História Um amor para Myoui Mina - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias TWICE
Personagens Chaeyoung, Dahyun, Jungyeon, Mina, Momo, Nayeon, Sana
Tags 2na, Crack!fic, Michaeng, Minayeon
Visualizações 42
Palavras 1.361
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Orange, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Não me perguntem de onde tirei a idéia para fazer uma história assim, quando vi já estava criando ela.

Capítulo 1 - Um dia (quase) normal em minha vida


Fanfic / Fanfiction Um amor para Myoui Mina - Capítulo 1 - Um dia (quase) normal em minha vida

 Um fracasso total.

Essa é uma boa maneira de me definir, um fracasso, uma perdedora.

Ah, me desculpe, você leitor deve estar se perguntando quem sou eu, certo? Pois bem, me chamo Myoui Mina, tenho 16 anos e sou uma fracassada como havia dito.

Devem estar se perguntando porque penso isso, certo? Bom, é pelo simples fato que não consigo achar emprego nenhum!

Já faz tempo que ando atrás de um para ajudar minha mãe com as despesas de casa, mas não consegui trabalho até agora. Sempre que acho um lugar que aceitam adolescentes eu não consigo a vaga sempre pelo mesmo motivo: não conseguir interagir nem dez segundos direito com estranhos, isso quando não usam meu tom de voz baixo como argumento.

Sei que nesse momento devem estar pensando que sou muito nova e devia estar estudando e não procurando emprego, mas aí entra outro problema. Não que eu não goste de estuda, mas o problema é que fui proibida de pisar no colégio durante dois anos.

Calma, eu não matei ninguém e nem bati em alguém... Okay, a segunda opção em parte aconteceu, mas isso não importa agora, essa história fica pra outro dia.

Como não posso aparecer nem pintada de ouro por lá acabo ficando sabendo do que acontece na escola graça a Sana, também conhecida como minha melhor amiga. Sana é um ano mais velha do que eu e é minha única amiga não virtual, ela tem um jeito atrapalhado bem fofo e engraçado.

Já que Sana estava na aula nesse momento e eu estava sozinha em casa, resolvi optar por falar com uma de minhas amigas virtuais. Pensei em falar com Dahyun, uma coreana que fiz amizade, ela quer fazer intercâmbio aqui no Japão e acabamos ficando amigas depois que comecei a ajuda-lá com sua pronúncia no japonês.

Infelizmente deduzi que Dahyun deve estar em aula também, por isso só me restou minha opção menos favorita: Hirai Momo.

Não façam essa cara, sei que devem estar pensando que sou uma amiga horrível para Momo, mas é que é meio difícil manter animação em falar com alguém que sempre te coloca para baixo. Momo além de sempre me deixar mal vive fazendo piadas sobre o fato que já gostei dela, inclusive me declarei e ela me disse ser recíproco para dois dias depois aparecer com uma namorada e fingir que nada acontece.

As vezes eu acho que nossa amizade é tóxica, mas sinto que só vou ter certeza disso no dia que acabar.

Mesmo sem ânimo peguei o celular e liguei para Momo, para minha alegria, ou não, ela atendeu rapidamente.

Me surpreendi que nossa conversa fluiu bem, pude até esquecer que ela me tratava mal metade do tempo. Tudo estava correndo bem, bem até demais...

- Aí a Sana me contou que a professora de história quase teve um colapso nervoso- estava contando sobre o que estava perdendo no colégio devido ao meu banimento temporário- Parece que ela quase começou a jogar giz nos alunos e...

- Ai Mina, cala a droga da sua boca!

É como dizem: alegria de pobre dura pouco. No meu caso durou pouco mesmo, Momo havia voltado a ser a pessoa que gosta de me tratar mal.

- Momo unnie, eu nem estava falando muito, só estava contando o que você havia me perguntado- tentei argumentar.

- E quando você vai perceber que eu pergunto "alguma novidade?" simplesmente por educação? Eu não me importo com o que você tem pra me contar!- engraçado porque eu que estou ouvindo essas coisas e Momo é quem está alterada- E já falei pra não me chamar se unnie, você fica ridícula falando assim, parece uma retardada, agora que tal calar um pouco a boca e me deixar em pa...

Nem deixei Momo terminar, desliguei de uma vez. Eu odeio isso, odeio quando ela age assim, é realmente estressante.

Como não tinha mais ninguém com quem pudesse conversar optei por ficar jogando um pouco, talvez assim o tempo passasse rápido.


.../.../.../.../.../


Obviamente o tempo não passou rápido, ele passou muito devagar. Passou tão lentamente que quase soltei fogos de artifício quando escutei barulho de alguém entrando em meu quarto, já não aguentava mais ficar procurando algo para fazer.

- Mina, você tá doente?- Sana questionou olhando ao redor- Seu quarto está... arrumado

Quando eu falei que o tédio era grande não tinha sido brincadeira, estava tão chato que deu tempo de arrumar meu quarto e o relógio quase não se moveu.

- Engraçadinha, eu arrumei o quarto devido ao tédio

- Então você não fez nada de bom o dia inteiro?- perguntou se sentando ao meu lado- Não tem nenhuma novidade?

- Não, nenhuma- menti.

Não iria contar para Sana sobre a conversa com Momo, sabia que isso não acabaria bem.

A única vez que Sana soube disso foi uma vez que ela notou que eu estava meio triste, na época as palavras de Momo haviam me afetado muito mais do que agora, então Sana insistiu até que eu contasse o que ouve. Diferente do que devem imaginar, a reação de Sana não foi surtar logo de primeira, primeiro ela ficou comigo até me animar e só depois ficou querendo ir estrangular Momo.

- Você parece estranha Minari

Droga, como ela percebeu? Eu menti bem, quer dizer, eu acho.

- Eu não estou estranha unn... Sana- porcaria, agora eu me entreguei de vez.

Acho que esqueci de comentar, mas mesmo que já tenha percebido que Momo sempre implicar comigo ainda me afeto com o que ela fala. Agora foi um grande exemplo, quando chamei ela de unnie, Momo disse que eu ficava ridícula chamando ela assim, porém por culpa disso acabei hesitando quando ia chamar Sana assim e agora ela vai notar que tem algo errado.

- Mina, definitivamente aconteceu alguma coisa- eu disse- Você nunca travou na hora de me chamar de unnie, isso tem ligação com a tal Momo, certo?

As vezes Sana parece um Sherlock Holmes.

- Não Sana, óbvio que não- menti, ou pelo menos tentei.

- Minari...

E nessa hora fui salva pelo gongo, também conhecido como toque do meu celular.

- Só um minutinho Sana, é a Dahyun- Kim sempre me salvando sem saber.

- Okay, mas depois continuamos nossa conversa- me olhou desconfiada- Pode colocar no viva-voz? Quero dar um oi pra Dahyun

- Ah, claro- ainda bem que as duas até que eram meio amigas.

Coloquei no viva-voz e atendi a ligação, afinal, o que pode dar errado?

- Oi Dah

- Oi Minari

- Oi Dahyun!- acho que Sana esqueceu que estamos no viva-voz, porque ela gritou bem no meu ouvido- Desculpa Mina

- Oi... Sana- Dahyun ficou em silêncio por um tempo, isso não era bom sinal- Minari, você e a Momo brigaram? Ela disse que você desligou o telefone na cara dela

F.u.d.e.u

Como eu disse antes, Dahyun me salva as vezes sem saber, porém me ferra sem saber também. Como ela não sabe que Sana não gosta de Momo, a coitada acaba comentando coisas assim sem perceber a confusão que vai gerar.

- Eu sabia! Eu sabia que aquele projeto de pêssego estava envolvido nisso!

Seria estranho falar que Sana indignada e meio irritada fica fofa? Talvez, mas ela realmente fica adorável com essa carinha emburrada.

- Projeto de pêssego?- escutei a voz de Dahyun do outro lado da linha.

- Projeto de pêssego sua avó! Fica quieta seu shiba humano!

Sim, isso mesmo que vocês estão pensando, Momo estava na ligação também! Ao que tudo indica, Dahyun colocou ela na linha para tentar escutar os dois lado, mal sabia ela que acabou de causar a terceira guerra mundial.

- Ao menos o meu nome não significa o de uma fruta que parece uma bunda!- tadinho do meu celular e da Dahyun, sendo obrigados a escutar essa discussão.

- É, só se parece com um cachorro feio e inútil!- as ofensas das duas era do nível de uma criança do primário.

E assim Sana continuou com meu celular em mãos enquanto discutia com Momo, parece que essas duas não vão parar tão cedo.

E esse foi um dia quase normal na minha vida.


Notas Finais


O que acharam?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...