História Two mothers - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Supergirl
Tags Supercorp
Visualizações 983
Palavras 3.885
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, LGBT, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hey yoo! Here we go again! Boa leitura babies ;)

Capítulo 9 - Conquer your girl.


Jogos de luzes. Música alta. Pessoas dançando e bebidas. Diana havia a levado para uma balada. “Estava demorando” Lena brincou com aquele fato, a verdade era que ela não contara para Diana que não estava muito a fim de sair. Isso se devia ao fato de que Kara estava estranha desde aquele domingo no qual as duas inicialmente haviam planejado assistir juntas após Lana ter dormido. E já havia se passado duas semanas desde então, a morena até perguntava se havia algo de errado. O que embora fosse notório Kara continuava negando.

A senhorita Prince cortou a linha de raciocínio de Lena puxando-a para dançar, Lena decidiu então deixar aquilo de lado e tentar se divertir um pouco. Mas enquanto dançava com Diana acabou vendo uma cena que custou acreditar, ela estava mesmo enxergando bem? De repente Diana se viu dançando sozinha, olhou para os lados e foi questão de tempo até ver a Luthor parando frente a um casal que apesar de ter bebidas em mãos, se beijavam com intensidade.

-Nick?

Lena perguntou separando Nick Robson da ruiva que a olhou como se ela fosse uma desvairada.

-O que você está fazendo?

A Luthor perguntou com uma expressão indignada em seu rosto e a acompanhante dele alternou o olhar entre os dois perdida com aquela situação.

-Como o que estou fazendo?

Ele perguntou e Lena estreitou seus olhos.

-Você está traindo a Kara. Não é isso que está fazendo?

Lena perguntou irônica e Diana colocou-se ao seu lado, mas calada tentando compreender o que estava acontecendo.

-Você me disse que estava solteiro!

A ruiva disse olhando-o com surpresa.

-O quê? Mas eu estou!

Nick respondeu olhando-a para em seguida fitar Lena.

-A Kara não te contou? Nós não estamos mais namorando!

Lena Luthor estava com a sua expressão mais perplexa, como assim não estavam mais namorando? Eles não estavam mais namorando? Mas eles não eram dois pombinhos que se falavam o tempo quase todo? O que estava realmente acontecendo? E o que era a verdade?

-Não, ela não... Você acabou com ela?

-Pelo visto ela não disse mesmo...

O Robson respondeu também estranhando o fato de que Kara não havia dito a respeito do fim do relacionamento dos dois para a própria melhor amiga com a qual até mesmo morava.

-Ela acabou comigo e já faz certo tempinho.

Depois daquela descoberta fora impossível para Lena Luthor se divertir. Por que Kara não havia a contado? E por que acabou com o senhor perfeito? Questionamentos como aqueles não abandonavam sua mente de tal forma que Diana desistira de tentar distraí-la. “Desculpe” Lena pediu, mas a outra respondeu que tudo bem e que também teria a mesma postura se estivesse em seu lugar. Elas se despediram com um beijo e um abraço após Diana deixar Lena em seu novo endereço.

Lena Luthor encontrou Kara Danvers no seu quarto, depois que elas se mudaram para a nova casa, Lena havia ficado no quarto de hóspedes que ficava ao lado do quarto de Kara. A loira estava simplesmente de barriga para cima fitando o teto com uma expressão distante, havia um livro ao seu lado na cama. Mas estava fechado. Então era por aquilo? Era por ter rompido com Nick que ela estava estranha de um jeito tristonho ultimamente?

-Kara?

A morena perguntou finalmente entrando no cômodo, ao vê-la a loira sentou-se. Lena também se sentou, ao seu lado. Ela estava chateada por Kara tê-la omitido tal fato, mas não podia ser tão egoísta a ponto de ser grossa afinal Kara não estava aparentemente bem ultimamente.

-Sim...?

-Eu... Fui à boate com a Di.

A Danvers dera um sorriso sarcástico. Havia se passado duas e longas arrastadas semanas desde que ela descobrira que amava Lena, as palavras de Winn ecoavam em sua mente, estavam impregnadas. Mas às vezes amar alguém também é aceitar essa pessoa feliz com outro alguém. Baseando-se nesse fato, Kara passou a tentar ficar na sua, ela sabia que amava Lena e não tentaria mais desesperadamente esquecê-la, pois suas energias seriam gastas em vão.

Por tanto ela tentou simplesmente aceitar que Lena fosse feliz com Diana. Mas depois da descoberta que fizera depois que não conseguira esconder mais de si mesma que amava Lena, aquilo se tornou muito mais difícil. A situação a deixava triste e seu coração em frangalhos, doía vê-la com outro alguém a um ponto que a morena conseguia ver que alguma coisa não estava bem com ela. Mas quando questionada Kara negava piamente, mesmo que ambas soubessem que aquilo não era verdade.

-Talvez queira me contar sobre isso outra hora, agora eu estou cansada.

“De olhar para o teto?” Lena se perguntou, mas não verbalizou, pois era óbvio que não seria uma boa ideia. Ver Kara daquela forma, como se não quisesse reagir à vida a atingia diretamente, talvez mais do que a loira pudesse imaginar se ao menos tentasse.

-É que... Eu vi o Nick lá, e ele estava beijando uma ruiva.

Então pela primeira vez desde que Lena chegara ali, Kara realmente a olhou.

-Então sim, você pode imaginar a minha confusão. Eu até mesmo gerei uma pequena confusão achando que ele estava traindo-a. Então por quê? Por que não me disse?

A senhorita Danvers dera um longo suspiro desviando seu olhar para a parede à frente.

-Por que... Ora porque, Lena. Quando isso aconteceu, nós não estávamos tão comunicativas a ponto de eu lhe contar.

-Por que você fez isso? Por que rompeu com ele? Vocês pareciam tão... Apaixonados.

-Porque essas coisas acontecem Lena.

Kara respondera um pouco impaciente se sentindo desconfortável com o rumo da conversa.

-Não é porque você ama a Diana que eu também amava o Nick, eu gostava dele, era diferente.

Lena a olhou com surpresa devido a sua citação a sua relação com Diana.

-Uau. Devagar aí... Eu não me lembro de ter dito que eu amo a Diana, essa palavra é muito forte.

De repente Kara Danvers levantou seu olhar surpresa com a resposta, fitou aqueles olhos verdes a procura de um deslize que indicasse que as coisas não eram exatamente daquela forma, mas Lena a olhava com propriedade demais para estar mentindo. E por que iria mentir? Eufórico ficou o seu coração com aquela resposta.

-Mas... Você disse, ela foi o seu primeiro amor e você se arrependeu de...

-O que não significa que eu voltei a amá-la. Um dia... Quem sabe? Mas por enquanto ainda não.

Então era aquilo? Ela estava se massacrando durante todo aquele tempo pela felicidade de Lena ao lado da mulher que ela estava amando para descobrir que ela não estava amando-a? Ainda não, disse Lena. Ainda não... O que significava que se ela continuasse a sair com Diana Prince, poderia ser questão de tempo para voltar a amá-la. Diana Prince a pretendente perfeita. Então Winn estava certo? Oh Deus...

-Oh...

Foi tudo o que ela encontrou como resposta.

-Pois é... Mas e você? Está triste assim por que rompeu com Nick?

-Oh não... Eu... Quer dizer, estou triste porque eu queria amá-lo, mas não aconteceu.

Mentiu.

-Ah não fique assim. Vem aqui.

A morena chamou abrindo seus braços e depressa Kara a abraçou e sentira Lena começar a afagar seu cabelo.

-Um dia... Você vai encontrar alguém e não vai precisar se esforçar para amar esse alguém e quando acontecer você vai saber. Simplesmente. Você sabe por que quando esse alguém sorrir você vai sorrir automaticamente, quando esse alguém abraçar você vai ser como se você estivesse sendo preenchida, sem um pedaço a mais ou um pedaço a menos. E você irá se sentir transbordando apenas com um toque, um abraço, um beijo no rosto, um sorriso, uma gargalhada, ou um beijo nos lábios... Ou um cheiro, ou um olhar... Entre tantas outras sensações, você irá saber.

Lena Luthor disse com tristeza em seu olhar, enquanto dizia aquelas palavras era como se o seu coração estivesse afundando-se lentamente, como se estivesse preso em areia movediça. Porque ela estava falando de coisas que sentia a respeito da Kara, mesmo buscando se valorizar, mesmo buscando estar com alguém que pudesse trocar bons sentimentos com ela e não apenas sensações momentâneas, ainda assim. Ela a amava. Continuava amando Kara Danvers no silêncio mais barulhento em seu coração masoquista.

-Ela disse isso?

Winn perguntou entusiasmado.

-Sim! Com todas as letras! Ela não ama Diana! Não ainda...

-E o que você tá esperando? Ela amar a Diana novamente para finalmente ir atrás da mulher que você ama? Eu te disse! Sua teimosa. Você não tem nada a perder! Você tentará conquistar essa mulher nem que eu tenha que lhe forçar Kara Danvers! Porque não é possível que você não veja que deve ten...

-Eu sei! Eu sei! Eu mal consegui dormir ontem à noite pensando nisso, todas essas coisas borbulhando na minha cabeça. O que você havia me dito, e depois isso que ela disse e sobre o que o Nick disse sobre eu tentar com essa pessoa... É como se tudo isso formasse uma seta que dá apenas para uma direção, a direção que eu deixo de medo e vergonha e tento conquistá-la.

Schott abriu a boca, mas nenhuma palavra saiu. Pois ele estava surpreso, Kara estava sempre acuada a respeito daquele assunto e não importa quão ele pudesse dizê-la que era a hora do tudo ou nada, de conquistar Lena, ela sempre mostrava uma opinião contrária e dava argumentos que honestamente para Winn eram apenas desculpas vazias geradas pela covardia e o medo.

-Nossa... Eu nunca pensei que veria você falando isso um dia. Pensei que demoraríamos mais cem anos até que você compreendesse que deve tentar ou nunca irá deixar de remoer-se e ser melancólica.

-Certo. Eu admito, estava errada, mas você também não precisa usar palavras tão pesadas!

Na noite daquele mesmo dia, Kara Danvers começara a por seu plano em prática. Fora ao mercado a tarde, levando Lana consigo na tal bolsa canguru que até então apenas Lena havia usado com a pequena. Caminhou por entre as prateleiras checando a sua lista enquanto as pessoas olhavam em sua direção apenas para conceder sorrisos a Lana que parecia mais simpática do que o comum.

Quando Lena Luthor voltou para casa, um pouco exausta, estranhou não encontrar Kara na sala. Fora então até o quarto de Lana, mas apenas a pequena estava lá, dormindo em seu berço. Lena saiu do quarto pensando que talvez ela já houvesse dormido ou talvez saído com Schott. Por fim ela dera de ombros e entrara em seu quarto para tomar o seu banho, suspirou relaxando ao sentir a água escorregar por sob seu corpo.

Depois de vestir-se da forma mais casual que podia a senhorita Luthor fora até a cozinha a fim de saber se Kara havia deixado o jantar preparado. Seu estômago roncava a cada passo dado, mas a morena tentava ignorá-lo, o que ficou impossível quando fora chegando mais e mais perto da cozinha graças a um cheiro sorrateiramente delicioso que se enroscou em seu nariz e atiçou a sua fome insistente. O que Lena Luthor não esperava encontrar ao entrar na cozinha era uma linda mesa posta, aparentemente apetitosa.

-Eu espero que não tenha planos para sair hoje. Porque se tiver, é melhor desmarcar. Se bem que vestida assim... Parece que a agenda está livre.

Kara Danvers comentou enquanto a morena a olhava com confusão, mas com um belo e charmoso sorriso pequeno em surpresa com toda aquela preparação.

-Certo. De quem é o aniversário? O que estamos comemorando?

Lena perguntou sentando-se enquanto Kara começou a servi-la.

-Nós estamos comemorando nós.

-Nós?

A morena perguntou olhando-a.

-Nós.

Kara respondeu simplesmente e começara a por água em sua taça.

-Água?

Lena perguntou fazendo Kara dar uma pequena risada nasal.

-Como você faz perguntas... Temos outro tipo de bebida sim, mas isso vem depois.

A loira respondeu aparentemente muito segura de si. Não que Lena não estivesse gostando daquilo, ela realmente estava. Mas por que Kara estava o fazendo? E o que queria dizer “Nós” como resposta a sua pergunta sobre comemoração?

-Como foi o seu dia?

A Danvers perguntou de maneira casual e Lena não podia se sentir mais a vontade, sem maquiagem e a postura de chefe exigente, satisfazendo-se com um jantar que estava realmente bom e sendo perguntada sobre seu dia de trabalho. Ela não sabia o que estava acontecendo, mas desejava que pudesse acontecer mais vezes, com certeza desejava.

-Você se superou hoje, estava maravilhoso.

Ela disse quando o jantar acabou, mas apenas para descobrir que havia mais. Sim. De fato havia mais, Kara a puxou pela mão levando-a até o quintal onde havia uma toalha por sobre a grama. Quando Lena compreendeu a proposta daquilo, olhou para Kara com certa incredulidade mesclada a surpresa. Mas tudo o que a outra lhe disse fora para sentar ali que ela já voltaria. E assim Lena o fez, achando que, era uma noite esquisita, um esquisito bom.

Quando a Danvers retornou tinha duas taças e uma garrafa de vinho em mãos. Lena dera um sorriso com a visão, as duas então ficariam ali? Tomando vinho juntas? Ela se perguntou quando Kara deu-lhe uma das taças e a serviu após sentar-se ao seu lado e em seguida servir-se também. Quão perigoso seria ficar ali com Kara Danvers daquela forma? Muito perigoso.

-Você tinha razão sobre morarmos cercadas por natureza, é maravilhoso. Tipo... Olhe para cima e irá ver as estrelas, hoje elas parecem mais próximas de nós.

Kara comentou tomando um gole de seu vinho e Lena olhou para cima, suspirou com a visão enquanto tinha uma expressão admirada em seu rosto sem perceber que Kara a observava.

-Elas parecem estar cravejadas no céu... E hoje ele parece azul... Você sabe, sem aquele tom escuro.

-Sim. Porque o luar hoje está forte.

A loira disse e então Lena a olhou percebendo que ela já a fitava. Aquela troca de olhares não permitiu que ambas quisessem proferir uma palavra se quer. A Luthor tomou mais um pouco de seu vinho ainda que não tenha quebrado o contato visual. O que estava se passando na cabeça de Kara? Ela se perguntava ao passo que a loira pensava em como queria beijá-la. Quando as duas acharam que era hora de parar com a bebida, deitaram-se lado a lado deixando as taças ali perto.

-Você está relaxada agora?

Kara perguntou e Lena dera um pequeno sorriso.

-Sim, bem mais... Apenas com uma dor nas costas... Como eu falei no jantar, tivemos uma reunião duradoura.

A loira então olhou para o lado fitando-a, talvez não tenha sido uma boa ideia. Lena estava perto demais. Mas o que ela iria sugerir a seguir parecia uma ideia bem mais arriscada do que simplesmente olhá-la.

-Vira de bruços.

-O quê?

Lena perguntou olhando-a de volta com um pequeno sorriso confuso.

-Vai! Eu vou apenas lhe prestar um favor.

Kara respondeu e a morena fizera o que ela havia lhe pedido. “Agora tire a blusa e o sutiã” À loira pediu fazendo-a praticamente prender a respiração, mas vendo o que ela tinha em mente, Lena o fez. Mas tirar sua blusa e sutiã não fora nada comparado ao que veio a seguir, Kara simplesmente sentou em sua bunda enquanto suas mãos macias deslizaram por sobre seus ombros começando uma massagem.

Lena Luthor não sabia se relaxava com a massagem ou ficava tensa. Depressa seu coração manifestou-se a respeito daquela situação. Ela sentia os pelos de seu corpo se eriçar então as mãos de Kara deslizaram mais para baixo, Lena fechou seus olhos enquanto as mãos da outra passearam por suas costas. Kara suspirou olhando para o próprio ato. Sentia certa pulsação entre suas pernas e toda a tensão do momento.

Lena pensava que aquela poderia ser considerada a melhor tortura disfarçada de massagem que ela já recebera em sua vida quando sentira Kara afastar seus cabelos mais para o lado e seus lábios gélidos contra o seu pescoço, seu coração tropeçou miseravelmente e foi apenas o início da sua euforia. Pois após aquele beijo vieram outros, beijos distribuídos por suas costas. Lena ofegou ainda com seus olhos fechados perdendo um pouco a noção de tempo e espaço.

Quando a Danvers afastou-se Lena sentou-se com as mãos cobrindo seus seios e depressa pegou a blusa ao lado e vestiu. Tudo sob o olhar atento e carregado de Kara a sua frente.

-Obrigada pela...

A morena ia dizendo, mas Kara estava se aproximando rapidamente e estava a centímetros de seu rosto. Lena então a parou segurando em seus ombros.

-O que acha que está fazendo?

A Luthor perguntou num sussurro alto.

-Tentando beijar você.

-Ah não... Isso outra vez? Você está me desejando, simplesmente, outra vez?

Lena perguntou um pouco indignada e Kara não a culpava uma vez que sua reação era fruto de seus erros com a morena.

-Sim. Eu estou desejando você. Se eu quero beijá-la... Eu desejo você.

A morena sorriu sem humor tentando levantar-se, mas daquela vez fora Kara quem a segurou pelos ombros e em seguida pegou seu rosto entre suas mãos.

-Eu quero beijá-la e eu não irei me desculpar depois, eu a desejo pelo poder que você exerce sobre mim e pelas coisas que me faz sentir.

E sem qualquer aviso, sem qualquer chance para que houvesse uma resposta, Kara Danvers a beijou. E Lena não conseguia mais pensar com clareza, fosse por estar um pouco alta, fosse por não ter tido um real tempo para discernir as palavras que haviam acabado de ser lhes ditas ou por qualquer outra coisa. Quando os lábios de Kara tocaram os seus de maneira determinada e a loira começou um beijo intenso e exigente, ela simplesmente derreteu-se com a sensação. Porque aquele gosto muito lhe fazia falta, porque o gosto do seu beijo não lhe deixava a mente, a vontade de senti-lo novamente não lhe abandonava a alma e o coração sedento por sofrimento entrava naquela ciranda trágica.

A Danvers lhe arranhou a nuca provocando-a um arfar, à medida que suas línguas se tocaram num aparente desespero desmedido para sentirem uma a outra cada vez mais. Porque o mais nunca seria menos, Kara sorriu contra seus lábios enquanto as mãos da morena escorregaram para a cintura puxando-a mais para si no desejo desenfreado que fazia seu coração bater como um louco, ao passo que ela sentia-se elétrica e, ao mesmo tempo, desconexa. Tantas sensações que até embolavam-se em sua cabeça, se embaralhavam e a confundiam.

Kara Danvers quebrara aquele beijo com dois selinhos para em seguida puxar o lábio inferior de Lena por entre seus dentes de maneira lenta enquanto fitava a morena diretamente com seu olhar carregado. As duas estavam ofegantes, mas não deixavam de se fitar, Kara tinha o rosto de Lena entre suas mãos e sentia seus lábios formigarem devido a intensidade daquele beijo que lhe tirou o fôlego, mas também tirou-lhe outras coisas bem como o sossego.

-Você...

Lena tentou falar, ainda desconexa, ainda com seus lábios formigando e um pouco fora de órbita tentando processar o que havia acabado de lhe ocorrer. Não que tenha sido algo exatamente inédito, já lhe ocorrera duas vezes, mas até então Kara não lhe pediu desculpas, e mais do que isso, falou algumas coisas antes de beijá-la que deram certo nó em sua mente e lhe confundiram. O único que não estava confuso em si era o seu coração que parecia em festa subindo garganta acima após ter se recomposto ao se derreter com a sensação que tinha quando Lena era beijada por Kara.

-Eu prometo que não vou pedir desculpas.

Kara respondera um pouco bem humorada para quebrar um pouco da tensão. Ela não iria dizer para Lena que a amava, e se a assustasse? Preferia não arriscar, mas estava imensamente satisfeita internamente por ter conseguido dar o primeiro passo na tentativa de conquistar a senhorita Luthor. E ali estavam os seus olhos verdes presos nos seus, Kara assim sentia que tinha alguma chance. Era grande? Significativa? Ela não fazia ideia, mas se não tivesse chance alguma Lena não a teria correspondido e não teria ficado ali após beijá-la de qualquer maneira.

-Eu estou com a Diana.

A morena por fim disse parecendo finalmente ter se situado, mas falava calma.

-E eu quero você.

De onde aquilo tudo saiu? Lena se perguntou embasbacada, não era apenas confusão que sua cabeça atrapalhada estava fazendo? Kara não pediu desculpas ainda, e prometera não pedir e ainda disse que a queria. Depois de não ter se desculpado e não ter saído de sua companhia a passos largos, aquelas palavras ganhavam uma conotação diferenciada.

-Eu não vou desistir de querê-la porque você está com a Diana. Porque eu já tentei e apenas fiquei triste com isso.

As palavras foram como um soco no rosto de Lena, não porque doeram ou qualquer coisa assim, e sim porque lhe surpreenderam. Então aquele tempo todo Kara estava triste por aquilo e não por romper com Nick ou por não conseguir amá-lo? Lena Luthor já se imaginou diversas vezes numa situação em que Kara Danvers a correspondia de alguma forma, mas acontecer realmente é algo bem diferente do desejo que o ato em si se concretize.

-Dorme comigo?

Kara pediu com uma expressão adorável enquanto Lena ainda estava tentando processar tudo o que estava lhe acontecendo àquela noite após chegar a sua casa.

-Eu prometo que é só dormir, eu sinto a sua falta...

E Lena Luthor não conseguiu dizê-la “não”. Mas quando já com a Danvers em seus braços no silêncio daquele quarto, a meia luz. Uma pergunta borbulhava em sua cabeça.

-Se você me quer... Então por que quando nos beijamos duas vezes disse que era por carência e desejo?

A morena sussurrou em pergunta, Kara sabia que Lena não podia ver seu rosto, mas acabou ruborizando com a pergunta.

-Você é minha melhor amiga desde quando nos conhecemos. Dá para imaginar quão assustador foi para mim me sentir atraída por você de repente?

E você tem ideia que eu queria beijá-la desde a primeira vez que eu a vi? Tão deslocada naquela festa e olhando para os lados como se não estivesse em seu habitat natural? Lena Luthor perguntou mentalmente, mas não verbalizou. Então Kara sentia algo por ela e estava escondendo o jogo por certo tempo, mas o que ela sentia? Lena não sabia e nem ousaria estipular. Se alguém lhe dissesse que seu dia rotineiro iria acabar exatamente daquela forma ela jamais iria crer nesse alguém.

A senhorita Luthor até temia acordar no dia seguinte e ter de lidar com uma Kara que estaria fingindo que nada daquilo havia realmente acontecido e que todas aquelas palavras ditas foram tomadas pela brisa da noite. Mas a visão que tivera ao acordar no dia seguinte fora completamente diferente de seu temor interno. Lena espreguiçou-se e sentou na cama escorando suas costas na cabeceira finalmente acordando de verdade.

-Bom dia mamãe.

Kara desejou sentada na cama com Lana em seu colo, a frente das duas havia uma bandeja com café da manhã. Tão facilmente a morena derreteu-se com aquilo, não apenas com o café da manhã, mas com as duas ali à sua frente. Poderia ela ter despertado de maneira melhor? Dificilmente. Lena Luthor respondera para si mesma enquanto arrastou-se devagarzinho para perto da bandeja e consequentemente das outras duas.


Notas Finais


Hehe então? Como nós estamos? O que vocês acham? Não me escondam nada kkk E ah pessoas! Eu tô com uma nova filha Supercorp chamada "Dangerous feelings" então se vocês quiserem dar uma olhada... Sintam-se a vontade, anyway, isso é o que temos pra hoje ;) e obrigada por todos os comentários e favs, vocês são demais 💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...