História Um amor realmente doce - Capítulo 27


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Boris, Castiel, Charlotte, Dakota, Debrah, Iris, Kentin, Kim, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Nina, Peggy, Professor Faraize, Rosalya, Senhora Shermansky, Violette
Tags Amor Doce, Amor Doce Castiel, Romance
Visualizações 169
Palavras 910
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi xuxuzões, tudo bem?
Então, aconteceu que... EU DEVERÁS ME ATRASEI! O capítulo ia sair às sete, mas eu tava arrumando umas coisas pra vir dormir na casa de uma amiga hoje (é a primeira vez que eu durmo sem a minha mãe na casa de uma pessoa que não seja parente nossa, aí ela tava preocupadona. E eu estava muito ocupada rindo e lidando com ela tentado me atrasar), aí acabou que eu só terminei de escrever agora.
Me perdoem de verdade, não foi a intenção, mas espero que gostem do capítulo de hoje.
Por favor, dêem uma olhadinha nas notas finais. Boa leitura. SZ

Capítulo 27 - Confissões


E mais uma vez, me pego dividida entre prováveis futuros que poderiam se fazer dependendo da minha escolha. Eu sei que poderia esconder isso dele, mas acho que esse é o melhor momento para ser honesta com ele e receber seu apoio, coisa que eu estou realmente necessitando agora.

- Tudo bem Castiel, eu vou te contar toda a verdade. - interessado e com um olhar fixo em meu rosto, sentou-se novamente ao meu lado, esperando que eu começasse o nosso diálogo. - Eu fui na sua casa depois de comprar meu celular só pra conversar sobre a ligação. Eu ia lhe esclarecer que nós somente tínhamos uma relação de amizade, mas ele parecia estranho. Não parecia nem mesmo ser o Nathaniel. Até que em um momento, ele tentou forçar um beijo nosso. - Castiel arregalou os olhos, me lançando uma expressão de indignação e desaprovação, cruzando seus braços com uma risada debochada. Acho que seu espírito animal está retornando aos poucos ao seu corpo - Mas eu deixei bem claro que não queria nada, quando aconteceu, eu fiquei assustada e tentei ir embora da casa dele, foi aí que- 

Minha revelação revoltante foi interrompida por mais um barulho na bendita porta, alguém iria entrar naquele momento, mas como estava trancada, somente a forçou. Era o médico que a enfermeira tinha me avisado da visita, mas a última coisa que eu ia lembrar era dele agora. Ele olha através da janela de vidro para nós um pouco espantado com o fato de estarmos trancandos a acena um pouco envergonhado para ambos.

- Castiel, vai abrir na porta. É o médico. - ele levantou ainda um pouco estressado e desapontado por não poder ouvir toda a história, mas nós podemos adiar essa conversa um pouco. Por enquanto, eu vou pensar um pouco em cuidar em mim.

Quando ia abrir a porta, ele me olha por cima do ombro com uma cara feia.

- Saiba que eu não esqueci que vive não terminou a história. Eu ainda quero acabar de escutar. - sua voz parecia ameaçadora, mas ele tinha razão em estar nervoso.

Quando a porta é aberta, o médico entra com um sorriso enorme no rosto, provavelmente tentando esconder a sua vergonha, o que não foi concluído por ele.

- Bom dia, meninos! Eu sou o doutor Franklin, estou aqui para fazer alguns exames com você, Amy. Vai ser tudo bem rapidinho, em no máximo meia hora vou poder deixar vocês sozinhos, e inclusive... Eu os atrapalhei muito?

- NÃO! N-não doutor, imagina. Nós só estávamos conversando, podemos fazer isso depois. Obrigada por estar preocupado comigo.

Ele sorriu para mim, mas Castiel ainda parecia querer falar atrapalhou pra um caralho, se quiser vazar daqui, eu vou ficar feliz pra um cacete, mas ele se conteu e só ficou com sua cara de cú de costume. Tadinho do médico, ele só estava fazendo o seu trabalho.

Ele fez por algum tempo alguns exames de reflexo, checou meus sinais vitais e fez alguns exames rápidos para chegar se eu não estava com nenhum tipo de problema de locomoção. Ele até me contou durante o que acontecia que eles fizeram uma tomografia em mim assim que cheguei ao hospital, para ver se eu tinha algum problema cerebral por meu desmaio ter sido tão de repente e como niguém sabia o que realmente tinha acontecido, todo mundo ficou preocupado. Acho que eu realmente pareço BASTANTE doente.

Depois de cerca de vinte minutos fazendo testes com o meu corpo, ele estava pegando suas coisas para sair da sala.

- É, mas a minha filha é muito teimosa, sempre foi, sabe como é né? Criança tem dessas coisas - a minha mãe vinha tagalerando pelo corredor com alguém, meu Deus, que vergonha.

- Acho que você tem mais vistas. - esse médico tá zombando da minha cara? - vou deixar todos vocês finalmente a sós. Continue tentando melhorar, Amy! - ele sai da sala, e logo em seguida, a minha mãe entra, na frente do meu pai e da enfermeira que voltou com eles.

- AMY! - ela corre até a minha maca e me dá um abraço desajeitado, que acabou me acabando um pouco, mas eu não liguei muito. Era aconchegante e caloroso, sempre me fez sentir segura. Estava com saudades disso - meu bebê, o que aconteceu com você? Estava com tantas saudades mas você... ENLOUQUECEU? - O QUÊ?! CADÊ A DONA BONG BONG CARINHOSA?! - VOCÊ PARECE UMA CRIANÇA, SERÁ POSSÍVEL QUE EU VOU PRECISAR TE ENSINAR A COMER DIREITO?! VOCÊ NÃO TEM JUÍZO É?! - ela me dava alguns tapas nas costas enquanto falava irritada. Ela não deveria estar me ajudando não?!

- Bong Soon! Já está bom! Ela está doente! - o papai é o melhor.

- É verdade senhora, ela é nossa paciente e precisamos protegê-la principalmente de qualquer tipo de agressão. - enfermeira é um love só.

- Mas eu sou a mãe dela! Vocês tem que entender que essa filha da puta me preocupa de mais, eu não aguento isso.

- Mãe, você se xingou.

- O que você falou, Amy? - eu não me controlo e começo a rir, como todos os outros que estavam no quarto. - Nós ficamos realmente preocupados com você. Seu amigo Castiel contou que você desmaiou ligo depois que saiu da casa de um Nathanael-

-Nathaniel, mamãe.

- É, esse mesmo. A gente achou que tinha acontecido alguma coisa lá com você. Você pode nos dizer o que exatamente ocorreu antes de você vir para cá?


Notas Finais


Ainda não está revisado, então me perdoem pelos erros de ortografia.
Preciso dormir, amanhã eu já tenho que voltar pra o inferno daquela escola de todo jeito, então é melhor eu ir logo.
Uma boa noite e tenham amanhã um bom dia.
MANO DO CÉU, EU TINHA ESQUECIDO TOTALMENTE! TÔ MUITO NERVOSA VIADO, KDBDJNDJDNDJX.
Esse final de semana (o que vai entrar, dia 11 e 12) foi uns do que eu falei que não ia postar quando avisei do cronograma. No caso, os próximos capítulos só vão sair dia 18 e 19 desse mês. Foi muita irresponsabilidade não ter lembrado vocês, mas eu não estava com o cronograma anotado comigo no dia em que postei, e já estava meio tarde, então, eu estava muito lerda de sono pra lembrar. Me desculpem.
Um beijo, um queijo, e até lá
TCHAU!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...