1. Spirit Fanfics >
  2. Um Amor nada aceitável (Imagine Muzan) >
  3. Capítulo 2

História Um Amor nada aceitável (Imagine Muzan) - Capítulo 3


Escrita por: anonimalokka

Notas do Autor


Passando aqui para avisar que eu decidi mudar a "agenda" das postagens de capítulos aqui, agora não vai mais haver datas para a atualização da fic os novos capítulos vão sair quando estiverem prontos. Qualquer tipo de mudança eu vou avisar☺️. Boa leitura.

Capítulo 3 - Capítulo 2


S/n on

Tudo estava tão calmo, eu estava com os olhos fechados, eu não queria abrir, talvez seja pelo fato de que uma parte do meu coração sabia que por conta do meu erro de não estar com a cabeça 100% focada naquele Oni eu provavelmente já estava morta, e agora quando eu abrir os olhos eu encontraria com a minha família e rever a minha família era o que eu menos desejo nessa vida.

Ou quem sabe eu só estou pensando em bobagens, e não queira abrir os olhos por que talvez se eu abri-los eu nunca mais iria conseguir ficar nessa calmaria de novo.

Quem vai saber né?

XxX- S/N Acorde minha querida não é hora de dormir.

Pude ouvir essa voz um pouco distante de mim. E Para a minha tristeza eu conhecia muito bem essa voz, era da minha mãe.*Mais que saco* pensei suspirando mentalmente.

Não que eu não goste da minha família, pelo contrário eu amo eles mas é que, eles já foram o motivo de milhares lágrimas que já derramei e finalmente agora que eu superei a morte deles e parei de chorar por eles eu não queria rencontra-los.*Quer dizer superar em modo de dizer afinal eu sonhei com eles noite passada e algumas noites anteriores* pensei.

Ignorando um pouco a voz da minha mãe eu pode perceber que o chão do lugar onde eu estava "dormindo" era macio porém gelado e o clima do ambiente também era baixa, então era bem possível eu estar no meio da floresta deitada na neve.

S/n- Que lugar maravilhoso para descansar após a morte- sussurrei para mim mesma, e pude escutar passos se aproximando de mim não dei muita importância afinal deveria ser minha mãe mesmo.

S/m- O que disse minha querida.

S/n- Nada não mãe- falei finalmente abrindo meus olhos.

S/m- Bom já que não é nada, vamos voltar para casa o almoço já está quase pronto.

S/n- Ah claro- falei tentando dar um sorriso mas falhei miseravelmente, e tenho certeza que o "sorriso" ficou parecendo mais uma careta, me levantei e fiquei cara a cara com minha mãe- Vamos então?

S/m- Vamos.

Enquanto nós andávamos eu pude ouvir minha mãe sussurrando coisas como "Eu tenho tanto orgulho de você minha querida" ou "Você se tornou uma pessoa tão boa" mais não dei a mínima afinal se ela quisesse que eu me importasse teria falado diretamente para mim e não por um sussurro.

Chegando em casa encontrei meu pai ele estava distraído olhando para a lareira da nossa casa, ele só percebeu a nossa presença na casa quando eu fiz de propósito um barulho na cadeira antes de me sentar.

Quando todos já estávamos sentados, agradecemos pela comida e começamos a comer, mas eu percebi que os meus pais estavam distantes.*Eles certamente estão pensando em alguma coisa*. Enquanto eu pensava isso minha mãe deu um longo suspiro

S/m- Escute com atenção minha filha- deu uma pausa para respirar antes de continuar- Eu e seu pai temos algo para te falar, nós dois não temos muito tempo.

S/n- Claro mamãe pode falar, sou toda ouvidos.- Sem dar muita importância para o que ela disse dei um sorriso forçado, mas quando me dei conta do que ela havia falado fiquei fiz uma cara séria- Como assim?

S/p- Simples nós não estamos mortos como você pensa, quer dizer, eu e sua mãe estamos mas você não está.

S/n- Quem disse que é isso que eu penso- Falei em um tom sarcástico, mais logo os dois me encararam, e eu fiquei sem graça.

S/m- Você precisa acordar querida.

S/n- Talvez eu tenha que acordar mesmo mas- Fiz uma pausa- Eu não quero.- Falei me levantando da mesa e me virando caminhando até a escada que leva pra o segundo andar.

S/m- Eu lamento minha querida, pois essa escolha não é sua.

S/n- Que?

Quando eu me virei eles já não estavam mais lá, eu só consegui ouvir a voz da minha mãe me falando:

S/m- Você não faz ideia do quanto você ainda vai ser feliz.

Assim que ela acabou de falar eu acordei, eu estava em um lugar totalmente diferente, era um quarto grande, bonito, ele tinha a coloração vermelha, eu tranquilamente eu passaria o resto da minha vida ali. Mas a minha curiosidade falou mais alto, então eu calmamente me direcionei até a porta e quando eu forcei a maçaneta para abri-la e pra minha surpresa ela tava aberta.

Então logo depois que abri eu fui para fora do quarto dando de cara com um corredor ele estava totalmente escuro então eu não faço a menor ideia de onde estou. Andando mais um pouco eu consegui sentir que estava eu uma escada, comecei a descer lentamente degrau por degrau até chegar ao fim.

Comemorei mentalmente por isso mas parei quando ouvi uma voz, não muito perto de mim.

XxX- Deveria estar em sua cama agora.

Espera um pouco aí, eu conheço essa voz.

S/n- Você é o oni daquela noite não é?- Falei colocando a minha mão no lugar onde era para estar a minha nichirin, mas ela não estava ali. *Maravilhoso eu estou em um lugar desconhecido e desarmada*

XxX- Respondendo sua pergunta, sim sou eu mesmo, sabe S/n não é muito saudável para alguém como você que ficou quase dois dias desacordada ficar andando por aí ainda mais no escuro.

Ele se virou para mim e eu consegui ver somente dois pontinhos vermelhos vindo até mim. Igual ao meu sonho.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...