1. Spirit Fanfics >
  2. Um Amor de Infância >
  3. Tragédia

História Um Amor de Infância - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Salve tropinha, aqui estou eu novamente trazendo mais uma capítulo dessa bagaça, era pra esse cap sair amanhã mas resolvi adiantar logo kkkkk enfim... espero que gostem

Boa leitura 😎

Capítulo 3 - Tragédia


Inosuke, Nezuko e Zenitsu continuam indo à procura de Tanjiro

— Que barulho foi esse? Um tiro? Ah merda cadê o Tanjiro? – se questiona Zenitsu

 

— Ali pessoal a viatura da polícia, bora lá!!! – avisa Inosuke

Eles chegam no local e o mesmo já estava com uma grande proporção de pessoas

— Por favor pessoal pra trás, abram espaço! – ordena um policial

— Ah o que aconteceu? Não estou conseguindo ver nada tem muita gente! – questiona Nezuko

[Policial no rádio]

Sim, aqui o é o Shinazugawa, quero mandem uma ambulância para cá urgentemente! Temos duas vítimas baleadas, uma delas está em estado grave, mandem rápido, o suspeito parece ter escapado preciso de mais patrulhas rondando ao oeste no sentido do Shopping. Câmbio desligo

[Rádio Off]

— Vocês ouviram isso? Foram d-duas pessoa!? – diz Nezuko

— Droga! Será que foi o Tanjiro? Não, vira essa boca pra lá, não pode ter sido ele... – Zenitsu nervoso

— Ah, pessoal aquele é o T-T-Tanjiro? ele f-foi baleado?! – pergunta Inosuke tremendo de nervosismo

— Não pode ser, sai da frente! Hã!! É ele mesmo, droga! Tanjirooo!!

— Ei! Para traz mocinha, você não pode ultrapassar esse ponto

— Mas ele é meu irmão, eu preciso ver como ele está favor!! – diz Nekuzo chorando

— Sinto muito pelo seu irmão garotinha, não se preocupe a ambulância já está chegando, vai ficar tudo bem com ele – diz o policial tentando acalma-la

— Como isso foi acontecer? E se o Tanjiro?! Não, não, não, mas que droga – Zenitsu começa a chorar

— Tanjiro... – diz Inosuke em seu pensamento olhando para o garoto inconsciente no chão

...

Em um beco ali perto

— (Ofegante) Merda tenho que escapar daqui o mais rápido possível, não quero voltar pra aquele inferno de cadeia nem fodendo! Merda, se aquele moleque maldito não tivesse aparecido, ahr...que seja ele já deve tá morto agora....Mas o que!? Aaai!!

O bandido rapidamente é surpreendido com um golpe no rosto e acaba sendo derrubado no chão

— Por que você está fugindo? Está com algum problema? pergunta um rapaz em um tom sério

O assaltante não responde nada só se levanta e começa a correr novo, mas logo é acertado novamente, agora com um chute no estômago, dessa vez por outra pessoa

— Aaai! Seu miserável eu vou te matar!! – diz o bandido sacando a pistola mas...

O quê cadê a minha arma? – pensa

— Por acaso você está procurando por isso? – pergunta o homem segurando a pistola do bandido

O quê?! Como ele conseguiu pegar ela? Foi no momento que ele me acertou com o soco? Mas como?? Arh...quem é esse cara? – se questiona em seu pensamento

— Me devolve isso agora! Se não-

— Se não o quê? – pergunta o outro rapaz

— Ahr, eu vou matar vocês do-

— Caramba Giyu, ao menos deixava o cara terminar a frase! – diz o outro rapaz em um tom irônico

Giyu nocauteia o bandido em questão de milésimos com o famoso golpe no pescoço, sem o mesmo não ter nenhuma chance de revidar

— Entregue esse cara pra polícia, ele não é mais problema meu, na verdade nunca foi. Ah é Sabito, veja como está o Tanjiro, certamente foi nele que esse infeliz atirou.

— O quê? O Tanjiro, mas como é que você?! Hã, Tomioka!! Giyu!! Merda ele sempre some do nada!

Residência Kamado

*Telefone toca*

— Hm, a Nezuko? O que ela quer uma hora dessas?

*Atende*

— Oi minha filha, aconteceu alguma coi- Oque?! O Tanjiro?! Aí meu deus! Como isso aconteceu?! Não se preocupe minha filha eu estou indo pra aí agora! Já levaram ele por hospital? Sabe qual foi? Ok minha filha eu já estou indo não se preocupe seu irmão vai ficar bem!

— Vem logo mãe, eu tô com muito medo

— Eu já estou indo minha filha *desliga*, meu deus Tanjiro como isso foi acontecer? – se pergunta a mãe começando a chorar de nervosismo

...

No Hospital

— Por favor doutor o que aconteceu com o meu filho? Ele está bem? – pergunta a mãe desesperada

— Por favor se acalme, a senhora é a mãe do garoto?

— Sim, sim, eu me chamo Kie Kamado e o nome do meu filho é Tanjiro – respondeu

— Bom tudo bem, sendo assim a senhora pode vir comigo

— Ok, fique aqui com seus amigos Nezuko

— Tudo bem mãe, eu espero a senhora aqui, traga notícias do mano

— Sim dona Kamado a gente quer saber como ele está – diz Zenitsu, Inosuke também concorda

— Tudo bem meus amores, fiquem tranquilos

O médico foi levando a senhora Kie até o quarto de Tanjiro, ele havia acabado de passar por uma cirurgia. Na porta do quarto estava um policial cujo o rosto era cheio de cicatrizes.

— O Tanjiro acabou de passar por uma cirurgia para remoção da bala Sra. Kamado, ele teve uma hemorragia interna mas que nós já conseguimos controlar, no momento ele esta estável, deve ficar de repouso pelas próximas 24 horas.

— Aí meus Deus, por favor não deixe que nada de mão aconteça com meu garoto – diz a mãe de Tanjiro com a mão no rosto em gesto de oração

— Com licença senhor policial nós vamos entrar no quarto do paciente agora!

— Ah sim, será que eu poderia entrar também? Eu queria ver como ele está.

— Claro, pode sim

— Obrigado.

Os três entraram no quarto e Tanjiro estava dormindo profundamente, já que ele havia acabado de passar por um processo cirúrgico como dito anteriormente.

— Seu filho teve sorte Sra. Kamado, a bala não chegou a atingir nenhum ponto vital, portanto prevejo que daqui uns 7 dias ele já poderá receber alta, ele parece ser um garoto bem forte – disse o médico

— Ah sim, ele é com certeza, se Deus quiser logo, logo ele estará com a gente

— Er, sim assim esperamos, porém infelizmente não posso dizer o mesmo da senhora do quarto ao lado – diz o médico

— Como assim o quê que aconteceu com essa senhora?

— Bom, segundo as testemunhas o seu filho foi tentar ajudar essa senhora de ser assaltada por um bandido – disse o policial

— Aí meu Deus, o Tanjiro?

— Sim, ele entrou em combate com o cara sem saber que ele estava armado, a dona foi tentar ajudar ele mas o bandido foi mais rápido. Ele sacou a arma, baleou os dois e depois fugiu, se eu estivesse chegado antes talvez nada disso teria acontecido e o bandido estaria preso agora – explicou o policial escorado na parede

— Bom seu filho é bastante corajoso não é mesmo? – perguntou o médico

— Sim, eu sempre soube que ele era corajoso, assim como o pai dele também era, mas nunca pensei que ele fosse chegar a esse ponto, arriscar a própria vida pra salvar um desconhecido? – se pergunta

— Bom, é melhor a gente ir e deixar ele descansar, eu estou indo ver como a outra paciente está.

— Ah, sim é claro doutor, tchau meu filho, fique bem tá? – se despede a mãe dando um beijo na testa de Tanjiro

— Com licença Sra. Kamado, quando seu filho receber alta e estiver melhor, peço que compareçam à delegacia para ele prestar depoimento, entendido?

— Ah sim senhor policial, pode deixar. Ah sim, seu nome. Qual é o seu nome?

— É Sanemi... Sanemi Shinazugawa, ok? Aguardo a senhora lá, melhoras para o seu filho

— Muito obrigada Sr. Shinazugawa, até logo e bom trabalho.

...

— Aí eu tô com medo, e se o pior acontecer com ele? – pergunta o loiro

— O Tanjiro é forte, não tanto quanto eu é claro, mas pode ter certeza que ele vai ficar bem!

— Deus te ouça Inosuke – diz Nezuko nervosa

— Olha é a sua mãe Nezuko!

— Hm!? Mãe, mãe como que tá o meu irmão, ele tá bem??

— É Sra. Kamado como que tá o Tanjiro??

— Ele não vai morrer não né? se ele morrer eu mato ele!!

— Caba boca seu idiota!

— Olha lá como cê fala comigo seu loiro medroso!

— Parem vocês dois! O Tanjiro está bem, o doutor disse que daqui uma semana ele já vai poder receber alta.

— Ai que bom, a gente pode ver ele agora?

— Não meu amor, seu irmão acabou de sair de uma cirurgia, ele tem que ficar descansando agora, amanhã a gente vem visitar ele, vamos pra casa agora. Mas aliás não era pra vocês estarem na escola uma hora dessas?

— Bom é uma longa história hehe – dizem os três com uma gotinha na testa

— Então mocinha, você vai me contar essa sua longa história quando chegarmos em casa. E vocês dois também!

Residência Shinazugawa

22h00 da noite do mesmo dia

— Oi de casa? Cheguei... Genya? Tá aí? - pergunta Sanemi pelo irmão

— E aí, de boa? – respondeu

— Eu tô, me dá uma lata desse refri aí, então como foi o primeiro dia na escola?

Genya tira uma latinha do gelo e joga para o irmão

— Hm, é até que foi legalzinho, teve uns otários lá que conseguiram ser suspensos logo no primeiro dia deles kkkkkk.

— Tá rindo de quê? Você também sempre era suspenso no primeiro dia seu idiota, tô surpreso que esse ano foi diferente

— Ah eu já me acostumei com aquela escola

— E então quem é que foi suspenso de lá?

— Foi uns moleques lá e uma mina, não lembro o nome deles, ah sim, um deles se chamava Tanjiro-

— O quê?! – Sanemi cuspindo o refrigerante da boca

— Porra tu sujou o tapete todo, quê que foi isso hein?

— N-nada! Como que era o nome do moleque?

— Tanjiro, porquê? Aconteceu alguma coisa?

— Não é que...como era ele?

— Ele tinha o cabelo preto só que com um tom mais avermelhado nas pontas, ah é e ele tinha uma cicatriz na testa – respondeu

— Então é ele mesmo...

— Ele quem?

— Esse moleque aí, foi ele que foi tomou um tiro hoje pela manhã!

— O quê? Atiraram nele?

— Foi, ele foi tentar ajudar uma velha lá que tava sendo assaltada e o bandido acabou atirando nos dois, ele teve sorte, o tiro meio que pegou de raspão, mas a senhora não teve a mesma sorte, ela foi baleada no peito, levaram ela em estado grave pro hospital, tomara que ela fique bem

— Caralho que bagulho doido, e como ele tá?

— O médico disse que daqui uma semana mais ou menos ele já vai receber alta! Eu estive no hospital para saber das duas vítimas

— Caramba, esse cara é doido

— Er, enquanto ele salva as mulheres você tem medo delas kkkkkk

— Cala boca imbecil!

— Bom, eu vou tomar um banho agora e vou dormir, Boa noite otário

— Flw, idiota...

No Hospital

— C-com licença, a senhora teria uma informação? – pergunta Sabito à recepcionista

— Boa noite meu jovem, que informação deseja saber?

— B-boa noite, eu queria saber de um tal Tanjiro Kamado. Ele se encontra nesse hospital?

— Tanjiro...Tanjiro... Tanjiro Kamado, achei! Sim, ele deu entrada hoje, parece que foi baleado na região da barriga, você é algum parente dele?

— Na barriga? Er eu sou um amigo próximo dele, você sabe se ele corre algum risco de vida sei lá?

— Não, não, segundo o que o doutor me passou, ele já realizou uma cirurgia para retirada da bala e deve ficar de repouso nos próximos 7 dias

— Ah sim que bom, muito obrigado senhora, tenha uma boa noite

— De nada meu querido, uma boa noite pra você também

Caramba ele tomou um tiro no barriga? Esse Tanjiro só se mete em roubada, tenho que contar isso pro Tomioka – diz Sabito em seu pensamento

— Meu Deus, meu Deus, esqueci de ligar para a família daquela senhora, merda! – diz a recepcionista batendo na testa

— Vamos alguém atende por favor! Droga, vamos tentar de novo – a recepcionista disca o número e liga novamente

[ Aviso rápido ]

Todo mundo sabe que na história original, os únicos membros da família Kocho apresentados são a Shinobu e a Kanae, a Kanao é adotada. Ninguém sabe quem sãos pais delas, portanto os personagens que vão representar a mãe, avó ou mais algum parente delas daqui pra frente serão criados por mim, é isso, bora continuar o capítulo :D

(...)

 

Vancouver, Canadá

09h00 da manhã

— Queridas! Eu vou dar uma passada rapidinha no supermercado e já já estou de volta. Ai será que essas duas ainda estão dormindo?

A Sr. Kocho vai no quarto das meninas acordá-las para avisar da sua saída.

— Ooi? Shinobu acorda! Já são 9 da manhã, vamos, vamos!

— Ah mãe! Só mais 5 minutinhos – diz Shinobu com voz de sono

— Tudo bem filha, eu vou dar uma passada no supermercado e já volto

— Ok...

Chegando no quarto de Kanao

— Kanao? Já está acordada filha? Eu estou indo no supermercado, já deixei o café pronto pra vocês. A Kanae já está na faculdade, tudo bem?

— Sim mãe – responde se levantando da cama e indo em direção ao banheiro

— Ok eu vou descendo – diz a mãe

Shinobu também se levanta e vai ao banheiro pra fazer suas higiene matinais

*Telefone toca*

— Ah, deixa que eu atendo – diz a mãe

Shinobu vai meio desengonçada pro banheiro e acaba derrubando Kanao, logo as duas começam a discutir

— Aaai Shinobu olha por onde você anda! ainda tá dormindo por acaso?!

— Desculpa é que eu (bocejo) ainda tô com sono e você também se meteu no caminho, hm!

— Dá pra vocês duas calarem a boca eu tô no telefone

As duas se calam

— Alô? Aqui é dá Residência Kocho, me chamo Naomi Kocho, com quem estou falando por favor?

— Alô, Boa Noite Sr. Kocho, aqui é a Mari, sou recepcionista do Hospital Municipal de Tóquio

— Hospital Municip1al de Tóquio? Aí no Japão?! Aconteceu alguma coisa?

Kanao e Shinobu se atentam à ligação

— Bom é que uma senhora com o nome de Yoki Kocho deu entrada hoje aqui no hospital pelo horário da manhã, ela infelizmente foi baleada no peito e está em estado grave. E esse número estava nos documentos dela, você é alguma parente dela...? Senhora? Alô? Tem alguém aí?

— Mãe? O que aconteceu? Mãe? – pergunta Shinobu

*Som de choro*

— Mãe? A senhora está chorando? – Kanao também pergunta

Naomi segura o choro e continua

— S-sim!? Eu sou a filha dela, como ela está pelo amor de Deus? Por favor eu preciso saber!!

— Ah a senhora é filha dela, sinto muito Sra. Kocho, a sua mãe sofreu uma hemorragia interna e logo depois teve duas paradas cardiorrespiratórias

— Aí meu Deus! E como que ela está agora?

— Bom, tenho uma boa e uma má notícia.

— Qual é a boa?

— Bom a boa notícia é que o pulmão que foi atingido pela bala está bem e não corre risco nenhum de comprometimento, porém...

— Porém o que?

— Tem a má notícia

— E qual é? Me diga logo pelo amor de Deus!!

— Como a dona Yoki já é uma senhora de idade ela está bastante debilitada e corre o imenso risco de ter uma terceira parada cardiorrespiratória, e se isso acontecer ela tem 98% de chances de infelizmente não resistir.

— Nãaao mãe – Naomi desaba chorando

— Sinto muito Sra Kocho, e-eu preciso da senhora aqui amanhã ou depois para assinar uns papéis e receber uns exames, tudo bem?

— T-t-tudo bem? Tchau tenha um bom trabalho *desliga*

— Mãe!!! O que aconteceu? – gritam as duas descendo as escadas rapidamente

— O que aconteceu mãe?? – Shinobu pergunta novamente

— A avó de vocês sofreu um acidente lá em Tóquio e está em estado grave no hospital, a qualquer momento ela pode...morrer! – explica a mãe aos prantos

— Meu Deus a vovó?! Mas como?? - as duas se questionam e começam a chorar também

— M-mãe t-temos que avisar a Kanae também! – comenta Kanao

— Agora não, no caminho do aeroporto a gente avisa

— A-aeroporto?

— Sim, temos que ir pra Tóquio, vamos vão arrumar as malas agora! Vão, vão!!

— Sim mamãe!!

As duas vão rapidamente pros seus quartos organizar as coisas para viagem de última hora. Naomi senta no sofá da sala e novamente vai aos prantos preocupada com sua mãe.

Infelizmente a senhora Yoki Kocho, mãe de Naomi Kocho e avó das meninas, corre grande risco de vida após ser baleada no pulmão, o triste caso fez com que sua família fizesse uma viagem de última hora do Canadá para o Japão para ela ter o apoio da mesma em sua recuperação. Será que uma tragédia dessa pode resultar em um grande e esperado reencontro?

Continua...


Notas Finais


Passando aqui pra avisar que o próximo cap vai demorar um pouco pra sair me desculpem kkkkk realmente tô sem idéia de nada, se tiverem alguma sugestão deixem nos comentários pra eu ver se consigo ter alguma idéia. É isso galera espero que tenham gostado, tmj


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...