História Um Amor Proibido - Adaptada (Mericcup) - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias A Origem dos Guardiões, Como Treinar o seu Dragão, Enrolados, Frozen - Uma Aventura Congelante, Valente
Personagens Anna, Elsa, Flynn Rider, Gothel, Jack Frost, Mérida, Norte, Personagens Originais, Rapunzel, Soluço
Tags Flynzel, Hiccrina, Jelsa, Mericcup
Visualizações 63
Palavras 934
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Incesto, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpa meu atraso amores.
O capítulo já está aqui, pronto para ser lido ^^

E aí, estão ansiosos para ler o fim dessa linda história de amor? :)

Capítulo 14 - Epílogo



Flynn sentado em sua poltrona marrom com um copo de whisky na mão, escutava de olhos fechados e com um sorriso no rosto Rapunzel tocar piano, dedilhando algumas notas nas teclas, tirando de cabeça a melodia Pour Elese de Bethoveen. As mãos da bela mulher percorriam as teclas do piano embalando a tão famosa canção. Ao fim da bela execução de Rapunzel, Flynn pós-se de pé e colocou o copo em cima da pequena mesa que jazia ao lado de sua poltrona marrom, e coube a ele a aplaudir a esposa, que sorria feliz pelo marido gostar de seu desempenho.

— Bravo... — Disse Flynn sorrindo e batendo palmas e se aproximando de Rapunzel, sentando ao seu lado. 

— De fato é uma bela melodia. Merida iria gostar de aprender a toca-la, a menina gostava de piano e... — Rapunzel olhou para seu marido que serrou os dentes e fechou os olhos.

Rapunzel sabendo que seu marido não gostava que falasse de Merida desde quando ela fugiu à três anos atrás, tentou concertar o que dizia:

— Quer dizer... Oh céus... Meu marido me perdoe, eu não queria dizer nada e...

— Não tem problemas... — Disse Flynn soltando todo o ar que guardava em seus pulmões. — Estavas tocando lindamente. Eu irei reposar... Me sinto indisposto.

Flynn levantou-se, deu um beijo na testa de sua mulher e foi para seus aposentos.

Rapunzel respirou fundo e olhou para as teclas do piano.

 — Sabes que não tens culpa, não é? — Elsa aparece na porta.

— Falei demais... Mas nós duas sabemos que a saudade ainda o consome. 

— Merida de fato trás saudades... Ela trazia alegria para essa casa. — Rapunzel e Elsa sorriram, e Flynn que ouvia tudo atrás da porta, deixou um sorriso aparecer em seus lábios.


***


Merida fecha a porta do quarto e vai até a sala, onde Hiccup está a escrever algo. Ele olha para ela e sorri, se levanta e deposita um beijo em seus lábios.

— Hiccup, eu andei pensando e...

— E...

— Eu eu... Eu quero voltar para Arendelle.

— Merida, nós já conversamos sobre isso e você sabe o que eu penso a respeito.

— Eu sei, mas é meu pai! Apesar de tudo o que ele disse eu sinto saudades, e não só dele, mas da tia Elsa, Jack e Rapunzel também.

Hiccup ia dizer algo, mas Merida logo o interrompe levantando a mão:

— E não diga que não estás a sentir saudades, pois sei que sente. — Merida sorri. — E eu queria apresentar os meninos à meu pai.

Hiccup respira fundo. Também sente saudades dos irmãos.

— Tudo bem... — Hiccup diz a Merida que abre um lindo sorriso. — Iremos amanhã.

— Oh Hiccup, não sabes o quão feliz estou agora. — Merida pula nos braços de Hiccup, lhe dando um abraço apertado.

— Eu amo você. — Hiccup diz com os olhos colados nos de Merida.

— Eu também o amo. — A garota sorri e dá um beijo em Hiccup.

Hiccup a tomou nos braços, precionando seu corpo contra o dela, fazendo-a soltar um gemido abafado. Ele a pega no colo, e Merida passa as pernas por sua cintura. Ambos passam pelo corredor e entram no quarto. Hiccup fecha a porta com o pé.

Hiccup deita Merida na cama e retira delicadamente seu vestido, deixando a nudez de sua mulher aparecer e o enfeitiçar. Ele arranca as próprias roupas com pressa. Olha nos olhos de sua mulher, fazendo seus olhares se intensificarem. Um sorriso apareceu nos lábios de ambos. Ele se encaixou entre as pernas de Merida. — Para ele, estar entre as pernas de sua amada era como estar no céu, ouvir seus gemidos e sussurros era como ouvir as mais belas canções. Para ela, sentir seu corpo ser dominado pelo seu amado, era literalmente sentir-se no Paraíso, lugar que não queria sair jamais.


***


A Carroagem para na frente da mansão Haddock.

Hiccup sai do veículo e respira fundo. Olha para frente e avista Elsa, que está a olha-lo com o rosto coberto por lágrimas.

Hiccup e Elsa deram um abraço, e Merida sai da carruagem, fazendo sua tia desmoronar de emoção, ainda mais quando vê duas belas criaturinhas, que aguardam sentados no banco da carruagem. [...]


— Flynn... — Hiccup chama pelo irmão, que vira-se e sente seu coração acelerar quando vê seu irmão e sua filha.

— O que fazem aqui? — Disse ele tentando manter uma postura firme, mesmo sentindo alegria por dentro.

— Senti saudades, meu pai. — Merida se aproxima de seu pai e lhe dá um abraço.

Flynn ainda tentando manter-se firme, não abraça sua filha de imediato, mas logo a saudade o domina e retribui o abraço de Merida, que sorri satisfeita.

— Quero que conheça duas pessoas. — A garota diz sorrindo. — Meninos... — Merida os chamam e logo duas pequenas crianças saem de trás de Hiccup.

— Flynn. — Hiccup diz pegando nas mãos das duas crianças. — Conheça seus netos.

— Kaleb. — Merida aponta para para o belo garotinho de olhos verdes e cabelos ruivos.

— E Katerina. — Hiccup sorri para a pequena garota de cabelos castanhos e olhos azuis. 

— Nossos filhos. — Merida sorri. — Vão dar um abraço no vovô crianças. — Merida diz aos filhos que logo obedecem.

Ao abraçar os netos, Flynn solta um sorriso, e todos ali, presentes na sala, sabiam que o antigo Flynn voltou, e que o coração amargo se derrete e que deu lugar a um coração bondoso e apaixonado, assim fazendo a alegria reinar novamente na mansão Haddock.

Hiccup e Merida olharam-se e sorriram. Deram um beijo profundo. Um beijo indicando que qualquer amor é mais forte que as regras, e que ninguém separa Um Amor Proibido.


                    FIM 



Notas Finais


Meus amores... é isso!
Espero de coração que tenham gostado.
E muito obrigado por me incentivarem a continuar, ajudando a Fanfic a ir pra frente.
Obrigado por serem tão compreensíveis com tudo e por lerem.

BEIJOS ❤❤

(Ps: Irei divulgar por aqui a minha próxima fanfic Mericcup, que será postada logo logo ^^)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...