1. Spirit Fanfics >
  2. Um Amor Não Planejado >
  3. Longo dia

História Um Amor Não Planejado - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura lobinhos, desculpa pela demora!

Capítulo 9 - Longo dia


Ouço o som agudo do despertador e bato a mão no criado-mudo tentando acertar o botão para desliga-lo, entretanto, depois de alguns minutos e o meu óbvio fracasso para desligar aquela coisa irritante decido abrir meus belos olhos de princesa e pegar aquele troço jogando ele na parede com raiva.

Izy entra no quarto correndo parecendo preocupada.

Izy- O que houve? Se machuc— - Ela para de falar ao ver o despertador quebrado no chão. – Sabe que o despertador é do hotel e você vai ter que pagar pelo que quebrou hoje, e ontem, né Yui?

Yui- De que adianta andar com um bando de homens lindos e ricos se não para quebrar as coisas e faze-los pagar?

Izy- O jeito que se importa com eles me aquece o coração – Ela ri e se senta na cama – Você tem que levantar, sua consulta está marcada para daqui uma hora.

Yui- Ótimo! Tenho mais 50 minutos para dormir – Vou para debaixo do cobertor.

Izy- Vai perder o café da manhã, uma pena, tem ovos, bacon, torrada e-- - Ela ri ao me ver levantar e tirar meu pijama colocando a primeira roupa que apareceu na minha frente. – Esfomeada.

Yui- Uma princesa precisa comer! Agora vamos, quanto mais tempo passamos aqui menos comida tem na nossa barriga! - Puxo ela pela mão para o restaurante do hotel, onde eles serviam o café da manhã de graça para pessoas... “importantes” como nós (com “nós” eu quero dizer os Sakamakis, eu sou só uma mala que eles carregam para os cantos).

Assim que chegamos os meninos já estavam na mesa comendo. Sentamos ao lado deles, eu ao lado de Subaru e Izy, e ela ao lado de Laito. Enchi meu prato de comida três vezes antes de me sentir satisfeita, mas percebi que Izy não comeu quase nada, na maioria do tempo ela só ficava bebericando um copo de água, e em alguns momentos ela parecia corada e estranha, em um momento tive a impressão de ver a mão de Laito na coxa dela, mas quando olhei de novo não vi nada, então descartei a ideia.

Shu- Faltam alguns minutos para sua consulta, Yui, vamos? – Assenti olhando novamente para Izy, quando perguntei sobre seu jeito estranho, ela me disse que só não estava muito bem e que era apenas uma “coisa de lobo”, apenas fiquei preocupada com ela, mas não tinha o que fazer por ela mesmo.

Levantei da mesa e segui Shu até a frente do hotel, onde Ayato nos esperava dentro da limusine. Sequer percebi sua ausência no café da manhã.

Entrei na limusine e em apenas alguns minutos já estávamos no consultório, onde fomos atendidos por um médico.

Médico- Com licença, você deve ser a Yui Komori? - Assenti com a cabeça e ele sorriu – Muito bem, vamos então. – Ele nos levou para uma outra sala e coletou meu sangue, o de Ayato e o de Shu, em seguida ficou cerca de uma hora fazendo testes e mais testes, enquanto isso ficávamos apenas parados olhando um para o outro (No caso, apenas eu e Ayato, pois Shu estava em seu estado “semi-morto” ouvindo música).

Depois desse tempo que mais pareceu uma tortura silenciosa, o médico entra novamente na sala com um prontuário na mão e um sorriso no rosto. Até mesmo Shu tirou os fones quando ele entrou, apenas para ouvir o que nós dois já sabíamos que ele iria falar.

Médico- Muito bem, o bebê é filho do senhor... Sakamaki. Meus parabéns.

Nós três olhamos pra ele com tédio.

Yui- Jura? - Falei sarcástica.

Ayato: Qual Sakamaki? - O médico fez uma careta e então olhou novamente o prontuário.

Médico: Perdão, os sintomas da minha idade já estão começando a se manifestar – Disse sem graça ao perceber que os dois eram irmãos e, por isso, tinham o mesmo sobrenome - O bebê é do senhor Ayato Sakamaki. Agora, sim, meus parabéns.

Ayato- Você tem certeza disso?

Médico- Apesar da minha idade, não fui o único fazendo os exames, então sim, o senhor é o pai do bebê.

Por um momento vi um semblante de um sorriso se formar no rosto de Ayato, mas tão rápido quanto pensei ter visto ele sumiu.

Shu- Meus parabéns. – Falou simplesmente, e então saiu.

Ayato- Yui... eu... – Não o deixei terminar de falar e sai correndo para o banheiro. Um enjoo forte e repentino quase me fez botar o café da manhã pra fora ali mesmo.

Assim que cheguei no banheiro me tranquei dentro de uma das cabines e vomitei tudo que tinha comido hoje. Mas que bela finalização para essa manhã!

Antes de sair ouvi a voz de algumas meninas e parei para ouvir quando escutei “Sakamaki” sair da boca delas.

???- Eu não acredito que isso tá acontecendo! O Ayato engravidou aquela garota horrível de feia! Viu como aquela garota se veste? Ela não merece um homem como ele! –Falava com raiva e voz de choro.

??- Claro que não! Ela se veste como se fosse uma mendiga! E ainda eu soube que ela anda ficando próxima do MEU Shu!

???- Nós vamos destruir essa garota, ela que espere! – Ouvi a porta do banheiro ser a aberta e então fechada. Suspirei. Por que comigo ó Deus?

Sai do banheiro correndo para encontrar os garotos quando acabo tropeçando em alguma coisa e caindo, ralando o joelho no piso de pedra do pátio. Nesse momento – talvez por terem sentido o cheiro do meu sangue – Ayato e Shu apareceram na minha frente, preocupados.

- Você está bem?? – Os dois falaram em uníssono e se olharam, quase dava pra ver uma corrente de ódio ligando os dois. Ayato desviou o olhar e me estendeu a mão para que eu levantasse. Dei um tapa na mão dele e me levantei sozinha, vendo um pequeno sorriso no rosto de Shu olhando para o irmão.

Yui- Eu estou ótima. Vamos embora. – Fui em direção a limusine com eles atrás.

Depois que chegamos no hotel Ayato me ajudou a fazer um curativo no joelho e me acompanhou até meu quarto, e percebi também que Izy tinha sumido do hotel. Assim que entrei no quarto tentei fechar a porta na cara do Ayato, mas ele a segurou e sorriu, me olhando nos olhos.

Ayato- Yui... Eu te amo- Eu fico sem reação. Como assim, me ama? E por que isso agora, do nada? Antes que eu pudesse responder ele me beija e me joga na cama, subindo por cima de mim. Eu quebrei o beijo mordendo a língua dele que tentava invadir minha boca, e quando ele se afastou, dei um tapa no rosto dele.

Yui- QUEM VOCÊ PENSA QUE É PARA ME BEIJAR ASSIM? – Gritei, me afastando dele. Me sentia violada. – NÃO É PORQUE ESTOU GRÁVIDA DE UM FILHO SEU QUE QUER DIZER QUE SOU SUA!! EU NÃO TE AMO!! – Respiro fundo, tentando regular minha respiração agitada. – Sai do meu quarto. Agora. – Ele suspirou e me obedeceu. Assim que ele saiu me permiti chorar um pouco.

Foi um longo dia...


Notas Finais


Eu achei o cap pequeno, sorry por isso, qualquer erro me avisem, eu fiz pelo pc :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...