História Um Amor - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Hermione Granger, Severo Snape
Visualizações 68
Palavras 1.864
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Obrigada
Por ter me ajudado
Uma das minhas escritoras favoritas
Lady Jeh

Capítulo 1 - Capitulo Único


Hermione andava pelos corredores, agora tão silenciosos. Sabia que já se passava da meia noite e seu corpo estava exausto, mas ela não conseguia dormir, por mais que tentasse e quisesse... Simplesmente não conseguia. Olhou por uma das janelas. O campo de quadribol ainda estava destruindo, assim como metade do castelo, assim como seu coração. Seus olhos tentaram enxergar além da escuridão, tentar ver o local onde o vira pela última vez. Onde presenciara a luz abandonar seus olhos. E seu coração se partir de vez.

Respirou fundo e enxugou a lágrima que rolou pelo seu rosto quando ouviu vozes se aproximando. Eram suas conhecidas: Harry e a professora McGonagall. Os dois falavam baixo e ela, apesar de não se esconder, não fez questão de que eles a vissem.

- Não sei como poderemos fazer isso Harry. As pessoas que são de nossa confiança estão completamente ocupadas, será impossível conseguir alguém para cuidar dele e manter em segredo.

- Eu sei. Mas será apenas temporário. Não podemos manda-lhe para o St Mungus e arriscar um atentando ou algo pior. Até que eu possa resolver tudo é melhor que isso continue em segredo. O professor Snape é um herói, e quase morreu para me proteger e proteger a nós todos.

Aquelas palavras a sacudiram por inteiro. "Ele está vivo".

Antes que pudesse se controlar, antes mesmo que pudesse pensar, fez sua presença ser notada quando apareceu em frente ao dois dizendo em claro e bom som:

- Eu cuido dele.

Minerva e Harry se olharam confusos. Principalmente Minerva que sempre sentiu pena de Hermione pela forma que Snape sempre a tratou.

- Hermione não sei se você é a pessoa mais adequada.

- Professora meus pais estão mortos, eu e o Ronny acabamos me deixe dar para minha vida um sentido.

- Professora Minerva, Hermione é capaz não tem uma pessoa melhor para isso - Disse Harry tentando ajudar a amiga, desde o último ano ele começou a notar a forma que Hermione olhava para Snape e após o ataque de Nagine à Snape, Harry teve certeza, ainda mais que Hermione em um momento de impulso deu um beijo casto nos lábios de Snape.

- Sim. Eu sei senhor Potter que ela é capaz, mais não sei se Severo vai gostar que a senhorita Granger cuide dele.

- Ele não está bem professora, não se preocupe eu mesma assumo a responsabilidade ele não vai ter queixas de mim.

- Eu sei disso senhorita Granger, mais eu não sei como ele vai reagir.

- Professora ele não vai querer ninguém cuidando dele, e vai colocar qualquer um para correr, mais lhe prometo que ele não vai me colocar para correr.

Minerva entrou com Hermione em um quarto pequeno, Hermione olhou para o canto e pode ver ali deitado aquele homem que foi seu algoz por anos, aquele que a humilhou, ele estava ali os olhos fechados, sua respiração era lenta, em torno de seu pescoço tinha sido colocado uma faixa branca para cobrir o ferimento.

- Ele está estável. Mais tenho medo que não sobreviva ele perdeu muito sangue e ainda demorará cerca de um mês para a ferida fechar completamente,  Madame Pomfrey o medicou e virá vê-lo assim que for possível. Se ele acordar por favor não o deixe se alterar.

Hermione soltou um suspiro,  quando Minerva saiu a deixando a sós com Snape.

A cama que ele estava deitado era de solteiro, então Hermione se sentou bem do seu lado, pegou sua mão que estava sob a cama e a levou até a boca lhe dando um beijo. E depois começou a acarinha-lá.

- É crime abusar de um doente - Disse Snape com a voz fraca mas cheia de veneno e sarcasmo.

- Eu estava medindo a sua temperatura - Disse Hermione com um sorriso.

- Granger eu vi tudo. Ou melhor sentir alguém me beijando depois que aquela maldita cobra tentou me matar eu só sinto que ela não deveria ter conseguido mais você e aquele seu amiguinho, me privaram até dá morte.

- Professor o senhor é importante não poderia morrer salvou o mundo bruxo.

- Ora Granger você não deve estar muito bem. Acho que o cruciatus que Bellatriz lhe deu, a deixou insana.

- Não. Não estou insana. Eu sei muito bem o que quero.

- E o que é?

- Primeiro cuidar de você. Depois se me aceitar lhe darei dias de muito amor.

- Granger chame Minerva por favor, tenho que contar para ela que a princesa da grifinória está louca.

- Professor eu não estou louca. O senhor não está bem ainda, então não vou forçar uma situação só lhe peço algo que depois que o senhor se recuperar me deixará permanecer ao seu lado até o meu último dia de vida.

Snape não disenteria nada, estava começando a pensar que Hermione estava sob o efeito de alguma poção ou a batalha final tinha mexido com o seu psicológico.

Hermione se levantou e foi até a sua bolsa, pegou um livro e começou a ler para Snape.

- Eu não quero que leia.

- O senhor quer dormir? Está com fome? Com dor? Quer que eu faça uma massagem?

Snape estava ficando pela primeira vez na vida assustado, sua aluna deveria estar sofrendo de algum sério problema.

- Eu quero que suma.

- Não. Não faça isso comigo - Começou a chorar, às lágrimas caiam de seus olhos wmv grande quantidade. - Eu estou apaixonada por você, fiquei tão triste quando achei que tinha morrido, mas já que sobreviveu sei que foi meus país que já morreram que me ajudaram eles salvaram o senhor para que pudesse me fazer feliz até o último dia de minha vida.

- Granger eu não vou nem lhe xingar, você está com problemas mentais sérios.

- Não professor. Eu pedi para os meus pais que estão mortos me ajudaram a não lhe perder.

- Granger por favor fique quieta ou vou me matar.

Hermione pegou sua varinha e lançou em Snape um feitiço e ele dormiu.

Algumas horas depois Minerva e Harry entraram no quarto, e para a surpresa deles viram Hermione deitada na mesma cama que Snape.

- Meu Merlin - Gritou Minerva.

Harry deu risada, nos últimos meses ele estava achando Hermione cada dia mais estranha. E hoje ele viu que sua amiga estava passando dos limites.

Snape abriu os olhos e se horrorizou quando viu Hermione deitada ao seu lado. Susto maior foi quando ele viu sangue na palma da mão de Hermione.

- Minerva ela se ma... - A palavra morreu quando ele olhou para a própria mão e viu que ele também tinha um corte.  Por impulso ele jogou Hermione para fora da cama e ela caiu no chão, Hermione acordou na hora que caiu.

- O que foi - Disse Hermione com a voz de sono.

- Minerva o que vocês fizeram comigo, isso é pior do que a morte.

Minerva não entendia olhava confusa para Snape, não querendo aceitar o que aqueles cortes significavam.

- Professor ela não tem culpa, eu que fiz o encantamento.

- Hermione você fez um elo com Severo - Minerva tapava a boca com às mãos.

- Sim.

- Sua maldita, não vê que agora estamos casados. E casamentos bruxos são para o resto da vida.

- Era isso que eu queria. - Disse Hermione se levantando do chão.

Quatro dias depois...

Snape estava entrando em sua mansão, Hermione tentava o ajudar, mais Snape ainda estava furioso por agora estar casado com sua ex aluna.

- Eu vou me deitar Granger ainda estou fraco, se arrume em qualquer quarto - Disse Snape subindo as escadas.

Ele entrou em seu quarto e não demorou muito para Hermione também entrar bom quarto.

- Saia esse é o meu quarto.

- Você mandou eu me arrumar por aí, vou dormir junto com você, meu marido. Ainda não tivemos nossa lua de mel.

- Você é louca, insana ou dê qualquer outro nome para o que você está fazendo, se o seu plano é me atormentar por tudo que lhe fiz.

- Severo porque não me ouve eu te amo - Gritou Hermione. - Só fiz o elo com você porque quero passar meu último dia de vida com você. Eu não lhe disse mas - Hermione tirou de sua bolsa um papel e o jogou em cima da cama de casal. - Eu tenho leucemia e não reajo mais aos tratamentos. Eu tenho mais um ano de vida não se preocupe nesse ano eu ficarei o mais longe possível de você, me perdoe,  eu só queria morrer ao lado do único homem que eu amei.

Quatro meses depois...

Hermione acordou e olhou para o lado, seu marido dormia profundamente, ela lhe deu um beijo nos lábios.

- Já acordou - Disse Snape ainda com sono.

- Não. Eu preciso ir ao banheiro. Sabe como é.

Snape abriu os olhos e lhe deu um sorriso.

- Quer ajuda meu amor?

- Não. Eu quero que você fique aqui e quando eu me deitar me esquente sabe que eu estou sentindo muito frio.

Hermione se levantou com certa dificuldade. Pegou um pergaminho e uma pena e começou a escrever uma carta, quando acabou a selou e escreveu

Abra depois da minha morte.

Hermione colocou a carta em cima da mesa e se deitou.

Quando se deitou Snape estava acordado lhe esperando.

- Hermione porque fez isso comigo? Não tem pena de mim?

- Da mesma forma que não quero que tenha pena de mim. Não tenho pena de você. Eu quero que você sempre sorria, e que saiba que no fim estarei lá lhe esperando. Eu te amo.

- Sempre.

Hermione se deitou e Snape à abraçou. Quando percebeu que Hermione estava dormindo profundamente deixou que às lágrimas caíssem de seus olhos.

O inverno chegou, Snape terminou o seu banho, colocou seu pijama e se deitou.

Quando pensou que finalmente pudesse dormir, sentiu algo pulando em cima dele.

Uma menina de cabelos negros lisos,  e olhos castanhos Kiara Granger Snape sua filha de quatro anos sempre corria para a cama do pai. Dois meses depois de seu casamento com Hermione, Snape tinha se começado a amar a esposa, quando ele disse que a amava, Hermione resolveu ficar grávida, assim quando ela morresse seu marido teria com ele um pedaço dela. A gravidez não foi fácil por causa da doença de Hermione, mais a criança nasceu saudável, Snape olhou para filha e se lembrou do último suspiro de Hermione que morreu horas depois de dar à luz a filha e Snape estava lá com ela.

Alguns anos depois...

Snape lia mais uma vez à carta que Hermione lhe deixou.

Meu amor não sabe o quanto me fez feliz, existem pessoas que ficam juntos por anos, nós só estamos juntos à quatro meses e você já me deu mais amor do que eu poderia esperar.

Não sabe o quanto me dói saber que logo não estarei com você, mas deixarei com você um pedaço de mim. Cuide dela por mim. Eu sempre te amei.

Snape colocou a carta sob o peito, o vento bateu em seus cabelos grisalhos,

- Hermione nosso amor é como o vento, eu não posso ver mais posso sentir. Obrigado meu amor você salvou minha vida de todas as maneiras.

Snape pegou sua varinha

- Expectro Patrono

Uma lontra saiu correndo.

Snape deu um sorriso sabia que daqui alguns minutos estaria com Hermione.

Sua neta foi quem o encontrou .morto em baixo da árvore que ele costumava se sentar para ler a carta de Hermione.

A menina pegou a carta e fez questão de passa-lá de geração em geração.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...