1. Spirit Fanfics >
  2. TXT - I GOT AN ANGEL (Beomjun - Yeongyu) >
  3. A Luz que me Guia

História TXT - I GOT AN ANGEL (Beomjun - Yeongyu) - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


O sol resplandece...
...o seu olhar sobre o meu...

Capítulo 7 - A Luz que me Guia


Fanfic / Fanfiction TXT - I GOT AN ANGEL (Beomjun - Yeongyu) - Capítulo 7 - A Luz que me Guia

Havia se passado 2 meses que Beomgyu estava sobre os cuidados de Yeonjun, já era início de Julho e logo começara o verão.

Yeonjun era muito cuidadoso com tudo que se relacionava a Beomgyu, como o garoto vivia trabalhando e estudando, mal tinha tempo para os deveres de casa, e Yeonjun repunha e ajudava em tudo que podia, ele cozinhava, lavava e tentava o seu melhor para cuidar da saúde do loiro. Porém com o tempo, a amizade de ambos evoluiu bastante se fortalecendo, fazendo entrarem naquela rotina de morar a dois.

A vida é cheio de detalhes e Yeonjun é apenas um anjo o qual ainda não havia permanecido na terra por tanto tempo como humano, teve muito oque aprender com Beomgyu e se acostumar com a cidade grande. Porém como todos os "humanos" Yeonjun começou a despertar interesse em algumas coisas das quais não era somente sobre cuidar de uma casa, ele queria viajar e explorar mais daquilo que sonhava e queria que Beomgyu fizesse parte dos seus planos, porém como não era de costume a sua rotina e com o medo de incomodar e atrapalhar a vida de Beomgyu, ele apenas guardava tudo o que desejava para si, sempre negando os desejos de seu coração.

......

Numa manhã ensolarada de domingo Yeonjun acordou bem cedo como de costume, colocou a mesa para o café da manhã e logo saiu para regar as plantas. Beomgyu permanecia em seu quarto dormindo serenamente, quando escutou de longe o garoto cantarolar.

Yeonjun aparentava estar feliz como sempre, aquilo fez com que Beomgyu despertasse.

Assim que acordou andou lento até a cozinha, estava usando apenas um short de malha, viu que o café já estava sobre a mesa mas não viu a presença de Yeonjun.

- Y-YEOOOON ! _ gritou ele ainda sonolento, e com a voz meio falha.

Yeonjun entrou para dentro no mesmo momento, observou que Beomgyu já havia acordado e foi com passos lentos até a cozinha, Beomgyu estava tentando se equilibrar na ponta dos dedos para pegar o cereal que estava na parte mais alta do armário, quando derrepente silênciosamente Yeonjun se aproximou por detrás do garoto e o abraçou, fazendo ele diminuir aos poucos o movimento.

- dormiu bem ? _ perguntou ele a Beomgyu.

- sim..._ disse baixo, se virando com a caixa de cereais em mãos. - e você dormiu bem ? _ pergutou.

- como não dormiria, essa casa é realmente confortavel. _ disse já sorrindo para o mesmo.

- realmente, hoje o dia será agitado preciso comer rápido ! _ indagou

- agitado ? Pretende fazer algo nesse domingo ? _ Yeonjun  olhou totalmente entusiasmado para Beomgyu esperando ansioso oque ele ia lhe dizer.

- sim trabalhar, hoje terei que repor a Rose é o dia de descanso dela.

- e Vocês não podem simplesmente descansar ? Como normalmente..

- não Yeon, nosso chefe não permite e para continuar empregado preciso ir quando pedem. _ assim dito Beomgyu terminou rápido sua refeição e logo se retirou da cozinha, ao contrário de Yeonjun que mal tocou na comida.

Yeonjun andou lento perante aquela casa vazia e silênciosa e se sentou no sofá com um livro na mão "Como Plantar" era o nome. Momentos mais tarde Beomgyu saiu de dentro de seu quarto todo  arrumado com seu uniforme, e andou até a sala para se despedir de Yeonjun, observou que o garoto estava meio desanimado bem diferente dê de manhã que aparentava estar tão bem.

- Yeon, estou saindo ok até mais tarde ! _ disse.

- até. _ respondeu baixo, fazendo Beomgyu voltar e se aproximar novamente de si.

- você está querendo aprender a plantar ? _ perguntou observando o título do livro.

- talvez.._ respondeu.

- yeonjun, aproveite seu domingo saia e se divirta, vá visitar sua familia, prometo que hoje quando chegar teremos a melhor noite de todas ! _ disse o olhando meio confuso, e lhe dando dois tapinhas nas costas.

- hum..ok _ respondeu Yeonjun.

- você está incomodado com alguma coisa ? _ perguntou o loiro.

- na verdade... _ quando ia se pronunciar e dizer oque ele realmente queria fazer naquele domingo, viu que talvez comprometeria os planos de Beomgyu, então simplesmente sorriu para ele e acenou com a cabeça. - eu quero plantar mas não conssigo.. _ disse.

- haaa era isso ? Kkk eu irei te ajudar quando chegar, prometo ! Até mais tarde Yeon. _ Beomgyu se despediu com um sorriso e se foi.

......

Naquela mesma tarde, Yeonjun não tinha ânimo para fazer absolutamente nada se sentia cansado, não sabia se era fisicamente só não queria ficar ali parado, ele não sabia andar pelas redondesas e não podia simplesmente contar a verdade a Beomgyu, que ele não havia uma familia. Estava se sentindo um verdadeiro inútil ali dentro, mas como ele havia dito a Beomgyu que na verdade ele só queria plantar, foi tentar na prática. Achou algumas sementinhas guardadas e foi para a varanda, quando abriu a porta se assustou com oque viu. Era uma moça bonita, com a aparência jovem, ela então se aproximou de si e sorriu.

- Aqui é a casa de Choi Beomgyu ? _ perguntou, porém Yeonjun a olhou confuso e logo a convidou para entrar.

- sim, ele mora aqui. _ disse.

Assim que a moça entrou foi até a sala e se sentou  no sofá colocando um monte de papéis sobre a mesinha de centro, em seguida crusando os braços.

- desculpe a intromissão, sou a tia de Beomgyu, vim trazer alguns documentos para que ele assinasse e levarei comigo o testamento de minha mãe. Ele está ? _ perguntou.

Yeonjun sentiu a áurea daquela mulher, era uma áurea ruim e totalmente escura e desconhecida ele sábia que aquela mulher queria fazer alguma maldade para Beomgyu, mas não podia impedi-la ou manda-la embora então apenas se aproximou e se sentou do outro lado do sofá.

- Beomgyu está trabalhando chega só mais tarde, teria como a senhora voltar depois ? _ assim que Yeonjun disse aquelas palavras o semblante daquela mulher mudou totalmente.

- você é oque do meu sobrinho ?

Aquela pergunta....ele sábia que não poderia simplesmente lhe dizer a verdade, porém negar para si oque era só doía mais ainda, então com um olhar singelo respondeu.

- sou um amigo próximo dele. _ a mulher continha o olhar, e ficava apenas de sarcasmo e deboche.

- amigo é ? Hum, aquele bastardo não merece nada de minha mãe, aquele garoto é da pior raça se eu fosse você se afastava dele.

Aquelas palavras doeram como se tivesse sido ditas de si própio, não sabendo como controlar simplesmente fechou o olhar, sentiu uma intensa vibração partir de dentro de seu coração e ligar totalmente seus pensamentos, o fazendo recordar todas as lembranças de Beomgyu, derrepente uma lágrima brotou de seu olho esquerdo e sentiu remorso fluir dentro de seu sangue, o fazendo se levantar de imediato. E naquele momento Beomgyu entrou pela porta da frente, já gritando pelo seu nome.


Notas Finais


Depois da chegada de sua tia, Beomgyu não saberá a bagunça que o espera...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...