1. Spirit Fanfics >
  2. Um Ano Para Amar >
  3. Capítulo III - Sorvete

História Um Ano Para Amar - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Olá Meus Pequenos Pacientes...

Mais um capítulo para vocês,preparado com amor e carinho,espero que gostem :)

|| Doce Leitura e Perdoem-me por erros que possam surgir ||

Capítulo 3 - Capítulo III - Sorvete


Fanfic / Fanfiction Um Ano Para Amar - Capítulo 3 - Capítulo III - Sorvete

Um céu completamente azul,as núvens formavam lindos desenhos de brinquedos,algo simplesmente belo e majestoso,um campo de flores extendia-se até o horizonte,onde o sol estava a se pôr,naquele imenso campo de flores,uma árvore é vista ao longe,com um balanço,onde uma mulher empurrava alegremente seu pequeno filho,ambos riam alegres.

Aquele lindo cenário estava ali,intacto,até que uma brise suave começou e daquele vento fresco,uma forte ventania tomou conta do local,fazendo o chapéu que a mulher usava voar,ela o perseguiu e o pequeno garotinho ficou na balança aguardando seu retorno,quando menos se esperava,as flores murcham,a árvore seca e o garotinho cresceu um pouco,a neve começava a cair e a mulher não retornava,as lágrimas do garoto caíam sobre a neve e de repente,um homem caminha em sua direção,um homem estranho e misterioso,suas mãos estavam nos bolsos de um sombrio casaco e logo foram retiradas de lá,ele ficou parado atrás do garoto,tampando-o e de repente,via-se sangue escorrer pela branca neve,colorindo-a de vermelho.

- Aaaaaah... - Killua acordou assustado,seu coração batia fortemente e sua respiração estava intensa e descontrolada,tentava se recompor e a porta do quarto se abre,era Gon,o moreno estava com uma expressão preocupada e correu em direção o pequeno,abraçando-o - O que acon-aconteceu?

- Eu cheguei aqui depois que você apertou o botão da emergência. - O moreno estava com os olhos marejados,um misto de alívio e preocupação estampava-se em seu rosto - Você teve uma parada cardíaca Killua...Por pouco você não...Bem...

- Morri? - Killua pareceu triste,seu olhar estava assustado e entristecido - Você quem me salvou não foi?

- Foi sim...Fiquei muito preocupado com você Killua.

- São quantas horas? O menor observou a janela e notou que estava bem escuro,em seguida,fitou os olhos caramelados de Gon e ficou corado,por um momento,aqueles lindos olhos fizeram seu coração palpitar mais rápido e o moreno sorriu e respondeu:

- São duas da madrugada Killua. - O albino arregalou os olhos,sua expressão fez Gon soltar uma risada - Aliás,você estava sonhando com o que?

- E-Eu não me lembro bem...Apenas acordei assustado. - Gon notou que Killua estava mentindo,certamente seria algo envolvendo seu passado,mas decidiu não se intrometer - Você não deveria estar em casa Gon?

- Na verdade,eu ia visitar uma tia que esta doente mas... - Gon parou de falar e deu um sorriso - Eu tenho que cuidar de um paciente especial que tenho.

- Estou estragando sua vida não é Gon? - Killua entristeceu-se e abaixou sua cabeça - Igual fiz com Kura e com o Leo.

- Não diga besteiras Killua,você nunca me atrapalhará em nada...Fora que minha tia recebe cuidados diários,por enquanto,o importante é sua saúde Killua...E quero saber se você se sente melhor agora.

- Estou bem melhor...Só um pouco cansado.

- Ah sim...Pode dormir,irei ficar aqui com você e depois vou embora. - O moreno sorriu e ajudou Killua a se deitar confortavelmente,deu-lhe um beijo em sua testa e sentou-se ao lado da cama - Killua,amanhã irei te levar para tomar sorvete.

- Mas eu não posso sair.

- Você não pode sair sem supervisão,e no momento atual,eu sou seu médico e sei o que você pode ou não fazer. - Gon disse de forma autoritária - Boa Noite pequeno floco de neve.

- Flo-Floco de neve? - Killua arregalou seus olhos azuis,lembrou-se daquele terrível sonho e virou-se na cama,ficando de costas para Gon,não querendo que o maior vesse o medo e a tristeza em seu olhar - Bo-Boa Noite Gon!

No consultório do Kurapika,o loiro digitava algumas informações em seu computador,eram informações que este vinha investigando sobre o Killua,independente de ser ou não médico do menor,Kurapika queria desvendar seu passado e descobrir o que fez com que Killua ficasse pior de sua doença,que por sinal era ligada ao físico e mental,então ele encontrou uma pequena manchete de jornal,mas que não informou muita coisa.

- A única coisa que sei,é que ele passou a morar com o pai dele em Paris desde a morte da mãe dele...Mas um ano depois eles voltaram para Londres...Só isso não ajuda em nada. - O loiro bateu as mãos em sua mesa revoltado,desligou o computador e se dirigiu ao sofá,jogando-se sobre ele - O que eu deixei passar?

- Talvez devesse descansar Kura. - O loiro assustou-se e caiu do sofá,quando virou-se para ver quem era,apenas viu Gon parado na porta - Perdoe-me...Não queria te assustar.

- Tudo bem. - O loiro sorriu e levantou-se,em seguida suspirou e indagou - Como esta o Killua?

- Melhor,ele acabou de adormecer,mas e você?

- Eu o que?

- Parece meio tenso,você esta bem?

- Não...Eu estou querendo descobrir mais sobre o passado dele,assim facilita para descobrir causas e curas para a doença dele.

- Kura...Manchetes não são o melhor caminho,o Killua é famoso e extremamente rico,mas a vida dele não é completamente exposta na mídia...Posso tentar te ajudar conversando com ele.

- Ele não vai se abrir Gon...Talvez diga uma ou duas coisinhas,mas ele é...Assustado quando trata-se do passado dele...O que me leva a acreditar que o pai dele tem responsabilidade.

- O pai dele? - Gon arregalou os olhos pasmo - Kura,perdoe-me mas...Procurar o melhor hospital de toda Europa não me parece atitude de alguém que fez mal ao filho.

- É...Você tem razão,talvez eu esteja me precipitando,de qualquer forma,irei continuas investigando. - O loiro sorriu e pegou sua pasta - Você esta indo para casa?

- Na verdade,irei passar no centro de Londres antes. - Disse Gon preocpando-se com sua tia - Você mora onde?

- Moro no Norte de Londres,posso te levar até lá no meu carro,o que acha?

- Nossa adoraria Kura. - O moreno sorriu alegremente e ajudou Kurapika a fechar seu consultório - Vamos?

- Vamos. - Ambos sairam do Hospital conversando animados,Kurapika conduziu Gon até um veículo prata,era simples,mas um modelo demasiado confortável,o loiro destrancou as portas e entrou na área do motorista e Gon entrou na do carona - Gosta de música Gon?

- Costumo ouvir alguns clássicos quando estou sozinho.

- Perfeito,eu também amo os Clássicos,pode ser Kasia? - Gon sorriu e assentiu com sua cabeça,então Kura ligou o som,deixando os pelos sons do Violino de Kasia pairar sobre o veículo e assim foi a viagem calma até que chegaram em um Consultório Médico,de onde podia-se ver o Big-Bang - Entregue meu amigo.

- Muito obrigado Kura,quanto lhe devo pela corrida?

- Absolutamente nada...O preço por qualquer coisa que eu fizer por você,será um sorriso no rosto do Killua e hoje ele pode sorrir quando ganhou o ChocoRobôs.

- Obrigado mesmo Kura,até amanhã!

- Até Gon e Boa Noite.

- Boa Noite! - O moreno desceu e Kurapika deu partida,os olhos castanhos de Gon observaram o veículo virar a esquina,então ele atravessou a rua e tocou a campanhia do Consultório e não tardou a ser atendido pelo homem ruivo completamente tarado,Hisoka - Ei Hisoka,como minha tia está?

- Sugiro que você mesmo veja-a. - Gon entrou e o rúivo fechou a porta,em seguida levou o moreno até um dos quartos de internação,ao entrar,Gon viu sua tia adormecida - Bem Gon,seu pai e a enfermeira dela estão na sala de espera,irei encerrar os exames e daqui a pouco chamo você.

- Tudo bem,obrigado por tudo Hisoka. - O moreno caminhou até a sala de espera e lá estavam,a Biscuit e o Ging,ambos com expressões preocupadas e aflitas - Oi pessoal...

- Ah Gon,finalmente! - Biscuit correu até o moreno e abraçou-o - Me perdoe,eu deveria cuidar sempre dela e fracassei,se quiser pode me demitir,não irei questionar. 

- Não Biscuit...Você foi comprar remédios para ela,não foi culá sua,fique tranquila. - O moreno fitou o pai e arqueou a sobrancelha quando viu uma de suas mãos enfaixadas - O que aconteceu com sua mão pai?

- Nada grave Gon...Mas de qualquer modo,tenho que ir,amanhã irei acordar cedo,mas antes,irei conversar com o Doutor Hisoka,se me derem licença... - Friamente Ging disse e levantou-se,direcionou-se ao quarto da Mito e adentrou,sem pedir qualquer autorização ou avisar de sua entrada,enquanto isso,Gon e Biscuit ficaram conversando até que ouviram a porta se abrir e Ging sair dela - É apenas isso que deve fazer Hisoka,nada mais e nada menos.

- Claro...Assim seja Senhor Freecs. - O ruivo virou-se para Gon e sorriu - Pode entrar para vê-la Senhor Gon...A Senhorita também pode vir. Gon levantou-se,mas Biscuit negou-se a ir,ainda sentia-se culpada.Adentrando no quarto,Gon percebeu que Mito estáva pálida e seus lábios demasiados claros,quase como se estivesse morta,o moreno suspirou pesadamente e se ajoelhou diante da cama,entristecido,acabou por adormecer ali mesmo,chorando diante o fraco corpo da tia.

Na manhã seguinte,no Hunters of Cure,Killua acordou animado,pela primeira vez em dois anos iria sair do Hospital e não conseguia descrever a felicidade que sentia por isso,levantou-se e tomou um banho tranquilo e calmo,como suas roupas estavam em sua maioria no Hospital,o menor não teve problema com suas vestimentas,vestiu uma camisa azul claro com um colete branco e uma calça jeans escura e tênis preto,seu cabelo estava um pouco bagunçado,mas não tirava sua beleza,ainda continuava sendo um albino lindo.

O menor ficou em seu quarto aguardando a chegada de Gon,mas ele estava atrasado,aguardou mais meia hora e o moreno ainda não havia chegado,deixando Killua preocupado,o menor se levantou e caminhou até a janela,onde pode admirar Londres pela primeira vez depois de dois anos.

- Como eu fiquei dois anos sem ver pelo menos a janela? - Indagou após suspirar entristecido - Espero que o Gon esteja bem...E espero que não tenha acontecido nada com a tia dele...

Enquanto isso,o moreno estava acabando de se arrumar,passava perfume e pegou sua carteira,sorriu diante do espelho,admirando sua beleza,pegou um casaco de frio e saiu animado,estava louco para passear com Killua,desceu as escadas calmamente,degrau por degrau e quando chegou no último degrau,ouviu seu pai na cozinha dizendo algo aparentemente suspeito:

- Não me importa quanto me vai custar,eu só não quero que a verdade venha a tona. - Ele parecia irritado,Gon ouviu-o socar a mesa com certa brutalidade - NÃO ME INTERESSA SILVA ZOLDYCK. - O moreno assustou-se com o nome,sabia que se tratava do pai do Killua - Você está em uma situação pior que a minha Zoldyck...Não me venha com suas ameaças,eu sei dos seus segredos também e se voltar a me chantagear,irei expor todos eles e não me importam as conseguências. - O moreno estava pasmo,não imaginava o motivo de tal conversa,mas tentou ignorar e saiu.

Enquanto caminhava pela rua,o moreno pensava naquela conversa que ouviu a pouco e se perguntava como e quando o pai do Killua e seu pai se conheceram,e pior,quais segredos o Silva sabia de seu pai que poderiam deixa-lo naquele estado?

Estes pensamentos tomaram conta de sua mente por bastante tempo,até que finalmente havia chegado no Hospital,adentrou no ambiente com um belo sorriso e caminhou em direção ao quarto do Killua,bateu duas vezes na porta e ouviu um ''entre'' baixo,porém audível e assim o fez,encontrou Killua bebendo uma xícara de chá com Leorio e com a enfermeira Retz,a loira fitou Gon com um sorriso gentil e meigo.

- Bom Dia Gon...Aceita uma xícara de chá de Lizzie IX com leite? - Perguntou Killua com um sorriso demasiado fofo - Sente-se e beba conosco antes de saírmos.

- Eu adoraria Kill...Mas não vou poder,irei aguardar você está bem?

- Certo,não irei demorar. - O albino bebeu mais dois a quatro goles de chá e finalmente largou a bela peça de porcelana e levantou-se ainda sorrindo lindamente - Podemos ir?

- Onde vocês vão exatamente?

- Iremos tomar sorvete Leorio! - Gon respondeu com um leve sorriso,se aproximou de Killua e segurou sua mão direita,aproximou-a dos lábios e beijou-a delicadamente - Vamos meu senhorito?

- Va-Vamos.. - Killua corou demasiadamente e acompanhou o moreno até o lado de fora em silêncio,estava constrangido - On-Onde esta se-seu ca-carro?

- Eu ainda não tenho um...Mas chamei um Uber para nos levar até a sorveteria France Glaciaar no centro da cidade,você já foi lá? 

- Uma vez...Mas foi antes de eu ser internado aqui.

- Killua...Você tem irmãos?

- Tenho sim...Mas não gosto de nenhum deles,exceto pela Alluka...Mas meu pai fez com que ela fosse internada em um hospício na Rússia...Ela apresenta dupla personalidade e ele não gostou disso,simplesmente mandou-a para lá como se não fosse absolutamente nada.

- Kill...Eu sinto muito,mas...Por que ele foi tão malvado?

- Não sei e não lhe interessa Gon...Aliás,acabou de chegar um carro,é nele que vamos? - O moreno avistou o veículo escuro e assentiu,ambos caminharam até ele e adentraram,em seguida o motorista recebeu a localização exata e deu a partida,no caminho,Killua observava os locais com brilho nos olhos - Parece que faz décadas que não visito Londres completamente.

Gon fitava o pequeno com um sorriso admirado,o albino parecia uma criança saindo pela primeira vez em toda sua vida era uma inocência que deixava o moreno com o coração acelerado,passou a questionar seus sentimentos pelo pequeno.

Finalmente o carro estacionou,o maior pagou pela corrida e desceu do veículo,seguido por Killua,eles avistaram uma linda sorveteria e adentraram na mesma,se dirigiram a bancada e fizeram seus pedidos,onde Gon pediu sorvete de morango e Killua de chocolate,então se sentaram e ficaram em breve silêncio.

- Killua...Seus familiares costumam te visitar?

- Apenas o Illumi as vezes...O papai apenas quando o Kura ou Leorio chamavam...Por que?

- Por nada...Só curiosidade mesmo.

- Senhores,vossos pedidos.A garçonete colocou os sorvetes sobre a mesa e sorriu,em seguida se retirou e os dois atacaram seus sorvetes,principalmente Killua,que não provava um sorvete a cerca de um ano,seus lábios ficaram completamente sujos de chocolate e o moreno não pode deixar de rir e comentar:

- Pelo visto estava gostoso. - Killua riu e o moreno se aproximou dele e tirou uma foto,mas o pequeno se recusou a aceitar aquilo e tentou tomar o celular dele.Em meio essa brincadeira,o albino encontrava-se sobre o colo de Gon e quando finalmente seus dedos tocaram a tela ele olhou para frente,dando de cara com os olhos caramelados.A aproximação deles eram intensa,suas respirações se misturavam e o cheiro de sorvete também - Ki-Killua...


Notas Finais


( ͡° ͜ʖ ͡°)( ͡° ͜ʖ ͡°)( ͡° ͜ʖ ͡°)( ͡° ͜ʖ ͡°)

Espero que tenham gostado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...