História Um Amor Para Recordar - 2 Temporada - Capítulo 22


Escrita por:

Postado
Categorias Pretty Little Liars
Personagens Aria Montgomery
Visualizações 2
Palavras 2.205
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 22 - Amor incondicional (penúltimo capítulo)


Acordo com o meu despertador tocando, "furioso" por estar me chamando desde 5:30. Desligo-o e resolvo levantar. Tomo um banho e aliso meus cabelos, deixando apenas as pontas enroladas. Ponho o uniforme e ao invés do blaser azul resolvo por uma jaqueta de couro preta, calço minha bota com o salto mais alto que eu tinha e me maquiei. Vou até a penteadeira pegar meu celular e sorrio quando vejo a nossa foto colada no espelho. Mas meu sorriso logo se desfaz quando finalmente reparo que estou com algumas mechas rosas em meu cabelo. Esforcei o máximo para lembrar o que merda eu havia feito e depois de um tempinho lembrei. Na noite passada depois de chorar muito ouvindo "The Police" várias vezes seguidas olhando o que minha mãe havia me dado, resolvi ir ao mercado comprar tinta para cabelo. Sim, eu comprei tinta rosa e pintei meu cabelo. O por quê disso? É algo desconhecido. Sei lá, acho que eu queria voltar a ser a Aria de antes, a Aria que eu era antes de conhecer ele. Na verdade eu não queria, eu ainda quero. Desço as escadas e assim que me viram( Ella e Mike), pararam de conversar imediatamente. O copo que Ella estava levando para a mesa, caiu no chão e a colher que Mike segurava também caiu. 
- Que caras são essas? Até parecem que viram um fantasma- vou até a mesa e pego uma maçã verde.
- Eu acho que vi- disse Mike.
- Eu ainda estou vendo- falou Ella me olhando de cima a baixo.
- Estão falando disso?- pergunto mexendo em meu cabelo. Os dois assentem- Acostumem-se, pois por enquanto eu não irei mudar- abro a porta de casa e vou até meu carro. Dirijo até Rosewood Day um pouco mais rápido devido ao meu atraso. Quando cheguei tentei ignorar o máximo os olhares de pena e os pêsames e principalmente os olhares nojentos e espantados das patricinhas sobre meu novo look, ou melhor, velho look. Entro na sala e Emily e Caleb vieram até mim.
- O que aconteceu com você?- pergunta Emily.
- Nada. 
- O que foi Em? Ela está incrível! Nunca achei que iria te ver assim- fala Caleb.
- Na verdade esse é meu look antigo, mas como você não me conhecia...
- Pena não ter te conhecido antes- ele piscou. Eu e Caleb rimos. O professor e uma menina baixinha( até um pouco mais baixa que eu. Se é que isso é possível), com olhos cor de mel, morena e de cabelos pretos lisos com algumas mechas azuis entraram na sala.
- Bom dia Alunos. Eu queria lhes apresentar Luana. Ela não é nova aqui em Rosewood Day, a mesma cursou seu primeiro ano do ensino médio aqui, só que no período noturno. Luana é brasileira, mas fala inglês fluente- todos são boas vindas- Luana sente-se ao lado da Courtney atras da Aria por favor- Luana concordou e veio até sua cadeira atrás de mim. Quando me viu precisou respirar fundo para seguir em frente. O que foi aquilo? Tenho certeza de que não a conheço. O professor segui sua aula. O dia foi se arrastando e na hora do intervalo nem quis comer. Quando terminou todas as aulas e eu estava prestes a entrar no carro Luana me chamou:
- Aria não é?- pergunta com um sotaque em meu nome. Se é assim que os brasileiros falam eu sinceramente recomendo que façam aulas de inglês urgentemente!
- Isso. Aria- digo corrigindo meu nome- E você é a Luana não é?
- É. Eu queria falar com você. 
- Já está falando. Prossiga- a mesma franziu a testa.
- Você era a namorada de Ezra não é?- pergunta Luana. Suspiro.
- Sim por quê?- cruzo os braços.
- Ezra já deve ter te contado que o mesmo já foi para o Brasil né?- assinto com a cabeça- Então nós nos conhecemos lá. Eu estava no meu nono ano e ele estava atrasando a faculdade para conhecer o mundo. E o real motivo para eu vir para Rosewood é o seu enterro. Eu fiquei sabendo de tudo. Passei apenas seis meses ao lado dele mas, já dava para perceber o quanto ele era especial. 
- E ele era- digo segurando as lágrimas.
- Por isso tenho receio que não precisamos passar por isso sozinhas. Até porque eu sei o quanto vocês se amavam. Ezra escrevia todos os dias para mim. E de mil palavras, novecentas e noventa e nove  eram sobre você e o um que sobrou era o "Oi" dele- rimos.
- Então você está querendo ser minha amiga?
- Sim, quando te vi fiquei encantada com as suas mechas rosas! Não achei que você era desse estilo!
- É bem, digamos que esse não é meu look de um dia atrás...
- Mas, Aria se não quiser ser minha amiga eu irei entender. Nem sempre precisamos de mais alguém em nossas vidas- eu fiquei em silêncio, pensando no que Luana disse. Acho que demorei de mais, porque a mesma se virou para ir embora.
- Luana espera- ela se vira- Acho que podemos tentar.
- Serio?- ela levanta uma sobrancelha.
- Serio- digo sorrindo.
++++++++++
É hoje. O dia que eu mais rezei para não existir, chegou. Tomo banho e penteio meu cabelo, fazendo um coque com alguns fios soltos. Passo uma maquiagem de leve e ponho um vestido preto juntamente de um salto. Pego o discurso e minha bolsinha. Desço as escadas e todos já estavam lá. Mike, Ella, Emily, Luana, Caleb, Courtney e Byron. Os mesmo me dão um abraço em coletivo e fomos para a igreja de Rosewood. Rose estava na porta cumprimentando  todos que chegavam, quando a mesma me viu caiu o no choro. Nos abraçamos e Rose tirou um papel de sua bolsa.
- Aria, querida. Quando estavam revistando o apartamento do Ezra, acharam isto. Como você pode ver, está escrito que era para você, para este dia. Ezra escreveu, porque eu conheço a letra do meu filho. Mas leia depois da cerimônia, ok?
- Ok- entramos e nos sentamos. O padre falou algumas coisas e depois me chamou para ler o discurso. Respirei fundo e fui até o altar. Abri o papel.
-Bem, eu não sei como começar, mas infelizmente sei como terminar. Ezra foi o primeiro homem que eu amei com todas as minhas forças, e tenho receio que será o último. Quando estávamos no banheiro daquele bar, eu não sabia o risco que iríamos correr para nos amarmos. A primeira conversa, o primeiro elogio, o primeiro toque, o primeiro beijo... Foram inesquecíveis e ainda são. Quando senti sua boca em contato com a minha, eu fiquei sabendo que era ele que eu queria, e ainda quero. Quando numa segunda-feira, Ezra entrou pela porta daquela sala e se apresentou como "Mr.Fitz", eu senti que a partir daquele momento iríamos querer muito mais um ao outro. Passamos por poucas e boas, mas é a vida. Como diz umas das musicas que nos define " Briga, separa, quebra a cara e volta a ver, que sem o outro a vida é tão sem graça", e realmente minha vida está sem graça sem ele ao meu lado, sem ele para me fazer sorrir. Sempre que eu ficava sem o Ezra, era como se a vida não fizesse mais sentido, é o que estou sentido agora. Mas digamos que eu demorei a perceber, que queria ter o Ezra de volta. Demorei a perceber, o quanto ele me amava, mesmo Ezra sempre se declarando para mim. Demorei a perceber, o quanto eu o amo, e que o mesmo é insubstituível. Demorei a perceber, que eu tinha um príncipe do cavalo branco dos contos de fadas ao meu lado o tempo todo. Demorei a perceber, quando tempo perdemos com nossas brigas ridículas. Demorei a perceber, que cada segundo ao lado dele era valioso. Demorei a perceber, o quanto eu queria estar dizendo tudo isso para ele agora. Posso conhecê-lo a apenas um ano e cinco meses, mas posso dizer que o amei e o conheci muito mais que muita gente aqui. Não estou dizendo que sou superior a vocês. Estou apenas dizendo que passei tempo suficiente ao lado dele, para amá-lo intensamente e conhecê-lo tão bem, a ponto de saber quantos fios de cabelo ele tem e qual é a sua altura. Sei seus medos, problemas, desejos etc. Assim como ele também sabia tudo isso meu. Digamos que Ezra foi meu primeiro tudo. Primeiro amor proibido, primeiro amor correspondido, primeiro professor que eu beijei, primeiro homem que eu beijei( sim, meu primeiro beijo foi no bar com ele) e... Bom, como tem crianças, amigos, familiares de Ezra e meus pais, é melhor eu parar por aqui- risos- Muitos vão ficar surpresos mas, eu fiquei ano passado grávida do Ezra- alguns olhares surpresos vieram até mim- Mas eu perdi a criança e vocês não sabem como eu queria ter tido ela. Vocês devem estar me achando uma chata com esse discurso de 2.000 palavras e acham que eu contei toda a nossa história juntos. Mas não, isso não passou nem do começo. Já dizia a minha querida Hazel Grace " O enterro não é para os mortos e sim para os vivos", mas eu irei quebrar essa regra. Ezra sempre me disse que me amava e eu também, só que faltou uma coisa para terminar nossa história. Duas últimas frases- guardei o papel e olhei para a porta imaginando que Ezra estava ali- "Ezra onde quer que você esteja, volte pra mim, porque essa vida não é uma vida sem você!"- aplausos. Eu já estava a soluçar quando o vi. Ezra estava parado na porta com seu terno impecável. Olhei para minhas mãos, isso só pode ser uma miragem cruel da vida, ou por eu não ter comido nada, ou por eu estar com os olhos embaçados. Belisquei-me com força e levantei meus olhos. Mas Ezra ainda estava ali me olhando. O mesmo estava com um sorriso contagiante e estava chorando muito. Eu sabia! Desci com cuidado o altar mesmo estando com muita pressa para abraçá-lo, eu ainda usava meu salto de cinco centímetros. Quando estou indo até ele, Rose me para e eu sou obrigada a me virar para ela. Mas que porra!
- Foi lindo querida! Simplesmente amei!
- Obrigada- me viro novamente para ir até o amor da minha vida. Só que paro bruscamente quando vejo que o mesmo se foi. Mas para onde? Por que não me esperou? Quem o quer morto? Começo a chorar igual a criança quando seu brinquedo favorito se quebra. Emily vem correndo me abraçar. Depois de minutos naquele doloroso lugar, finalmente estava na hora de irmos embora. Só que ai lembrei da carta de Ezra.
- Emily, você pode ir indo com os outros. Eu tenho que resolveu algo.
- Ok- ela sai sem discutir. Sento- me debaixo de uma árvore a alguns metros de distância da igreja e pego a carta em minha bolsa.
" Minha querida Aria Marie Montgomery.
Eu sei que você está a sofrer mas por favor não chore por isso, gosto do teu sorriso. Você deve estar com muitas dúvidas em sua cabeça. Como por exemplo: " Por que raios Ezra mentiu para mim" ou " Quem foi o desgraçado que sumiu com o corpo dele!?" Infelizmente não posso respondê-las, tenho que te proteger. Minha gnoma saiba que eu estou bem, e só continuarei bem enquanto você estiver maravilhosamente bem. Viva sua vida porque você ainda tem muito pela frente! Tem que aprontar muitas coisas ainda, tem que beijar muito também. Nossa que difícil! Não consigo imaginar você beijando outras bocas que já me da uma raiva( risos). Porque se você não sabe a vida sem você é como o sol sem a lua, o dia sem a noite, o calor sem o frio, é uma mãe sem um filho. Então considere que eu te amo e que te amarei além da minha vida. Sabe como é difícil ter que escrever essa carta olhando meu bebê dormindo? Você parece um anjinho, meu anjo. É gostoso ver seu peito subir e descer devido sua respiração, mesmo você estando com o mesmo para baixo. Sentirei falta do seu carinho, seu toque, seu beijo. Sentirei falta de tocar em suas costas nuas e macias igual a que estou vendo agora. Mas lembre-se, "O para sempre é composto do agora". Então para termos o nosso para sempre desejo que você viva o agora. Estou com vergonha de dizer isso mas, escrevi uma música para você. Ela se chama "incondicionalmente" e ela é assim:
Amor, a morte me pegou e eu não irei voltar a vida.

Amor, fiz uma canção para você nunca me esquecer

Você é mais importante do que tudo, você é mais importante do que o mundo

Eu te amo incondicionalmente 
Eu te amo com todas as minhas forças
Nosso amor é maior do que a morte e te peço que não me esqueça

Também peço que quando você se lembrar de mim, não chore por minha falta

Te amo incondicionalmente, meu amor"

Meus olhos já estavam embaçados novamente. Abracei minhas pernas e fiquei ali chorando manchando o papel.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...