História Um Amor Supremo - ABO - Capítulo 21


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Abo, Alfa, Beta, Drama, Lobisomem, Ômega
Visualizações 125
Palavras 1.259
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Fantasia, Hentai, Magia, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Boa Leitura! ;-)

Capítulo 21 - Conhecendo o Rival


Ao se aproximarem da casa D’Ávila, Aaron começou a sentir Diaron agitado, cada vez mais próximo, mais incomodado ele se sentia. O alfa resolveu relevar seus sentimentos, agora não era hora de se desconcentrar com coisas sem importância. Todos saíram de seus carros e seguiram para a entrada da casa, sendo recepcionados por um par de olhos confusos e assustados.

- Posso ajudar? – pergunta Sr. D’Ávila, encarando aqueles oito homens à frente da sua porta com desconfiança.

- Sr. D’Ávila? – o alfa o chama fazendo o mais velho o encarar.

- Sim. – responde cauteloso.

- Eu sou Aaron Dacar da cidade de Abraxia. – ele se apresenta.

- Dacar, Abraxia? – o mais velho se põe a pensar e quando se recorda do nome, encara Aaron assustado.

- Sim, sou o primogênito de Stevie Dacar e Elizabeth Dacar, hoje, seu Supremo. – ele diz com um sorrisinho sádico nos lábios.

- Isso é impossível. – Sr. D’Ávila fala desacreditado dando um passo para trás, pensava que nunca voltaria a ver alguém da alcateia de Dacar após a invasão e que todos haviam sido assassinados aquela noite, mesmo ele não tendo participado dessa matança.

- Como pode ver, não é. – Aaron sorri sarcástico. – Será que poderíamos entrar e conversar consigo?

- Entrem. – Sr. D’Ávila dá espaço para que eles entrassem, mesmo desconfiado dessa visita, ele estava sozinho e não poderia lutar contra todos.

- Minha passagem é rápida, vou direto ao assunto, eu vim lhe cobrar esses dez anos de dividas atrasados. – ele diz simplista, fazendo o mais velho o encarar refutando o sua ordem.

- Como? Você só pode estar maluco. – Sr. D’Ávila fala alterado.

- Não, não sou nenhum irracional Sr. D’Ávila, compreendo que o senhor tem uma dívida pendente que acabou sendo esquecida com a morte do meu pai, mas eu estou vivo, sou o herdeiro agora e vim pessoalmente lhe cobrar essa dívida. – o alfa diz imponente.

- Você começou agora a reinar no seu mundinho e já quer se achar o dono do mundo, mas não passa de um moleque com ideias absurdas. – Sr. D’Ávila diz totalmente irritado.

- Não me interessa o que o senhor pensa a meu respeito, inimigo do meu pai é inimigo meu também, e se não quiser sofrer consequências inesperadas, lhe aconselho a acertar essa dívida agora mesmo.

- O que está acontecendo aqui? – Adam entra na sala de sua casa encarando aqueles brutamontes pronto para lutar se fosse preciso e Zargus também estava preparado. – Pai, o senhor está bem?

- Sim, filho, está tudo bem. – Sr. D’Ávila responde mantendo os seus olhos presos aos de Aaron, que não desviou em nenhum momento.

- Quem são eles? – Adam pergunta já incomodado com a tensão pairada ali.

- Esse é Aaron, o Supremo. – seu pai lhe diz com desgosto.

- Porque está aqui? – Adam para de frente com Aaron o peitando com o olhar chamejante.

- Meu assunto é com o seu pai garoto, não se meta. – o alfa lhe devolve o olhar com descaso.

- Oras, seu...

- Aqui é minha casa, você não é bem vindo aqui e não fale assim com o meu filho. – Sr. D’Ávila fala enfezado.

- Eu estou te avisando, se não quere que as coisas fiquem fora de controle, faça o que lhe ordenei.

Nisso a porta da sala é aberta com um estrondo e Aaron tem a visão de uma garota muito bela na porta da sala lhe encarando com seus olhos lilás. Diaron ficou hipnotizado e uivou dentro de si por aquela ômega, o que deixou Aaron totalmente enraivecido, ainda mais depois de ouvir a mesma lhe chamar de “Companheiro” na frente de todos, isso o fez pirar de irritação.

Como uma reles garota se atrevia a ser sua companheira, ele precisava de uma mulher forte ao seu lado naquele, não de uma garotinha a quem ele deveria cuidar e proteger por ser fraca, isso era inadmissível para ele, assim, ele teve a brilhante ideia de rejeitá-la, sem nem ao menos conhece-la.

- Nunca! – disse a rejeitando sem um pingo de dó.

A pobre Guzel, ao ouvir tal palavra, sentiu seu coração se quebrar e junto a seus pedaços, ela caiu desfalecida no chão assustando os demais ali na sala.

- Filha. – Sr. D’Ávila se assusta vendo sua filha caída no chão desmaiada.

- Guzel. – Adam se aproxima preocupado vendo Nathan a aparar em seus braços com cuidado.

- Le, acorda pequena, diz alguma coisa, por favor. – pede Nathan a mantendo em seus braços.

- Como ousa rejeitar a minha irmã? – Adam pergunta irritado em posição de ataque.

- Não sabia que eu era obrigado a aceitar uma qualquer. – Aaron diz divertido e friamente, atiçando a raiva do outro alfa.

- Seu desgraçado! – Adam vocifera indo para cima do alfa, mas é impedido por seu pai.

- ADAM, ignore-o. – seu pai diz lhe olhando nos olhos.

- Mas pai, ele rejeitou Guzel, mesmo sentindo felicidade por isso, eu sei o quanto uma ômega sofre quando é rejeitada por seu parceiro e isso não é justo com ela. – Adam diz visivelmente injuriado.

- Eu sei filho, deixe que eu resolvo isso, agora, você e Nathan, levem sua irmã para o quarto dela. – o mais velho ordena.

- Sim, senhor. – eles assentem, mesmo a contra gosto, levando Guzel para o segundo andar.

Assim que os rapazes se retiram da sala, Sr. D’Ávila encara friamente Aaron que não se afeta por isso.

- Você não tinha o direito de fazer isso. – Sr. D’Ávila fala firme e inconformado com a forma que sua filha foi tratada.

- Você vai me pagar ou eu já posso pedir para os meus lobos fazerem você e sua família feliz pagarem com a vida? – Aaron ignora o que o mais velho disse, o encarando ameaçador.

- Na minha família você não toca. – o alfa mais velho diz rebatendo seu olhar.

- Hum... será? Sua filha é minha ômega, infelizmente, essa é a realidade, então digamos que você não pode fazer nada quanto a isso. – Aaron diz debochado.

- Você acabou de rejeitá-la. – o mais velho fala irritado.

- Eu posso mudar de ideia. – diz o Supremo fingindo estar pensativo. – E eu vou, sei que você não tem dinheiro para me pagar o que deve.

- E o que pensa em fazer? – Sr. D’Ávila pergunta intrigado.

- Vou levar sua filhinha para Abraxia. – ele diz sem rodeios assustando o mais velho.

- O que? Não, ela não vai querer ir com você. – o mais velho fala alterado entrando na frente de Aaron.

- Ela não tem que querer, é isso ou é ela assistir a morte de todos os seus familiares e ficar com a culpa para o resto da vida dela na mente. – Aaron ameaça friamente.

- Você é pior que seu pai, se tornou um psicopata ao invés de um rei...

- Já disse que nada do que você pensa a meu respeito me importa, Luke? – ele chama e o beta logo se aproxima.

- Sim, Supremo.

- Busque a garota. – ele ordena, mesmo tendo o olhar matador de Sr. D’Ávila sobre si.

- Mas senhor, tem um alfa lá em cima, ele não vai me deixar traze-la. – Luke resmunga assustado.

Aaron revira os olhos e encara dois dos lobos que estavam na sala, lhes dando sinal para acompanhar o beta.

- Sua dívida vai ser quitada no momento em que aquela garota estiver em Abraxia. – diz Aaron se retirando da casa.

O que esperar com a chegada de Guzel na Mansão Dacar? Talvez um psicólogo de plantão seja muito necessário! ;-)

 

Continua...


Notas Finais


O que acham que irá acontecer?
Comentem...
Bjus ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...