História UA: Nova Geração - Interativa - Capítulo 4


Escrita por:

Visualizações 82
Palavras 868
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ficção, LGBT, Luta, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Violência
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Aqui está o primeiro capítulo, conforme combinado. Está curtinho, mas os outros serão mais longos.

Capítulo 4 - O Início


Bakugou Katsuki estava apoiado contra a parede do corredor, em uma posição aparentemente relaxada. Ele vestia seu traje de herói quase completo, porém sem as manoplas e a máscara. Ele havia chegado mais cedo do que  planejado na escola, então não havia pressa, realmente. Não havia novas mensagens, mas ele releu mais uma vez a mensagem de encorajamento de Eijirou, assim como as diversas mensagens de “boa sorte” e “faça o seu melhor” de seus amigos.

Parte dele ainda se perguntava se ele estava fazendo a escolha certa. Ele não estaria aqui se Aizawa-sensei não tivesse lhe pedido pessoalmente. Bakugou se perguntou, não pela primeira vez, porque Aizawa achara que ela o melhor recomendado para a função.

Bakugou ainda tenha a memória – um pouco nostálgica – de cuidar de um bando de crianças com Shouto, Inasa e Camie. Ele melhorou desde então, é claro, teve bastante experiência com Yuune. Mas ainda havia uma diferença entre cuidar de uma pirralha e cuidar de vinte pirralhos.

Mas Bakugou já havia concordado, e ele não iria recuar diante de um novo desafio. Checando o horário, ele guardou o celular e decidiu se dirigir até a sala designada.

///////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////

- VOCÊ – A palavra saiu como uma acusação e um rosnado, atraindo a atenção dos dezenove adolescentes no cômodo.

Yamazaki Leo começara o dia muito bem. Ele entrou na U.A. por recomendação e finalmente seu primeiro dia de aula chegou. Ele estava confiante e se sentia completamente preparado para começar oficialmente sua jornada até o topo (oficialmente, porque ninguém nunca prestava atenção em todo o treinamento e estudo que os heróis tiveram antes mesmo de ingressarem no curso de heróis).

Seu humor foi completamente destruído no momento em que entrou na sala de aula pela visão da garota de pele morena, cabelo negro e garras afiadas. Honda Mizuki reagiu à sua presença com um riso debochado.

- Surpreso em me ver?

- Deixem para brigar no treinamento – uma outra garota interrompeu. Ela era atlética e tinha cabelo escuro. Era mais baixa do que Honda. Havia duas cicatrizes em seu rosto e Leo pôde ver o final de uma tatuagem de cobra saindo de sua manga.

- Sinto muito, a senhorita é... – Leo tentou se acalmar, apesar da fúria que a presença inesperada de sua irmã lhe causara. Ele não queria passar uma impressão negativa para as outras garotas da sala.

- Sumioshi Nisemono.

- Sumioshi? – uma garota de pele escura e cabelo roxo repetiu – Essa não é...?

A garota não teve tempo de terminar sua pergunta, pois a porta se abriu novamente, em um baque violento, revelando o Herói Nº2, Ground Zero, um dos Três Lendários. Os alunos congelaram, Leo ainda em pé no meio do caminho.

Leo sabia quem ele era, é claro. E quem no Japão não sabia? Se fosse bem honesto, Leo achava ele melhor do que o Herói Nº1, Deku.

Ground Zero tinha uma presença forte, que parecia impor autoridade, que parecia realmente intimidar alguns dos outros alunos. Algo instintivo  dentro de Leo lhe dizia para enfrentá-lo e estabelecer seu território. Em vez disso, Leo manteve uma postura altiva, sem medo, mas também sem desafio direto. Não tinha razão para arrumar problema com o professor no primeiro dia de aula. Poderia até manchar seu histórico ou algo do tipo.

- Vá para a sua carteira – Foram as primeiras palavras que Bakugou Katsuki pronunciou, olhando diretamente para Leo.

Uma vez obedecido, Bakugou foi até a frente da sala e examinou os alunos em silêncio, como se os avaliasse. Houve um silêncio absoluto, todos esperando pelo que ele iria dizer. Então ele abriu a boca, prestes a começar a falar e

- Nii-san!!

A voz feminina animada veio do fundo da sala. Leo olhou da forma mais discreta possível, avistando uma loira bonita. Leo a tinha visto antes, mas estava muito distraído e irritado com a presença de Honda para registrar a informação então. Leo apenas se lembrava de vê-la conversando com uma garota menor, de cabelo escuro e curto que Leo reconhecia do exame prático.

- Cala a boca, pirralha! – Bakugou disse irritado, fazendo algumas pessoas na sala se encolherem assustadas – Eu estou aqui como seu professor, não como irmão mais velho! Então não vai achando que vai ter tratamento especial!

A garota, por outro lado, não parecia nem um pouco intimidada e até riu um pouco como se ele tivesse contado uma piada antiga. Ela acenou para a garota de cabelo curto com quem estava conversando mais cedo.

- Olha, Serena-chan está aqui também!

A garota, Serena, acenou timidamente com um sorriso, mas parecia um pouco constrangida com a atitude da loira.

- Eu disse para ficar quieta! E sente direito! – Bakugou respirou fundo, como se estivesse tentando recuperar o controle de seu temperamento. Seu tom de voz ainda era alto quando ele voltou a falar, mas soava mais imponente e menos irritado – Atenção, Classe 1-A! Eu sou Bakugou Katsuki. Vocês devem me conhecer como Ground Zero, mas vão me chamar de Bakugou-sensei de agora em diante, até terminarem o curso. É melhor estarem preparados, o treino começa hoje, e eu farei de vocês a melhor turma que U.A. ou qualquer outra escola de heróis já viu.


Notas Finais


Para esclarecer, porque eu não encontrei nenhuma forma de dizer isso mais claramente e fazer soar natural, Yuune é a garota loira e ela é irmã mais nova do Bakugou Katsuki.
Não, ela não é minha personagem original. Ela é a 13ª ficha aceita. Eu recebi sua ficha depois de divulgar a aceitação das 5 fichas. Eu já tinha escrito a primeira parte do capítulo, mas voltei e adicionei a pequena referência a ela.
A razão de ela ter sido aceita tão cedo (porque eu certamente não planejava aceitar oficialmente mais nenhuma ficha hoje) foi porque, ao ler a ficha dela, por razões óbvias, eu pensei que não faria qualquer sentido narrativo que a presença ou existência dela não fosse reconhecidas por Katsuki aqui. Então eu teria que tomar a decisão de aceitar ou recusar a ficha logo. Portanto, aqui estamos.
A não ser que outra situação semelhante surja (o que é improvável, mas nunca se sabe) as outras 7 fichas só serão decididas e anunciadas no dia 10/12, conforme o combinado
Leo não é o protagonista, e todos os alunos terão igual importância. Apenas achei que introduzir a história de um ponto de vista, em vez de um narrador onisciente que sabe e descreve tudo, seria mais imersivo. Mas podem dar suas opiniões sobre isso.
Os pontos de vista irão variar, é claro, mas tentarei manter um ponto de vista, ou no máximo dois, por capítulo.
Por razões pessoas, eu provavelmente não conseguirei postar o próximo capítulo na semana que vem, apenas anunciar as fichas, mas na próxima eu posto.
Deem suas opiniões. Aceito críticas construtivas, e sempre se sintam livres para falar o que acham da forma que estou escrevendo seus personagens.
Me avisem se tiver qualquer erro de digitação por aí. Eu reli antes de postar, mas posso ter deixado algo passar.
Espero que tenham gostado desse capítulo, embora tenha sido breve.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...