1. Spirit Fanfics >
  2. Um amor proibido - Camila e Lauren (Yuri) >
  3. Terceira temporada - Droga!

História Um amor proibido - Camila e Lauren (Yuri) - Capítulo 19


Escrita por:


Notas do Autor


Aqui está mais um capítulo da terceira temporada dessa fanfic, espero que gostem.

Capítulo 19 - Terceira temporada - Droga!


Lia

Eu não estava acreditando no que eu estava lendo, na carta a Lauren pedia perdão ao país de Camila pois como a Sofia tinha tido a culpa era dela que a filha deles tinha morrido. Como assim morrido!? CAMILA ESTA VIVA!

Na carta a Lauren também dizia que se lamentava pelos erros que cometeu que eram quebrar o coração da Camila, e pensar que a pessoa que ela amava era a Minerva quando na realidade era a Camila e também dizia que o mais tinha doído no acidente não foi apenas ver a Camila ser atropelada e a mesma dizer que jamais tinha conseguido a odiar, é saber que não poderia voltar no tempo e que não aguentaria viver sem a Camila no mundo.

- Ela tá viva idiota – falei brava com mistura de tristeza e depois mordi meu lábio inferior.

Essa Sofia que me aguarde quando eu encontrar ela.

Sofia

Eu voltei para o hospital porque estava muito preocupada com o meu amor, e eu tive que insistir para me deixaram dormir no quarto da Camila afinal o horário de visita tinha acabado. Claro que depois que insisti e muito, a enfermeira deixou e fui em direção ao quarto da minha amada e quando estava quase perto me surpreendi ao ver o nome do quarto a frente do quarto da Camila.

- Lauren Jauregui!? – falei surpresa e confusa ao mesmo tempo enquanto parava em frente ao quarto que continha esse nome.

É claro que poderia ser qualquer Lauren devido ao fato que eu não sabia o sobrenome daquela vagabunda, mas para ter a certeza pensei em ir dar uma olhada.

Coloquei a mão na maçaneta e girei a mesma fazendo assim com que eu conseguisse abrir a porta, e quando eu abri vi que realmente era aquela vagabunda que estava ali.

- Não acredito nisso – falei entrando no quarto – O destino deve estar me testando – falei fechando a porta.

Fui indo até a Lauren e parei do lado da cama em que a mesma estava, ela está desacordada o que iria facilitar para mim.

Afinal, se o destino está me testando é claro que não irei perder a oportunidade que seria te matar a Lauren e dessa vez ninguém iria a ajudar.

- Seria tão fácil se você jamais tivesse entrado em meu caminha – falei colocando a mão sobre seu travesseiro enquanto sorria malignamente.

Ouvi a porta se aberta e logo tirei a mão do travesseiro da Lauren.

- Quem é? – falou uma médica entrando no quarto.

- Eu sou a Sofia, entrei nesse quarto querendo confirmar se a que estava aqui era a minha amiga – falei sorrindo.

É claro que não iria dizer que era para mata-la.

- Entendi – falou ela arqueando uma das sobrancelhas dela.

- Bom, agora que já confirmei – falei juntos as mãos – Irei ir até o quarto da minha namorada – falei andando em direção a porta.

Passei pela médica e saí do quarto da Lauren e assim que parei na frente do quarto da Camila...

- SOFIA – gritou alguém o meu nome e deu para perceber na voz que contínua raiva.

Me virei e vi que era a Lia, que estranho porque ela estava com raiva!?

- Lia, aconteceu algu-... – fui interrompida por um soco no meio da minha cara.

- Sua duas caras! – bravejou Lia depois que me deu um soco.

- VOCÊ FICOU LOUCA!? – gritei brava porque aquela babaca havia me dado um soco.

- Vou lhe dar um louca no meio dessa sua cara! – falava Lia enfurecida – Como ousa fazer uma coisa dessas!?

- Do que caralhos você está falando!? – falei sem entender nada.

- Você foi a culpada pela a Lauren ter tentado se matar – falava chegando mais perto de mim.

- Não tenho nada haver com isso, e se for verdade, a culpa não é minha dela ser tão dra-... – fui interrompida por um tapa no rosto.

Agora já chega, vou acabar com a raça dessa babaca.

Fui pra cima da Lia e puxei o cabelo dela com todo força e a mesma gritou de dor devido ao fato.

- Você é uma vergonha, sério que puxou o meu cabelo!? – falava Lia em tom de deboche com serio.

- Cala boca – falei dando um tapa no rosto da Lia.

Levei uma cotovelada com tudo no estômago e acabei soltando o cabelo dela devido a dor, e quando eu iria protestar recebo um outro soco e depois uma rasteira e por conta da mesma acabo caindo.

- Amadora – falou Lia dando uma risada nasal e claro debochando de mim – Parece que nem todas as brasileiras são iguais a amiga da Lauren.

Eu vou matar essa babaca, ah se eu tivesse uma faca já teria ganhado faz tempo!

Lia estava vindo até mim e então, resolvo dar uma rasteira e a mesma cai e quase bate a cabeça dela nos chão mas conseguiu parar devido as suas mão que pararam o impactado e quando eu estava prestes a dar uma cabeçada nela...

- Parem imediatamente – falou uma voz que era ninguém menos mas daquela médica – Aqui é um hospital e não um ringue – falou cruzando os braços.

- Porque não apareceu antes!? – falei incrédula tentando me levantar.

- Você merecia levar alguns tapas e também porque eu precisava de provas para poder fazer você ir presa, aliás a polícia acabou de chegar – falou apontando em uma direção.

Quando eu olhei, arregalei os olhos.

- Você está presa por fazer alguém quase se suicidar – falou a polícia feminina.

- Faz tempo que não te vejo em Aline – falou Lia se levantando do chão – Você está mais linda do que nunca – falou dando uma piscada para a policial feminina.

- Lia, estou no trabalho – falou a policial – Depois conversamos – falou suspirando – Quem foi que ela fez com que tentasse se suicidar?

- Sua amiga, Lauren – falou Lia – E ela é brasileira que nem você.

- Entendi, pena que nossos caráteres são diferentes – falou aquela tal de Aliene me olhando brava – Você vai vir comigo até a delegacia – falou tirando as algemas e vindo até mim.

- Só por cima do meu cadáver – falei me virando e estava prestes a correr mas senti alguém me segurando, me virei e vi que era a tal Aline – Me solta sua desgraçada – bravejei enquanto ela colocava os meus braços para trás.

- Você tem o direito de permanecer calada – falou colocando as algemas nos meus pulsos.

Não, eu não posso ser presa! Não agora, já sei o que irei fazer!

- Você está me machucando – falei fingindo estar com voz de choro – Está doendo muito, você tá me torturando! – falava.

- Se enxerga garota, eu nem estou te torturando – falou a policial incrédula – Para de drama.

- Alguém me ajuda, eu irei ser presa por injustiça – falava alto pois eu queria que alguém viesse.

Sabem, infelizmente tem os policiais corruptos e também tem os cidadãos que foram presos injustamente pelos mesmos mas claro que tem os honestos que acredito que no caso é essa tal de Aline e claro que me aproveitarei da situação.

- Cala boca! – falou Lia me dando um tapa no rosto – É por pessoas aproveitadoras como você, que as verdadeiras vítimas ou pessoas inocentes se ferram – falou ela irritada – Aline, irei com você até a delegacia devido que ela pode fingir que você a torturou ou algo assim e também porque tenho uma prova sobre o motivo dela ser presa.

Droga!


Notas Finais


Infelizmente tem gente que se aproveita da situação, o que é uma merda.
Enfim, espero que vocês tenham gostado e até o próximo capítulo que sai apenas no sábado!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...