1. Spirit Fanfics >
  2. Um amor imprevisível >
  3. Yoichi

História Um amor imprevisível - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Esse capítulo vai ser na visão do Yoichi

Espero que gostem

Capítulo 2 - Yoichi


Fanfic / Fanfiction Um amor imprevisível - Capítulo 2 - Yoichi

Estou andando pela rua, com minha cachorra Yuki, e até agora não consegui nenhuma comida. Da última vez que roubei (eu não chamaria de roubo, mas enfim) uma loja atrás de comida, quase fui pego, e já está anoitecendo não sei se acharei alguma coisa.

- Eu também preciso de um lugar pra passar a noite...

Morar na rua tem sido complicado, mas com certeza é melhor do que estar naquele lugar. So de lembrar me da arrepios, não gosto de pensar nisso.

Desde que sair de lá tive que viver na rua, e aprender a me defender e cuidar de mim mesmo, roubando pra sobreviver e durmindo nos piores lugares possíveis. Nesse tempo encontrei um filhote, abandonado, sozinho e com medo, decidir cuidar dele, quer dizer, dela.

Eu continuo rodando e rodando, mas não acho nada, acho melhor descansar por enquanto.

Então quando estou virando uma esquina esbarro num garoto, quase da minha altura, cabelos castanhos, carregando uma mochila e usando um uniforme, está voltando da escola provavelmente.

- Desculpe - diz o tal garoto, ele está ofegante e parece nervoso, como se estivesse fugindo de alguma coisa - Está tudo bem?

- Estaria melhor se você não tivesse esbarrado em mim - um resposta digna do meu humor atual, o garoto continua parado na minha frente, pensando no que dizer provavelmente, olho para seu rosto e vejo um band-aid verde na sua bochecha direta, parece ter se machucado - Pq ainda está ai parad-

"EI"

"ELE ESTÁ AQUI"

Escuto alguém gritar e vejo o garoto entrar em desespero, ele olha pros lados sem saber o que fazer

- Eu tenho que ir, desculpe por esbarrar em você - tenta fugir o mais rapido possível mas so consegue correr por uma pequena distância, mas o bastante para chegar em outro quarteirão.

Ao mesmo tempo que vejo ele correndo pra longe de mim, pecebo alguns caras correndo atrás dele, parecem bravos. Melhor não me envolver com isso...

A noite ja está surgindo e a rua está deserta, poucas pessoas moram por aqui, não tem muitos lugares para ele se esconder, e se ele for pego não quero nem pensar no que vai acontecer.

Mas isso não é da minha conta, eles devem ter motivos pra estarem bravos com ele, e eu não faço atos de caridade assim, ele que se vire.

Tento cruzar a esquina onde esbarramos antes, mas fico curioso sobre o que vai acontecer. O que me faz da meia volta e caminha na direção que eles foram.

Decisão estúpida? Sim

Vou me arrepender depois? Claro

Pode sobrar pra mim? Com certeza

Mas eu to curioso de mais pra pensar nisso, e continuo andando, sempre com a Yuki ao meu lado, ela está em alerta assim como eu.

Após andar por um tempo, escuto um barulho vindo de um beco, entro no beco mas não vejo os outros caras.

Eles devem ter ido embora, não acredito que andei tudo isso pra nada, mas aqui não é tão ruim, vo ficar por aqui msm.

Pego alguns pedaços de papelão que estavam jogados no chão, junto e faço uma cama improvisada.

Deito junto da yuki, abraçando - a, tenho sorte dela está comigo, faz eu me sentir melhor.

Estávamos "confortáveis" até ela começar a agir estranho, se levantou rápido e rosnou pra um canto no beco, latindo e latindo.

- Yuki, o que foi? - pergunto e vejo que ela está tentando me avisar algo, mas o que?

De repende noto um movimento onde ela estava latindo anteriormente, tem alguém la.

Ok calma

Pego um pedaço de pau que estava próximo e vou em direção ao barrulho, a movimentação aumenta, o seguro com mais força e estou pronto pra atacar quem está lá.

A criatura se descobre e pecebo que não era algo tão ruim assim como eu pensava. Na verdade é o garoto com quem eu esbarrei antes.

Esse merda quase me matou de susto, devia ter acertado ele mesmo.

- ESPERA - ele diz ao ver que estava preste a acertar ele - Não faz isso por favor

- Não vo te machucar, pensei que era outra coisa, relaxa - jogo o pedaço de pau pra longe - O que está fazendo ai?

- Estou me escondendo, alguns caras queriam me bater - ele diz se encolhendo no canto e olhando desconfiado para o início do beco

- Eles ja foram, pode sair dai - me sento no lugar onde estava antes com a Yuki no meu colo, agora mais calma - Se eu fosse você iria embora

- Tenho medo deles voltarem... - se levanta e caminha até mim - E você? Não vai pra casa?

O olhar dele parece inocente e curioso, me pergunto por que alguém bateria nele, não parece conseguir fazer nenhum mal.

- Eu não tenho casa

- Ah... Sinto muito...

Vejo-o ficar desconfortável, como que se sentisse culpado, não sei por que ele está assim, não é culpa dele afinal.

- Eu ja vou indo - diz se levantando e caminhando em direção ao início do beco - Obrigado

Diz e vai embora correndo, que garoto estranho... Mas até que foi legal esbarrar com ele, faz tempo que não converso com alguém.

Ele parece até ser legal, mas não sei se posso confiar nele...

Espera... o que eu to pensando?

Eu provavelmente nunca mais vou ver aquele garoto e se eu ver, ele vai me ignorar.

Vou esquecer isso e ir durmir logo, é o melhor que eu posso fazer.


Notas Finais


O próximo capítulo pode demorar um pouco, por causa das atividades que eu deixei acumular.

T-T


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...