História Um amor entre alegrias e lágrimas - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias It: A Coisa
Personagens Benjamin "Ben" Hanscom, Beverly "Bev" Marsh, Edward "Eddie" Kaspbrak, Michael "Mike" Hanlon, Richard "Richie" Tozier, Stanley "Stan" Uris, William "Bill" Denbrough
Tags Drama, Fack, It: A Coisa, Lemon, Reddie, Revelaçoes, Yaoi
Visualizações 29
Palavras 4.544
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 5 - Revelação de amor


Fanfic / Fanfiction Um amor entre alegrias e lágrimas - Capítulo 5 - Revelação de amor

Richard Tozier dormia tranquilamente em sua cama, todo esparramado sobre sua cama, trajando apenas uma cueca box preta, até ter seu sono interrompido pelo barulho ensurdecedor do seu despertador que o fez acordar, Richie jogou o aparelho ao chão desejando acabar com aquela barulheira toda, acabando por consegui-lo, tentando retomar ao seu sono interrompido, pensando seriamente se a preguiça iria vencer e fazê-lo ficar em casa, até lembrar-se de bom motivo que fez levantar-se da cama cheio de ânimo, Edward Kaspbrak estava conseguindo mudar a sua vida como ninguém nunca antes conseguiu, ainda havia um certo sofrimento em seu coração, que ia ao poucos diminuindo graças a presença do Kaspbrak em sua vida, que sempre lhe dava motivos para sorrir, não importava o que Eddie fize-se, bastava um único olhar para Richie esquecer de seu problemas e sorrir, perdidamente apaixonado pelo Kaspbrak, Richie dirigiu-se ao banheiro indo arrumar-se para mais um dia de aula, ao terminar o banho, retornou ao seu quarto, tirando alguma roupas de seu guarda-roupa, em busca de um conjunto que o deixa-se mais charmoso para os olhos de um certo alguém que desejava conquistar, apesar de um ser um garoto que não se preocupar com quase nada, Richie tinha um certa preocupação que lhe tomava a cabeça, se Edward sentia o mesmo amor por ele, Richard sentia uma grande vontade de chegar ao amigo e revelar tudo que sempre sentiu por ele, que desde o tempo de quando faziam parte do clube dos otário era apaixonado por ele, mas faltava um fator principal para isso, coragem, o medo em relação a saber se o amigo sentiria o mesmo não era maior, acabando por favor o Tozier voltar atrás em querer dizer ao amigo que o amava, Richie vestiu-se com uma blusa branca com listras pretas e uma calça preta, perfumando-se todo para deixar um bom aroma em si, indo ao espelho conferir seu visual,logo, deixando seu quarto e indo para a cozinha tomar seu café da manhã.

- Bom dia - disse Richie sentando-se à mesa - cadê o meu pai?

- Ele foi trabalhar mais cedo hoje, você está bem radiante hoje Richie, deve ter tido uma boa noite de sono.

- Sim, tá tudo indo bem pra mim ultimamente, obrigado por ter conversado com o meu pai ontem, finalmente ele aceitou tudo.

- Já era hora de ele aceitar isso, você tem que ficar com quem você ama, não importa o sexo, estou certa?

- Sim, eu te agradeço muito por isso, eu devo te pedir desculpa por não ter tratado você bem antes, eu achava que você estava aqui pra tomar o lugar da minha mãe, mas isso foi infantilidade minha, eu sinto muito.

- Tá tudo bem Richie, esse sinto que seu amigo que voltou tá te fazendo muito bem, você gosta muito dele não é?

- Gosto, eu gosto dele de verdade, sinto como se nada no mundo importa-se além dele.

- Você vem sorrindo muito mais desde que esse garoto chegou, eu boto fé nesse namoro de vocês.

- Na verdade não é namoro, nós somos só amigos - disse o moreno com um melhor abatido, queria que fosse algo a mais que amizade - melhor eu ir indo logo, tenho que pegar o Eddie em casa ainda - disse o garoto pegando uma torrada, a devorando as pressas.

- Convida ele pra vir jantar com a gente, eu posso preparar uma lasanha pro jantar.

- Nossa sério, eu vou chamar ele, agora eu preciso ir, tchau - despediu-se o garoto, pegando a mochila e caminhando para porta.

Richie deixou sua casa, rumando para a casa do amigo, que não ficava muito longe da sua, chegando lá em poucos segundos, logo sendo recebido pela mãe do mesmo, que o convidou para entrar.

- Licença senhora Kaspbrak - disse o garoto adentrando a casa.

- Fique a vontade Richie, quer comer alguma coisa?

- Não obrigado, eu acabei de tomar café, cadê o Eddie?

- Acordou tarde hoje, deve tá se arrumando lá em cima, pode ir lá no quarto dele.

- Tá bem.

Richie subiu as escadas da casa, indo para o quarto do amigo vê-lo, no momento em que abriu a porta, o Tozier teve uma visão a qual não esperava ter naquele dia.

- Richie o que você tá fazendo aqui? - gritou Eddie, completamente pelado em seu quarto, correndo pra pegar suas roupas em cima da cama para cobrir suas partes íntimas.

- Desculpa... eu não achei que você… aaaah… - Richie não conseguia terminar suas frases de tão nervoso que estava, observando aquele belo corpo a sua frente.

- Sai daqui - gritou Eddie furioso por ter sido visto naquele estado.

- Tá bom - Richie correu para fora do quarto no mesmo instante, com o coração acelerado, tendo a porta atrás de si fechada com uma força só do mais novo.

O garoto nunca havia visto o amigo com tão  furioso assim, nem parecia o garoto doce que sempre conheceu, mas sabia que era pela vergonha por tê-lo visto pelado, sabendo que logo aquilo ia passar, começando a sorrir um pouco ao lembrar-se da bela visão que teve do corpo nu do amigo, que estava bem guardada na mente do Tozier, já podendo sentir uma ereção se formar em sua calça, o garoto sentou-se no chão do corredor,  esperando o amigo terminar de arrumar-se, acabando por cair no sono no chão mesmo.

- Já tô pronto Richie - Eddie saiu de seu quarto, vestido com uma calça jeans, blusa rosa e um casaco azul.

- Ah tá... vamos lá - disse Richie em um bocejo acordando de seu sono e limpando a baba que escorria.

- Cara, você tava dormindo mesmo?

- Você demorou um tempão pra sair né, acabei cochilando um pouco, eu achava que só mulheres demoravam pra se arrumar.

- Não enche, vê se dá próxima vez bate na porta tá.

- Foi mal por aquilo, até que você tem uma bundinha bem bonita - disse o mais velho com um sorriso malicioso.

- Cala a boca Richie - disse Eddie constrangido.

Os dois amigos desceram para a cozinha, onde Eddie rapidamente tomou seu café da manhã para não se atrasarem, logo, deixando a casa do Kaspbrak, começando a correrem em direção ao colégio por já estarem bastante atrasados, acabando por chegarem no início da aula, adentrando a sala em um alvoroço.

- Licença professor... desculpa pelo atraso... eu me acordei meio tarde hoje - disse Eddie com a respiração ofegante, apoiando-se no joelho, tentando recuperar o fôlego perdido após tanto correr.

- Tudo bem, a aula acabou de começar, mas e você senhor Tozier, porque chegou atrasado?

- Tava esperando a madame aqui terminar de se arrumar - zombou o moreno que fez os demais alunos riem de seu comentário, recebendo um olhar furioso do castanho.

- Tudo bem, podem sentar em seus lugares.

- Certo - disseram os dois amigos em coro, seguindo para o fundo da sala.

Após o fim da interrupção, o professor retomou a dar a aula, Eddie como sempre, estava bastante focado no assunto dado pelo professor, não percebendo os olhares sobre ele, mas ao contrário do amigo, Richie podia perceber os demais alunos da sala olhando para ele e o amigo cochichando, contendo-se para não fazer nada a respeito.

O tempo passou-se voando e já era hora do intervalo, os alunos saiam de suas salas indo aproveitar os minutos que tinham antes de voltarem aos estudos, ao contrário dos demais alunos, que aproveitavam o tempo mexendo em seus celulares ou conversando,  Eddie lia um de seus livros de ficção que tomavam toda a sua atenção, que deixava um Tozier meio incomodado por ser totalmente ignorado pelo amigo que apenas lia seu livro sobre a mesa.

- Para Richie - disse Eddie ao ter seu livro fechado pelo amigo, que tentava receber uma pouco de atenção - o que você quer?

- Fazer alguma coisa que não seja ler um livro, você é muito nerd Eds.

- Não enche boca de lixo - disse o castanho retomando a sua leitura.

- Eu tinha que ter um amigo nerd.

- Porque você não lê também, melhor do que ficar me atrapalhando.

- É mais legal ficar te irritando - disse o mais velho fechando novamente o livro do amigo.

- Que saco Richie.

- Conversa comigo Eddie, eu tô entediado - disse o Tozier fazendo beicinho para o amigo, tentando jogar um charme inocente para ele.

- Aí tá - Eddie acabou desistindo de sua leitura ao ver que o amigo não o deixaria em paz - conversar sobre o que?

- Ah sei lá, diz uma coisa que você gosta?

- Ler.

- Nossa como você é sem graça.

- E você é insuportável.

- Não acredito que você disse isso de mim.

- Pois acredite você ainda não me disse o que aconteceu entre você e seu pai, vocês já conseguiram se resolver?

- Ah já, depois de muito tempo tá tudo bem entre a gente.

- Só pode ter sido uma coisa bem séria né.

- E como, um dia te conto tudo Eds.

- Tá, essas garotas não param de olhar pra você - disse Eddie, ao ver algumas garotas na sala, olhando para o mais velho, rindo e cochichando.

- Eu nem ligo, já tô de saco cheio delas.

- Não sei o que elas vêem tanto em você?

- Porque, não me acha atraente?

- Bom… um pouco…

- Só um pouco?

- Ai tá, eu te acho atraente, satisfeito? 

- Claro, precisava ouvir você admitindo isso.

- Iai galera - disse um garoto loiro juntando-se aos dois garotos.

- Oi Ben, ainda não tinha falado com você visto, como você tá? - perguntou o castanho, feliz em rever um velho amigo de infância

- Vou bem, eu fiquei sabendo do que houve com você esses dias, como tá sua asma?

- Um pouco melhor que antes, não fico em crise que nem antes.

- Que bom, escutem, vocês têm alguma programação para amanhã a noite? - perguntou o loiro.

- Só mais um velho sábado tedioso de sempre - disse Richie com uma cara emburrada.

- Não dessa vez, amanhã vai ter uma festa na minha casa, já convidei um monte de gente, vocês não vão perder essa né?

- Eu não sei, eu não sou muito de festas Ben.

- Ah qual é Eds, aposto que você nunca nem foi a uma festa, tenta se deixar ser jovem um pouco, vai ser legal.

- Aí tá bom, eu vou.

- Isso - comemorou o moreno - que horas vai ser?

- Umas oito horas, vou tá esperando vocês lá tá, não faltem - disse Ben deixando a sala.

- Você tem certeza que quer ir, a gente não vai conhecer ninguém que vai tá lá - Edward já se arrependia de ter aceitado, festas não eram muito o tipo de programação que costumam fazer.

- Eu não tô nem aí pra isso, eu só quero ir e me divertir com o meu melhor amigo do mundo.

- Nossa como você é babão.

- É claro, se não você vai acabar desistindo.

- Eu espero que todo o resto clube dos otários estejam lá, sinto saudades daqueles dias.

- Eu também - disse Richie junto ao amigo em um momento de nostalgia ao lembrar-se dos velhos tempos de infância quando faziam parte de um grupo de amigos bem especial para eles.

- Bom dia turma - disse a professora adentrando a sala de aula - vamos começar a aula.

A professora logo seu início a aula.

O tempo passou-se voando, Richie e Eddie caminhavam pelas ruas seguindo para a casa do mais novo, após mais um longo dia de aula, sem demorar muito para chegarem já que o Kaspbrak morava perto do seu colégio.

- Tá entregue madame.

- Obrigado meu cavalheiro.

- Escuta Eds, a minha madrasta mandou te convidar pra um jantar na minha casa, você vai querer ir?

- Claro, legal da parte dela me convidar, deve ser porque eu tô ajudando a deixar você menos babaca.

- Cala a boca.

- Que horas eu devo ir?

- Umas sete horas, vê se não se atrasa ta.

- Pode deixar, mas eu tenho que voltar cedo, minha mãe não gosta que eu fique fora de casa muito tarde.

- Deixa de ser filhinho da mamãe Eddie, até quando sua mãe vai ficar te controlando?

- Não gosto de deixar ela preocupado, ela também não tá tão super protetora quanto antes.

- Claro, depois que você finalmente criou coragem pra enfrentá-lo, mas mesmo assim ela ainda te faz como uma criancinha frágil, se bem que você é mesmo.

- Aí não enche Richie, eu também não desobedeço porque não gosto de fazer nada errado.

- Porque tem que ser tão certinho hein?

- Porque eu sou assim Richard, um de nós tem que ser o certinho enquanto outro tem que ser o errado, esse papel fica bem melhor em você.

- Ah vai a merda Eds - resmungou o Tozier, retirando seu cigarro do bolso, colocando um em sua boca e o acedendo com seu isqueiro.

- Cara como você aguenta fumar isso hein? - disse o castanho entre tosses pela fumaça que começava a circular entre eles.

- Ah sei lá, eu acho legal, te vejo depois certinho - disse o moreno seguindo seu caminho para casa. 

Edward adentrou sua casa, correndo para seu quarto, sem conseguir se conter de ansiedade para o jantar com família do amigos, sentia-se quase como se fosse o namorado do Tozier e estivesse indo conhecer a família do mesmo, jogando várias roupas sobre sua cama em busca de combinação ideal para o jantar com a família do amigo, Eddie sempre foi apaixonado por Richard e pois mas por mais que soubesse as preferências do amigo por garotas, uma coisa que ele fazia questão de afirmar quando eram crianças impondo sua masculinidade para todos, Eddie ainda tinha grandes esperanças de uma dia acontecer algo mais entre ele e o amigo.

As horas foram passando-se rapidamente, Richie estava deitado sobre o sofá, vestido com uma calça preta e uma blusa verde escura, aguardando o amigo aparecer, começando a achar que ele não iria pela tempo que já havia passado do horário combinado, até ouvir a campainha tocar e sair correndo para atender, antes de abrir a porta arrumou um pouco sua roupa que estava toda amarrotada.

- Você chegou - Richard abriu a porta com um grande sorriso no rosto, recebendo o amigo.

- Oi Ritchie, como eu estou? - Eddie vestia uma bermuda azul, blusa cinza e sapatos vermelhos.

- Gato - disse o moreno, que acabou deixando soltar esse elogio - digo tá bonito... tá bem bonito - Richie tentava conter os elogios mas tava difícil diante tamanha beleza do mais novo que o encantava.

- Obrigado, eu posso entrar?

- Ah claro... s-seja bem vindo - Richie saiu da frente da porta para o amigo passar, estava nervoso com o amigo que estava bonito como nunca a sua frente, sem saber o que dizer direito.

- Boa noite, você deve ser o Eddie certo? - disse a madrasta do Tozier..

- Sim, é um prazer conhece-lá - comprimentou o castanho meio nervoso com jantar, tentando portar-se o melhor possível. 

- Você é bem educado, eu já deixei a comida na mesa, pode vir, sente-se - disse Bárbara conduzindo o garoto para a sala de jantar.

- Ele cresceu né - disse o pai de Richie aproximando-se do filho, mais afetados dos demais.

- Ah sim, cresceu mesmo né - Richie não parava de reparar no amigo, quase que babando de tanto olhá-lo.

- Tenta parecer menos nervoso filho, ele vai perceber - sussurrou para o filho, ao ver o estado em que ele estava.

- Tá tão na cara assim?

- E como, respira Richie, é só um jantar normal.

- Tá, mas me diz, como é que eu tô, tô bonito, essa roupa tá boa, se não eu possa trocar por outra… - Richie não conseguia de se preocupar, nem parecia com garoto despreocupado de sempre.

- Richard fica tranquilo, você está ótimo, agora vai lá e conversa com ele.

- Tá bom, eu consigo, eu consigo - dizia Richard para si mesmo, tentando encorajar-se mais e deixar o nervosismo, sentando ao lado do amigo - tá tudo bem? 

- Sim, sua madrasta tá sendo bem legal comigo.

- Imagino, ela é assim com todo mundo.

- Bem garotos, aqui está a lasanha - disse Bárbara repartindo a lasanha e colocando um pouco para cada um - espero que goste Eddie, fiz ela especialmente pra você.

- Ah obrigado - disse o loiro meio sem jeito.

- Sente-se querido, antes que esfrie - chamou Bárbara por seu marido, que obedeceu de imediato sentando-se ao seu lado.

- Então Eddie, quais são seus planos pro futuro?

- Eu pretendo me formar em medicina.

- Olha medicina, não é coisa fácil viu, você estuda muito?

- Sim, tento ficar na frente dos outros alunos pra me destacar mais no futuro.

- Faz muito bem, você devia ajudar o preguiçoso do seu amigo é ser mais como você.

- Ah pai não enche tá, eu estudo também, só que não tanto quanto ele né.

- Pois devia - disse o senhor Tozier com um olhar sério para o filho.

- Nunca te perguntei isso, no que você quer se formar mesmo? - perguntou o castanho.

- Eu não sei, ainda não achei algo que combine comigo.

- Será que você pode ajudar esse garoto arrumar um ramo pra ele Eddie?

- Ele vai achar, na hora certa ele vai - disse Eddie dando um sorriso para o amigo.

- Eu vou achar pai, fica tranquilo tá.

O jantar se seguiu com muita conversa, principais assuntos vindo dos adultos que tentavam compartilhar suas experiências com os mais jovens, Richie aproveitando que Eddie estava com sua mão sobre a perna do mesmo, aproximou sua mão a dele a colocando por cima, logo sendo respondido pelo amigo que entrelaçou seus dedos, ficando de mãos dadas, ambos apenas davam sorrisos de canto um para outro, o que já era o suficiente para eles.

Após o jantar, Eddie já tinha que ir para casa, por já estar meio tarde, tendo a companhia do Tozier que não quis deixar o amigo ir sozinho.

- Bem chegamos, tá entregue madame.

- Valeu, eu gostei muito de jantar com sua família.

- Que bom, vamos fazer isso outra vez então.

- Tudo bem.

- Então você vai amanhã pra festa?

- Ainda tenho que pedir a minha mãe, não sei se ela vai deixar, mas pelo menos vou tentar convencê-la.

- Por favor não deixe de ir Eddie, não quero ficar sozinho lá.

- Fazer o que né, não posso deixar você sozinho por aí.

- Bem eu já vou indo, te vejo amanhã então.

- Tá, até amanhã Richie.

- Então tá.

Richard começou a se afastar do amigo, pensando muito sobre a relação dos dois, queria poder contar de uma vez a ele que sentia por ele, podia ver um terreno seguro para isso, que conta-se, as chances de ser correspondido eram altas, acabando por finalmente tomar coragem, apenas seguindo seu coração.

- Eddie espera - gritou o moreno antes que o amigo entra-se dentro de casa - eu tenho que falar uma coisa.

- Tá, o que é?

- Bem eu… aaah eu não sei como dizer isso - resmungou o moreno que após finalmente tomar coragem para revelar seu sentimentos, faltou-lhe pensar o principal, que era como se declarar pro amigo.

- Cara você tá suando muito, tá tudo bem?- Eddie já podia notar uma preocupação vinda do amigo que estava de um jeito como nunca viu antes, por sempre andar com ar mais relaxado.

- É que eu tenho que te contar uma coisa, mas eu não sei como.

- É só dizer Richie, pra que tanto drama só pra ver o jeito certo de falar.

- Ah que se dane - Richard aproximou do castanho, tomando seus lábios em um beijo o qual ambos aguardavam dar a muito tempo.

Eddie surpreendeu-se por um momento pela atitude inesperada do amigo, mas logo entregou-se por inteiro aquele beijo que tanto desejou receber um dia, depois de tantos anos escondendo o que sentiam, podendo finalmente compartilhar de todo o amor que sentiam um pelo outro através de um beijo.

- Eu não esperava por isso - Eddie riu meio constrangido, sem acreditar que o amigo  havia o beijado.

- Eu gosto muito de você Eddie, de verdade, o motivo de eu não ter brigado com o meu pai foi porque ele descobriu que eu gostava de você quando criança, desde daquela época que eu sou apaixonado por você.

- Eu também, eu nunca falei nada antes porque tinha medo de perder sua amizade.

- Se você soubesse o quanto eu me segurei pra não fazer isso antes - ria o moreno junto ao menor, estavam felizes de poderem compartilhar o que sentiam.

- Esse foi o meu primeiro beijo.

- Não brinca, então quer dizer que eu dei o seu primeiro beijo?

- Pois é né.

- Agora é que eu nunca vou me esquecer dele mesmo.

- Então você é gay também né, por essa eu não esperava, eu sempre sonhei muito que você gosta-se de mim, só que nunca acreditei de verdade que fosse possível.

- Pois acredite, saiba que tudo isso é real - disse o moreno envolvendo o menor em seus braços, dando beijos em sua bochecha.

- Você não quer ir pro meu quarto, lá a gente por ficar mais avontade.

- Tudo bem, vamos entrar então.

 Eddie segurou a mão do Tozier, adentrando sua casa com ele, subindo direto para seu quarto, ao chegarem, o castanho empurrou o amigo para sua cama, sentando em seu colo.

- Não sabia que você tinha esse lado tão sexy? - disse Richie deixando o menor constrangido com o jeito que o amigo o olhava que desejo.

- Cala a boca, se não a gente acaba por aqui.

- Tá desculpa, você fica muito fofo quando tá com vergonha.

- Richie você já transou com alguém antes?

- Não, mas pelo que eu já vi em… você sabe né, em vídeo porno, eu já sei como se faz.

- Não é mesma coisas que já ter feito.

- Eu esperei pra ter a minha primeira vez com alguém que eu ame, essa pessoa é você Eddie, eu… eu te amo.

- Eu também te amo.

- Ainda não me esqueci do que eu vi hoje de amanhã, tô doido pra te ver pelado de novo - disse Richie com um sorriso malicioso, apalpando as nádegas do menor que ficou corado com a apalpada.

- Eu nunca nem beijei antes, eu tô muito nervoso Richie.

- Não precisa fazer se não quiser, eu não quero te obrigar a fazer nada que não queira fazer de verdade.

- Mas eu quero Richie, eu quero transar, só que você sabe como eu sou, fico nervoso fácil.

- E como eu sei, mas se está nervoso eu posso te ajudar com isso.

- Tudo bem.

- Fica tranquilo tá - Richie segurava as mais trêmulos do menor em seu colo, dando-lhe um beijo na testa - respire fundo e confie em mim tá, eu vou fazer com essa seja a melhor primeira que você poderia ter, e a minha também.

Richie tomou os lábios do menor em um beijo, que o mesmo retribuiu de imediato, o Tozier começou a pedir passagem com a língua que lhe foi concedida por Eddie, tornando o beijo cada vez mais intenso e caloroso, estando totalmente entregue ao amigo, podendo sentir a ereção de Richie tocando suas nádegas,

- Você tá bem a animadinha já não é Richard - ria o castanho.

- Você que me deixa.

- Mas aposto que você deve estar do mesmo jeito não é - Richie levou uma de suas mãos para dentro do short do amigo, sentindo seu membro ereto, começando a movimentar sua mão na ereção do menor em seu colo.

- Aaaa Richie…

- Shhh… isso é bom não é Eds.

- É sim aaaah…

Richie tirou o menor do seu colo, o deitando sobre a cama, podendo ver um olhar nervoso em Eddie, deitando sobre ele, dando-lhe um beijo calmo, tentando tranquilizar mais o amigo, logo começando a descer o short do mesmo junto a sua cueca, deixando seu membro ereto a vista, Richard começou a dar lambidas na glande, arrancando leves gemidos de Eddie que não se conteve ao sentir aquele contato com seu membro, Richie começou a abocanhar o membro do mais novo em sua boca, logo, começando a fazer movimentos de vai e vem com a boca deixando Edward imerso em prazer, Eddie nunca havia sentido nada igual, era incrível o jeito como Richie fazia aquilo em seu membro, tentando conter seus gemidos agarrando o seu cobertor, mas sem sucesso.

- Aaaah Richie… isso é muito bom aaaah…

Eddie ainda não acreditava que estava tendo aquele momento com o amigo, mas o prazer que sentia mostrava a ele o quanto aquilo era real, não demorou para chegar ao seu ápice, começando a gozar.

- Me desculpa Richie eu… - disse o menor nervoso ao deixar cair um pouco de seu sêmen no rosto do amigo.

- Tá tudo bem Eddie, então, você gostou?

- Sim, isso foi muito bom Richie eu nunca senti nada assim antes que bom.

- Que bom.

Eddie surpreendeu o moreno ao puxá-lo pela blusa e lhe dando um grande beijo, que o mesmo ficou até sem reação com o jeito ousado do amigo, Richie começou a retirar suas roupas ficando apenas com sua cueca box preta, deitando-se sobre o menor e lhe dando um grande beijo, começando a descer seus lábios para o pescoço do castanho, distribuindo chupadas e beijo o fazendo soltar leves gemidos.

- Eddie, tá tudo bem com você? - disse Sônia dando batidas na porta, acabando por interromper o momento 

- Mãe… tá tudo bem sim - gritou Eddie empurrando o amigo da cama fazendo um pouco de barulho, que o moreno se conteve para não reclamar.

- O que foi isso?

- Eu deixei meu livro cair, eu já tô saindo, só um instante - Eddie saiu da cama, vestindo suas roupas às pressas - sai rápido pela janela - sussurrou o menor.

- Eddie abre essa porta - disse a senhora Kaspbrak que fez o filho estremecer ao ouvir sua voz daquele jeito.

- Fala sério - resmungou Richie, odiando ter que parar logo quando as coisas já estavam quentes, vestindo suas calça e pegando sua blusa, indo para a janela - sem um beijinho de despedida?

- Aí tá - disse Eddie dando um selinho no amigo - agora vaza, depois eu falo com você.

- Ta.

Richie saiu pela janela, tendo todo cuidado para não cair, bufando de raiva por todo o caminho até sua casa, odiando ter sido interrompido justo naquele momento.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...