1. Spirit Fanfics >
  2. Um amor sem gelo, por favor >
  3. Conflito.

História Um amor sem gelo, por favor - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Conflito.


 

Devagar, disse. Enquanto Lynn empurrava-me em direção ao quarto, estava parcialmente escuro, o cômodo mais visível era a cama, havia apenas a penumbra dos demais objetos que enfeitavam seu quarto. Nunca pensei que um pequeno conflito despertaria todos esses desejos guardados em seus sonhos mais profundos, e eu estava completamente atordoada, apreciando cada toque proveniente dela. E então, enquanto me beijava calorosamente, jogou-me na cama. Caí sentada.

            — Se eu soubesse que você agiria dessa maneira, teria brigado com você mais vezes. — Digo com um sorrisinho.

Ela ri.

            — Se brigássemos mais vezes, provavelmente nem estaríamos juntas. — Disse com um ar de deboche antes de calar-me com um beijo. Estamos juntas há tanto tempo, nos damos tão bem que brigas são incomuns no nosso relacionamento, mas hoje foi diferente. Em todos esses anos, sinceramente, achei que a perderia, só de pensar nessa possibilidade, meu coração treme e dói de tristeza. Foi a discussão mais feia de tivemos e nem terminamos de conversar, ela apenas se calou e me trouxe até aqui. Sorte que estamos a sós na casa dela.

            — Eu amo sentir o aroma da sua pele, você é tão cheirosa. — Disse Lynn enquanto beijava meu pescoço. Senti meu corpo estremecer.

            Lisandra era alta, cabelos escuros, com um lindo par de olhos castanhos e de uma inteligência que a tornava extremamente atraente. A princípio, foi o modo que ela se expressa que me deixou totalmente interessada juntamente com a sua variedade de assuntos na qual poderia comentar. Tudo com ela é mais divertido, talvez o fato dela se irritar facilmente colabore pra isso. Adoro demais provoca-la.

            — Você não precisa mais disso. — Disse tirando minha blusa e jogando-a no chão. Seus beijos lentos me fazem sentir cada movimento de nossas línguas com precisa exatidão, suas mordidas deixam-me indefesa, vou cedendo a todo esse sentimento, permitindo que Lynn me conduza até onde quiser.

            Usando a força, Lynn deita-me na cama e eleva meus braços para cima com o objetivo de me imobilizar.  Imóvel fico, enquanto ela morde e beija meu pescoço. O olhar dela me desconstrói completamente.

            — Você é tão linda. — Disse ela, reparando em cada traço do meu corpo. O olhar dela me desconstrói completamente.

            — Você é a mulher mais linda que eu já vi na minha vida. — Sinto minhas bochechas coradas. Tinha me esquecido do quanto Lynn adora me deixar com vergonha propositalmente, parece que virou um hábito. Me sinto o brinquedinho dela — não é ruim. Ela continuou beijando meu pescoço e descendo. Beijou meus seios. Olhou para mim e começou a fazer. Ah.. ela provoca. Muito, olhando para mim enquanto faz. Soltou minhas mãos e começou a beijar meu abdômen, mordeu e deixou marcas por onde passava.

            — Estava louca para chegar nessa parte. — Disse Lynn ao tirar ligeiramente meus shorts. Nesse ponto, já estava completamente excitada. Então, ela beijou uma de minhas coxas, causando-me arrepios. Cada vez mais próximo a minha.. sentia cada parte do meu corpo pedir por isso. Ela começou.

            Toda essa situação aconteceu de forma tão rápida. Sinto a adrenalina atravessar meu corpo como um raio. Rapidamente, sinto os efeitos. Meu coração. Pulmões. E isso é o que mais amo nela, ela não só fode o meu corpo, mas a mente. Também a delicadeza que tem ao cuidar de meu corpo. Intenso e extremamente gentil, uma combinação fatal.

            “Você gosta?” e “consegue sentir?” são as palavras que ecoam em meus ouvidos, palavras ditas por Lynn com o objetivo de me deixar corada por inteiro. E sim, consigo sentir cada toque, cada olhar e sua respiração.

— Acho que.. estou quase lá. Sinto perder o controle das minhas pernas, elas tremem. Uma onda invade o meu corpo. Lynn concentra-se em meu rosto com o objetivo de olhar cada expressão em minha face.

            — Faça para mim, quero ver. Mostre-me. — Olhando você desse jeito pra mim, sinto tanta vontade de ser má com você. Acabo chegando ao ápice, ofegante. Vou em direção a ela para finalizar com um beijo. Sinto o gosto indiretamente.

            — Ainda não terminamos. Digo puxando-a para mais próximo ao meu corpo. — Deixe meus lábios explorarem cada lado seu, amor. Ela entende o meu código, é a favorita dela. Assim ela o faz, move o seu corpo acima do meu. Cavalgue pra mim, amor.

            As minhas mãos permanecem em seus quadris, acompanhando cada movimento. Consigo sentir tudo, de várias maneiras. Nossos olhares se encontram. Adoro vê-la dessa maneira, em silêncio. Provocando, fazendo com que ela tenha pensamentos indecentes. A expressão no rosto dela é a coisa que mais me traz satisfação, mostrando um lado mais indefeso. Essa carinha me faz também ter pensamentos sujos, quero ser má. Assim aproveito essa loucura, esse momento de insanidade, seria crueldade demais fazer com que ela implore por isso?

            Vejo o suor escorrendo pelo corpo, lindo assim como a dona. Minhas mãos descem em direção a sua bunda, dou tapinhas como quem diz “Querida, rebole mais pra mim”. Aos poucos os movimentos, que eram lentos e suaves, tornam-se mais rápidos. Quase lá.

 

            Foi uma dança que durou quase a noite inteira. A melhor que tivemos, ao final entre beijos e mordidas, deitamos. Ela em cima de mim. E talvez seja uma das melhores partes para mim, todo esse carinho e afeto que ultrapassa o ato sexual.

— Acho que vale a pena — Digo entrelaçando meus dedos nos de Lynn.

— O quê?

— Viver.

— Por que isso tão de repente?

— Não sei, só comecei a refletir sobre. Tudo que eu sinto agora é uma felicidade que transborda meu corpo inteiro. Também sei que momentos assim são raros na vida de alguém, principalmente para pessoas como nós. Mesmo sabendo disso sou grata por estar vivendo na mesma época que você. — Levo sua mão em direção aos meus lábios e a beijo.

— Também sou grata por você ter uma bunda grande e eu poder bater nela.

— Por que você é assim? — Digo dando uma gargalhada. Você acaba com todo o meu romantismo.

— Assim como? — Ela me dá uma mordida na bochecha.

— Idiota, engraçada e incrível. — Devolvo a mordida.

— Não sei, talvez porque você me deixa uma pessoa mais leve e tranquila, mesmo com todo seu papo filosófico. Me sinto uma pessoa melhor.

            — Você também me torna melhor. — Beijo-a.

            Dormimos que nem nos damos conta. Foi uma noite especial, guardarei para sempre em minha memória, de um dia que tinha tudo para dar errado e se tornou precioso. Quando acordei, Lisandra ainda estava dormindo, fiquei um bom tempo a observando dormir. Não sei quando poderemos nos ver novamente. Meu peito dói. A saudade já é imensa mesmo com ela ao meu lado. Me sento a beira da cama e concluo que a vida é assim repleta de idas e vindas. Apesar de dolorosa, a vida ainda tem seu encanto. E escolhemos como queremos viver e como lidamos com as situações desfavoráveis.

 

 

            Levanto, me visto e vou em direção a porta. Com um singelo bilhete escrito à mão.

 

“Em meus sonhos mais profundos, eu vejo você. Além dessas muralhas que a sociedade construiu para impedir pessoas como nós.  Além das normas, do moralmente aceito. Eu vejo você. Como um ser humano lindo que transcende a diferença. Vejo você além da sua família, como eu queria que eles pudessem ver você a partir dos meus olhos. Dessa maneira, perceberiam a beleza na tua existência. Por isso, não chore se eles ainda não entendem. Você me ajudou a superar tanta coisa, agora quero ser o seu pilar. A ponte que conecta você em direção a liberdade. É seu direito. Vejo também um futuro. Nós. Não se preocupe, estarei aqui em breve somente para você, aguente firme. Eu amo você, Lisandra.”


Notas Finais


Muito obrigada por ler até o final, espero que tenha se divertido.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...