes afiados que estamos dando-diz Akame

-É verdade só estamos com um mal humor fudido hoje

Eu fiquei surpresa e chocada com a atitude de Mia. Nunca imaginaria ela fazendo esse tipo de coisa, é parece que aquelas pessoas que você acha que são os mais certinhos na verdade eles escondem seu lado rabugento só que no fundo.

-Então, todos já estão com os grupos formados?-disse a diretora

-É…, parece que só vai a gente mesmo-sinto alguém me cutucando

-Eve-chan, eu posso fazer parte do grupo?-disse Yui

-Hummm…? Yui? Mas, você não tem os meninos?

-É que… eu queria sabe me afastar um pouco-cochichou ela a última frase

-Tá bom….-eu olhei para as meninas

-Hã… se ela não frescar-ela levará uma cotovelada de Mia

-Frescar a porra que vai levar na cara. Sim Yui, você pode se juntar com a gente.

-Vamos então para o ônibus-todos foram até o ônibus que já estaca lá os esperando

-Se ela encher minha paciência-resmungou a ruiva indo embora até o veículo

-O que houve com ela?-disse a loira

-É que ela tá só estressada mas ela vai se ajeitar-falou Mia parecendo que estava a ameaçando

-Não se preocupe Yui, elas são boazinhas-tô com medo de que elas se matem até chegarmos lá

Então eu,Mia e Yui entramos no ônibus para irmos ao museu. Eu, Mia e Yui ficamos conversando no caminho Mia perguntava sobre o relacionamento com os Sakamakis e os Mukamis e como sempre eu a intervia inventando uma desculpa para ela e Akame conversava um pouco mas passava o resto da viagem olhando para a janela.

Quando o veículo chegou ao museu todos os alunos desceram do ônibus.

-Atenção, esse passeio velerá pontos em todas as matérias e para isso eu quero que depois façam um resumo de tudo o que aprenderam-depois do aviso todos os alunos entraram no museu

-Olá, sejam bem vindos ao museu Santa Mônica. Sintam-se a vontade para explorarem tudo, mas um aviso: tomem cuidado para não danificarem nada se não pagaram por tudo e as coisas daqui são válidas até como a vida-depois do aviso todos se separaram para explorar o museu

-O que veremos primeiro?-disse a loira

-Vamos ver as exposições da pré-história-Akame berra alto

-O que você propôs?

-Ah, não eu só gosto de berrar sabe.

Yui fica um pouco assustada e eu sorrio para loira fingindo que tudo está bem. Eu tenho 100 por cento de certeza que elas vão se matar. Então nós decidimos ir por escolha de Mia para a ala da pré-história.

Ficamos olhando para os objetos que alí tinham e Akame reclamava com sigo mesma e Mia fazia de tudo para não pirar. Esse está sendo o pior dia para as duas.

-Ei Yui, você naoe contou do porque você ter decidido estar com a gente?

-Hã…. É-É Q-Que… eu e o Ayato brigamos só por causa de eu ter escolhido ter que ficar com vocês do que com ele.

-Eu entendo. Mas ele deveria deixar você viver, sabe um pouco longe deles.

-Eu sei…. Mas ele toda hora quer me proteger e ficar toda hora atrás de mim só por causa do meu sangue-a menina se sentia ressentida com isso

Até que entendo o seu lado, ela passou por cada coisa que tinha me contado. Mas não significa que ele toda bendita hora fique a enchendo por isso está impressionada.

-Eve!-gritou a ruiva

-Fale baixo estamos no museu-disse uma das pessoas que estava alí

-Ah, foda-se seu porra-susurrou ela

Eu e Yui fomos junto com Akame

-Que tal a gente fazer aquilo

-Porque?

-Bom, poderemos saber mais sabe.

-Você quer é se livrar do trabalho né-disse Mia

-Do que estão falando?-disse a loira confusa com a nossa conversa

Eu ia começar a falar se eu não fosse intervida

-Ei, ela sabe?

-Não tudo. Bom Yui, estávamos esses últimos meses descobrindo mais sobre minha família e tudo o que temos até agora era pistas sobre Gabriel Agreste. E que ele estava envolvido com ela, até sabermos sobre a sua morte tudo o que temos são só fotos das pinturas dele e a casa que eu via em meus sonhos era real.

-Por isso você agia estranho

-E então, ela vai nos ajudar?-disse a ruiva

-Eu posso tentar se vocês quiserem

As três saíram da exposição em que estavam e decidiram procurar.

-Ei, que tal a gente ir procurar na biblioteca?-disse a ruiva

-Akame, a gente já foi lá. Se esqueceu?-disse a castanha

-Tá, mas acho que deixamos algo de importante

-Eu concordo com a Akame. Talvez deixamos algo que ainda não vimos e também temos o dia todo até irmos embora.

-Até que é um ótimo argumento…. Ah, tabom vamos lá ver os registros sobre ele.

Chegamos a biblioteca e a primeira coisa que fizemos fomos na mesma seção procurando por mais.

-Ei, Yui me ajude aqui-disse a castanha

Mia pegava uns livros e dava a menina. Ela o empilhava e a loira os segurava

-Annn… Você e Eve se dão bem…

-É…, a Eve é uma boa pessoa, é animada e preocupada com as pessoas. E também com isso acontecendo com ela tudo o que podemos fazer é ajudá-la ao máximo

-Sim, quando eu a conheci ela não acreditava que os meninos eram…..

-Eram…?

-Seus irmãos era isso o que eu ia dizer

-Esquisito

-Ei, você vai matar a menina

-Aí me desculpa Yui-a castanha ajuda a loira

-Tsc, se for pra ajudar vê se não mata a Yui primeiro.

-Eu já disse que não foi minha culpa-disse rangendo os dentes

-Meninas, por favor não briguem

-Olha viu, até Yui se sente incomodada com isso

-E de quem é a culpa Akame?

-Por favor, vocês não são amigas dela. Eu sei desde que eu pedi a ela para me juntar a vocês, vocês duas sempre brigavam e Eve fazia de tudo ignorando fingindo que não está bem.

As duas ficaram caladas e se sentindo com uma enorme culpa.

-Me desculpe Mia….

-Eu também te desculpo.

-Eu sei que sou esquentada e te respondo atravessado mas… desculpe.

-Eu sei o que se passa com você Akame, deve ser difícil para você. E nem sei porque comecei respondendo com cortes tudo por causa de uma besteira.

-Ei, suas coisas não são besteiras. Até que são legais.

-Jura?

-Ei, eu disse que algumas das duas coisas chagas são até que interessantes.

-Jura? É…-a castanha sorri a maior

-Quer parar, eu só te disse uma coisa simples e você começa com isso.

-Sim

-Hunf, você nunca vai parar de me zoar né.

-Nunquinha-as duas começam a sorrir

-Então, vamos continuar

-Te achei sem peito

-Ayato-kun

-Vamos embora-ele a pega pelo braço e saí andando

-Mas…

-Tsc, vamos logo-Yui obedeceu e foi embora

-É uma pena

-Pena? Ele foi é rude com ela

-Vamos voltar a procurar….

As duas voltaram com o que estavam fazendo

*****

-Ummm deixa eu ver…, Gabriel Agreste. A dama branca do reino lunar, a casa dos Du Nord…. Ah! Será que não tem mesmo nada sobre ele…?

-Essa é a dama branca do reino lunar?

-Sim…

-Eu me chamo Caterine

-Eve Cherminsky Du Nord

-Eita que palavrão grande! É de família rica?

-É…. Eu acho. Você conhece a pintura?

-Ah, sim e sei tudo sobre ela. A dama branca era conhecida como a bruxa infinita ela tinha um poder de cura que curava até os deficientes.

-Bruxa Infinita?

-Sim. Ela era uma bruxa e tanto todos sempre pediam sua ajuda e como sempre ela os ajudava no que pode.

-É….

-Até que vocês duas se parecem.

-É o que dizem…-eu continuei a olhar para a foto

-Ei, se quiser tem tudo sobre ela.

-Tem…?

-Sim. Eu te mostro-a morena levará a menina

-O que é isso?

-É aqui onde podemos pesquisar.

-É tipo um tablet enorme-eu comecei a digitar sobre a dama branca e nós duas ficamos horas ali

-Uau tinha cada coisa que eu não sabia.

-É, a maioria das coisas ficam registradas aqui.

-A não eu tenho que ir…

-Mas já?

-Sim. Eu tenho que ajudar minha família a gente se mudou agora a pouco e eu decidi explorar a cidade.

-Ou…, então boa sorte.

-Tchau Eve, foi um prazer em te conhecer

-Pra você também. E fala pra sua família que mandei um oi!-ela se despede e vai embora

Poxa,eu tô tão feliz quem diria que teria mais coisas sobre a dama branca. Eu queria saber o nome dela não tinha nada sobre o seu nome só como ela é só conhecida como uma bruxa branca.

Também gostei de ter feito uma amiga. Queria saber onde ela mora.

Eve estava a caminhar pelas salas das exposições do museu, enquanto que caminhava viu uma mulher vestida de preto. Ela ficou paralisada ao vê-la, a mulher se vira para ela não mostrando seu rosto só seus lábios e Eve sentiu um aperto em seu coração que a fez se ajoelhar pela dor.

-O que é isso?-digo enquanto que punha as minhas mãos fortemente em meu peito- Quem era ela?- Eu levantei minha cabeça para ver se a mulher estava lá mas ela tinha sumido

-Eve…

Quando fui ver quem era. Era Ruki

-Ruki!-Me levantei rápido mas meu pé deslizou e eu quase que caio se não fosse segurada por ele

Estou bem Ruki-eu olhei de novo para a janela. Porque aquela mulher estava lá?

-Porque estava no chão?-eu olho para o chão tentando evitar ter que falar para ele

O vampiro se solta dela e a analisa.

-Ruki…, eu…. Queria…., Bom…. Deixa-o vampiro olhava serenamente para ela-O que eu queria te dizer é que você pode confiar em mim….

Ele passa as mãos no meu cabelo, ele se aproxima de mim com a boca entreaberta e morde meu pescoço.

-Ruki…. Para….-dizia eu gemendo de dor

O vampiro permaneceu a mordendo não se importando com o que ela fazia para se livrar dele.

-Por… favor…  Ruki…..-ele desprende seus caminos de seu pescoço e olha para o estado fraco da menina.

Ele sorri a ela e passa de novo as mãos em seu cabelo e vai embora a deixando alí. Eve estava cansada e meio tonta ela caminha para encontrar um lugar para descansar.

Mas só que ninguém perceberá era que Subaru estava logo ali no corredor vendo tudo o que tinha acontecido seus olhos brilhavam por ódio por ele ter tomado o sangue dela. Eve pertencia só a ele.

Me sentei a uma cadeira cansada, nunca tinha me sentido tão fraca. Minha cabeça rodava muito.

-Ei Eve nós….-Akame parará ao me ver-Tá tudo bem?

-Ah, sim tá-digo com uma cara que não é lá das boas

-Eve você não está se sentindo bem? Tá doente?-Mia bota as mãos em minha cabeça para ver minha pressão

-Eu tô… só a minha cabeça tá girando.

-Eu vou trazer algo para você comer-a ruiva sai para comprar algo para ela comer

-Obrigada meninas

-Eve você tem que comer mais, se não vai desmaiar.

-Pronto-ela aparece com um Sundey de morango

-Ei, quanto custou isso?

-R$13,00, porque?

-E como raios você pagou?

-Ora, com o seu dinheiro-ela jogou a carteira de Mia no ar

-Você me roubou-ela apara o objeto no ar

-Eu não roubei. Só peguei emprestado.

-Emprestado

-Relaxa, eu te devolvo em troca.

-Espero mesmo se não vou te cobrar.

-Mudando de assunto. Não encontramos nada.

-Bom eu encontrei algo…

-Como?-ela bateu forte na mesa quase fazendo eu derrubar o Sundey

-Ei Akame se controle. Deixe ela respirar. Vai continue

-Bom, eu descobri mais sobre a dama branca, ela era uma bruxa infinita e sempre ajudava as pessoas e seus poderes de cura eram tão fortes que podiam curar até pessoas deficientes.

-Eita

-Você teve sorte-eu terminei o sorvete

-Bora continuar a procurar ainda mais.

-Mais?

-Sim. Já que a Eve descobriu mais coisas podemos agora encontrar mais e já é meio caminho andado.

Então nós concordamos com a Akame e continuamos a procurar.

-Ei, eu quero que venha comigo-de repente Subaru apareceu em sua frente

-Mas, estamos ocupadas….

-Deixa, a gente se vira-disse Akame

-Mas…-o garoto a leva sem que a menina opinasse

Os dois ficaram andando por muito tempo até que eles pararam à frente de uma sala. Ele abriu a porta e em seguida a fechou um estalo foi feito nela a menina ficou confusa com tudo o que acontecia.

Eles estavam na sala de limpeza mas porque ele a trouxe até aqui?. Logo ali tinha uma cadeira o albino se senta nela e fecha os seus olhos e a menina fica em pé parada.

-Subaru por…-ela foi surpreendida quando ela a pegou pelo pulso a jogando pra cima de seu colo

-Não se mecha e fique calada-ele abaixa a manga de sua camisa e pó e suas presas em seu pescoço

-Subaru…. Para….-dizia ela com dor

-Porque eu pararia? Com Ruki você deixava.

-Mas… não foi por….-ele começou a mordê-la em sua clavícula

O rapaz não parava um segundo se quer e sugar seu sangue e Eve se sentirá fraca e cansada. Ele desprende suas presas nela e olhava para o estado deplorável dela.

-Você sabe que é só minha. E seu sangue não pertence a mais ninguém-dizia ele sussurrando essas palavras em seu ouvido que a fez se sentir péssima

Ela estava muito cansada que dormirá no tórax do vampiro.

-Eu sempre vou te amar e você sabe disso…..-sussurrará ela essas palavras antes de dormir de vez

Subaru permaneceu em silêncio após ouvir o que ela tinha dito e se sentiu estranho porque ele agiu desse jeito como quando viu ela junto ao Ruki? Ele não entendia tal sentimento. Eve era um sacrifício e um alimento para eles, mas porque que foi tão diferente?

*****

Depois do ocorrido, Eve abriu seus olhos devagar até enxergar que estava no colo de Subaru a menina pôs-se a olhar para os lados e perceberá que não estava mais no museu e sim na sua casa. Ele a levará até o seu quarto e calmamente ele a botara na sua cama.

Antes de ir ela pegará em seu braço. Eve estava a olhar para baixo seu cabelo cobria o seu rosto e ela segurava seu braço fortemente ela não queria que ele fosse embora.

-Subaru….-ele pega e beija a menina

Eve segurava sua cabeça e se aprofundava seu beijo. Era uma coisa incessante a fazia se bem.

-Su….-

-Não precisa de tudo isso-ele se levanta de sua cama e vai embora

********

Depois daquilo, Eve voltou a pensar na mulher que a virá no museu. Quem seria ela? E o que ela fazia alí?. Ela pôs a mão em seu peito ao se lembrar da dor que uma vez sentiu.

Ela se sentiu com fome e decidiu ir até até a cozinha para comer. Chegando lá ela vê todos a mesa.

-Yô Bitch-chan

-Peituda

-Eve-san.

-M Neko-chan

-O que tá acontecendo?

-Ora, não podemos mais te dizer um oi bitch-chan?

-Sim é estranho

-Eve já faz seis meses-eu começo a me lembrar hoje faz seis meses desde que estou morando aqui

-E por isso comemoramos

-Mas isso é estranho

-Não é estranho. Até que é legal-disse Ayato

Ruki e Reiji chegam na cozinha com a comida e todos decidiram ir comer.

Eve se sentou ao lado de Subaru e notou como todos estavam se interagindo. Kou brigava com Yuma porque ele queria repetir a comida, Azusa se cortava e o maior o advertia para não fazer isso. Laito brincava com Yui só para provocar Ayato e Reiji pedia para que eles pararem. Eve virá o livro que Ruki lia e ele falava sobre ele a menina e Subaru olhava de canto para os dois. Shu estava na mesa só que dormindo.

Todos estavam reunidos como se fossem uma família e Eve se sentia como parte dela.

Na Floresta

-Hummmm…. Ela está bem protegida-dizia uma menina que estava a olhar a menina com os vampiros fazendo um círculo com o polegar eo dedo indicador

-Sabe que é feio espiar os outros Gakupo-um rapaz saiu em meio às sombras ele estava usando um terno preto

-Você teve a sua chance e falhou. Agora é a minha vez de me divertir aqueles homens bombas falharam e como sempre você nunca consegue o que quer.-dizia enquanto sorria

-Eu errei os cálculos não sabia que eles apareceriam naquela hora. E a subestimei, saiba que ela começou a mostrar seus poderes.

-Ahhh. Eve-chan, eu vou te trazer de volta pra casa tem uma pessoa esperando por você-ela fecha os punhos diante a visão e sorri psicopaticamente.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...