1. Spirit Fanfics >
  2. .um amor de verão >
  3. .o doce sabor da derrota

História .um amor de verão - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


⤿ happy bday, stays! 💖
(eu tenho uma relação de amor e ódio com esse fandom 🙇🏻‍♀️).

⤿ acabei de terminar o capítulo e vim correndo postar, porque era pra ter att ontem, mas o stray kids me manteve ocupada demais #paz.

⤿ informando desde já que a fanfic está chegando na reta final.

⤿ mais recadinhos nas notas finais.

⤿ boa leitura! ♡

Capítulo 6 - .o doce sabor da derrota


Aquele mês havia passado rápido demais na visão de alguns, principalmente para os surfistas, que mudaram radicalmente, passando de "nada me abala sou totalmente clean" para "tremendo igual vara verde" conforme o dia da competição se aproximava e Chan como um bom capitão e praticamente pai daquele bando de marmanjos alvoroçados, tentava os acalmar, dizendo que, com toda certeza, se sairiam bem, pois trabalharam arduamente nos treinos.


Bem, isso era o que ele esperava.


Pode-se dizer também que aquele mês trouxe consigo acontecimentos demais para meras quatro semanas, que sem dúvidas levariam muito tempo para serem processados pela grande maioria. Entre tais, estava a relação indefinida de Hyunjin e Seungmin. O mais velho achou melhor comunicar abertamente que a partir de agora estava indisponível para qualquer tipo de relacionamento e isso resultou em divisão de opiniões, caras de desgosto — vindas principalmente dos interessados no surfistas — e até mesmo rendeu muitas piadinhas por parte dos amigos de ambos.


Assim como os casal Tom e Jerry — carinhosamente apelidado assim pelos amigos —, Changbin e Felix decidiram tentar também, entretanto seria uma relação "com um passo a mais", em outras palavras, estavam namorando e torciam para que a relação desse certo — e no que dependesse dos dois, sem dúvidas, daria —.


Mas como nem tudo são flores, o Hwang recebera uma mensagem cujo o número era desconhecido, porém não precisava de muito para saber que se tratava de sua mãe — se é que deveria chamar aquela mulher dessa maneira —. 


Os pequenos balõezinhos de mensagens, possuíam curtos textos, sendo um deles "Boa sorte nessa competição" e logo abaixo algo um tanto suspeito: "Você irá precisar". O jovem de madeixas claras não sabia se encarava aquilo como uma motivação ou como alguma ameaça. Mas se tratando daquela mulher fria e calculista, ele preferiu entender como a segunda opção. No entanto optou por não pensar muito sobre aquilo, afinal era o dia da competição e não poderia se perder de seu foco principal ou se preocupar com coisas banais nesse momento.


Como faltava em torno de meia hora para o início, decidiu ir rapidamente até o quiosque beber algo, na intenção de tentar aliviar aquele nervoso que sentia. De longe era possível ver o quanto o local se encontrava cheio naquele dia e pôde até mesmo reconhecer alguns colegas do time.


Já no estabelecimento, passou por Minho e Jeongin que dividiam uma pequena mesa, enquanto bebiam alguma coisa juntos e após se dirigiu ao balcão, pedindo um suco natural de laranja, recebendo um "aguarde uns minutos e seu pedido será trazido", acenou com a cabeça e voltou até onde os amigos estavam, enquanto esperava por sua bebida.


Não demorando muito mais que cinco minutos para que ouvisse Ryujin, dizendo que que seu suco estava pronto.


— Pode deixar aí que já vou buscar! — Gritou para a mais nova, que lhe respondeu um "ok", voltando ao trabalho em seguida.


Mal sabia Hyunjin que alguns simples minutos poderiam fazer toda a diferença em sua vida, pois sem que ele ao menos soubesse, bem ali, em frente a aquele balcão, estava ninguém e ninguém menos que Huang Renjun, melhor amigo do seu adversário. Este que não pensou duas vezes em verificar se não tinha alguém por perto ou alguma câmera de segurança que pudesse o flagrar. E assim que acreditou que era seguro, pegou rapidamente o saquinho contendo o alucinógeno, despejando o suficiente dentro do copo de suco alheio, vendo-o se misturar ao líquido alaranjado e sorriu satisfeito, pois tinha certeza de que o plano de Miyoung daria certo dessa vez.


O surfista, após poucos minutos, retornou ao balcão, pegando o que havia pedido, mas antes que pudesse voltar para a mesa com os amigos, uma voz o parou.


— Você deve ser o tal Hyunjin? — Recebeu um aceno positivo — Prazer, sou Huang Renjun. Meu amigo será seu adversário, mas aqui não temos inimizades, por isso te desejo boa sorte! — Estendeu a mão e o Hwang a apertou, sentindo algo estranho, mas não era algo relevante, então apenas ignorou e foi de encontro ao amigos assim que aquele toque fora cessado.


Porém algo que o loiro não poderia ver, era o sorriso um tanto diabólico que o garoto, um pouco mais baixo que si, dera assim que se afastou.


[🌴]


Enquanto de um lado existia um Seungmin completamente nervoso pelo garoto loiro, que logo mais entraria na água para competir, do outro existia quatro pessoas, sendo três delas animadas e crentes da vitória de Hyunjin e uma completamente atenta na grande tela da TV, enquanto era servida do champanhe mais caro e sorria vitoriosa por dentro, pois não restava dúvidas de que seu plano funcionaria, ainda mais após receber uma ligação de um dos cúmplices, lhe informando que tudo seguia conforme o esperado.


Diferente da família do Hwang, o acastanhado assistiria a competição ao vivo e a cores, por esse motivo, pegou seu celular, deixando sua atual e temporária moradia o mais rápido que pôde, indo em direção à praia. Chegando ao seu destino não muito tempo depois e sem enrolações passou a procurar pelo grupo de surfistas locais, também não tardando a encontrá-los e ir até eles.


— Oi, gente! — Abraçou o loiro alto por trás, cumprimentando a todos — Já está quase na hora do Hyunjin, certo? — Questionou o garoto a qual ainda estava abraçado.


— Sim… — Seu tom era receoso, o que acabou por preocupar o Kim. Mas antes que pudesse ser questionado novamente, os colegas do mesmo se puseram a encorajá-lo.


— Vamos, cara. Se anima. Coloca um sorriso nesse rosto e mostra pra todo mundo como você domina como ninguém aquelas ondas. — Minho disse tocando o ombro do mais novo lhe passando confiança.


— Minho tem razão, Hyu. Você vai se sair bem. — Agora, ao lado do citado, Seungmin sorriu o fazendo sorrir também, se sentindo um pouco mais confiante.


— Obrigado, pessoal! Não sei o que seria de mim sem vocês. — Os garotos se gabaram pela fala do Hwang, rendendo risadas altas e uma revirada de olhos do loiro.


Os garotos se dispersaram, quando os nomes "Hyun.e" e "Jen Lee" foram chamados no alto falante. A vez de Hyunjin e Jeno haviam chegado, fazendo todos prestarem mais ainda a atenção naquela imensidão azul e nos dois coreanos.


Hyunjin se abaixou na intenção de pegar sua prancha, mas ao se levantar, sentiu uma leve tontura, mas novamente ignorou, deixando aquilo passar, pensando ser algum efeito do nervosismo.


Se puseram lado a lado, entrando juntos dentro da água, deitando de bruços em cima de suas respectivas pranchas, usando os braços como remos, para ajudá-los ir ainda mais a dentro. Quando já estavam numa distância considerável da areia e apropriado para levantarem, se colocaram de pé sobre o objeto largo e deram início ao espetáculo nas ondas, ouvindo gritos e mais gritos da multidão que estava aglomerada na areia.


Ambos deram um verdadeiro show na água, conquistando ainda mais pessoas com aquilo. Porém, quando faltavam poucos minutos para encerrar, Hyunjin passou a sentir a mesma tontura de antes, mas dessa vez, acompanhada de uma visão turva, além de ver tudo começar a girar. Fez o que pôde para tentar se manter em pé, mas aquilo que lhe atingia era mais forte, o derrubando.


Todos ficaram em choque com o ocorrido, principalmente o time, que no mesmo instante que viram o amigo cair, se desesperaram e esse sentimento aumentou ainda mais quando, após dois minutos, Hyunjin não havia voltado a superfície.


Com o coração a mil, Bang Chan gritou para os salva vidas, pedindo que eles fossem logo buscar o surfista, tendo seu pedido acatado rapidamente.


Não demorou muito para o resgate ser feito, mas para os que eram próximos ao garoto, parecia ter levado um eternidade. Logo que o corpo foi colocado sobre a areia, eles se aproximaram, vendo que os procedimentos de primeiros socorros eram feitos. Seungmin era o mais desesperado entre todos, chorava como uma criança que acabara de levar seu primeiro tombo e chamava o nome do jovem desmaiado em meio as fungadas. Devido a isso, teve de ser afastado a força, pois aquilo poderia atrapalhar os homens que cuidavam do surfista.


Sentado em um banco qualquer que havia, um dos vários salva vidas lhe entregou um copo d'água, que fora prontamente aceito e bebido. Após uns minutos, o homem constatou que o garoto estava mais calmo e se afastou, o deixando ali sozinho, observando a cena que acontecia a poucos metros de si. Hyunjin era colocado em uma maca e levado em direção à uma ambulância — que o Kim sequer viu quando e como havia chegado ali —. Queria correr até lá, mas sentia que não possuía forças para isso. Então apenas permaneceu sentado, ouvindo uma voz alta ao fundo, anunciando brevemente os vencedores e suas colocações. Sendo em terceiro lugar, Yang Jeongin, em segundo Lee Minho e em primeiro, Lee Jeno.


Após um bom tempo apenas encarando o mar, o coreano acastanhado desviou sua atenção para o lado, tomando um susto, quando ao longe, viu ele. Les Jeno. Sorrindo para si. Mas não era um sorriso comum. Era um sorriso estranho. Tão estranho, que fez um arrepio ruim passar por todo seu corpo, o fazendo olhar para qualquer outra direção que não fosse na daquele moreno bizarro.


Aquilo tudo não tinha só destruído o clima agradável na praia, como também do outro lado da cidade. Quase todos dentro da empresa estavam arrasados e preocupados com o surfista, principalmente os funcionários mais antigos, que sabiam perfeitamente bem quem era aquele garoto. A única pessoa plenamente feliz ali, era Miyoung. Ela sim tinha motivos para sorrir. Afinal, seu plano estava dando certo. 


E daria certo até conseguir o que realmente queria: tudo que pertencia a Hwang Chansung.


[💻]


Aquele lugar era parcialmente silencioso e calmo demais. Os únicos sons ouvidos por qualquer pessoa presente naquela sala de espera, eram de pés batendo contra o chão, indo e vindo. Porém até agora, nenhum vinha até o pequeno grupo de rapazes dar-lhes notícias sobre Hyunjin e isso apenas os deixava ainda mais apreensivos sobre a situação do rapaz.


Somente após quase duas horas de espera, um médico alto se aproximou dos jovens, chamando suas atenções.


— Vocês devem os amigos de Hwang Hyunjin, certo? — Perguntou o homem.


— Hwang? — Todo, exceto o Bang, ficaram confusos com o sobrenome citado pelo mais velho, mas antes que qualquer explicação fosse dada, Chan interviu.


— Sim, somos nós doutor. Como ele está? — O loiro mais velho do grupo confirmou, questionando o profissional em seguida.


— O estado dele não é grave e ele já está acordado, apesar de um tanto atordoado. Mas o que vem ao caso agora, são os enxames, que confesso terem me deixado um tanto preocupado, pois segundo os mesmos, seu amigo ingeriu um tipo de alucinógeno. E por mais que não fosse o melhor momento, tive de questioná-lo sobre isso e ele me garantiu que nunca se envolveu ou pensou em se envolver com esse tipo de coisa. Isso me intrigou bastante, pois os papéis deixaram claro que havia tal substância em seu organismo. Então resolvi ir um pouco mais a fundo, perguntando o que ele comeu ou bebeu antes de entrar na água e ele me disse que bebeu um copo de suco no quiosque. Também revelou que a pessoa que lhe preparou o suco foi uma moça chamada Ryujin, mas que no entanto, ele a conhece a anos e que tem certeza absoluta que ela jamais lhe faria mal a alguém. Dei meu interrogatório por finalizado com isso, mas queria lhes pedir um favor. Conversem com o Hyunjin e tentem descobrir se ele possuí algum inimigo ou algo assim, que possa ter feito isso com ele. — O homem finalizou, se retirando após receber uma confirmação dos rapazes em relação a seu pedido.


Depois que foram deixados sozinhos novamente, se encararam e depois direcionaram seus olhares ao Yang, que logo entendeu o que aquilo significava.


— Gente, vocês não acham mesmo que Ryu faria isso com o Jinnie né? — Perguntou levemente incrédulo.


— Ok, pessoal, vamos ter que concordar nesse ponto. A Shin nos conhece a muito tempo, ela sabia da situação do Hyunjin, então não faz sentido ela ter sabotado ele dessa forma. — O australiano mais velho protestou, dando razão ao mais novo entre eles. Logo todos acabaram concordando com o capitão, pois sabiam que a garota não era alguém ruim, muito pelo contrário, era amiga e de longa data, além de ser namorada de um deles.


Antes que pudessem iniciar outro diálogo, avistaram um Seungmin totalmente descabelado e desgrenhado, entrar porta à dentro, indo até eles.


— Como ele está? — Foi a primeira coisa que saiu dos lábios do acastanhado quando se juntou aos outros na sala de espera.


— Pode ficar tranquilo, ele não corre perigo e já está até acordado. — Felix, que até então estava calado, se manifestou, respondendo o recém chegado, fazendo o mesmo suspirar aliviado.


Avistaram o mesmo médico de antes passar e o pararam, perguntando se poderiam vê-lo, tendo uma resposta positiva, porém apenas três por vez. Chan disse que Seungmin poderia ir primeiro com outros dois garotos. E assim o Kim, junto de Felix e Jeongin, foram até o quarto — cujo o número fora informado pelo próprio médico —.


Os três garotos entraram no cômodo, sendo recebidos com um belo sorriso, que havia sido retribuído da mesma maneira, e se aproximaram da cama em silêncio, que rapidamente foi quebrado pelo Lee.


— Você quase matou todo mundo de preocupação. Soyeon queria sair do trabalho para vir te ver, mas não conseguiu liberação do chefe dela, que segundo a própria, parece um cavalo de tão grosseiro que é. — Disse e todos caíram no riso.


— Como podem ver, vaso ruim não quebra e sigo muito bem vivo para que me aturem por muito tempo ainda. — Debochou, levando um tapa no braço, este que foi dado por Seungmin, que lhe olhava raivoso.


— Mas enfim, temos algo pra te perguntar a pedido do médico. — Dessa vez foi Jeongin quem indagou.


— Que seria? — Olhou para o amigo, que tinha uma expressão indecifrável no rosto.


— Ele nos pediu que te perguntasse se você tem algum inimigo ou alguém que possa ter colocado o alucinógeno na sua bebida. — O acastanhado arregalou os olhos ao ouvir aquelas palavras e Hyunjin soltou um suspiro cansado.


— Alucinógeno? Colocaram droga na sua bebida? — Seungmin estava incrédulo, acabando por aumentar dekais o seu tom de voz.


— Sim, Seung. Mas indo ao que interessa, no caso o que o Jeongin disse. A resposta é sim. Porém não é bem um inimigo e sim alguém ligado ao meu adversário. Antes da competição começar, eu fui até o quiosque beber algo e quem me atendeu, foi a Ryujin. Mas quando fui lá pegar o pedido, um garoto chamado… Como era mesmo o nome dele… — Uma expressão pensativa tomou sua face, enquanto fazia um esforço para lembrar o nome. Após alguns minutos, finalmente conseguiu lembrar — Huang Renjun. — Sorriu orgulhoso por ter lembrado — Ele disse que era amigo daquele tal Jeno e me desejou boa sorte na competição, com o argumento que para eles não havia inimizades. O problema é que quando apertei a mão dele, senti algo estranho. Como se ele não fosse alguém confiável. Depois disso, fui até onde Minho e Jeongin estavam, e bebi tranquilamente o suco, enquanto conversava com eles. — Explicou, ocultando a parte que sentiu uma tontura antes de entrar definitivamente na água.


— Esse Jeno aí me dá medo. — Relembrando do breve ocorrido de horas atrás, Seungmin confessou para os três, ganhando um olhar preocupado de Hyunjin.


— Por que? Ele te fez algo? — Perguntou já começando a sentir raiva só de imaginar que pudessem ter feito algo para o Kim também.


— Não, ele não me fez nada. — Negou rapidamente — Ele apenas me encarou e sorriu de uma maneira estranha. Como se quisesse me amedrontar de alguma forma. E isso foi bem suspeito. — Suas palavras foram ouvidas atentamente pelos rapazes, que já começavam a criar teorias sobre tudo aquilo.


— Ei, Seungmin! — O Yang o chamou.


— Sim? — Olhou para o mais novo, esperando que ele dissesse algo.


— Acha que pode conseguir as gravações das câmeras de segurança do quiosque? — Perguntou esperando que a resposta fosse positiva.


— Acho que sim. — O Kim já tinha sacado a ideia do outro — Vou falar com o Jisung e com o Changbin agora mesmo. — Disse e se despediu de todos ali, com direito a um selinho rápido no loiro, ato que rendeu caretas nos outros dois presentes.


Quando Seungmin abriu a porta e deu de cara com os outros dois, porém diferente de Chan, que tinha uma expressão suave, Minho parecia irritado. Como não era tão íntimo dos mais velhos, preferiu não perguntar nada, apenas os cumprimentou, deixando o local posteriormente.


Os hyungs entraram no quarto logo depois que o Kim sumiu de suas vistas e é claro que era possível sentir aquele clima um tanto quanto tenso, que não tardou a ser questionado pelo surfista acidentado. Obtendo como resposta o que ele mais temia: a verdade. Minho soube de tudo durante o tempo que esperaram do lado de fora. E agora os outros dois também sabiam, pois Chan fez questão de contar, para que todos ficassem por dentro da gravidade da situação do Hwang.


Era óbvio que a raiva os corroía, mas por enquanto, para a infelicidade de todos, principalmente para a do garoto hospitalizado, não existia nada que pudessem fazer. Hyunjin seria tirado do time conforme o combinado, afinal era mais que evidente que o mesmo havia perdido. No entanto, aquilo seria temporário, pois fariam o possível e o impossível para provar a sabotagem que havia acontecido.


[🌴]


Por ter ido parar do outro lado da cidade, Seungmin precisou gastar seu amado e precioso dinheiro num táxi, mas era por uma boa causa. Levaram por volta de vinte minutos para chegarem ao local indicado e para a sorte do coreano, o taxista lhe deixou bem próximo à praia, assim não precisaria andar muito.


Chegou no local — que agora estava praticamente vazio — avistando apenas Ryujin, esta que assim que o viu, lhe lançou um sorriso amigável.


— Ele está bem? — Perguntou se referindo ao Hwang.


— Sim! Felizmente ele não corre nenhum risco. — Indagou, deixando a garota mais aliviada.


— Sem querer ser intrometida… Mas o que aconteceu com ele? — Estava receosa em preguntar, mas sua curiosidade falava mais alto.


— Colocaram alucinógeno no suco dele. — A garota ficou em choque com a resposta. Esperava ouvir tudo, mas não aquilo.


— O que? Como assim? — Estava tão abismada com a informação, que sequer percebeu que aumentou seu tom de voz — Olha, eu juro que não tenho nada a ver com isso. Ele pediu a bebida e quando chamei ele, o próprio disse que eu podia deixar na bancada, que ele iria buscar em seguida. Foi apenas isso que eu fiz. — Se explicou, tentando conter a vontade de chorar.


— Ei, calma! Hyunjin confia em você e tem total certeza de que você não fez absolutamente nada. — Se aproximou da garota, que tinha os olhos marejados, e segurou seus ombros de maneira suave, pedindo que ela respirasse fundo, pois tudo ficaria bem. — Mas agora eu preciso falar com o Jisung ou com o Changbin. Eles estão por aí? — Recebeu um aceno negativo da Shin.


— Eles foram dispensados do trabalho logo depois que as coisas se acalmaram por aqui. Mas se precisa de ajuda, posso colaborar com o que for. — Disse um pouco mais calma e o Kim sorriu, sabendo que poderia confiar plenamente na mais nova.


— Tudo bem. Acho que você pode me ajudar. — Proferiu e a outra acenou positivamente — Você acha que consegue as gravações da câmera de segurança do quiosque? — Questionou esperançoso.


— Claro, isso é moleza! Vem comigo. — O mais velho a acompanhou até o local de trabalho da mesma e adentrou junto a ela. A atendente pegou um notebook que estava numa mesa de canto, o ligou e se pôs a mexer atentamente nele. Seungmin não entendia nada do que ela estava fazendo, mas não demorou a aparecer gravações das câmeras na tela. Mais um pouco de mexe aqui e ali, imagens de mais cedo tomaram conta da tela. Um pouco de zoom foi dado e ambos puderam ver a morena se afastar logo após deixar a bandeja com o pedido de Hyunjin sobre a bancada. Não muito depois, atitudes suspeitas vindas do rapaz sentado em frente ao balcão. Ele olhava para todos os lados, para trás e depois para cima, como se estivesse verificando algo, para em seguida, tirar um pacotinho do bolso, abrir e… Despejar um pouco dentro do suco do surfista. Aquilo era o que precisavam. Tinham bem à sua frente uma prova valiosa. — Bem, parece que pegamos o meliante. — Constatou.


— Parece que sim. Consegue fazer uma cópia dessa gravação? — A de madeixas escuras e logo a garota vasculhava uma mochila procurando algo.


— Achei! — Ergueu o pendrive e em seguida voltou ao computador, rapidamente inserindo o objeto no mesmo e fazendo a cópia pedida pelo mais velho. Assim que a terminou, fechou tudo, entregando o pequeno objeto para o Kim, que agradeceu brevemente pela sua ajuda.


Seungmin tinha em suas mãos a chave para resolver todos os problemas de Hyunjin.


Ele só não sabia disso.


Pelo menos não ainda.


Notas Finais


⤿ e chegamos ao fim de mais um capítulo. 🥳

⤿ acho que talvez algumas coisinhas fiquem meio confusas, mas vou tentar explicar elas nos próximos capítulos.

⤿ vou ficando por aqui! até o próximo. ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...