História Um Amor Profissional! -Byun Baekhyun | Long Imagine- - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol
Tags Baekhyun, Byun Baekhyun, Eunha, Exo, Gfriend, Jung Eun-bi
Visualizações 301
Palavras 2.635
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Então, eu pretendo acabar com a fanfic logo logo..
Não quero escrever uma fanfic longa de 100 e poucos capitulos, uns 22 tá ótimo
Até porque chega a um ponto em que não conseguimos mais prolongar a fanfic e também, ela fugiu um pouco da história
Por causa que o Baek na verdade deveria ter sido muito frio com todo mundo, ele não deveria ter feito amizades com o pessoal e nem ter beijado a Eunha muito rápido
Mas eu acabei fugindo da verdadeira linha pra seguirkkkk eu acho que fiquei mais animada fazendo um Baek alegre e rodeado de amigos do que ele sozinhokk MAS NAO ERA PRA TER SIDO ASSIMKKKKK
Então eu não posso voltar mais atrás
E ter seguido essa linha, fez com que a fanfic fosse um pouco menor do esperado
Mas é claro que tem muita coisa pra esclarecer ainda. Como o Chanyeol vai ficar com a Nipeo? Quem é Suzy? Quem ligou pra Eunha? Nipeo vai ficar bem? Baek vai aceitar namorar enquanto trabalha? Baek vai deixar mesmo que o amor interfira em seus projetos?
Pois é
Muita coisa mesmo
Então não desanimem ;;
E desculpa a demora pra atualizar, tô passando por uma fase desanimadora na minha vida
Pois é
Vontade de escrever tá lá no poço owo
Fazer o que, faço o que posso para me animar
Mas as séries tem sido cada vez mais confortantes e protetoras
Vocês sabem, escondida de todos e do mundo no sofá da sala assistindo alguma série animadora uwu
Ok, chega de enrolação e.. vamos tentar dar um fim legal pra estória ;)
Boa leitura!

Capítulo 16 - Você ouviu, Eunha. Eu gosto de você.


Fanfic / Fanfiction Um Amor Profissional! -Byun Baekhyun | Long Imagine- - Capítulo 16 - Você ouviu, Eunha. Eu gosto de você.

Anteriormente:

Jo -Tá de sacanagem.-

Atualmente:

Eunha-

[Estúdio, Seoul, Coréia]

[01;36]

Joo Young andava em círculos descabelando seu cabelo curto que estava crescendo. Ji-eun tentava subir um pouco sua mão para encontrar sinal e ligar para alguém nos tirar daqui. Baek e Chanyeol conversavam sobre alguma coisa no sofá da sala do estúdio. E eu estava sentada na ponta do sofá iluminando Joo Young andando em círculos –já que era a única coisa que eu pudesse fazer para ajudar–.

 

Eunha —Eu acho que vocês estão exagerando.— Exclamei cruzando os braços esperando Joo Young se enfurecer.

 

Jo —Não sei como não entrou em pânico por estarmos presos aqui e no escuro!— Dizia gritando e fazendo gestos com as mãos. —A gente vai morrer aqui.— Fez um tom estranho na parte do 'morrer'. Ela se sentou no chão em forma borboleta.

 

Eunha —Não há nenhum problema em dormimos aqui apenas UMA noite. Se o Diretor trancou a gente aqui, era porque ele queria que nós trabalhássemos para o drama!— Tentei anima-los, mas eles são muito pessimistas. —Ji-eun! Você, o que você acha de trabalhar?— Ela me olha com seus olhos prestes a revirar.

 

Ji —Quer saber o que eu acho? Eu acho que o Diretor foi negligente em nos trancar aqui dentro.. e sem energia.— Bufou cansada abaixando sua mão do alto.

 

Jo —Isso, vamos processar ele.— Falou animada se levantando do chão.

 

Eunha —Não! Você tá maluca?— Pergunto me levantando e indo em sua frente. —Não podemos processar o Diretor, ele não fez nada de errado.—

 

Jo —Ele ter nos deixado presos, sem energia, no estúdio, não é suficiente?— Balanço a cabeça negando. —Eunhazinha... o Diretor foi negligente e pronto. Aceita que dói menos.—

 

Eunha —Já disse antes e vou repetir, vocês são TODOS exagerados.— Falei, me joguei no sofá e enfiei minha cara na almofadinha.

 

Ji —Droga, nem tem sinal aqui.. por que não tem sinal no centro da cidade? Aish, que coisa estranha.—

 

Jo —E vocês dois?!— Gritou para Chanyeol e Baekhyun. —Não vão sei lá.. arrombar a porta pra gente ir pra casa??—

 

Baek —Não somos fortes, Joo Young.— Disse rindo. —Tenta arrombar vocês, estamos conversando sobre coisas importantes.—

 

Jo —Ah é?! De quê estão conversando?— Ouvi Joo Young ir até eles. —Ah tá, e desde quando conversar sobre prostitutas é importante?— Levantei meu rosto confusa.

 

Chany —Você poderia ter falado baixo..— Murmurou coçando a cabeça.

 

Baek —É que sabe, conhecemos muitas prostitutas.. e eu queria arrumar uma pro Chanyeol. Sabe como é, né?— Baek me olhou de relance e forçou um sorriso.

 

Jo —Não, eu não sei como é e nem quero saber! Vocês garotos conversam de tanta coisa vergonhosa. Depois me perguntam porque sou lésbica.—

 

Todos começaram a discutir e a minha vontade de ficar com a cabeça pra cima foi pro ralo. Me deitei de barriga pra cima e fiquei olhando para o teto enquanto pensava em músicas de dois minutos em minha cabeça. Ficava com meu celular ao meu lado com a lanterna acesa, já que tenho um pequeno pavor de escuro –aquele pavor de chorar ou imaginar coisas subindo na única fonte de luz.. é horrível–.

Mas eu conseguia me virar. O único problema, era que nós estávamos presos e todos são um bando de lunáticos. Joo Young, fica andando em círculos toda hora e nem parece que está pensando em uma forma para nos tirar daqui. Ji-eun, espera que algum tipo de milagre aconteça para que surja do além algum sinal para ela ligar para alguém. E quanto a Baek e Chany? Eles conversam de prostitutas –e não ironicamente–.

 

Ji —Olha, quer mesmo saber o que eu acho, Joo Young?— Os dois minutos acabaram e escutei a voz da Ji. —Então tá, o que eu acho é que o Diretor nunca faria isso com a gente. E Chanyeol, você até perguntou para ele se ele iria trancar a gente aqui, e ele disse que não!—

 

Chany —Vai ver ele tava mentindo, deeêeer..— Falou fazendo um gesto estranho com a mão.

 

Ji —Vamos dizer que ele não estava mentindo, vai ver alguém tenha feito isso no lugar dele.— Ela sorriu alegremente, deveria estar contente com a sua suposição. —Pensem comigo! Todo mundo odeia o Chanyeol!—

 

Chany —Espera aí, por que alguém trancaria nós aqui por minha causa? Além disso, eu acabei de me recuperar! Quem seria o sem coração que faria isso?— Cruzou os braços emburrado. Joo Young se sentou ao lado dele e fez carinho em seu ombro.

 

Jo —É Chanyeol, todo mundo te odeia—

 

Eunha —Eu não odeio o Chanyeol.— Entrei na discussão me sentando na cama.

 

Ji —Você não conta, Eunha.— Abri minha boca para perguntar, mas ela me interrompe. —Porque você é positiva demais e feliz com todo mundo. É claro que você não odeia o Chanyeol.—

 

Chany —O voto dela conta sim! Pelo menos a Eunha gosta de mim.— Chanyeol sorriu e piscou para mim.

 

Baek —Ya! A Eunha também gosta de mim!— Baekhyun se intrometeu que nem eu. Ele estava com um biquinho fofo nos lábios.

 

Jo —Eunha também gosta de mim! É claro que eu tenho a maior oportunidade, não é Eunha?— Todos olharam para mim e eu engoli seco.

 

Ji —Pare de se gabar, Joo Young. Todos nós sabemos que o único que tem chances com a Eunha, é o Byun Baekhyun.— Exclamou em um tom ouvinte. Joo Young e Chanyeol bufaram olhando para o chão ou para o teto. —Chega de discussão e vamos arrumar algum jeito de sair daqui.—

 

Baek —Por que vocês querem tanto sair daqui?!—

 

Ji —Esqueci de trancar a casa.—

Jo —Esqueci de trancar a casa.—

Eunha —Tenho medo do escuro.—

 

Nós três dissemos ao mesmo tempo. O estranho foi que todos olharam para mim. Pensei que isso não seria nada demais, pensei que não fosse nada ter medo de escuro.. Mas eu acabei me envergonhando. Eu encarei Baekhyun que também me encarava, só que... ele sempre estava me encarando de maneira diferente. Chanyeol estava me encarando sorrindo, ele parecia ter achado fofo eu ter medo de escuro. Jieun e Joo Young me olhavam sorrindo também, só que não achado fofo. Elas estavam tentando segurar a gargalhada presa na garganta de ambas –Além de que elas estavam com umas caretas bem engraçadas–.

 

Eunha —Ei.. não riam de mim.— Murmurei triste. Jieun e Joo Young já estavam morrendo de tanto rir. —Aish, eu disse para não rirem de mim..—

 

Todos começaram a rir agora, Chanyeol e Baekhyun estavam rindo da risada delas. Eles riram tanto que tiveram que colocar suas mãos na lateral da barriga para aliviar um pouco a dor de tanto rir. Eu não conseguia rir com medo, então eu sorria com medo. Queria ir pra casa, para minha casinha pequena e sufocante. Eu não sei o que deu em mim, eu estava com saudades de ficar sozinha? Talvez.. Saudades da Jennipeo? Talvez.. Saudades das 'beijocas' que eu dava e recebia de Byun Baekhyun? Talvez....

 

Ji —Sinal! Finalmente!— Jieun me tirou dos meus pensamentos pulando em cima do sofá. —Vou ligar para alguém do estúdio vir nos buscar!—

 

Baek —Voc~e acha que alguém vai atender? Já são duas horas da manhã.— Baek cruzou seus braços e suas pernas. —Quem estaria acordado a essa hora e gostaria de vir nos tirar daqui?—

 

Jo —Eunha.— Olhei para ela. —Essa é a hora em que você precisa dizer coisas positivas para nos animar!—

 

Eunha —Não tô positiva..— Joo e Ji me olharam em choque. —Nem sempre estamos positivas, certo?—

 

Jo —Você tá bem? Tá com febre? Quer que eu chame algum médico?— Perguntou várias coisas se sentando ao meu lado e colocando uma de suas mãos em minha testa. —Falando meio sério agora, você tá com febre mesmo.—

 

Eunha —Por que eu teria febre?? Tem certeza?— Perguntei confusa.

 

Baek —Ah Joo Young, todos nós sabemos que você é doida. Deixa eu dar uma olhada.— Baek veio até mim tirando Joo do meu lado e se sentando nele. Ele colocou uma de suas mãos na minha testa. Senti meu coração palpitar. Ele pulava como se estivesse em um pula-pula. —Parece que tá com um pouquinho de febre..—

 

Chany —Sai pra lá, vai.— Chegou a vez de Chanyeol por sua mão na minha testa. —Ela tá pegando fogo, isso sim.—

 

Eunha —Não exagera, Chanyeol.— Falei segurando o riso. —Eu vou ficar bem.—

 

Ji —Ela falou que tá vindo pra cá.— Disse se sentando do outro lado do sofá.

 

Jo —Ela quem?—

 

Ji —Minna!— Gritou animada. —Ela disse que foi ela que esqueceu de deixar destrancado.—

 

Baek —Tinha que ser ela, aigoo.— Baek sorriu. Parece ter se lembrado de algo.

 

Depois de sabermos que alguém viria nos buscar, todos ficaram quietos. Ninguém fez questão de puxar assunto. Admito que também não estou nem um pouquinho afim de conversar. Me sinto mais mole do que nunca. Mas o bom é que eu estou suportando isso, –mesmo que seja agoniante–.

 

Chany —Isso é estranho..— Murmurou Chanyeol, quebrando aquele silêncio ruim e atraindo os olhares de todo mundo sob ele. —A Jieun e a Joo terem calado a boca.— Eu e Baek começamos a rir ao ver a cara que as duas fizeram.

 

Ji —Hahahaha, bem engraçado.— Falou se ajeitando no sofá. —Que tal vocês calarem a boca e aproveitar esse silêncio majestoso que vocês tanto esperaram?!— Gritou fazendo todos pararem de respirar por dois segundos. —Que bom!—

 

[...]

[02;58]

Todos estavam acordados, tirando Chanyeol, que babava na sua própria mão. Vimos a luz de um carro sendo estacionado logo à frente do estúdio e já nos levantamos indo até a porta. 

 

Jo —Finalmente! Finalmente podemos ir para nossa casa!— Gritou de felicidade e com uma voz emocionada. Chanyeol se assustou e acabou caindo do sofá.

 

Eunha —Minna!— Gritei o nome dele esperando que ela já estivesse saindo do carro.

 

Baek —Vocês já pensaram na possibilidade de não ser a Minna?— Baek surgiu atrás de mim.

 

Eunha —É ela sim.— Disse positiva sendo retribuída com sorrisos. —Tenho certeza que é ela!—

 

Uma silhueta toda preta apareceu na frente da porta de vidro e a destrancou. Quando nós apontamos a lanterna para ela, quase infartamos. Mas não teve motivo, a gente tava meio tenso por ter passado tanto tempo preso no estúdio.

 

Minna —Eu realmente sinto muito por ter esquecido de vocês aqui.— Minna se curvou.

 

Chany —Não foi o Diretor que mandou você nos trancar aqui, não é?—

 

Minna —Quê? Claro que não.— Respondeu sorrindo. Todos nós suspiramos aliviados. —Por que ele faria isso com vocês?— Perguntou dando passagem para nós passar para fora.

 

Eunha —Chanyeol tá achando que ele queria nos dar o troco por termos faltado um dia de trabalho.— Respondi indo para fora e desligando a lanterna do meu celular. —Mas é óbvio que o Diretor não seria tão infantil assim, não é?— Pergunto sorrindo e Minna assobia revirando os olhos.

 

Baek —O Diretor já fez isso uma vez.. mas foi em uma situação... diferente.— Sussurrou a última parte saindo de lá.

 

Minna —Creio que você não quer contar isso para ela, não é Baek?— Minna disse sorrindo e dando um tapa no ombro dele.

 

Eunha —Qual era a situação diferente?— Eu realmente queria saber, mas eles não queriam contar. —Vamos lá, por favor! Me falem..— Fiz aegyo tentando arrancar alguma coisa, mas nada. —Mataram alguém então.— Cruzei os braços emburrada.

 

Minna —Não vamos contar apenas para o seu bem. Não tenta descobrir, hein?— Olhou para mim desconfiada e eu suspirei levantando minha franja para o ar.

 

Eunha —Tá bom, aish..— Jieun e Joo Young saíram e Minna foi trancar. —Me conta, por favor.—

 

Minna —Você não quer saber, acredite.— Ela riu saindo com a chave em mãos. —Querem carona?—

 

Jo —Não precisa, nós vamos no meu.— Respondeu mostrando a chave do carro nas mãos. —Vou na frente, andem logo!— Correu para o carro.

 

Baek —Preciso conversar com você sobre algo..— Ouço sua voz na cola do meu ouvi e me arrepio. —Não é nada sério, mas precisamos falar disso a sós.— Sussurrou a palava "a sós".

 

Eunha —Tudo bem.. conversamos em casa.— Sorri para ele desconfiada.

 

Entramos dentro do carro e Joo Young deu partida. Uma coisa que não tínhamos percebido, é que Chanyeol não estava no carro.

 

Jo —Ele vai nos matar?— Perguntou Joo Young dando ré descontroladamente.

 

Baek —Não seria capaz.— Ele ria imaginando a cara que Chanyeol ficaria. —Mas acho que ele vai gritar bastante.—

 

Ji —Vocês foram cruéis com ele..— Jieun entra na conversa com olhinhos tristes. —Me sinto triste por vocês.—

 

Eunha —Você também não se lembrou dele.—

 

Ji —Shhh, pare de mentir. É claro que sabia que ele não estava no carro, foram vocês que deram a partida rapidamente.—

 

Jo —E além de tudo, aposto que ele ficou andando que nem uma lesma.—

 

Joo Young mal destrancou as portas do carro e Chanyeol entrou todo emburradinho. Ele estava fofo e quietinho com aquele biquinho comum nos lábios. Suas orelhas estavam vermelhas de raiva ou de frio, nunca iremos saber. Estava um completo silêncio desde que ele entrou e ninguém ousou quebrá-lo.

[...]

[Casa da Joo Young, Seul, Coréia]

[03;44]

Chany —Como vocês podem ter me esquecido lá fora?!— Chanyeol gritava dentro do carro. O que eu mais desejava era sair daqui e ir direto para cama. —Ninguém vai falar nada? Muito bem! Eu converso disso mais tarde então.— Saiu do carro emburrado e fechou a porta com força.

 

Baek —Eu não vou ficar me voluntariando pra ouvir ele falar, quem vai pedir desculpas?— Todos saíram do carro.

 

Jo —Tô com a maior preguiça..— Joo se despreguiçou cansada.

 

Ji —Acho que o mais adequado seria todos pedirem desculpas à ele.—

 

Eunha —Acho que é o mais apropriado e chato..— Falei entrando na sala e indo direto para o corredor.

 

Fui para o quarto, mas antes de entrar pude ver Chanyeol jogado na cama encolhido. Não queria consolar, não queria ouvir gente reclamar. Só queria me jogar em alguma cama macia e dormir. Talvez o trabalho que eu tanto estava ansiosa, estaria me deixando cansada demais? –Nah, ter ficado lá por muito tempo com eles que me deixou cansada–.

Entrei em um quarto qualquer e me joguei na cama. Eu senti que poderia fechar meus olhos que iria dormir instantaneamente. Mas alguém entra no quarto fazendo eu abrir meus olhos lentamente. Era o Baekhyun.

 

Eunha —Baekhyun? O que você tá fazendo aqui?— Perguntei me sentando na cama.

 

Baek —Não queria dormir com Chanyeol e também, preciso falar com você.— Disse se sentando ao meu lado e pegando em minha mão.

 

Eunha —Não pode ser depois?— Pergunto chorosa e com sono. Ele nega com a cabeça. —Então, o que é essa tal coisa que você quer tanto falar comigo?!— Estava impaciente e estressada por ele não ter deixado eu dormir. Ele pegou na minha mão suavemente me deixando confusa.

 

Baek —Eu gosto de você.—

 

Eunha —Espera, o que?—

 

Baek —Você ouviu, Eunha. Eu gosto de você.

Continua..

>..

>..

>..

??♪ღ♪░B░Ô░N░U░S░ ♪ღ♪??

Sehun-

[Miami, Flórida, EUA]

[15;30]

Chen —Caraca, você viu aquela?!— Sussurrou Chen me olhando. —Ela piscou pra mim! Cara, todo mundo gosta de coreanos.

 

Sehun —Acho que você nunca ouviu falar de homens e mulheres que odeiam coreanos e coreanas..— Disse após tomar um gole do meu suco.

 

Chen —É assim, muitas mulheres brasileiras ou sei lá, qualquer mulher gosta de coreano. E qualquer homem gostar de coreanas.

 

Sehun —Por que você pensa desse jeito, cara? Pessoas tem seus gostos, é normal elas não gostarem de coreanos.

 

Chen —Não gostam de coreanos por conta da famosa história de que nós temos pinto pequeno.— Arregalo os olhos surpreso.

 

Sehun —O que?! Eles pensam que nós temos pinto pequeno?!

 

Chen —Quase todo mundo..

 

Sehun —Vamos dar um jeito nisso..— Digo pensando em algo meio infantil, mas um ótimo plano.

*:o)


Notas Finais


eu sei que o cap tá bem pequeno e meio sem graça, eu acho???
mas eu prometo escrever algo maiorzinha entre esses dias
(eh decepcionante esperar tanto e ter só esse capitulozinho.. poise desculp)
ESTOU TENTANDO
AMO VOCES EH ISTO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...