1. Spirit Fanfics >
  2. Twins. >
  3. Night Moves.

História Twins. - Capítulo 6


Escrita por: e trashmouth_


Notas do Autor


Esta autora aqui se encontra congelada pelo frio, mas feliz, pois ela ama o frio.
Bem, eu escrevi esse capítulo bem rápido, em dois dias. Fiquei satisfeita com ele, por isso espero que gostem.

Quero agradecer a todos aqueles que tiram um pouco de seu tempo para comentar e me agraciar com seu apoio. 💚 Agora que o recado foi dado, um beijão na teta de vocês.

P.S. ESCUTEM NIGHT MOVES DO BOB SEGER.

Capítulo 6 - Night Moves.


Fanfic / Fanfiction Twins. - Capítulo 6 - Night Moves.

Por: Pwattana (Wattpad) / EvillScone (SpiritFanfics). 


Capítulo 6 - Night Moves. 




Yibo não tem a melhor visão do mundo, ele sabe bem disso e o óculos de leitura em sua escrivaninha é a prova. Quando seus pés cansados de um longo treino pisaram na calçada fora do luxuoso prédio, jurou que sua visão havia sido danificada por completo, pois não pode ser normal avistar Xiao Zhan parado em seu carro, claramente a sua espera. Os dois se encararam por um longo tempo para que o Wang enfim se lembrasse do que fariam neste sábado. 

— Escute… talvez eu não ache uma boa ideia. 

— Qual é, trabalhamos com novidades por aqui. 

— Não, é sério. Pode acontecer de eu estragar cem por cento sua noite. 

— Houve um erro de cálculo aí little hero. Esta noite é sua. 

— Xiao Zhan, eu ainda tenho que trocar de roupa… 

— Wang Yibo, entra no carro antes que eu tenha de pegar as cordas e a amordaça. 

— Caso seu irmão descubra, você estará me colocando em uma grande enrascada. 

Seu corpo encolheu-se, em uma reação de presa onde seu predador está prestes a lhe devorar quando o corpo maior aproximou-se, acariciando seus ombros com os dígitos esguios. 

— Então me considere sua despedida de solteiro. — A voz suave bateu em seu ouvido, arrepiando sua pele e descendo por sua espinha em um claro sinal de alerta. Mesmo assim ali está outra vez, sentado no banco carona do carro dele. 

— A maneira como me convence a entrar em seu carro me assusta. 

— E mesmo assim, aí está você, sentadinho ao meu lado. 

— Sou facilmente convencível. 

— Não Yibo. Você gosta de disfarçar que não quer algo, então se torna mais fácil mentir e se fazer de difícil. — Os olhos castanhos voltaram-se rapidamente para o gêmeo de seu noivo. Jamais diria em voz alta que o que mais lhe assusta é a forma rápida como o maior pode compreendê-lo. Voltou-se para a estrada, deixando com que Xiao Zhan sorrisse se dando por vencido. 

O silêncio como sempre estalou-se, já se tornou amigo confiável de ambos. Os pensamentos conflitantes enchem o carro aos poucos, deixando Yibo confortável o suficiente para ligar o som e curtir o vento que se aventura em bagunçar suas madeixas. Ele se acostumou ao caos, ao maior, ambos lhe são familiar.

— Ele… é assim com todo mundo? — Yibo não precisou olhar para ele para saber a quem se referia. — Sabe, controlador. 

— Seu irmão não é controlador Xiao Zhan. Protetor, mas não controlador. 

— Talvez você o veja com olhos de amor. 

— É um bom ponto. 

— Pelo perfil, você me parecia ser o alfa da relação. Porém agora sua submissão é nítida. 

— Submissão não tem haver com ser o mais fraco e sim com respeito. 

— É um bom ponto. — Xiao Zhan sorriu. — Bom… Então seu respeito ainda sim te faz ficar por cima? — sua malícia parece correr por seus lábios, deixando Yibo irritado da forma como gosta. 

— Você é mesmo um idiota!

Apenas aos sábados, litte hero

— Este apelido também é idiota.

— Ah, isso não está para negociação.

— Não se preocupe, não estou disposto a negociar isso. Sua idiotice me é agradável.

— Levarei como um elogio. — Wang ri, deixando Xiao Zhan mais que satisfeito. 

Gosta de verem as pessoas bem e felizes, afinal, irritá-las não é seu único robbie. Porém Yibo é diferente para si, pois vê-lo assim, melhora seu humor. É por isso que decidiu que será uma boa tê-lo consigo esta noite. 

— Bem, em troca do elogio eu quero saber para onde vamos. 

— Hum… Sinto muito, mas sua ansiedade me é agradável. — Piscou para o azulado, deixando-o outra vez sem saber como agir. Não por vergonha, ou timidez, mas sim porque suas conversas com Xiao Zhan sempre parecem boas de mais, como se estivessem em um script. Todo mundo deveria sentir essa sensação uma vez na vida. A sensação de ter uma conversa tão… esquisita e especial, que acaba fazendo parte de algo que você um dia quer compartilhar e, em uma noite aleatória você acaba lembrando e rindo a toa. Por que foi boa... Para a sorte de Yibo, todas as suas conversas com o maior são assim. 

Por isso confia nele. 

— Eu confio em você, big hero

Tra


“Eu pateticamente confio em você.




××××][××××][××××][××××




O carro parou depois de quase duas horas, em uma montanha iluminada e rodeada por carros e motos grandes de todos os preços e décadas. Os pés de Yibo parecem contestar, pois pisam no chão e logo se erguem antes que finalmente resolva sair do mesmo. Xiao Zhan sorri para si, fechando sua porta e então descendo um pouco, olhando em volta na escuridão. Seja lá o que for, o Wang treme dos pés a cabeça. Ansiedade e excitação enchendo seu corpo por cada partícula.

Com um leve acenar, o azulado compreendeu que deveria segui-lo, então manteve-se por perto, quase pegando na jaqueta do outro homem como um criança que não quer se perder da mãe. Eles desceram o bastante na montanha, até Yibo começar a ouvir barulhos autos de motos se acelerando. As árvores foram ficando para trás e mais pessoas começaram a aparecer. A maioria jovens com aparências rebeldes e descoladas. Yibo não foi esse tipo de jovem, apesar de correr com motos e carros, não por ser maneiro para a idade, mas por amar verdadeiramente. Apertou o paço quando alguns caras o estudaram com mais atenção.

— Little Hero, desfaça essa carranca. Está intimidando os caras!

Andaram por entre motos e mais motos, até Xiao Zhan bater nas costas de um cara grande, fazendo um aperto de mão com ele. Teria prestado atenção na conversa se seus olhos curiosos não estudassem cada canto do local. As luzes iluminando a rua larga não mentem para si. Uma pista de corrida. E ela não parece nada legal perantes as leis. Mesmo com todo seu juízo, seu corpo soltou-se imediatamente ao ter sua mão em contato com o banco da moto. O som de uns caras acelerando suas máquinas mais adiante, os trajes, tudo. Seus olhos brilham quando reconhece um lugar que a tanto sente falta. 

— Wang! — Xiao Zhan voltou para perto de si. — Este é Kris Wu. Um amigo de longa data.

— E aí mano!

Ele bateu na mão de Yibo e sorriu para ele, recebendo o mesmo olhar sério que todos recebiam. O fato de estar feliz não muda seu jeito natural.

— Vai correr, né? Se quiser pode pegar emprestado minha Chelby. — Apontou para a moto em que Yibo analisava antes de se aproximarem.

— Não vim preparado.

— Vi a forma como olha para ela, — refere-se a Chelby. — você nasceu preparado. Além disso, Xiao Zhan irá com você. Acredite cara, eu conheço alguém que gosta da coisa no momento que olho para ela. — Kris bate no ombro de Yibo e parte em direção a um grupo de homens.

O Xiao fixa seus olhos no cunhado, avaliando seu posicionamento. Logo bate suas mãos, chamando sua atenção e apoiando seu braço nos ombros de Yibo.

— Lembra do que eu falei? Que essa seria sua noite? Você deixou escapar que faz anos que não corre. No momento em que Kris me disse que também está na china, eu soube que tinha uma oportunidade de te fazer lembrar a sensação outra vez. 

— Por quê? O que você ganha com isso? Nós nem ao menos nos consideramos amigos. 

— Sei que com o passar do tempo perdeu-se demais nos desejos alheios e esqueceu-se dos próprios. Você é como eu, Yibo. Teve de amadurecer muito cedo para lidar com a vida e com a realidade que ela nos trás. Estou fazendo porque aceito sua amizade. — Zhan pegou um par de chaves e seu bolso e balançou frente aos seus olhos. — Se aceitar correr comigo, se aceitar viver de novo, nos considere amigos. Caso contrário iremos embora. 

— E ainda sim seremos amigos? 

— Você me tem em sua vida agora Yibo, independente do que escolha fazer, eu estarei sendo idiota com você, bem onde estiver. — Balançou as chaves novamente como se fosse um pedaço de carne frente a um animal selvagem. — Sem leis esta noite. 

— Você é um grande, grande, grande idiota. — Tomou as chaves da mão do maior. 

— E você se agrada disso. 

— Nunca disse isso. 

— Ah, disse sim. 

— Não, eu não disse. 

— Seu coração sabe que disse. 

Como se possuísse um poder maligno, Xiao Zhan trás de volta um Yibo feliz que está muito disposto a brigar por coisas bobas e sem sentido. Um Wang que finalmente precisa se preocupar apenas em si satisfazer. 

— Trinta minutos corredores! 

Os dois se encararam e então sorriram. 

— Eu dirijo — Yibo diz.

— Não, eu dirijo. 

Yibo sabe que irá ganhar a discussão, mas esta é uma daquelas conversas bobas e inúteis que ficará muito bem arquivada. Pois ele está disposto a gastar seu tempo com as idiotices do maior e, mesmo que jamais admita novamente, elas lhe são agradáveis. 

Uma de suas maiores descobertas é que ele de fato pensa em cada parte de seus planos, por isso as vestes e os acessórios de segurança estavam bem guardados em seu porta-mola. Quando finalmente subiu na moto, já posicionada, seus dedos apertaram o guidão como reconhecimento, lembrança e saudade. Xiao Zhan subiu em sua garupa e segurou-se nele; A grande parte dos motoristas não compram a ideia de correrem em dupla, até porque dificulta as coisas muitas das vezes. Só que como sempre, Zhan faz questão de ignorar as leis para viver da forma que deseja. 

— É bom que honre minha Chelby. — Wu bate em seu capacete. — Cuide as curvas, elas são bem fechadas. Xiao Zhan será seu senso de direção. — Deu tapinhas no amigo e então saiu da pista, dando espaço para não ser atropelado e juntou-se ao namorado.

— Espero que seu garoto seja tão bravo no volante quanto a expressão que ele carrega. — O motorista do lado cutucou seu parceiro. — Pode deixar, pegarei leve com ele. 

Xiao Zhan riu com escárnio, fechando a viseira do capacete e olhando para o cara que o provocou, alguém qual Yibo desconhece como a grande maioria ali. Apertou os guidões, querendo soltar suas palavras afiadas como facas. Não conhece essa galera e não sabe com quem está falando, então mantém-se em silêncio, afinal seu juízo ainda está vivo. 

— Ah, Yixing, faça questão de pegar pesado. Este aqui dá conta do tranco. Estou apenas aproveitando o espetáculo. — Deu de ombros, olhando uma última vez para o conhecido antes de colocar o capacete e dizer: — Espero que não leve mágoas. Meu garoto não é muito bom em pedir perdão. — Wang sorriu, acelerando a moto sem desviar a atenção da moça de maquiagem pesadas e roupas indecentes parada na linha de partida com as bandeiras levantadas. 

O fósforo foi riscado quando as bandeiras foram ao chão, acendendo cada partícula da bomba chamada "competitividade" que corre pelas veias de cada competidor. Xiao Zhan sentiu-se vivo quando o vento soprou com força contra eles pela velocidade que Yibo conduz a moto. Movimentos precisos, fitando o caminho como uma águia. Não fez questão de se meter; além de que, diferente de seu irmão, vê potencial o bastante em Wang para deixá-lo arrasar como merece. 

O parceiro na garupa apertou os braços grandes em volta de Yibo, descansando suas mãos entre as coxas grossinhas pelos exercícios e a cintura elegante. 

— Fique atento às luzes, cada uma delas simboliza um obstáculo. Minha dica é: pegue o norte, é um caminho que todos desviam. 

— Se eles desviam, é porque deve ter um motivo. — Yibo grita para que ele o escute. 

— Sim, e o motivo é suspensão mal feita. Confie em mim, litte hero. 

— É bom que eu não tenha que te matar.

— Morrer por suas mãos seria uma morte digna. 

As luzes roxas começaram a aparecer a menos de um quilômetro, indicando que logo os participantes devem escolher um caminho. Amaldiçoou-se por confiar em seu cunhado o bastante para realmente entrar na estrada norte. Logo o motivo de não escolherem esta estrada apareceu, já que ela contém inúmeros buracos que acabam com a suspensão da moto. 

Com todo o cuidado que podia, atravessou a rota, finalmente chegando na outra estrada principal. Lá adiante Xiao Zhan viu as luzes indicando que haviam chegado. Que sua morte lenta e dolorosa pelas mãos do Kris valem algo. Bateu na coxa do Yibo em claro sinal que é para ele acelerar. Não tem sensação melhor, as curvas fechadas e a sensação de quase poder encostar as mãos no chão. Ouvia os gritos animados dos competidores que acima de tudo se divertem. Minutos e minutos se passaram e Xiao Zhan ri, grita, completamente animado, deixando Wang mais contente ainda. 

Ele abre os braços, sentindo a força do vento. 

— Não há sensação melhor! — gritou, levando um susto quando Yibo fez uma curva e rapidamente teve que se segurar no outro. Wang riu, sentindo-se vingado um pouquinho pelo susto que deu nele. — Você é mal little hero — disse, deitando a cabeça no ombro do menor, sentindo o cheiro gostoso de perfume. — E isso me é extremamente agradável. 

Wang teria se preocupado com o arrepio que cruzou sua espinha, mas uma moto se aproximou de si. 

“Vou mostrar como os maus garotos fazem.

Xiao Zhan teve que se segurar com força nele quando chegaram a mais de 160km/h. Sentiu-se uma criança ao se imaginar como naqueles desenhos onde o corpo do personagem fica para trás quando correm muito rápido. Apertou suas mãos com força no outro pela excitação de estarem quase no final da corrida. 

Quando a bandeira novamente foi ao chão, foi para que a plateia comemore a vitória do novato que venceu sua primeira partida. A moto parou e Xiao Zhan ergueu os braços, gritando animado e retirando o capacete. Seu corpo cheio de energia e seu espírito satisfeito. Yibo parou para respirou, nem acreditando no que tinha feito outra vez depois de tanto tempo. Retirou seu capacete e foi tomado por uma surpresa maior quando Xiao Zhan o abraçou com força, nem esperando ele descer da moto.

— Yah cara, você foi incrível. — Yibo mexeu-se movendo uma outra perna e mantendo Xiao Zhan entre suas coxas. Abraçou-o de volta.

— Obrigado Big Hero... — disse depois de muito morder a língua. O maior merece ser agradecido.

— Eu disse que jamais seria seu arrependimento. 

Teriam ficado nesta bolha de afeto se um Xujia animado não aparecesse, completamente extasiado falando sem parar e parabenizando Yibo depois de empurrar o amigo para o lado. 

— Incrível. Não há nada neste mundo que você não possa fazer. — O garoto bate palmas, totalmente como uma criança. Wang gosta dele e, crê que todos que o conhecessem iriam gostar também. Xujia é o tipo de pessoa que carrega uma alma doce, brincalhona e aconchegante. Uma essência de mãe, de conforto e confiança. Sentiu-se contente por Xiao Zhan ter ganhado amigos incríveis por aqui. Também entendeu porque o mafioso o escolheu; uma alma cansada e fria querendo um colo que pudesse o aconchegar sem julgamentos. 

— Escuta homem, se eu tiver problemas com minha suspensão, eu vou te caçar e quebrar sua fuça Xiao Zhan. — Kris defende o bem estar de Chelby enquanto Yixing aproxima-se com um sorriso confiante e satisfeito. 

— Perder para alguém realmente bom é um orgulho para mim. Meus parabéns, Wang! — bateu na mão de Yibo, abraçando-o desajeitado e batendo em suas costas. — Com certeza eu irei querer uma revanche. 

Wang tentou dar seu melhor sorriso, mas não é o melhor em jogos de expressões. Então deixou essa barra para Xiao Zhan segurar, depois de apenas dizer:

— Por tanto que não se torne hábito seu perder para alguém realmente bom como eu… — Kris fez barulhos de coice e chicotes, zoando o amigo. 

— Você escolheu bem — Yixing disse para Xiao Zhan. O maior sorriu para mim e então olhou para o amigo. 

— Meu irmão teve mais sorte, encontrou-o primeiro.

A troca de olhares foi clara, mas nenhum dos dois soube de início o peso que estas palavras teriam. 




××××][××××][××××][××××



Pela noite quente, eles não se importaram de abrir o teto do carro conversível do Xiao. A mão de Yibo parece brincar com o vento, enquanto o mesmo corresponde bagunçado seus cabelos e congelando sua face. Zhan quis ter mais tempo para se divertir com a visão. 

— Como se sentiu hoje? 

Yibo sorriu. Ele tem feito isso com bastante frequência nos últimos dias. 

— Intenso, vivo, nostálgico… de tantas formas Xiao Zhan. Tenho receio de lembrar de mais e acabar perdendo os detalhes. Ainda posso sentir o vento, a adrenalina, a excitação.

— Disponha. — Piscou para Wang, que pela primeira vez sentiu-se tentado a tocá-lo. Movido pela gratidão, quis abraçá-lo. Engoliu o seco e então fez questão de aumentar o som, deixando Bob Seger formar a trilha sonora da volta para casa. 

— I was a little too tall (eu era um pouco alto demais) — Yibo começa a letra, forçando a voz de maneira engraçada para que ficasse mais grossa. — Could've used a few pounds (poderia ter usado alguns quilos a mais). 

Lógico que não segurou-se, cantando junto com o mesmo, sem pensar muito. Apenas se embalando, deixando-se levar por momentos bons. Momentos como os de Yibo, que Xiao Zhan sente receio de pensar demais e perdê-lo aos poucos. 

— Way up firm and high, out past the cornfields. Where the woods got heavy, out in the back seat of my '60 Chevy (Acima firme e altos. No passado, nos milharais, a onde os bosques ficavam carregados. No banco traseiro do meu Chevrolet '60). — Xiao Zhan canta alto, com a esperança de que até os mais tristes contagiasem-se. 

— Workin' on mysteries without any clues. Workin' on our night moves, tryin' to make some. Front page drive-in news workin' on our night moves (Trabalhando em mistérios sem quaisquer pistas. Treinando os nossos movimentos noturnos. Tentando fazer alguma capa de um jornal de drive-in. Treinando os nossos movimentos noturnos). — Suas mãos se bateram em um high five aleatório, em prova de que eles não estão ligando para os contextos que a noite pode levá-los. 

— In the summertime, in the sweet summertime. We weren't in love. (No verão, no doce verão. Nós não estávamos apaixonados)

— Oh no, far from it (Oh não, longe disso). — Yibo novamente fez sua interpretação, engasgando-se vergonhosamente e rindo no processo. 

— We weren't searchin' for some pie in the sky summit (Não estávamos procurando pelo pote de ouro no final do arco-íris). — Xiao Zhan tentava cantar, dirigir e rir ao mesmo tempo. 

— We were just young!! (Nós éramos apenas jovens) — gritaram com todos seus pulmões. — And restless and bored. Livin' by the sword. (E agitados e entediados. Vivendo perigosamente). 

Percebem que chegaram na casa dos pais de Yibo quando finalmente Xiao Zhan para o carro. Wang se espreguiça e olha para a casa já escura. 

— Pensei que iria para sua casa. 

— Minha mãe tem aquele costume que domingo é o dia da família. 

— Meus tios também são assim. Acabou se tornando nosso melhor dia da semana, pois nos reuníamos e jogávamos, passávamos muito tempo juntos. — O maior suspirou pela saudade e a vontade de voltar para casa. 

— Espero que em algum momento essa possa voltar a ser sua segunda casa, Big Hero. 

— Ok, bate aqui. — Levantou a mão no ar e então esperou que Wang batesse na mesma. — Fico feliz que tenha se divertido! Obrigado por me acompanhar. — Levou a mão de Yibo até seus lábios, beijando a mesma, arrepiando a pele do menor que logo puxou sua mão e fingiu limpá-la com nojo. — Boa Noite little hero! 

É inegável que deseja ficar mais um pouco, então apenas aperta o botão, deixando com que o teto volte a sua posição. Esta noite não pretende segurar-se. Fará o que quiser. Xiao Zhan parece surpreso, nem pergunta e espera que Yibo responda-o. 

— Quero bolo. Essa é a minha noite, não é? Aliás eu mereço um prêmio. 

O maior sorriu, voltando a ligar o carro. 

Tire a casca e mostre seu brilho… 





Não é engraçado como a noite se move

Ain't it funny how the night moves

Quando você simplesmente não parece ter tanto a perder

When you just don't seem to have as much to lose


Night Moves - Bob Seger.



Notas Finais


Ah, eu amo este capítulo. Espero que tenham gostado também. 💚 Mais do que este capítulo eu amo essa música, então ouçam ela e sejam felizes.


🌵 E aí, o que estão achando?

🌵 Xiao Zhan é um nenê não é?

🌵 Xujia é meu bebê, do fundo do meu coração, eu amo ele.

Bom, obrigada por tudo. Até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...