1. Spirit Fanfics >
  2. Um amor em 24 horas >
  3. Parabéns Regina..

História Um amor em 24 horas - Capítulo 26


Escrita por:


Capítulo 26 - Parabéns Regina..


 - Então Fiona aproveitando que está de 6 meses quase 7 que tal fazerem um exame de DNA? - Zelena pergunta como se fosse uma coisa normal.

   Olhei para Zelena com a cara fechada, ela não tinha o direito de fazer esse pedido, não é um assunto assim tão simples de se conversar..

   -  Zelena por favor?! - pedi séria.

   - Há Sis por Deus! Até a "puta" fez.. - fez aspas com os dedos .. - Porque a Fiona não pode?!

   - Concordo! - disseram Emma é Ruby juntas.

   Fiona me encarou incrédula e bambeou dando um passo para trás, me obrigando a correr para segura-la e  senta-la na cadeira.

   - Regina, então o filho da puta é mesmo seu filho?! - Perguntou Fiona desacreditada.

   - Não sabemos Regina não quis abrir o resultado! - respondeu Emma.

   - Como que é?! Claro que são Emma! Meus sobrinhos serão as crianças mais linda e nascerão belos como a titia aqui.. - respondeu Zelena sorrindo.

   - Minha filha não se parecerá com o filho da puta não Zelena! - gritou Fiona.

   - Mas quando disse meus sobrinhos, não estava me referindo a essa que você carrega não..  me referia aos gêmeos que estão aqui! - respondeu Zelena acariciando a barriga da Emma.

   - Gêmeos? - Perguntou Fiona.

   - Sim! - respondi já sem paciência com todo aquele tumulto.

   - Mas Regina, sempre transavamos sem camisinha porque sabíamos que a chance de você me engravidar eram quase nulas.. como pode acreditar que Será pai de gêmeos?! - pergunta Fiona arquiando as sobrancelhas.

   "PAI".. aquela palavra foi como um soco no estômago eu não conseguia me imaginar sendo chamada de pai..

   - MÃE! - gritou Emma batendo na mesa. - A Regina é a MÃE  dos meus filhos!

   Eu tive a certeza que me apaixonei pela pessoa certa, Emma era perfeita e me entendia mesmo sem eu precisar me expressar..

   - Regina cansei dessa palhaçada. Por favor vá buscar o exame para resolvermos essa Merda de uma vez! - gritou Emma me assustando.

   - Mas meu amor..

   - AGORA REGINA! - e pela primeira vez vi Emma nervosa e não gostei nada.

   Fui até meu escritório e voltei com  dois exames na mão. Eu olhei para cada uma ali presente e resolvi revelar porque eu não havia aberto o exame.

   - Antes de tudo quero revelar que, em nenhuma momento desconfiei de vocês,  mas como a Emma insistiu em fazer esse maldito exame eu achei que o justo era fazer um seu também Fiona!

   - Como você é capaz de fazer algo sem a minha permissão Regina? - pergunta Fiona furiosa.

   - Na verdade Fiona, você o autorizou na consulta passada.. mas como nunca se importou com nada que era dito nas consultas não prestou atenção! Aliás Fiona, como se sente sendo mãe? Você passava as consultas todas no celular.. não mostrou sentimentos algum ouvindo o coração da neném pela primeira vez, nem mesmo quando descobriu o sexo! Desabafei e Fiona mantinha sua cara de debochada.

   - Regina não quero saber de seu sentimentalismo.. então por favor, abra logo essa porcaria?! - disse Fiona impaciente.

   - Sinceramente Fiona, como pude estar  com uma pessoa tão monstruosa ao meu lado por durante tantos anos?! Nem carregando uma criança você aparenta ter sentimento e só agora que eu percebo! - eu disse desacreditada daquela Fiona em minha frente.

   - E por falta de aviso que não foi.. - comentou Zelena. - Vamos ao que interessa! - disse Zelena tomando os envelopes da minha mão.

   Zelena parecia ler e reler os exames.. olhou para Emma Olhou para Fiona, olhava novamente para as papelada e depois de tantos mistérios resolveu aquela logo com aquela tenção que se estalou no ambiente:

   - Parabéns Regina, Você é sim mãe dos filhos da Emma!

   Eu corri para beijar os lábios da mulher que tanto amo!

   - Eu sabia meu amor.. mesmo quando dizia que essas crianças não era minhas eu já sabia que eram.. - disse abraçando Emma.

   - E parabéns Regina! - disse entregando o papel na mão da Fiona e olhou para nós debochada. - Por não ser o "PAI" da filha da Fiona! Você nunca me decepciona! - disse Zelena e correu para perto da Emma e se ajoelhou abraçando e beijando a barriga dela.
  
   - Bom como não quero atrapalhar a comemoração pela descoberta da paternidade dos filhos da puta eu estou indo.. - disse Fiona saindo.

   - Fiona? - chamou Emma e Fiona se virou. - Fiilho de puta põe o pai na culpa! Filho de gospista não se acha o pai nem com uma pequena pista! - disse Emma piscando para Fiona novamente.

   Fiona voltou sorrindo, e eu não gostei daquela expressão que Fiona trazia.. e sem dó nem piedade ela soltou:

   - Sabe gente, pra mim é um prazer saber que Regina não será o pai da minha filha.. porque seria tão complicado, como seria a minha princesa chamando-a de pai na escola, rua e festas..  eu me livrei de vários momentos humilhantes que essa criança iria passar.. pensa em como seria triste a criança crescer com vários julgamentos quando souberem que tem uma mãe e que seu pai seria uma aberração! Deus que me livre!


Desse vez a Fiona conseguiu me atingir de verdade.. ela mais que ninguém sabia o quanto eu me sentia em relação ao meu corpo.. ela sabia que eu era insegura e havia tido apenas 3 mulheres com ela antes da Emma.. eu não conseguia me relacionar com as pessoas, nunca passavam de beijos e abraços porque eu me sentia uma aberração, embora a Mariah e a Cruela nunca ter reclamo de minha condição, terminamos porque eu realmente quase não tinha tempo, me afogada em trabalho e isso desgastava o namoro, hoje somos grandes amigas e elas nunca me trataram da forma que Fiona acabou de me tratar!

Eu achava que a Fiona fosse do momento, verdade que Zelena Sempre me alertou, mas sempre me sentia bem e me satisfazia com a Fiona, nunca tivemos de fato um relacionamento sério, mas éramos amigas, saiamos, passeávamos, viajávamos, conhecemos baladas lugares.. como a Fiona pode ser tão baixa a ponto de me dizer que era um favor eu não ser o pai da filha dela, por que eu iria fazê-la passar vergonha..

Olhei para as meninas para a cara da Emma, para sua barriga e me afastei delas saindo da cozinha, e quando ia saindo pela porta sinto uma mão me segurando o pulso.

- Regina onde pensa que vai? - pergunta Emma.

Eu não consigo responder apenas choro, olho a barriga da Emma me lembro das palavras de Fiona..

- Meu amor por favor fale comigo? - pediu Emma alisando meu rosto e beijou meus meu lábios.

Eu a empurrei a assustando.

- Me solte! Se afaste de mim! - gritei. - Eu não posso fazer isso, nao posso permitir que essas crianças sofram na vida.. não posso e não quero! - gritei e peguei a chave do carro para sair mais fui impedida por Zelena.

- Não Regina, você não irá fugir.. não dessa vez! - gritou Zelena na minha frente me assustando.

- Zel..- choraminguei. - Eu preciso sumir.

Escutei um choro desesperado e me virei vendo Emma chorar desesperada.

- Sem essa de Zel Regina! - gritou a vóvó Granny vindo em minha direção. - Eu te amo muito, mas não irei permitir que você saia assim, e o que você acabou de fazer não tem perdão! Você empurrou sua noiva grávida dos seus filhos! Então faça o seu papel de mulher, ou faça o papel de muleca de menina mimada e incompetente saindo por essa porta! Mas eu lhe juro Regina que se você sair você nunca mais irá colocar seus olhos sobre a Emma nem conhecerá seus filhos, não enquanto eu estiver viva!

Derrepente minha ficha caiu e vi Emma sendo amparada por Ruby e Zelena. Vou até ela e me ajoelho..

- Emma por favor me perdoa?! Não queria fazer isso, não queria lhe machucar, por favor me perdoe?! Mas você precisa me compreender, não podemos continuar a nos envolver, essas crianças não podem passar por essa humilhação de ter uma mãe aberração.

Emma me olha carinhosamente se ajoelha em minha frente e sorri..

- Regina meu amor.. claro que te perdoo, eu te amo e sempre irei te perdoar..mas Não irei permitir que se maltrata dessa forma! Não vou permitir que se afete com as palavras da Fiona, e nem que se afaste da sua família, porque nos vamos sim criar nossos filhos juntas, e seremos suas melhores amigas, conselheiras e defensoras!

- Emma eu sou uma aberração, e esse fato não pode ser mudado!

- Meninas me ajudem a levantar? - pediu Emma.

- Emma me puxou pelas mãos e me levou para o sofá onde sentamos, eu aínda chorava silenciosamente e Emma me sorria. Emma deu umas batidinhas na coxa, para que eu deitasse eu eu fiz oque ela havia indicado.. Emma começou a alisar meus cabelos..

- Vamos meninas, elas precisam desse tempo! - disse a vóvó chamando Ruby e Zelena.

- Estou aki do lado Emma! - Disse Zelena me olhando de cara feia.

- Sabe Regina.. - começou Emma. - Quando eu era garota de programa é porque o dinheiro era bom e eu precisava, na época tinha apenas 16 anos e encontrei Ruby estava desesperada eu era de menor meus pais tinha acabado de falecer, tive que morar sozinha, nunca fui de ter amigos e nunca se quer havia beijado na boca, então Serena me acolheu e com ela eu morei 2 anos. Juntei dinheiro até completar 18 anos e conseguir comprar alguns móveis para poder alugar um quartinho mesmo contra a vontade de Ruby.
   Aos 23 anos comprei meu apartamento, mas me mantive nessa profissão porque era lucrativo e nunca havia conseguido me entregar a alguém como eu consegui me entregar a você.. aos 23 anos conheci Nael, você não é obrigada a acreditar mas foi aos 23 anos que aprendi a beijar na boca.. que irônia né?! Eu era profissional do sexo, mas não sabia nem beijar! Namorei com Nael por um bom tempo eu até gostava dele, mas ele sempre me dizia que eu era fria demais e me largou, dizendo que eu não tinha sentimento no sexo, que eu parecia uma boneca estilo faça oque quiser.. foi aí que compreendi que eu não havia nascido para o amor!

   - Nasceu sim Emma Eu te amo e você me ama, e você nunca foi fria na cama pelo contrário foi a chama mais alta que eu tive que apagar.. meus melhores sexos foram com você Emma! - Eu lhe revelei ganhando um sorriso e um selinho.

   - Aí você chegou onde eu queria chegar.. - Emma disse sorrindo. - Porque é verdade Regina, com você eu descobri que nasci sim para amar..aliás, você me ensinou que eu posso amar e ser amada!
   Regina eu achava que não gostava de homens porque eu sempre preferi sair com mulheres, de preferência as coroas.. algumas eram mais carinhosas outras mais brutas, as vezes eu era só ativa outras vezes só passiva.. eu sabia que faltava algo e quando você apareceu na minha vida eu vi em você o que eu queria pra mim..
    Regina aquele carro ter parado logo naquela rua foi coisa de Deus..ele te fez para mim, especialmente para mim! Nunca havia me sentido atraída por homem, mas eu sabia que não era de mulher que eu gostava!
   Por isso Regina Mills, nunca mais quero ouvir da sua boca que você é uma aberração porque você é especial, e feita especialmente para mim.. e quando nossos filhos crescerem será essa história que contaremos para eles, a verdadeira história de nós duas!

   Eu a olhei encantada, Emma era realmente perfeita de mais para mim.. Emma me fez sentar e se sentou de penas abertas em meu colo, e começou a dar beijinhos no rosto.. Emma me deu um selinho que foi ganhando vida e se tornou um beijo avassalador!

   - Eu te quero Emma.. te quero agora! - Eu Disse mordendo o seu pescoço e afastando a sua calcinha para o lado..

   Tirei meu membro para fora e Emma se sentou nela o escondendo todo dentro de si  enquanto me beijava.. comecei a apertar seus seios e e Emma passou a rebolar com intensidade em meu pau.. eu não conseguia compreender o poder que Emma tinha sobra mim.. Emma começou a cavalgar e  enquanto eu chupava e lambida seus seios, ela segurava em meu pescoço e jogava a cabeça para trás.. Emma começou a gemer desesperadamente e eu a beijei para silencia-la enquanto ela voltava a rebolar em movimentos giratórios..
 
   Emma era perfeita no que fazia e eu já estava perto de gozar quando sinto sua parede vaginal apertar meu pau  e ela cavalgar desperada e gozei junto com ela mais uma vez naquele dia.. Emma me beijou apaixonamente e sussurrou em meu ouvido, "Eu te amo meu amor.." e logo deitou a cabeça em meu ombro para controlar a respiração.

   Quando Emma se levantou do meu colo eu me assustei com a cena que eu avistei.. Zelena e Ruby sentadas no outro sofá  com uma tigela de pipoca, comendo como se estivessem assistindo um filme interessante, e o pior..como se aquilo fosse a coisa mais normal do mundo!

   - QUE PORRA É ESSA?? - perguntei furiosa.

   - Pipoca uai.. - respondeu Zelena dando de ombros.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...