História Two for Bieber (Twins! Baldwin) - Capítulo 1


Escrita por:

Visualizações 34
Palavras 1.208
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Romance e Novela, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ai eu amo, e espero que seis gostem kk

Capítulo 1 - Gêmeas Baldwin


Fanfic / Fanfiction Two for Bieber (Twins! Baldwin) - Capítulo 1 - Gêmeas Baldwin

Justin Bieber

 

 

Até pouco tempo atrás, eu me considerava uma pessoa neutra. Já saí com tantas mulheres que não sei te dizer exatamente o número, porém nunca senti atração muito forte por nenhuma delas. Porém...

Isso foi antes delas entrarem em minha vida. 
Eu vi o pecado com meus próprios olhos. E eu gostei. Eu queria mais.
Eu pequei. Eu fui contra todas minhas leis, e não só as minhas leis... Como as leis imposta pelos homens. 
Eu também, nunca fui uma pessoa muito religiosa. Eu iria á missa com minha mãe quando pequeno. Mas eu sabia, que o que fazia era errado. Eu sabia que o inferno me esperava. 
Mas eu também não tenho medo do inferno. 
xx.

Tudo começou um pouco confuso...
"Como assim?!" Eu gritei com minha secretária. "Vou ter que tomar conta de duas pirralhas?!" 
"Sr. Bieber... Sente-se por favor. " Ela pousou a mão no meu ombro, me fazendo sentar-me. "Os Baldwin deixaram na carta do testamento deles. "Deixamos nossas filhas para Justin Drew Bieber.""
"Mas como?! Eu nunca vi as pirralhas antes... E... E eu não vejo meus tios faz anos!"
"Tente conformar-se. Elas chegam amanhã às 2h. Esteja no aeroporto para buscá-las, caso não queira o conselho tutelar atrás do senhor."
Então aqui estou eu. 
Sentado em uma cadeira dura de aeroporto faz uns dez minutos. Me remexi, desconfortável. Desbloqueei meu celular, olhando a hora. 2h15. Bloquei o mesmo novamente, irritado com a demora. Eu tinha poucas informações sobre as adolescentes. Eu sabia que em breve elas terminariam a escola, então deveriam ter em torno de desessete ou desesseis anos. Não sabia a data de nascimento delas, então não saberia dizer qual era mais velha. Seus nomes eram Hailey Baldwin e Hanna Baldwin. Eu não tinha uma foto como referência para achá-las no aeroporto lotado. Então segurava apenas uma folha sulfite com seus nomes.
"Justin Drew Bieber?" Ouvi uma voz aguda, um pouco rouca. Levantei o olhar, dando de cara com olhos avelãs claros acompanhados de um sorriso sacana. "Você não é tão mal assim, afinal." 
"Você é...?"
"Hanna Baldwin." 
"Justin Bieber, prazer."
"Prazer só na cama." Ela respondeu,  com aquele sarcasmo típico em seu tom de voz. Só então percebi a criaturinha encolhida ao seu lado. Os olhos de um tom que eu não saberia te dizer se era avelã ou castanho. Os lábios rosados curvados num sorriso simples, as bochechas rubras, demonstrando timidez e os cabelos loiros caídos sobre seus ombros. Eu poderia ficar horas descrevendo sua aparência, ou o que senti quando meus olhos se cruzaram aos avelã dela. Claro que poderia. Mas prefiro guardar essas sensações para mim.
"Quem é você, doce?" 
"H-Hailey Baldwin. "
Hailey era um pouco mais baixa que a irmã. Após alguns minutos olhando as adolescentes parados na minha frente que percebi. Elas eram gêmeas
Claro que haviam algumas diferenças. Como uma ser mais baixa que a outra. E também pela cor de cabelo, Hanna tinha o cabelo tingido de um rosa e Hailey era loira, e o modo de se portar ou roupas. Mas não havia como negar a semelhança. 
"Vamos?"
Elas assentiram e fomos até onde meu carro estava estacionado.
Chegamos em minha casa e eu lhes mostrei onde seria o quarto delas.
O quarto era simples, paredes azuis e móveis em tons pastéis. As camas eram cada uma em um parede. Tudo muito simples.
"Sintam-se á vontade."
Eles assentiram e saí do cômodo, indo ver TV.
Hailey veio me perguntar tímidamente onde era o banheiro para que elas pudessem tomar banho e eu indiquei. Após uma hora, elas apareceram vestindo seus pijamas.
"Pijamas, já?"
"Estou com fome." Hanna ignorou minha pergunta.
Hailey usava um pijama do Harry Potter e Hanna apenas uma... calcinha  box preta desnecessáriamente apertada. Também não vou dizer nada sobre a bunda de Hanna.
Elas se sentaram no canto do sofá, Hailey encolhida no peito da irmã. 
"Você pode colocar em um canal que preste?" Ouvi a voz de Hanna.
Bufei e lhe entreguei o controle.
"Vou fazer a janta."
Comecei preparar a janta, quando Hanna apareceu na cozinha.
"O que você quer?"
"Ué, não posso te fazer companhia?" Hanna disse, mordiscando a ponta do dedo. Me virei de costas para ela, começando cortar os ingredientes.
Logo senti sua presença ao meu lado, sentado no balcão, a poucos centímetros de onde eu cortava os ingredientes. Olhei para ela de canto de olho. Ela balançava as coxas grossas no ar, já que não alcançava os pés no chão.
"Eu achei você bem... interessante, sabia?"
"Ah é...? Eu digo o mesmo para você, Hanna Baldwin. " Entrei em seu jogo sujo. 
Peguei a tábua, despejando o alimento que estava sobre ela dentro da panela. Peguei uma colher de pau, começando mexer a comida.
"Você têm ideia de como é sexy cozinhando?"
"Sim." Dei um sorriso sacana para ela. Quando fui colocar a tábua sobre o balcão, senti suas pernas me puxando. Ela me aproximou de seu corpo, entrelaçando as pernas na minha cintura. 
Estiquei meu braço, desligando rápidamente o fogão. Deslizei minhas mãos para sua cintura, enquanto ela entrelaçava os braços no meu pescoço. 
"Você sabe que deve parar de me provocar." Falei, minha voz ficando uns décimos mais rouca.
"Uh. Sei?"
"Se não sabe, deveria saber." Passei minhas mãos em suas costas, até sentir as profundas covinhas que ficavam acima de sua bunda. 
"Uh..." Ela suspirou ao que apertei sua bunda com força. "E porque eu deveria saber?" 
"Tem certeza que quer saber o porquê?"
"Uh-hum" Ela assentiu, começando rebolar sobre minhas mãos que estavam em sua bunda. 
Ela apertou mais as pernas envolta de meu corpo, fazendo meu quadril colar no balcão e nossos corpos ficarem mais próximos. 
Ela começou esfregar seu quadril em minha barriga, procurando algum tipo de alívio. 
"Então..." Me aproximei de seu ouvido, dando uma mordida em seu lóbulo. "Vai ter que esperar. Enquanto isso, me provoque melhor. Tenho certeza que consegue fazer melhor que cantadas baratas. Vamos Hanna, me provoque. Me provoque até eu chegar ao meu limite. Me deixe insano. Me faça querer mais. Quando esse dia chegar... Você vai saber o porquê não deve me provocar. Mas nesse momento, apenas volte para a sala e depois volte aqui para jantar. "
Apertei sua bunda uma última vez, olhando seus lábios irresistívelmente vermelhos, entreabertos, sua respiração saindo falhada através deles. Me afastei de seu corpo, voltando para o fogão. Seu peito descia e subia rápidamente, sua respiração se normalizando aos poucos.
"Eu vou te deixar insano. Anote minhas palavras." Ela murmurou, antes de pular de cima do balcão e seguir normalmente até a sala.
Chamei as gêmeas para o jantar cerca de meia hora depois. 
Me servi normalmente, sentindo o olhar de Hanna pesando sobre mim. 
"Hails, tem molho na sua boca." A voz de Hanna se pronunciou, quebrando o silêncio. 
Levantei o olhar no momento exato em que Hanna passava o dedão sobre a boca de Hailey e levava o dedo sujo de molho até sua própria boca. As bochechas coradas de Hailey só deixavam a atmosfera mais... pesada.
Mal sabia eu que, á partir desse dia, meu inferno pessoal havia começado.

 


Notas Finais


Então??


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...