1. Spirit Fanfics >
  2. Twins. >
  3. Boas Intenções.

História Twins. - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Bom dia!
Em primeiro, quero agradecer pelos favoritos e comentários.
Obrigada por gostarem e gastarem seus tempos para comentarem, ok?
Lembrando que agora os capítulos começam a ficar maior e que o terceiro já está sendo desenvolvido. Ele chega logo.

Obrigada por tudo e me sigam no Twitter caso queiram conversar comigo: OpssGio_

Capítulo 2 - Boas Intenções.


Fanfic / Fanfiction Twins. - Capítulo 2 - Boas Intenções.

Por: EvillScone (Spirit Fanfics) / PWattana (Wattpad).

Capítulo 2 - Boas Intenções. 



Quaisquer que sejam os olhos que tenham visto cada passe impressionante de Xiao Zhan na quadra poderiam afirmar que ele, de fato, tem talento muito mais que altura. O homem parecia flutuar em cada pulo, ou ao realizar de forma bela e impecável uma jogada. O treinador dos Cornel Hawks já usava seu décimo balde imaginário para amparar sua baba que escorria sem fim a cada passe do jogador número nove. Pode jurar que encontrou ouro… Não, não, ouro seria pouco para lhe validar. Seria quase como, Painita¹. Timothy bate palmas nem que seja apenas para apreciá-lo bebendo água, o que causava risos em Xichen. O co-capitão nem crê na sorte que caiu sobre seus colos. 

Wang apertou firmemente a barra de sua camiseta quando percebeu toda a animação correndo por suas venhas. Não faz sentido, nem que tentasse explicá-lo, porém sente que seria quase uma traição ficar tão empolgado com seu cunhado em quadra. O Xiao mais velho trouxe para si, e visto por seus companheiros, puro entretenimento e animação. Ele de forma autêntica se joga e se diverte no jogo, envolvendo a atenção de seus telespectadores; encantador

— A forma como ele arquiteta um bom jogo de controle de bola² me deixa extasiado. — O treinador apertou o apito em mãos, suando pela expectativa. Essa que foi muito bem atendida quando o jogo terminou em um placar de 32 X 22 para o time azul. — Certo… vocês..  Uau! — o treinador põe a mão na testa tentando processar as próximas ordens que deveria passar a eles. 

— Todos podem ir para casa. Segunda-feira mesmo sairá uma lista no quadro de avisos avisando quem passou. — Xichen diz, batendo palmas e vendo um por um sair do ginásio. — Esse teste foi um dos melhores com certeza. Estou louco para começar a competir junto dos novos caras. 

De fato, parece que essa será uma boa temporada para o time. Pelo menos é o que Yibo acha. Por ser seu último ano no curso, precisaria dar tudo de si em sua vida acadêmica como nunca antes. Equilibrar cada parte de sua vida tem sido difícil, principalmente com um noivado de pé. Não que não quisesse casar-se com o amor de sua vida, seria loucura se disser que não. Só que essas não são as prioridades para o Wang no presente momento. 

— Meninos, vão descansar. Mais tarde passo a lista para vocês e então vocês podem me passar suas opiniões sobre os que eu selecionei. — O treinador sabe ser muito esforçado nas áreas que despertam seu interesse. Por esse motivo jamais deixou de se esforçar em virar um bêbado de ponta. Nunca deu aula embriagado, mesmo que seja difícil para seus alunos discernir seu estado consciente para embriagado. 

— Wang você está mais distraído hoje. — Os braços de Xichen passam por meus ombros assim que saímos da Universidade, prontos para irmos embora. — Quer dizer, você normalmente aparenta não dá uma mínima quando falamos.

— E eu não dou.

— Ah! — todos já deveriam ter se acostumado com o jeito único e peculiar de Yibo. Nem mesmo seu namorado deixa de se surpreender com suas respostas curtas e grossas; E por falar nele, ao olhar para seu carro, Xiao Meng está encostado no mesmo, com a atenção no aparelho em suas destras. — Preciso arrumar amigos mais comunicativos... — o loiro ao seu lado murmurou baixinho, deixando o mais novo sozinho.

— Yah, amor! — Meng sorri para si, melhorando seu dia e os colorindo como todos os outros de sua vida. — Você demorou um bocado... — fez manha, pegando em seu braço e beijando a pele exposta de seu ombro descoberto pela regata.

Yibo mimou-o um pouco antes de ir direto ao assunto:

— Precisamos conversar sobre seu irmão. 




××××][××××][××××][××××




— Não tenho muito o que contar. — Xiao Meng entrou na defensiva no momento que seu namorado terminou a sentença.

— Um irmão gêmeo é muito o que contar. — O Meng bateu levemente sua testa na mesa da lancheria. — Não estou interessado nele. 

— É claro que não, porque estaria? — fez beiço. 

— É uma parte de sua vida que eu não sei. 

— Tá' bem! Droga Yibo. — Tomou um grande gole de seu milk-shake. — Tudo começou do começo… — o outro fez sua legítima faceta de nada. — Ok, ham… Começou quando entramos no colegial. Xiao Zhan desenvolveu fobia social. Papai e mamãe não sabiam como seria possível uma criança de seis anos desenvolver algo assim. Ele simplesmente detestava ir para escola, lembro bem disso. De início pensaram que era só mais um preguiçoso, claro. Mas se mostrou muito pior quando ele deixou de fazer tudo e qualquer coisa que envolvia pessoas; aos nove anos ele fugiu de casa. Ficou um dois dias inteiros fora e, quando a polícia o encontrou, ele estava bem e sorridente. Mamãe questionou seu sumiço, ela não ficaria brava, apesar de nunca ter passado tamanha aflição em sua vida. Ele respondeu: 

— Mamãe, você tem que ver os novos doces que eu descobri. O mundo é grande não é? Posso viajar? 

— Lógico que ele passou por uma série de exames psicológicos; não que ele falasse sozinho, ou escrevesse mensagens bizarras com seu próprio sangue nas paredes. Meus pais estavam preocupados, apenas. Só que além de sua fobia social, nada mais ele tinha. Uma criança normal que apenas tinha uma personalidade peculiar. 

— Mas por que ele foi embora? — Meng suspirou, vendo seu parceiro focado no que tinha para dizer. 

— Bem, conforme o tempo e inúneros tratamentos, ele melhorou, mas ainda tinha suas restrições sociais. Porém ele despertou um desejo insano de viajar, conhecer o mundo. Lembro-me de vê-lo muito chateado quando nossos pais cancelavam nossas viagens em família por conta do trabalho. Nos dávamos bem, mas eu seguia com minha vida em um ritmo diferente do seu. Você sabe, dividir sangue, aparência, nada disso nos faz irmãos. 

— Não entendo, porque ele foi…

— Quando fechamos onze anos, tio Haikuan foi nos visitar. Por ele trabalhar com relações internacionais, nosso tio conheceu boa parte do mundo. Os dois deram-se bem imediatamente. Meu tio já era casado na época, ele e o marido dele apegaram-se ao Xiao Zhan nos meses em que ficaram. Papai achou uma boa ideia, não que ele quisesse se livrar, não imagino que seja isso. 

— Ele viu uma nova oportunidade para o filho. — Yibo pode entender. Se conhecesse Xiao Zhan criança, queria lhe dizer que ele sempre terá o mundo todo em seu alcance. 

— Então ele foi. Ainda nos víamos, pelo menos até os quatorze anos. Depois ele parou o contato, na época a mamãe e o papai estavam muito ocupados com o nascimento do Yuchen para notarem o afastamento do outro filho. Ficamos dez anos sem nos falar. Não me fez falta, confesso. E a única coisa que sei sobre ele é que trabalhou com composições desde muito novo, e deu certo. Agora de ele está cursando música eu não sei.

Yibo teve a reação instantânea de achar sua sogra uma péssima mãe. Na verdade sente-se ridículo por estar na defesa de um Xiao Zhan criança. Mas é inevitável para si, ainda mais ele que sempre teve outros irmãos mais velhos o protegendo. Pensou que foi injusto ele ter passado por isso quase sendo isolado da família. Teve sorte por ter Haikuan. 

— Ele conhece o Yuchen? — Meng assente. 

— Mas não pessoalmente. Mamãe usou chamadas de vídeos para apresentá-los. O Yu gosta bastante dele, e me parece ser o único além do papai a estar feliz por vê-lo cara a cara. — Meng afastou seu copo já vazio. — Enfim, hoje temos 23 anos e não tem mais nada que eu saiba. — Xiao levantou-se pegando sua bolsa e acordando seu namorado para a vida. — Agora que você já matou vossa curiosidade, podemos ir?

Assentiu, decidido a conformar-se com isso. Yibo nunca foi naturalmente curioso, mas decidiu que queria fazer amizade com ele. Estariam no mesmo time, ele é seu cunhado e será tio de seus filhos futuramente. Para o Wang parece certo uma amizade. 

E ele realmente deseja um amigo que tenha mais coisas em comum consigo. Suas intenções são puramente boas. 

Mas controversas ao que a vida os prepara. 









Notas Finais


Foi isso! Resolvi focar mais nesses detalhes nos primeiros dois capítulos, assim vocês entendem um pouco o afastamento e a vida do Xiao Zhan.
Apesar de serem os três principais, o foco aqui é o Zhan e o Yibo, então não terá muito foco no Meng, mas sim no relacionamento dele com o Yibo.
E isso também significa que o desenvolvimento será mais lendo... Não tanto como Slow Burn³, mas quase isso.

Enfim, até, até, até.



✨ Dicionário de Twins:

➫ Painita¹ — Em 2005, o Livro dos Recordes Guinness reconheceu a painita como a pedra preciosa mais rara do mundo.

➫  Jogo De Controle De Bola²: Um tipo de ataque que dá importância à manutenção da posse da bola até que seja possível realizar um bom arremesso.

➫ Slow Burn³: Significa "Queimar lento". São histórias onde o relacionamento se desenvolve muito lento, quase parando. Normalmente apresenta grande quantidade de capítulos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...