História Um amor realmente doce - Capítulo 26


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Boris, Castiel, Charlotte, Dakota, Debrah, Iris, Kentin, Kim, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Nina, Peggy, Professor Faraize, Rosalya, Senhora Shermansky, Violette
Tags Amor Doce, Amor Doce Castiel, Romance
Visualizações 138
Palavras 1.294
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi, seus delícias. ;)
Hoje nem tenho como enrolar muito vocês ( :( ), e eu também quero ler um pouquinho hoje, tô viciando muito em fic gay, puta merda.
Vou ver se consigo terminar a fanart para a capa até amanhã a noite também, se não conseguir, provavelmente, ela só vai sair no próximo final de semana.
Enfim, boa leitura. ^ ^

Capítulo 26 - Esperança


- M-mas você vai denunciá-lo, não vai?

NÃO! Q-quer dizer - enfermeira que deveria estar me ajudando só está bagunçando ainda mais a minha cabeça, aliás, não é nada confortável discutir sobre essas coisas com pessoas que você nem conhece, até com conhecidos chega a ser extremamente desconfortável - é que... se ele estava sobre efeito de drogas, não tem uma total culpa do que aconteceu. E se realmente teve a intenção de usar, ele já será punido.

- a senhora vai me desculpar, mas isso não é certo. Eu sei que a decisão é sua, porém, não é só por que vocês são amigos que você deve deixar tudo passar para protegê-lo, isso não te protege. Ele precisa pagar pelo que fez, para que isso nunca se repita com ninguém. - suas palavras me confundiam cada vez mais. Minha cabeça estava dando um nó, e eu não sabia mais o que fazer. Nesse caso, sem escolhas, só segui minha intuição.

- Entendo, mas... Por enquanto, eu prefiro manter isso por debaixo dos panos. O que aconteceu pode trazer problemas ainda maiores para Nathaniel, provavelmente todo mundo iria cair em cima dele querendo matá-lo. Eu estou muito machucada com tudo o que me ocorreu, mas eu não quero machucá-lo também. Apesar de tudo, ele continua sendo um amigo muito especial para mim. Espero que em algum dia, você consiga entender minhas razões, mas, você pode guardar esse segredo para mim? - após hesitar por alguns segundos, ela assentiu para mim, me trazendo a esperança de que aquilo estaria apenas entre nós duas. Eu posso chegar a me arrepender no futuro da minha decisão de recusar parte de sua ajuda, mas para agora, acho que fiz a escolha certa.

- Isso é ótimo! Muito obrigada por me dar essa chance - ela me direciona um sorriso gentil - eu sei que mentir não é nada certo, mas nessa ocasião vai ser necessário. Você pode dizer que eu havia o visitado naquela noite e percebi que ele estava agindo estranho, impulsivo, meio desligado e quase psicótico. Não parecia ser ele mesmo. Eu estava realmente com medo, e quando meu namorado foi me buscar, ele tentou me levar de volta para dentro da casa e acabou sendo atropelado.

- A história não parece tão mal, mas o que chega a ser verdade aí?

- Tudo. Eu só não contei uma parte, mas sobre o que eu falei, foi tudo verdade.

- Entendo. Vou explicar para eles do jeitinho que você me disse, e querida - ela se aproximou de mim e tocou em meu ombro - se precisar de mim para qualquer coisa, até conversar, você só precisa apertar esse botão vermelho do lado da sua cama que eu virei imediatamente lhe ver, tudo bem?

- Está bem. Muito obrigada por estar do meu lado.

Ela já estava saindo do meu quarto quando de repente se virou rapidamente em minha direção.

- Inclusive, seus acompanhantes foram para suas residências por um minuto, mas só para organizar suas coisas. - eu consegui enganar até ela, sou mesmo incrível. Calma... Isso não é errado? - o médico irá vir te visitar em alguns minutos e sobre o outro assunto - ela colocou sua cabeça mais adentro do quarto e começou a sussurrar - eu vou levar algumas horas até conseguir o exame, mas assim que tiver os resultados, venho te avisar, e deixo oficialmente a decisão inteira para você.

- Acho que consegui acompanhar. Te vejo depois. - levemente, a porta do quarto foi fechada, e a enfermeira saiu caminhando apressada pelo corredor. Tadinha, acho que acabei lhe dando uma enorme dor de cabeça extra. Faço questão de lutar pelo aumento do seu salário.

Acho que como qualquer pessoa nessa situação eu estava totalmente dívida. Parte de mim dizia para ir pelo lado politicamente correto, e a outra dizia para analisar com mais calma, e pensar no bem estar de Nathaniel. Pensar em decisões tão importantes agora só vão me trazer mais dor de cabeça. É melhor só esperar pelos exames para ter uma base. 

Depois de alguns minutos, percebi o quão entediante era um quarto de hospital com uma única pessoa nele. O total silêncio chegava a fazer mal aos meus ouvidos tanto quanto um som estrondoso. Quando eu já estava quase enlouquecendo ouvi finalmente um barulho naquela imensidão de silêncio, o que me assustou por um momento.

- AMY! - e como sempre, meu príncipe fantasiado de sapo ou talvez de um sapo demoníaco aparece para me salvar. - Amy, meu amor, como você está?! - ele correu em minha direção e sequer me deu um tempo para responder, me abraçou ainda trêmulo. Eu podia ouvir seus batimentos cardíacos acelerados, e sua respiração desregulada no meu pescoço. - e-eu estava com tanto medo de que você estivesse pior, e que eu n-não pudesse te ajudar dessa vez. - ele me abraçava cada vez mais forte, acho que agora virei seu ursinho de pelúcia. Sua voz era desregular, desafinada. Parecia que estava... Prestes a desabar - não se preocupe, eu nunca mais vou deixar niguém fazer nada de mal a você. Nunca. - comecei a sentir algumas gotas humidecerem minha roupa, elas começaram a se tornar cada vez mais notáveis, até que Castiel não aguentou mais tudo aquilo que carregava e resolveu colocar para fora tudo o que precisava. Acho que nunca tinha passado nem perto de o ver lacrimejar, imagine ouvi-lo chorar, e ainda por mim. Quando eu vi que ele realmente estava preocupado, retribui seu abraço, tentando o confortar da maneira que podia.

- Ei! Ei! Olha para mim - eu separei nossos corpos e segurei seus ombros. Ele estava de cabeça baixa, provavelmente, não queria que eu o visse chorando. Larguei seus ombros e levantei seu rosto com as minhas mãos, fazendo nossos olhares se encontrarem de uma maneira profunda (e também, encharcar minhas mãos) - eu já estou melhor graças a você, você já está dando o seu melhor, então, não se preocupe - comecei a carinhosamente enxugar suas lágrimas com os meus dedos - estou feliz que você estaja comigo. Me desculpe por te dar tantos problemas, mas acho que faço isso porquê te amo. - ele fez a carinha mais fofinha que eu já vi na minha vida. Era inacreditável que o Castiel poderia ser fofo de verdade. Ele levantou-se, segurando meu rosto e beijando minha testa.

- Obrigada por me fazer sentir melhor. Eu te amo. - as vezes nem acredito que ele faz coisas assim, acho que é só um dublê.

- Então, onde a mamãe e o papai?

- Eles estão terminando de arrumar as coisas, mas disseram que vão voltar lo... calma. - ele deu uma pausa de cerca de cinco segundos. - como você sabe?

- Hã? Oh! É... - COMO EU ESQUECI DA MINHA ATUAÇÃO! QUE ATRIZ INCOMPETENTE! AINDA TRABALHO NAS NOVELAS DO SBT, NUNCA VI UM ESTÚDIO GLOBO, EU POSSO EXPLICA! - eles já vieram, não? É um pouco óbvio que eles viriam me ver, ou você ainda não ligou para eles? - ele parecia pensativo por um momento. Acho que ninguém acreditaria nessa mentira mal bolada, sem pé nem cabeça. Agora eu estou realmente fod-

- Faz sentido! Enquanto eles não voltam, não se preocupe, você está em ótimas mãos. - NÃO ACREDITO QUE ELE CAIU! ESSE MOMENTO É MEEEEU! I'M A SUCH A PRETTY LIAR! ALÔ GLOBO?! - mas mudando de assunto de novo, Amy - ele caminha até a porta do quarto a trancando, o que pode me ter feito trancar outra coisa - acho que precisamos conversar. - ele caminha lentamente em minha direção e senta-se ao meu lado. Isso não vai dar certo. - eu preciso que me conte o que aconteceu antes que eu chegasse, quando você estava com Nathaniel.


Notas Finais


É issoooo!
Como de costume, amanhã vai sair mais um capítulo.
Espero que estejam gostando da fic até agora. Eu tô achando a Amy meio lerdona de mais, e não sei também se ela conta a verdade só pra o Castiel ou se ela mente de novo. De verdade, se puderem me deixar sugestões sobre isso, eu ficaria muito agradecida. :)
E só mais uma coisinha... Eu queria saber o que vocês acham sobre eu postar nesses horários aos finais de semana (porquê eu percebo que boa parte dos leitores só vêem um capítulo depois que eu posto), se for um problema, eu posso me organizar pra começar a postar em um horário mais cedo. De qualquer maneira, MUITO obrigada por estarem comigo, ultimamente, o apoio de vocês aqui tem sido incrível. SZ
Me perdoem também por qualquer erro de ortografia, o texto ainda não foi revisado.
Um beijo, um queijo, e até lá
TCHAU!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...