História Um Amor Na Adolescência - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 4
Palavras 1.193
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Festa, LGBT, Romance e Novela, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 3 - Capítulo 2


Fanfic / Fanfiction Um Amor Na Adolescência - Capítulo 3 - Capítulo 2

POV Larissa

Eu estava em casa cuidando das nossas filhas, vulgo nossas cachorras e preparando algo pra quando a Bia comer quando chegasse, mas assim que escuto a porta se abrindo e as cachorras pulando, sinto que tem algo errado, então eu ando até ela, que está agachada com as “crianças”

- Oi minha linda, tá tudo bem?- disse lhe dando um selinho e me sentando ao seu lado

- Ah... Claro, amor, tô bem sim- assim que ela falou eu percebi que nada estava bem

- Ei baby, o que ouve? - falei puxando o seu queixo pra olhar em seus olhos, que já davam sinal de lágrimas

- Ah você sabe, a mesma porr - ela parou no meio da frase ao ver minha cara de desaprovação ao palavrão que diria - a mesma coisa de sempre, aquelas pessoas continuam me zoando e fazendo a mesma merda de sempre e eu continuo lembrando de tudo sabe, mesmo mudando de escola, tudo isso continua, pensei que as coisas fossem mudar... Isso dói tanto amor - ela soltou tudo de uma vez desabando a chorar no meu colo

Então eu a abracei, peguei ela no colo e levei até o sofá, ficamos deitadas ali de conchinha até o seu choro cessar, então eu a virei pra mim e disse:

- Bebê, você não pode ligar para o que essas pessoas falam, amor, você é linda e não precisa mudar seu jeito para agradar os outros, e quanto ao seu passado, você não precisa ficar assim, já disse que ninguém nunca mais vai relar um dedinho se quer em você, só quem pode fazer isso sou eu e ninguém mais, entendeu, você não precisa mais ter medo, bebê. - Disse a abraçando e acariciando suas costas.

Ela logo acabou dormindo, imagino o quão cansada deve estar, depois de um dia estressante ela devia estar exausta, então soltei ela e a deixei dormindo no sofá mesmo, claro que eu coloquei um travesseiro debaixo de sua cabeça e lhe cobri com um lençol. Fui para a cozinha terminar o jantar enquanto a Bia dormia, logo depois de terminar fui lhe chamar para comer.

- Ei, bebê, acorda - Disse depositando um beijo em sua testa

- Hm... Que horas são? Tô atrasada pra aula? - ela fala isso enquanto esfrega os olhos na intenção de afastar o sono

- São... 22:30 -Digo olhando no relógio de parede- Te chamei pra ir comer, amor, você precisa comer alguma coisa antes de dormir, sabe disso

- Você tá sempre tão preocupada, gosto disso... Enfim, eu tô sem fome agora, tô um pouco cansada.

- Sei que você tá cansada, mas come pelo menos um pouco, vai, só um pouquinho, eu trouxe aqui pra você - Digo lhe entregando o prato - Vai, só um pouco amor

- Tá bom, coisinha chata que eu amo

Ela pega o prato e come um pouco, toma o suco e vai tomar banho, enquanto isso eu vou lavar a louça e arrumar a cama. Logo depois que eu termino tudo, espero ela sair do banho, se passam 10, 15, 20, 30 minutos e ela não sai, escuto barulhos vindo de lá e fico preocupada e vou ver o que está acontecendo.

- Amor, tá tudo bem? - pergunto batendo na porta

- Oi amor, tá tudo bem sim, já tô saindo

Ela sai do banheiro totalmente nua, fico admirada com aquela cena, mas fico parada no mesmo lugar, sem me mover nem um centímetro se quer.

- Nossa... Que... Visão... - Digo rindo um pouco

- Não foi você mesma que disse pra eu mesma pegar a toalha hoje mais cedo? - Diz ela rindo

- É... Mas... É...

- Ué, que foi? Parece que nunca viu o meu corpo antes, eu hein

- Eu já vi, mas... - Assim que falei isso ela me beijou, começou com um beijo lento e delicado que foi sendo aprofundado.

Quando vi a Bia já me tinha me empurrado na parede, pressionando o meu corpo com o seu. Então parei de beija-lá a peguei no colo e fomos pro quarto, ela não parou de morder e chupar meu pescoço um segundo se quer, ela sempre foi safada demais. Joguei ela na cama e me coloquei por cima dela, beijando todo o corpo enquanto dava mordidinhas só para provoca-la, desci e comecei a  beijar e chupar seus seios, depois de me deliciar ali fui descendo até chegar em sua intimidade ai, olhei pra ela, penetrei um dedo e comecei bem lentamente o que tirou varios gemidos e protestos de Bia.

- Amor... Vai... Mais rápido... An... - Disse Bia em meio a gemidos.

Eu a obedeci, adicionei mais um dedo e fui mais rápido e forte, ela rebolava pra mim e gemia no mesmo ritimo em que a penetrava, assim que meti meu terceiro dedo ela soltou um grito e gemeu, enquanto e eu prontamente suguei todo o seu delicioso gozo. Depois de recuperadas nós só ficamos nos olhando, abraçadas.

- Eu te amo demais bebe - eu disse e vi o maior sorriso sair do seu rosto

- Eu tbm te amo amor

Bia dormiu quase de imediato e eu, que estava cansada, dormi logo depois. Acordei antes que ela no outro dia, preparo um café e vou acorda-la.

- Amor, acorda, vem comer - Disse depositando um beijo em seu rosto.

- Não, tô cansada, me deixa dormir amor

- Olha, você come só um pouquinho e logo volta a dormir, tá bom? Eu trago aqui pra você.

- Hm... Assim eu quero - Ela se levantou e me deu um beijo.

Ela coloca uma camisa e uma calcinha, vamos para a cozinha e comemos, não demoro a notar que tem um arranhão bem feio em seu braço, sei que não foi eu quem fez pois eu não tenho unha grande, fico intrigada, espero ela terminar de comer e pergunto sobre isso.

- Amor, quem fez esse arranhão no seu braço? - Pergunto pegando em sua mão.

- Nin-Ninguém, amor

Assim que ela começa a gaguejar, sei que está mentindo, logo fico nervosa e altero o meu tom de voz.

- Foi uma de suas "amiguinhas" novas desse colégio?! - Pergunto já me levantando

- Que?! Não!

- Então por quê não me fala quem foi que fez?!

- PORQUE VOCÊ NÃO PRECISA SABER! - Ela diz e vai pro quarto.

- Da pra me falar logo quem foi?! Tá com alguém além de mim? Me explica! - Entro no quarto trancando a porta

Ela tá arrumando a mochila, coloca uma calça jeans e seu tênis.

- Você é mesmo inacreditável, Larissa! Isso aí foi em uma discussão com uma vaca do colégio! Tá feliz?! Eu nunca seria capaz de te trair, mas que merda!

Ela dá um soco na porta do guarda roupa, o que faz quebrar o espelho, logo sua mão está cheia de sangue.

- MERDA! - Bia grita e sai andando rapidamente.

- Bia... Me desculpa... Aonde você vai?

- Não importa, tchau - Ela sai e fecha a porta

Como eu fui idiota em pensar que ela iria me trair... Agora eu não estou com um pressentimento nada bom. Algo ruim vai acontecer, eu sinto isso.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...