1. Spirit Fanfics >
  2. Um anjo diferente >
  3. Capítulo 01

História Um anjo diferente - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Essa é minha primeira fic, então desculpa qualquer erro e se puderem dar alguma dica por favor falem. Eu espero que vcs gostem do capítulo, vou tentar trazer o segundo capítulo logo.

Capítulo 1 - Capítulo 01


Fanfic / Fanfiction Um anjo diferente - Capítulo 1 - Capítulo 01

Tori pov

TOOORIIIIII!-- eu já estava acabando de descer as escadas quando Trina grita por meu nome-- eu já tô aqui!-- digo parando em sua frente e pegando uma maçã

--Tori, vamos logo! eu não quero me atrasar

-- eu já tô pronta, já podemo…-antes mesmo que eu pudesse terminar de falar, Trina já estava me puxando pra fora e indo na direção de seu carro.

--sabe, você precisa tirar a sua carteira.

--relaxa, Trina, eu já tô vendo isso, logo você não vai mais precisar me dá carona

--Tori, não é que eu não goste de te dar carona, mas, depois dá escola eu gostaria de ir direto pra casa, te deixar no seu trabalho pega muito do meu precioso tempo.

É, eu já tinhá entendido, apenas concordei com trina, com um sorriso no rosto, até porque, Trina não é obrigada a me dar carona, eu não quero ser um peso pra ela. Depois de alguns minutos trina para o carro em frente à escola.

--Tori, quando for hora de ir embora, não se atrase

--Eestarei aqui

--Ok, agora eu já vou pra minha sala, se cuida

É, eu realmente precisava tirar a carteira, vou ver isso o mais rápido possível. Eu não entendo como eu mudei tanto, eu ainda tento entender, eu não demonstro, mas eu tô tão desanimada, tão triste, tem dias que eu nem quero sair do quarto, e eu choro, o choro apenas vem, eu sinto uma dor horrível e a única coisa que eu penso é que eu queria um abraço bem forte e alguém dizendo que vai passar. Eu me sinto assim já faz um bom tempo. Mas eu andei piorando, a última vez que tive um ataque de choros eu pensei em morrer, eu tava tão esgotada, cansada de sentir isso, mas depois pensando melhor eu resolvi procurar ajuda, eu tô em busca de melhorar, mas eu não pensei que seria tão difícil, e eu as vezes me sinto incapaz, muito incapaz, seja pra atuar, cantar, até mesmo responder uma atividade

--Tori….Ei, Tori - eu saiu dos meus pensamentos com Beck me chamando

-- Oi, Beck!-- Eu o respondo com o meu melhor sorriso.

-- Oi, parecia que você estava longe com seus pensamentos, te atrapalhei?

--não, eu tava pensando na peça que, Sikowitz pediu pra organizar, ele pediu pra escolher um tema. Mas, e vc, já decidiu o que vai fazer?

--Na verdade, é exatamente sobre isso que eu queria falar com você, você me ajuda a escolher um tema ? A Jade não vai mais Me ajudar a encontrar um, ela tá brava comigo porque eu não quero o tema que ela sugeriu.

-- E qual o tema que ela sugeriu ?

--Cabesas rolando….

--ok, eu te ajudo a escolher um tema!--eu falava controlando os rissos, Jade tem umas ideias meio diferentes, mas, eu gosto….

--Ótimo, Tori, muito obrigado! Eu vou ficar te devendo uma, agora vou indo, até depois

--até depois, Beck!

Bom, outra coisa que eu tentei evitar muito porém sem nenhum sucesso, foi me apaixonar por Jade, eu sei que isso não podia acontecer, e ela sempre fala coisas que me magoam, por mais que eu finja que não me atingem, toda vez que ela fala algo é como se eu levasse um tapa mas eu iria preferir um tapa. Eu já pensei que talvez lá no fundo ela pudesse gostar de mim, mas com o passar do tempo eu fui percebendo que realmente não, ela apenas me atura já que o restante do pessoal gosta de mim, como ela mesma já disse algumas vezes.

--Ei, André, como vai indo a criação da música?-- Eu pergunto me sentando junto do pessoal, só faltava o Beck, mas depois que me pediu ajuda pra peça foi para outro lugar, e eu suponho que é pra ficar longe da Jade já que ela tá com raiva dele.

--Olha, pra ser bem cincero, tá indo muito mal, toda vez que vai ficando bom minha vó chega perto de mim gritando alguma coisa, eu não consigo me concentrar, isso vai ser um fracasso.

André fala com um tom de desespero que eu acharia muito fofo se ele não estivesse com a boca totalmente cheia.

--André, relaxa, usa o tempo livre aqui na escola pra tentar criar a música, talvez dê certo.

--É!…olha, esse cachorro quente é maravilhoso

--Você podia terminar de mastigar antes de falar!--Jade fala com um pouco de raiva, eu prestava muita atenção nela e sabia que ela odiava pessoas falando de boca cheia, ou pessoas que falavam de mais,…eu sabia muita coisa sobre ela e aposto que ela nem sabe minha cor favorita

--Olha, olha, minha mão tá azul, e meu smurf tá Rosa

--fica quieta pintando, Cat

--Tá bom, Jade, depois vou te dar de presente pra vc colocar na sua parede

Eu observei que o Robie tava muito quieto.

-- Ei, Robie, tá tudo bem?-- Eu pergunto realmente preocupada, me arrependendo logo depois.

--É o Rex, ele não quê falar comigo porque eu esqueci ele ontem na sala quando fui dormir, hj de manhã ele já estava lá, chateado comigo, eu já falei pra ele que o amo e que não vou mais fazer isso, mas ele não fala comigo.

--Robie, eu posso colorir outro smurf pra vc dá um pro Rex

--obrigado, Cat

--aqui só tem maluco-- Jade fala com a mão no rosto.

André começou a conversar com Robie sobre a peça já que estavam escolhendo um tema juntos, Cat parou de pintar o Smurf e foi atrás da Sam, a loira estava comendo frango frito e a Cat queria mostrar que a mão dela estava azul, e a Jade estava mexendo no celula. Eu comecei a sentir vontade de estar no meu quarto e ao mesmo tempo me senti incomoda por está me sentindo triste, então eu resolvi sair dali e ir pra sala sem avisar, e antes que eu pudesse sair por complero dali reparei o olhar de Jade sobre mim, Ela estava com uma expressão de quem não tinha entendido o meu comportamento, acho que é porque eu sempre me despeço, mas eu nem lembrei disso.

Na sala ainda não tinha ninguém, e aquilo era muito bom, eu fiquei ali apenas pensando com a cabeça deitada na carteira antes do sinal tocar.

Eu queria entender o motivo pelo qual eu estava ali, tão desanimada querendo apenas gritar pra todos sumirem e torcer pra eles não desistirem de mim, porque eu também sabia que depois eu iria querer sentir que eu não estava só.

As únicas pessoas que sabem que eu estou assim são meus pais e a Trina. Eu não consegui esconder por muito tempo, Pricipalmente porque a Trina me achou estranha, e acreditem, quando a Trina quê descobrir alguma coisa ela descobri como se a vida dela dependesse daquilo.

--Pessoal, eu quero que todos vcs venham aqui na frente e atuem alguma cena

--Pode ser qualquer cena?-- Cat pergunta para Sikowitz

--Sim, Cat, qualquer cena! vamos tirar os nomes no chapéu vermelho para ver as duplas.

Eu não me importem, continuem com a cabeça sobre a carteira, até ouvir meu nome

-- Eu não acredito, eu tirei a Tori, Sikowitz, me deixa tirar de novo--A Jade realmente parecia não querer fazer comigo, talvez se fosse antes eu ficaria bastante feliz por ela ter me tirado, hj isso só me deixa mais triste, saber que precisa rolar a merda de um sorteio pra ela fazer dupla comigo só mostra que se dependesse dela nunca rolaria nada, nem mesmo trabalhos em dupla.

--Não, não pode tirar outro, se o chapéu vermelho quis assim, assim será.

Jade me olhou com raiva e eu apenas me ajeitei na carteira e olhei para frente tentando mostrar que eu não estava abalada, como eu sempre fazia.

Depois que todos já tinham seus papéis e duplas em mãos, Sikowitz começou a mandar as duplas para frente em cima do pequeno palco. Estava quase chegando a minha vez junto de Jade, quando o sinal toca

--As duplas que não tiveram tempo para apresentar hj, podem apresentar na próxima aula.

Bom, eu nem dei importância, Jade já tinha saído da sala, e quando eu chego perto do pessoal ela e beck pareciam já ter feito as pazes.

-- Ei, Tori, o pessoal vai pescar depois da aula, vc vai né?

--Bom, André, eu acho…

--Não, André, a Tori trabalha depois da aula

Eu iria responder o André se não fosse a Jade ter respondido antes, mas ela tinha razão, eu tinha que trabalhar

--É, eu trabalho, André

--Tori, vc nunca mais saiu com nenhum de nós, eu acho que vc não gosta mais da gente

Dessa vez quem falou foi a Cat, e ela estava bem triste

--Não, Cat, não é que eu não goste mais de vcs, eu vou faltar ao trabalho hj e vou com vcs

--Ebaaa, obrigado, Tori! Sam, a Tori ainda ama a gente

--Ela ama sim, Cat

Bom, eu precisava mesmo sair mais com eles, mesmo que estando bem desanimada. E talvez fosse bom largar o meu emprego, eu comecei a trabalhar porque eu queria me distrair com algo novo, mas acho que já está bom. Não tenho mais cabeça pra trabalhar, pelo menos não agora.
.
.
.
.
.
Bom, como eu ainda não havia tirado minha carteira, minha carona séria o André, fui com Trina para casa para trocar de roupa e pegar algumas coisas, e fiquei esperando o André na sala.

Depois de alguns minutos o ele chegou, a gente ia de moto. Ok, talvez eu goste mais de carro por conta que é mais confortável, mas com moto eu conseguia sentir todo o vento sobre meu rosto bagunçando meu cabelo, eu adorava a sensação.

Agora eu precisava tentar me distrair com essa pesca, e tentar Ingnonar as coisas que com certeza Jade iria falar, eu espero que seja tudo tranquilo


Notas Finais


É isso, espero que tenha ficado bom, qualquer coisa comenta aqui que eu tento melhorar. Se gostou comenta aqui, obrigado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...