História Um Amor Complicado entre Espécies - Capítulo 25


Escrita por:

Postado
Categorias Zootopia - Essa Cidade é o Bicho
Tags Zootopia
Visualizações 76
Palavras 1.125
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Lemon, Luta, Romance e Novela, Survival, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa noite ^^

Devido ao outro capitulo não ficar muito grande, eu dividi-o em duas parte. Sendo que esta parte ficou mais pequena que o habitual dos meus capítulos.

No entanto, a linguagem não é muito forte, mas ficam avisados que é mais explicito.

Espero que gostem ^^

Capítulo 25 - Uma Noite Inesquecível - Parte Final


Estava calor. Muito calor. Judy rendeu-se ao beijo completamente. Ela tinha experiência na área, mas Nick superava toda essa experiência que tinha adquirido dos seus antigos namorados. A língua dele, explorava todos os recantas da sua boca de forma ardente. Judy deixou-se levar pelo seu comando. Há muito que o desejava. O beijo foi quebrado por segundos, apenas para recuperar o ar, e logo em seguido voltaram-se a tocar com mais furor. À mesma medida, as patas de Judy foram de encontro com o casaco da raposa. Agarrou-o e começou a puxá-lo para trás. Nick percebeu a sua intenção, desencostou-se do mosaico, e deslocou os seus braços para trás das suas costas, ajudando-a a despir o seu casaco. Tudo isso sem quebrar o beijo. Após uma peça de roupa indesejável ter sido retirada, Judy prosseguiu para a camisola. Botão atrás de botão foi desapertado. Enquanto isso, uma pata de Nick foi em direção ao fecho do vestido, e desceu-o. O vestido descaiu até à cintura da pequena coelha, permanecendo lá. A outra pata vaga, foi pousada no abdómen dela, subindo-a suavemente até ser passada por debaixo do soutien. De encontro com o seio pequeno e redondo, Nick acariciou-o. Aí, Judy quebrou o beijo. Procurando algo para preencher o vazio dos seus lábios, ela pressionou-os no pescoço dele, deslizando-os até ao seu ombro. Essa pequena caricia, fez soltar um gemido de prazer da raposa. Judy mordeu o lábio inferior a tal voz que só a excitava cada vez mais. Deixou o seu queixo repousar no ombro dele, abraçando-o. Unhas pequenas, mas afiadas, pressionaram um pouco com força nas costas de Nick, quando ela sentiu uma pata intrometem-te na sua parte intima.

“Nick…” ela balbuciou entre gemidos abafados pelo som da água do chuveiro que escorria.

A pata dele acariciava toda a sua parte intima. Tal como ela, Nick estava desejoso de a poder sentir. Aquela voz, aqueles lábios, o aroma, todo o ser dela, estavam-no a deixar louco de prazer. Nunca, em toda a sua vida, ele se tinha sentido daquela maneira. Um dedo invadiu-a, proporcionando um gemido mais fundo. Movimentos repetidos foram feitos devagar. Judy acariciou o momento por poucos minutos uma pata dela sobre o braço dele, indicar que parasse. Eles entreolharam-se, quando ela se endireitou. Paixão e desejo podiam ser vistos naqueles olhos lindos verde-esmeralda. Ambos estavam de respiração acelerada. Judy sorriu-lhe e voltou a beijá-lo. Posicionou as suas patas no peito dele, deslizando-as até ao cinto das calças onde o desapertou. O botão foi aberto também e o zip descido. O beijo tornou-se mais profundo. Olhos permaneciam fechados. Eles deixavam-se levar pela orientação das suas patas. Nick aproveitou e, tal como Judy, passou as suas patas por debaixo do vestido, em direção as cuecas. Começou a descê-las e a coelha ajudou-o, manejando as suas pernas a ficar livre aquele tecido. Enquanto isso, não foi preciso Nick descer as calças ou mesmo retirar os broxers, uma vez que este tinha uma abertura na frente. À sensação do pénis da raposa na sua pata, ela gemeu. Um gemido abafado pelo beijo que ambos não queriam quebrar. Poderia ficar surpreendida pela grossura e tamanho da raposa se tivesse de olhos abertos e não só à sensação dele nas suas patas, mas ficaria para outra altura. Ela já não aguentava mais. Ela queria-o dentro de si. Sem mais demora, Judy aproximou-se um pouco mais, elevou o corpo um pouco ao alto, e ajudou-o a penetrá-la. Aí, o beijo foi quebrado. Lágrimas formaram-se nos olhos da coelha. A dor fora pior do que imaginava. Não por ela ser virgem, fora disso, e muito menos por não estar lubrificada. Ora isso é que estava e bastante, mas por ele ser um pouco…grande, comparado ao que ela já tinha sentido. A pesquisa que fizera sobre as partes intimas de raposas, não a tinham sobressaltado assim tanto. Mas ver e sentir, eram coisas diferentes. A essa dor, as lágrimas formadas, escorriam agora pelas suas bochechas.

“Estás bem?” apavorado, Nick agarrou na face dela, encarando-a.

“Ficarei.” Ela respondeu-lhe, levando as suas patas as dele. “Eu amo-te, Nick.” Ela sorriu-lhe. A expressão que ele fez e o sorriso que se delineou nos seus lábios disseram as palavras que ela não precisou de ouvir. Ele beijou-a apaixonadamente. Sem quebrar a ligação dele, Nick ajeitou-a de maneira ela ficar de costas no chão e ele por cima. Devagar, ele começou os movimentos. Judy levou a pata a boca para calar os gemidos. A sua outra pata livre agarrava a camisola desabotoada dele. Os primeiros movimentos foram bem devagar, fazendo com que Judy se habituasse ao pénis dele. A dor foi desaparecendo, dando lugar ao prazer. Nick tentava não ser bruto nos movimentos, mas dentro dela a coisa não estava a ajudar. Tudo o que sentia pela sua parceira, beijá-la, o aroma agradável e a sensação quente por estar dentro dela, só o deixava mais e mais excitado.

“Judy, eu…” ele disse entre uma respiração acelerada.

“Podes ir com mais força.” Ela deu-lhe permissão e assim ele o fez.

Nick perdeu-se no prazer em conjunto com ela. A água do chuveiro abafava os gemidos que eram soltos e o som das investidas. Momentos mais tarde, Judy sentiu que ele estava perto.

Sem querer que ele quebrasse a penetração para se vir fora dela, ela cruzou as suas pernas. Nick apercebeu-se e não protestou. Mais umas quantas investidas e tal como ela e ele atingiram o seu auge. Um corpo cansado, pousou sobre o da coelha. Respirações fortes, tentavam ser acalmadas. Judy abriu os olhos. Ela levou uma pata à cabeça da raposa, acariciando-a.

“Foi bom.” Ela troçou, rindo-se. Ele acompanhou-a.

“Bom não, maravilhoso queres tu dizer. Além do mais, eu disse-te…que o meu charme era irresistível.”

“Quanto tempo?”

“Hã?”

“Vais ficar dentro de mim?”

“Mais um pouco. Algum problema?” ele levantou-se e apoiou as suas patas no chão, ficando por cima dela.

“Não. Só perguntei.”

“Andas-te a estudar, não foi?”

“Hum…talvez?” ela encolheu os ombros.

“Coelha boba.” Ele inclinou-se e beijou-a ao de leve.

Nick saiu de dentro dela. Judy sentou-se e fechou as suas pernas. O esperma dele, escorreu-lhe um pouco.

“Temos de trocar de roupa.” Ele disse, fechando o zip das calças e o botão. Judy fez o mesmo. Puxou o vestido e fechou o zip.

“Eu tenho uma muda de roupa no meu cacifo. Mas para te ser sincera, prefiro lavar-me antes de a vestir.” Ela levantou e inclinou-se para apanhar as suas cuecas.

“Vai buscar a tua muda de roupa e tomas banho aqui comigo.” Ela sorriu-lhe e começou a andar na direção da porta.

“Cenouras?” ele chamou-a, interrompendo-a. Ela virou-se.

“Sim?”

“Eu amo-te!” ele disse de sorriso nos lábios.

“Eu sei.” Ela retribuiu-lhe o sorriso e saiu do balneário.

Continua...


Notas Finais


Enjoy ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...