História Um Amor De repente. - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Lab Rats
Personagens Adam Davenport, Chase Davenport, Personagens Originais
Tags Chadam, Drama, Lab Rats, Romance, Super Nerdes
Visualizações 87
Palavras 2.448
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Heyyy guyss eu voltei... Desculpa a demora, estava tendo uns problemas como famoso e pavorante bloqueio criativo, mas enfim, fiquem com mais um capítulo, espero que gostem

Capítulo 9 - Um dia que era pra ser perfeito


Fanfic / Fanfiction Um Amor De repente. - Capítulo 9 - Um dia que era pra ser perfeito

Pov Chase

Mellissa Davenport... Quem é essa mulher, seria uma parente, uma irmã do Sr Davenport? Fiquei curioso preciso pesquisar mais sobre ela, tem que ter mais coisas dela aqui ou em outro lugar dessa casa

Antes que eu pudesse fuçar em qualquer outra caixa escuto gritos, chamando meu nome

"CHASEE" adivinhem quem era, Adam!

Saio correndo do porão (se é que posso chamar assim) e vou direto para o laboratório, ele já está lá

"Aah ai está você, precisamos conversar"

"Não, não precisamos"

"Qual é Chase, eu não fiz nada pra você, ou fiz?" Fico em silêncio

"Porque está bravo comigo?" Ele tá insistindo de mais

"Olha Adam, nossa relação de irmãos está muito abalada, quero reestabelecer a ordem"

"Do que você está falando? Nossa relação vem sendo boa nos últimos dias"

"Não tô falando só de mim e você, ou você se esqueceu que temos uma irmã que está afastada de nós"

"Bree não se importa com você..."

"Mas eu tô me importando com ela, sabe, ela tá me parecendo bem triste Adam, eu tentei conversar com ela, mas ela não quer, tá me odiando por uma coisa que eu fiz"

"E o que você fez?" Ele diz olhando fixamente pra mim me deixando meio nervoso

"Eu separei você dela, vocês eram os melhores amigos, agora nem se olham mais, ela me odeia, e não quero que ela sofra como eu sofri"

"Como você é ingênuo Chase, pare de pensar nos outros, comece a olhar mais pra você"

"Eu só quero que ela não me odei" abaixo a cabeça

"Como alguém poderia te odiar Chasey" ele diz segurando minha mão, eu sorrio sem ao menos perceber, mas não dura muito

"Acho melhor a gente ficar separados Adam"

"Não chase, olha tem um jeito melhor, eu converso com ela, volto a falar com ela, nossa amizade será a mesma, só não me peça pra ficar longe de você, por favor"

"Eu não sei Adam..."

"Olha, finalmente estamos próximos, quer acabar com isso assim?" Ele pergunta "vai da tudo certo, confia em mim?"

"Tá, confio"

"Me da um abraço?" Ele diz abrindo os braços

"Não tem necessidade" mesmo que eu não consiga ficar longe dele, eu não quero ter tanto contado físico

"Aah vem cá logo" ele me agarra e me abraça, ele com as mãos na minha cintura me segurando forte, e eu com a cabeça encostada em seu peito, não queria mas essa sensação foi a melhor que tive, senti que éramos só nos dois, me senti amado, senti como se nada pudesse me machucar, nunca mais.

Tiro a cabeça de seu peito, ele me olha e eu olho pra ele, nossos rostos estão próximos e chegando mais perto, posso sentir a respiração dele, estou respirando pesadamente, na verdade quase não respiro, meu coração vai sair pela boca, por falar em boca, a dele estava muito perto, até demais

De repente o elevador faz um barulho, ele está abrindo, bruscamente a gente se separa, era o Sr Davenport e Leo

"Oi galera o que estão fazendo?"

"A gente? Nada, nada, a gente só tava aqui, fazendo nada né Adam" digo cutucando o Adam

"Aah sim, é verdade" ele diz, nos dois estamos morrendo de vergonha, pelo menos eu sim, provavelmente agora sou um tomate humano

"Léo vem comigo?" Adam diz 

"Não" Léo diz

"Você não tem escolha vem" ele agarra o braço de Léo e sai, eu juro que se ficamos sozinhos por mais um minuto a gente teria feito... Coisas...  Que eu julgaria errado... Mas enfim aproveitando que estou a sós com Sr Davenport vou perguntar pela Mellissa, eu sei que é indelicado da minha parte mas estou curioso

"Sr Davenport posso te perguntar uma coisa?"

"Eu não sei, você pode?" Rolo os olhos

"O Senhor sabe quem é Mellissa, Mellissa Davenport?" Ele arregala os olhos

"Quem?"

"Millissa, tem certeza que não conhece"

"Nunca ouvi falar" ele tá suando?

"Estranho, porque ela tem o mesmo nome que o nosso"

"Sério? Estranho"

"Sr Davenport me diga quem é ela"

"Chase pare..."

"Tô curioso, me fala, se eu não descobrir por você será por outra fonte"

"Então boa sorte" ele vai indo em direção ao laboratório "aah e se achar algo sobre, me avise.." ele sai

Eu sei que ele sabe de alguma coisa mas não quer me falar, mas tudo bem, modo detetive ativar!

Depois daquilo todos os lugares em que eu e Adam ficamos juntos fica um clima estranho, a gente se olha mas logo desvia o olhar, também não é pra menos, a gente quase... Quase... Nem consigo pensar...

O resto do dia/noite foi normal, fui dormi cedo em uma sexta feira, nada fora da minha rotina!

Acordo com frenéticas batidas na porta, quem será a essa hora... Olho pro relógio e são 07:56 da manhã, tá muito cedo ainda, hoje é sábado, qual é.

As batidas não param, me levanto e vô até a porta e sou surpreendido com um monte de confetes na mesma minha cara, entrou até na minha boca

"Feliz aniversário!!" Adam fala, ele está com uma bandeja com comida, espera eu nem lembrava que hoje era meu aniversário, parabéns Chase esqueceu seu próprio dia, que também nunca foi grande coisa, não pra mim

Ele entra e coloca a bandeja na escrivaninha do lado da cama e me abraça, a mesma sensação de ontem, só que dessa vez eu rompo o abraço

"Obrigado..." Digo meio sem graça

"Olha come e se arrume, tenho uma surpresa pra você"

"O que é que você tá aprontando?"

"Se eu falar não será surpresa, só faz o que eu te falei" então ele sai, aah cada dia mais me sinto atraído por ele, isso tem que mudar, não queria me afastar só pela Bree...

Término meu café que surpreendentemente estava bom, tomo banho e me troco, e logo desço, chego na sala e não tem ninguém, obviamente! 

"Adam?" Eu chamo mas ninguém responde

"A-Adam" chamo novamente ele abre a porta da frente

"Aah já desceu, e então está pronto para uma viagem especial de aniversário"

"Uma viagem? Como assim, onde vamos?"

"Essa é a surpresa, entra no carro lá fora e me espera já vou, eu só vou deixar uma cartinha pra Tasha e pro Sr Davenport"

"Tá tudo bem" vou para o carro e espero, logo ele aparece e seguimos para o destino que nem eu sei pra onde...

Estamos viajando a quase uma hora, tô com sono, na verdade tô quase pegando no sono, de repente chega uma mensagem no meu celular, era do Cody

"Chase, é o Cody, só quero saber se vai vir aqui hoje fazer esse trabalho, você vem?"

Eu esqueci completamente, e agora?

"Quem é" Adam diz olhando de cantinho do olho

"É o Cody, a gente ficou de fazer o trabalho hoje a tarde, mas agora não vai dar" vejo Adam rolar os olhos

"Fala pra ele que você não pode vê-lo porque ele é um babaca idiota" 

"Para com isso Adam" digo rindo

"Cody desculpa, acho que hoje infelizmente não vai dar, fiz uma viagem surpresa com meu irmão, hoje é meu aniversário, podemos fazer amanhã ou segunda feira, tudo bem pra você?"

"Olha você não deve satisfação a ninguém ok"

"Quer parar de ler minhas mensagens"

"Desculpa..."

"Aí já estamos chegando? Tô cansado de fazer nada"

"Acho que sim"

"Você acha? A gente não tá perdido não né, por favor me diz que não"

"Calma Chase, a gente não está perdido"

Espero mesmo, de novo meu celular apita

"Aah tudo bem então, de qualquer forma, feliz aniversário"

Uma hora ele fala que me odeia outra hora ele é gentil, bipolaridade seria?

Encosto minha cabeça na janela e sem perceber durmo. Depois de algum tempo me levanto, percebo que o carro tá parado, eu tô num posto de gasolina que por sinal é assustador, tem um cara que tá sentado me encarando, o Adam não tá no carro

Ele tá sorrindo com um olhar nojento e malicioso, tô ficando com medo onde tá o Adam

Ele levanta e começa a caminhar até o carro, meu Deus tô apavorado, ele vem chegando mais perto, e mais, e mais.

De repente Adam entra no carro, eu dou um tapa em sua braço

"Onde você tava? Tá maluco de me deixar sozinho aqui"

"Ei calma fui só comprar uma água, e encher o tanque" 

"Tá, ta, agora pisa fundo vai"

"Porque?"

"Aquele cara ali" ele olha pela janela e arregala os olhos 

"Chase não tem ninguém ali"

"Oque" eu olho na direção onde tinha sim um cara

 "Oque eu não entendo, tinha um cara ali, ele tava vindo em direção ao carro"

"T-ta bom Chase, acredito, então vamos?" Ele não acredito, eu sei o que eu vi, não estou louco

A gente anda mais um pouco logo olho pra ele

"Tem certeza de que sabe pra onde a gente está indo?"

"Sinceramente... Não, me perdi antes de chegar no posto, que raiva, hoje era pra ser especial, mas só tô estragando tudo, como sempre"

"Não Adam, tá tudo bem ok"

"Não, não tá, me desculpa tá"

"Não precisa se desculpar, se você souber voltar pra casa já tá de bom tamanho"

"Acho que pelo menos isso eu posso fazer"

"Para, não se culpe assim, a gente não fez o que você queria, mas podemos fazer outra coisa, o importante é que seja só eu e você não é?"

"É.... A gente ia acampar" 

"Tá tudo bem, a gente vai ter outras oportunidades, tenho certeza" ele faz o retorno e em cerca de uma hora estamos de volta em casa

"Pode entrar eu guardo o resto das coisas" ele diz triste

"Não fique assim, quando eu chegar mais tarde a gente faz alguma coisa, tudo bem?"

"Onde você vai?"

"Na casa do Cody"

"Chase hoje é seu aniversário, vai querer passar come ele?"

"Não Adam, só que realmente tenho que ir"

"Faz o que você quiser" ele bate a porta do carro e entra pra dentro, ele não ia guardar as coisas?

Eu entro e todos me dando feliz aniversário, menos Bree claro, espero até o almoço, depois mando uma mensagem pro Cody

"Ainda posso ir, não deu nada certo e agora estou livre, posso ir?"

Em poucos segundos ele responde

"Vem agora"

Subo pego todo meu material necessário e coloco na mochila, depois desço as escadas e encontro Adam no sofá, ele não me viu porque tá de costas tento ir até a porta sem ele perceber mas não deu certo

"Então você vai mesmo?"

"Com sabia que era eu?"

"Seu perfume inconfundível" pelo perfume? Sério?

"Eu vou Adam"

"Chase já te avisei..." Não deixo ele falar

"Depois a gente se fala, ok, tchau.." sai correndo pra ele não me impedir

Sigo em direção a casa de Cody, é bem longe, demoro mais ou menos 40 minutos pra chegar lá, era um bairro bem chique, cheio de mansões, tô maravilhado

Chego na frente da casa dele e olha é a casa! Uma mansão enorme muito linda, com um jardim cheio de flores na frente, vou me aproximando, chego finalmente na porta, confesso que estou com receio até de tocar a campainha, mas é um mau necessário

Toco e em instantes ele atende, ele tava sem camisa, com uma calça de moletom cinza que podemos dizer que tá marcando, tá marcando de mais, isso me deixa envergonhado e nervoso

"Aah Oi pode entrar" ele diz, tá educado hoje...

"Obrigado..." E uau a casa é mais incrível  ainda por dentro

"Cody quem ta ai" diz um homem aparecendo do nada 

"Quem é esse?" Ele pergunta rudemente

"Esse é o Chase, Chase Davenport"

"Davenport hein, sei, Cody vem aqui"

"Fica aqui já volto" ele me diz e eu aceno, ele entra em uma salinha próximo

"De novo isso" o pai do Cody começa a gritar com ele, chego mais perto só pra espiar

"O que pai?"

"Você trouxe outro garoto pra casa, e ainda um Davenport, eu já falei que não quero isso"

"Ele só veio fazer um trabalho, e da última vez eram meus amigos, e qual é seu problema com os Davenport?"

"Isso não vem ao caso, Porque não traz meninas aqui?"

"Pai são só meus amigos, você não quer que eu tinha amigos?"

"Quero que tenha uma namorada"

"Eu já disse que não sou isso que você pensa, já disse mais de mil vezes pai"

"Então me prova isso Cody" ele diz apertando o braço de Cody

"Pai... Tá me machucando" Cody choraminga

"Tenho que sair, mas depois a gente se fala" ele sai da sala e eu tento agir naturalmente, ele passa me olhando com cara feia, e sai batendo a porta, logo Cody vem com uma cara triste

"Tá tudo bem?" Eu pergunto

"Tô sim..."

"Não pude deixar de ouvir, desculpa, se quiser podemos fazer isso lá em casa outro dia"

"Não tá tudo bem, não tô afim de encontrar seu irmão, vamos acabar com isso logo, vem logo vamos pro meu quarto" ele sobe as escadas eu o sigo

"Desculpa perguntar, mas porque seu pai disse tudo aquilo?"

"Não te interessa" 

"A-Ah desculpa... Eu não queria..."

"Tô brincando bobão" ele ri "ele nunca gostou que eu trouxesse meus amigos aqui, ele acha que são meus casos amoroso, ele não quer que eu tenha amigos, pelo menos meninos, ele quer que eu tenha uma namorada, mas não quero um relacionamento, pelo menos não agora, ou seja, tenho que ser o filho (hetero) perfeito, com boas notas e comportamento exemplar"

"Nossa..."

"Só mais um dos privilégios de ser o filho do prefeito.." esqueci de mencionar que ele era filho do prefeito de Mission Creck 

"Mas você é o que ele acha que é?"

"O que? N-não!!" Ele responde

"Tá, tá bom" chegamos finalmente ao quarto dele, que quarto maravilhoso! Muito grande, a gente começa a fazer o trabalho, me sinto hipnotizado, esse menino tem um corpo que tá me deixando louco! Isso soa muito homossexual, eu sei, e tô começando a achar que não sou tão hetero assim, isso seria errado? Ele me olha

"Tá tudo bem? Tem alguma coisa te incomodando?" Ele pergunta sorrindo

"O que? não!" Respondo tentando não olhar

"Tem certeza?"

"Siim!" Continuamos o trabalho, depois de mais meia hora a gente acaba finalmente, a gente desce ele me leva até a cozinha

"Quer comer alguma coisa?"

"Não, mas aceito uma água"

"Tá" ele me da uma garrafa de água e encosta na bancada e fica me olhando, me deixando intimidado

"Que foi?" Eu pergunto

"Não é nada não" ele diz sorrindo

"Tá, já tá bem tarde, a gente acabou, tenho que ir"

"Já?... Tudo bem" vou até no quarto e pego minhas coisas e desço novamente, Cody está esperando na porta

Já do lado de fora eu falo

"Agora isso pode ser um começo de amizade?" Ele sorri

"Bom acho que não tenho outra escolha" ele diz mordendo o lábio e sorrindo, imaginem ele sem camisa encostado na porta mordendo o lábio, meu Deus o que é que tá acontecendo com a minha mente...

"Bom até segunda"

"Até" então eu saio e faço aquela longa caminhada de volta pra casa, chegando lá encontro Adam lendo, lendo, exatamente, hoje o inferno congelou

"Adam você está lendo?"

"Não, tô fingindo que tô lendo, dãã"

"Aah..."

"Foi bom na casa do seu amigo?"

"Aí Adam para, mas você tem razão, talvez agora seremos amigos"

"Ótimo, esse dia tá sendo maravilhoso, só pra um de nós não é... Hoje era pra ser perfeito, mas agora tanto faz...." Ele se levanta do sofá e sobe as escadas

"Adam..." Ele ignora, ótimo, ele tá com raiva, talvez o dia não esteja sendo realmente tão perfeito quanto era pra ser ....







Notas Finais


E então? Gostaram? Por favor quero saber o que acharam, ficou um pouco grande o capítulo, mas é como dizem, quanto maior melhor! Obrigado por lerem, até o próximo capítulo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...