História Um Amor Para Recordar - 2 Temporada - Capítulo 21


Escrita por:

Postado
Categorias Pretty Little Liars
Personagens Aria Montgomery
Visualizações 2
Palavras 1.758
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 21 - Volta pra mim!


Fanfic / Fanfiction Um Amor Para Recordar - 2 Temporada - Capítulo 21 - Volta pra mim!

- Ari- alguém me chama- Ari, acorde. Está na hora do seu remédio- abro Meus olhos e vejo Emily sentada na minha cama com um copo de suco de laranja, aspirina e um pedaço do resto do bolo de "formiga". Sento-me e tudo que aconteceu noite passada, veio rápido como uma bala. Então não foi um sonho? Não sei se conseguirei sobreviver com isso. Pego o copo de suco e tomo o remédio.
- Obrigada, Em. Alguma noticia?
- Nada ainda. Mas sua mãe está fazendo de tudo para voltar amanhã.
- Fala para ela que não precisa- digo meio fraca.
- Tentamos falar isso para ela, mas a mesma não quis. Digamos que Ella é teimosa tanto quanto você. 
- Eu sei...- sorrio fraco.
- Ah, e Rose ligou para cá. Ela queria falar com você.
- Ok. Obrigada novamente. Quando essa dor de cabeça minimizar, eu ligo para ela.
- Está bem. Irei te deixar descansar. Qualquer coisa estou lá embaixo com seu irmão, ok?
- Ok. Ah Em, estou me sentindo quente. Tem como você trazer o termômetro para mim?
- Claro- ela saiu do quarto fechando a porta. Bebo o suco mas deixo de lado o bolo, estou sem fome nenhuma. Mesmo o ar-condicionado estando no 24º graus, eu estou morrendo de frio. Cubro- me e meu celular apita. Pego o mesmo em cima da cama e era uma mensagem da minha mãe. Aperto em ler:
" Filhinha, eu sinto muito mesmo! Ezra era um cara legal, gostava de vocês dois juntos! Amor a mamãe vai chegar hoje a noite, por volta das 22:00. Não me espere acordada. Mas tenho algo para te dizer: Mesmo que você esteja sofrendo( e eu sei que é muito), não deixe a escola de lado. Suas provas começam amanhã e é o seu último ano! Pense bem Ari. Bjs
- Ella"
Quando eu era pequena( não me zoem! Sei que sou baixinha. Risos) quando eu estava doente Ella sempre me tratava assim, senti falta. Minha mãe tem razão. Falta pouco para as férias de verão. É melhor eu passar agora, do que ficar sofrendo depois. Amanhã eu tenho prova de biologia, mas felizmente hoje posso descansar já que, nas últimas semanas eu só estudei. Emily entra em meu quarto e põe o termômetro de baixo do meu braço. 44º graus de febre! Que merda. Em manda eu descansar e sai novamente de meu quarto. Bloqueio meu celular e quando estou prestes a voltar a dormir, escuto alguém subindo a escada. Batem na porta. Deve ser Emily.
- Pode entrar- digo. Mas não era Emily- O que você está fazendo aqui!?- pergunto com raiva na voz.
- Eu vim ver como está minha filha- fala Byron.
- Estou péssima, agora você já pode ir- ele franziu a testa.
- Por que está agindo assim comigo?
- Não se faça de desentendido! Você sabe muito bem o que fez!
- Não. Dessa vez eu não sei mesmo- Byron se sentou na ponta de minha cama.
- Você foi no apartamento do Ezra e falou que eu estava super feliz com o Caleb e disse para ele sair de Rosewood. E graças a você minha última lembrança dele, é uma briga. O mais estranho é que tudo isso aconteceu um dia antes de sua... de sua...- a palavra não queria sair, era difícil admitir o que aconteceu em voz alta- De sua morte.
- O que? Eu não fui no apartamento do Ezra. Você já tem dezoito anos, você decide o seu destino e não eu! E mesmo que você tivesse ainda 16 anos, mesmo eu não sendo fã número um do Ezra, eu não faria isso. Até porque eu quero ver você feliz! É a minha missão aqui na terra. E também, por acaso vocês me escutariam? Vocês namoraram escondidos uma vez, por que não o fariam de novo?
- Por que eu acreditaria em você?
- Porque eu viajei com Meredith e Alicia na quinta feira e só voltei ontem de manhã. Aria lembra que eu até chamei você e seu irmão? Mas você disse que tinha que estudar para as provas e Mike também- num estante me lembrei, eles foram para a Islândia, já que Meredith queria muito conhecer lá.
- Então a verdade é que Ezra mentiu para mim?- essa pergunta foi mais para mim do que para Byron.
- Infelizmente acho que sim.
- Por quê?
- As vezes princesa, ele já sabia o que estaria por vir. E o Ezra achou que essa era a melhor forma de vocês acabarem com tudo, antes que fosse tarde. Sinto muito minha filha- comecei a chorar. Meu pai me abraçou. E o pior que isso faz sentido. Se Byron tivesse tocado a campainha ou até mesmo batido na porta, eu teria acordado, porque sono pesado é uma coisa que eu não tenho. Ezra também mandou eu ir para o banheiro, mas para que eu ir para lá se ninguém entrou no apartamento? Eu nem sequer ouvi a voz do meu pai. É como se as peças do quebra cabeça estivessem finalmente se encaixando, só que ainda falta muitas peças. 
- Eu queria ficar mas não posso. Meredith está sozinha com Alicia- falou.
- Tudo bem. Obrigada por vir.
- Sempre que precisar estarei aqui, saiba disso- Byron abriu a porta.
- Pai- chamei-o. O mesmo se virou- Desculpa.
- Tudo bem! Melhoras- Byron piscou e saiu. Desatei a chorar até pegar no sono.
+++++++++
Acordo com meu celular tocando. Eram 20:00. O número era desconhecido mas resolvi atender.
Ligação on:
- Alô?- digo.
- Alô, Aria?
- Ela mesmo. Quem se encontra?
- É Rose, mae do Ezra.
- Ah sim. Tudo bem?
- Não e com você?
- Na mesma. Mas em fim, o que houve?
- Bem eu não queria fazer nada já que não encontram o corpo dele. Não sei se você chegou a conhecer meu filho mais novo Weasley?
- Não o conheci pessoalmente mas Ezra já me falou dele.
- Então o mesmo achou melhor fazermos uma cerimônia de enterro. O que você acha? Assim iremos nos despedir melhor dele- era doloroso ouvir isso de outra boca, principalmente de sua mãe.
- É bom sabe? Quem sabe isso não intimida quem matou ele? Espero mesmo que essa pessoa apodreça no inferno!
- Também tenho esse receio. Eu eu só precisava de sua aprovação, afinal meu filho te amava muito. 
- Obrigada pela consideração. Mas quando será a cerimônia?
- domingo que vem, ok?
- Ok.
- Beijos querida. Melhoras Tá!?
- Beijos Rose. Obrigada melhores para você também.
- Tchau
Ligação Off
Então era isso. De um jeito ou de outro, terei que aceitar a realidade. Levanto-me e vou tomar um banho. Afogo minhas lágrimas na banheira. Depois de um longo tempo no banho, eu saio e vou para o meu quarto. Ponho um moletom cinza e desço para a sala. Emily e Mike estavam assistindo a um filme de terror. Odeio filmes de terror, mas hoje eu assisto qualquer coisa. Sentei-me do lado dos dois. Ninguém falou nada e isso foi bom. Puggi pede para subir e eu o pego. O filme todo eu resmunguei coisas como " que patético", " obviamente você como mocinha do filme vai sobreviver. Aff" nem parecia que eu não gosto desse tipo de filme. Eu estava amarga, mas não culpo a vida por isso, culpo quem fez o que fez com Ezra. Assim que o filme acabou me levantei e peguei o copo d'água. 
- Ari. Estamos muito preocupados com você- disse Emily.
- Por quê?
- Você não é assim.
- É mais eu resolvi mudar.
- Mas Aria...- Mike tenta argumentar mas eu o empeço.
- Não estou afim de saber. Vai curtir a vida de vocês. Me errem- subo as escadas e entro em meu quarto. Sei que fui grossa, mas essa agora será a minha nova forma de me defender, por dentro serei a mesma Aria de sempre. Pego meu fone de ouvido e o conecto no meu celular. Ponho a música no ultimo volume. Quando eram 22:30 a porta do meu quarto se abre e Ella sai de lá.
- Ari- tiro o fone e a abraço- Não sei o que dizer.
- Não fale nada- fiquei um tempinho abraçada com ela, assim que a mesma me solta pego meu celular pronta para voltar a ouvir música e dormir.
- Antes de colocar o fone. Queria lhe entregar uma coisa. Na verdade não acho muito legal te dar o que tenho em mãos, mas sei que você vai querer algo dele- a mesma me da um envelope branco- Boa noite.
- Boa noite- Ella sai e eu ponho o fone. Abro o envelope e como se tudo tivesse sido combinado a música que eu considerei nossa e ainda considero( mas ele nunca soube disso) começou a tocar. Don't stand close to me- The police. O que tinha dentro do envelope era a nossa foto no meu aniversário, só que não era a foto que eu achei que seria. Era a melhor foto que eu já havia visto. Começo a chorar;

Não fique tão perto de mim- The Police
" Professor jovem, o tema da fantasia da colegial
Ela quer muito que ele saiba, o que ela quer ser
Dentro dela está o desejo
Está garota é um livro aberto
Marcador de livro, ela está perto

Ela tem metade da idade dele.
Não fique tão perto de mim
Não fique tão perto de mim

As amigas estão enciumadas
Sabe como as garotas são más
As vezes não é fácil ser a queridinha do professor

Tentação, frustração
É demais, a fazem chorar
Na chuva, ela espera o ônibus
O carro dele está quente e seco

Não fique tão perto de mim
Não fique tão perto de mim
Não fique tão perto de mim
Não fique tão perto de mim

Fofocas na sala de aula só para feri-la, elas tentam e tentam 
Palavras pesadas no vestiário 
Acusações voam 
É inútil, ele a vê, e ele começa a tremer e tossir 
Tal como o velho do livro de contos de fadas do Nabakov

Não fique tão perto de mim
Não fique, não fique tão
Não fique, não fique tão perto de mim
Não fique, não fique tão 
Não fique, não fique tão perto de mim
Não fique tão perto de mim

Por favor, não fique tão perto de mim
Por favor, não fique tão perto de mim
Por favor, não fique tão perto de mim"



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...