História Um amor (im) possível - Mitw - Capítulo 13


Escrita por:

Visualizações 38
Palavras 1.513
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiii
Voltei!!!
Mil desculpas, sério, mas andei sem inspiração nenhuma, depois fiquei de castigo e só podia vir no celular 1 vez por dia... Sério, muitas desculpas mesmo...
Para tentar compensar vou tentar postar dois capítulos hoje... Ainda não sei se vou conseguir, mas vou fazer os possiveis!!!
Agora... Bora ler?

Capítulo 13 - Ele... acordou...


(Ainda é POV Cell)

Senti uma coisa mexer debaixo da minha mão e me assustei. Olhei pra mão de Felps e ela estava mexendo ligeiramente. Acariciei sua mão e depois ele a apertou suavemente. Sorri e olhei para o seu rosto. Ele estava com os olhos um pouco abertos e tinha um leve sorriso nos lábios.

Os meus olhos marejaram... Ele tinha finalmente acordado!!!

- O...oi... - Felps sussurra com algumas pausas.

- Oi... Não se canse a falar... Não precisa. - Eu levo minha mão ao seu rosto, lhe dando carinho. Ele acente a cabeça.

- On... onde e... es-estou? - Felps

- No hospital... Você se... Você se cortou e perdeu muito sangue, desmaiou e depois esteve em coma durante 3 dias... - Eu abaixo a cabeça, sentindo me culpado.

- Não... Não fi-fica as...assim. Já estou aqui.. e ... e não.. sairei mais... - Felps fala fraco pegando em minha mão, que ainda estava em seu rosto e a beijando.

- Eu te amo Felps. - Eu sorrio.

- Eu... Eu t-também te a-amo - Felps retribui o sorriso.

Me aproximo dos seus lábios e os junto aos meus, começando a formar um beijo. No início ele se assustou, mas depois continuou o beijo. Foi um beijo calmo e apaixonado. Nos separamos devida a uma maldita criação de NÃO SEI QUEM!!! Pois é... o Senhor Ar! O maldito ar! Nos olhamos e sorrimos.

- Bem... agora é melhor eu ir dizer ao médico que já acordaste, para ver se sais daqui rápido, porque não quero formar, como o Alan costuma dizer, "o casal Cellps" aqui dentro - Eu rio e acabamos por rir juntos.

Eu beijo a sua testa e saio do quarto, vendo o médico vindo em minha direção.

- Ia agora mesmo chamá -lo, já passou a hora de visitas. - médico.

- O Felipe já acordou! - Eu falo alegre.

- Que ótima notícia!! Sendo assim, vou lá vê lo e fazer lhe alguns testes para confirmar se ele está bem e saber quando é que lhe podemos dar alta. - médico.

- Obrigado! - Eu

Ele entrou no quarto e eu decidi ligar ao Pac.

~LIGAÇÃO ON~

- Oi - eu

- Olá! Então, alguma novidade? 

- Sim... Ele acordou! - Eu

- Sério? 

- Sim... vou ligar ao Mike, para ele também vir - Eu

- Não precisa ligar ao Mike! Eu lhe ligo e depois vamos para aí. 

- Valeu! Tchau - Eu

~LIGAÇÃO OFF~

Fui até à sala de espera e fiquei esperando eles chegarem.

Passado um tempo, eles chegaram e vieram ter comigo.

- Olá Cell! Então, como está ele? - Pac

- Ele está a fazer exames - eu

- Ata... sabes se ele demora muito tempo? - Mike

- Não sei, mas provavelmente sim, porque ainda tem as análises e essa porra toda.- eu

- Hm... ok - Pac

- Bem, eu vou comprar alguma coisa à cafetaria, alguém quer vir comigo? - Mike toma a iniciativa.

- Por acaso já comia qualquer coisa, já não como há algum tempo... - eu.

- Eu também vou - Pac

Mike se dirigiu ao elevador, mas nos o impedimos.H

- Hey! Então! - Mike reclamou.

- Tens de emagrecer - Pac e eu falamos ao mesmo tempo.

- E por isso vamos pelas escadas!! - Eu

- Mas eu vou me cansar!! - Mike

- Paciência!! E isso é se queres comer! - Pac ri.

- Afff!! Tá!! - Mike diz emburrado.

Subimos as escadas, com o Mike sempre a resmungar. Finalmente chegamos lá acima e ele sentou se logo no banco.

- Vou morrer! - Mike

- Vá, não exageres! - Pac a rir.

- Mas eu vou morrer amor! Ajuda me! - Mike finge estar a ter um ataque.

- Menos um chato na minha vida - Pac ri.

- Amor... Não me deixes morrer! - Mike continuando o Teatro.

Pac lhe deu um selinho e ele logo parou.

- Só mesmo vocês - Eu a rir.

- Só mesmo o Mike, queres dizer! - Pac

- Eu sou fantástico, eu sei! - Mike

- Ah sim! - Pac diz com ironia.

- Bem, vamos ou não? Daqui a pouco quem morre sou eu com fome! - Eu

- A culpa é do Mike! - Pac

- Primeiro, vocês é que me obrigaram a ir pelas escadas, segundo, eu estava a morrer! - Mike se levantando.

- E eu preocupado! - Pac

- Meninos, parem com isso! - Eu grito, fazendo eles olharem pra mim.

- Desculpa papá - eles falam como se fossem criancinhas, rindo logo depois.

Fomos, depois destas conversas todas e de risos, à cafetaria e cada um pediu um café, o Mike um bolo, o Pac um pacote de biscoitos e eu um queque.

Começamos e levamos o café para beber na sala de espera.

Ficamos esperando o médico durante uma meia hora, até ele chegar.

- Então? Ele já pode ter alta? - Eu ansioso

- Ainda não, ainda temos de lhe fazer mais dois exames, mas provável que saia já amanhã de manhã. - médico

- Afff! Ainda bem! Então e os exames q já lhe fizeram, os resultados foram positivos? - eu

- Sim... até foram de espantar! Nunca vi uma pessoa acordar só coma sem nenhum problema, sem ser fraqueza... O que ele precisa é de atenção, cuidado e de uma companhia a tempo inteiro, no caso de ter uma recaída. - médico.

Agrada me a ideia... Será uma oportunidade para ficarmos mais próximos e quem sabe, algo mais. Nós dois juntos, abraçados, dando carinho um ao outro, dizendo o quanto nos amamos...

Despertei dos meus pensamentos com o médico me chamando.

- Rafael! Ouviu o que eu disse? - médico.

- S - sim, peço desculpa... - Eu, que nesta altura devia estar vermelho de vergonha.

- Hm, então sabe o que fazer não é? - médico.

- Sim, sim! - Eu

- Ok... agora, se me dá licença, vou ver como está ele. - médico

- Está bem - eu

- Então, até! - médico se afastando.

•POV PAC•

Cellbit veio até nós e se sentou a meu lado.

- Então? - eu

- Ele provavelmente sai amanhã!!! - Cellbit diz animado.

- Ah! Ainda bem! Tou cheio de saudades do Felpopinha Arroz! - Mike

- Hey! - eu

- O que? Disse alguma coisa que não devia? - Mike

- Nada Mickael! - Eu falo emburrado.

- Com ciúmes amor? - Mike

- Não! - Eu

- Ah sim... Não precisa... - Mike me beija no canto da boca.

- Ok... - Eu falo encarando o chão.

- Eu sou só teu ok?! - ele fala, dando ênfase no "só".

Eu olho pra ele, encarando seus olhos que brilhavam e volto a olhar para o chão.

- Pac... - Mike me chama, me fazendo olhar pra ele. - Eu te amo, não vale a pena ficares com ciúmes!

- Ok... - Eu.

- Te amo... - Mike diz, me dando um beijo, que fez bater o meu coração mais depressa.

- Tbm te amo... - Eu digo após nos separarmos.

- Ups... Desculpa Rafa... - Mike dá uma risada.

- Não faz mal... Pelo menos vocês podem aproveitar o facto de gostarem um do outro, ao contrário de mim... Não vos quero privar de nada. - Rafa da de ombro e baixa a cabeça.

- Cell, não fiques assim! O Felps amanhã sai, e vão ter o tempo que quiserem para estarem juntos. - eu falo tentando dar lhe ânimo.

- Sim, mas ele de certeza que não quer mais nada de mim, por tudo o que fiz ele passar... - Rafa.

- Rafinha, para com isso, o Felps de certeza que te vai desculpar de tudo... Ele gosta muito de ti. E pensa, se ele, infelizmente fez isto, por causa de tu teres um amigo do qual falaste muito bem e tals, é porque existe algo mais que amizade né? - Mike

- Sim, tens razão. Mas isto está a ser demais para eu aguentar... Sem o Felps perto de mim sinto me sem vida, sabem? - Rafa

(...)

O médico aproximou se de nós.

- Bem... Não vale a pena ficarem cá, no estado em que ele está, ele está muito bem de saúde, por isso nada pode piorar. Por isso amanhã, por volta das 10:30 horas podem vir buscar o Felipe tá? Médico

- Tá... Obrigado Dr Antunes, sério mesmo, obrigado pelo que fez pelo Felipe! - Cell fala sorridente.

- Ah! Não tem que agradecer moço! Esta é a minha profissão! - médico

O Cell sorriu e o médico se afastou, indo até um quarto.

- Vês? Ele está bem!! - Eu

- É... - Cellbit

- Rafael, pensa, amanhã e o resto da semana vão estar sozinhos, por isso vais poder dizer para ele o que sentes... E quem sabe possam ser algo mais que apenas melhores amigos. - Mike

- Bem, vamos para casa, tomamos um banho e descansamos e amanhã, como é feriado, vimos aqui ok? - eu sugiro.

- Amor... Eu não quero ir sozinho para casa... - Mike começa com as suas mini birrinhas.

- Mas Mikaé, tu sabe que meus pais são contra rapazes junto com rapazes... - eu baixo a cabeça.

- Então... Fala que eu vou dar uma festa - Mike

- Hm... Talvez resulte - eu digo com alguma esperança. - Eu depois digo se resultou.

Vai ser complicado convencer minha mãe... Ela sempre soube que eu e o Mike somos muito próximos, e até acho que suspeita de alguma coisa... Não sei. Só espero que ela esteja nos seus dias...


Notas Finais


Pronto, e esse foi o capítulo...
Ficou um pouco pequeno, mas dei o meu melhor...
Bjoooos
Meus
Floros
E
Minhas
Floras
🌸🌸


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...