1. Spirit Fanfics >
  2. Two Souls A Revenger >
  3. Capítulo III

História Two Souls A Revenger - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Espero que curtem..

Capítulo 3 - Capítulo III


Cada coisa ao seu tempo e cada movimento completamente calculado.

A infinidade de coisas que a mente humana é capaz de criar tende a ser surpreendente em vários aspectos.

-Acha que consegue ficar na frente dela no aspecto intelectual? – Pergunta Alex terminando de mexer no meu celular para os últimos ajustes.

-Isso é uma pergunta que se faça a mim Alex? Sabe que eu me preparei para esse momento a minha vida toda, eu reduzi tudo que me tiraria do meu foco e estudei incansavelmente justamente para esse momento de glória.

-Então só te resta ir lá e acabar com todos eles ao seu modo. – Fala me devolvendo o celular, minhas chaves e me dando um envelope com meu nome.

-O que é isso? – Pergunto encarando o envelope.

-Não sei, como sabe não olho suas coisas então só estou entregando.

Aceno e coloco o celular no bolso e o envelope na mochila e saio de casa ainda com um único objetivo em mente, ser a melhor para conseguir ter a Luthor aos meus pés e consequentemente ter acesso a sua mansão.

Vejo a moto e sorrio, minha irmã sempre consegue tudo que peço em tempo recorde mesmo, monto e a ligo acelerando pelo caminho já gravado e sinto o vento libertador que me faz me sentir alguns segundos livre, o único momento que sei que sou eu mesma sem algum tipo de peso, mas a realidade me puxa assim que vejo a entrada do estacionamento e eu claro estaciono do lado da Ferrari avariada.

Todos olham para mim mais uma vez e eu seguro o sorriso vendo os amiguinhos do Mike encarando minha moto.

Me viro e ele está boquiaberto olhando para mim e para a moto.

-Pensei que o filhinho de papai teria mais poder aquisitivo para mudar de carro quando “acidentes” acontecesse. – Falo fazendo aspas com dedo e sorrio debochada. – É um cara que só tem palavras vazias mesmo.

-Maldita.

-E se eu fosse você ficava longe do meu novo brinquedo se quiser que essa sua cara de animal atropelado fique do jeito que está, seria uma pena se você ficasse com marcas que fosse capaz de espantar mais que o normal as garotas desse colégio.

Todos que estão ao nosso redor começam a rir e ele começa a ficar vermelho de raiva.

-Isso claro se você gostar mesmo de mulheres porque olhando seu circulo intimo consigo dizer com facilidade que você gosta mesmo é de dar a bunda.

Isso parece ter sido o estopim e ele vem até a mim tentando me acertar um soco que eu desvio com calma e sorrio o provocando mais e ele reage tentando me acertar de novo e eu sempre me desvio até o ver se cansar facilmente.

-Nem é um oponente digno. -  Finjo um suspiro e isso provoca os risos altos e ele junta o resto da dignidade e sai do estacionamento com seus amiguinhos a tira colo.

-Corajosa você. – Escuto a voz da Arias e me viro vendo ela a tal de Jess e a Luthor perto. – Ninguém tem coragem de encarar o Mike assim ainda mais sendo novato.

-Aprendi que ninguém deve se sobrepor a outro do jeito que ele gosta de fazer. – Digo encarando a Luthor que desvia o seu olhar do meu.

-Que tal irmos para a sala juntas? – Pergunta sorrindo.

-Fica para uma próxima Arias.

Aceno e saio de perto delas indo para um lugar afastado onde eu sei que ninguém estaria no momento e me sendo em baixo de uma arvore e pego o envelope o encarando e por fim decido o abrir vendo uma folha e a pego e a caligrafia parecia familiar para mim, mas não me recordo de onde a vi e quando.

“Ela que decidiu lutar contra monstros deve tomar cuidado para que ela mesma não se transforme em um deles.

E se você olhar por muito tempo para o abismo Kara o abismo olha de volta para você.”

Paro de ler e volto a pegar o envelope e vejo que o nome endereçado estava Kara. Z, alguém sabe sobre mim e sobre o que estou fazendo.

-Impossível. – Sussurro e volto a ler.

“De agora em diante você tem que sacrificar ou deixar para trás um monte de gente incluindo sua família ou como os considera, amigos.

Você é aquela que vai trazer sua própria morte, mas se a dor não te mata te torna mais forte e onde quer que vá o ceifador te segue, o seu caminho é cheio de corpos e tem cheiro de sangue.

Como você possui força você não deixa nada no seu caminho e se sobrepõe a tudo com sua própria força como já provou no passado.

Seu desejo por vingança queima forte o suficiente para enviar aqueles que deseja para  vagar pelo vale da morte.

Seu desejo se torna lei quando se sobrepõe a tudo e suas ações será sua lei e você não precisara da ajuda dos outros.

Não esqueça seu caminho e nem aquela que foi injustamente para longe.

Livre-se daquilo que te amarrar e siga seu legado de sangue.”

Termino de ler e pego meu isqueiro queimando a carta junto do envelope, alguém está sempre de olho em mim, e essa escrita não é estranha, eu tenho que avisar a Alex.

-Mas.. – Sussurro lembrando de um trecho da carta. – Se eu não a deixar ir ela pode morrer e isso não é o que desejo, nem ela e nem Eliza tem culpa pelo meu passado e se Alex então para eu continuar ela tem que se afastar de mim, sem terceiros no meio.

Pego meu celular e vejo seu numero e só me resta uma mensagem.

“Saia da casa e da cidade, volte para Midvale e esqueça que um dia me ajudou ou me conheceu, faça com que Eliza fique bem e fique bem você também, mas nunca abaixe a guarda até que eu mande um sinal que tudo acabou, esqueça que um dia conheceu as dores daquela garotinha e faça o que for preciso para que sua verdadeira família fique bem.”

Envio e guardo meu celular mais uma vez, não deixarei mais ninguém partir para sempre, elas vão ficar melhores sem mim e eu vou ficar com mais foco sem me preocupar com elas, no fim eu sempre estarei como antes, só.


Notas Finais


E tive inspirações... é isso.

Thom ~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...