História Um Babá Quase Perfeito - Jikook - Reescrevendo - Capítulo 2


Escrita por: , Dazza e Serendipxty_

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens Personagens Originais
Tags Bangtan Boys (BTS), Jikook, Romance
Visualizações 185
Palavras 2.081
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Self Inserction, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá meu amores, Tudo bom? Espero que sim!

Vim aqui postar mais um capítulo maravilhoso e reescrito! Foi feito por mim, espero que gostem!

Próximo capítulo, teremos grandes surpresas!

Chega de falar, bora para o capítulo... Beijos!

Capítulo 2 - Capítulo II


Fanfic / Fanfiction Um Babá Quase Perfeito - Jikook - Reescrevendo - Capítulo 2 - Capítulo II

Capítulo 2

Já era noite na casa dos Park’s. Jimin como sempre estava em seu quarto, com as cortinas fechadas e seus fones de ouvidos no último volume. Internamente, se sentia bem ao estar ganhando uma vida novamente, sentia isso pelo esforço que sua mãe estava fazendo. Ajustou seu despertador para às 8:00 horas da manhã. Já pronto para dormir, se deitou ouvindo sua música favorita, imaginando como seria o dia de amanhã na tal entrevista e acabou pegando no sono.

 

Como sempre fazia antes de dormir, A Sra.Park foi até o quarto do filho, para saber se estava tudo bem com seu pequeno, como ela o chamava. Entrou no quarto silenciosamente, andou até a beirada da cama, retirou os fones de ouvindo e o cobriu. Deu-lhe um beijo na testa e seguiu até a porta para sair do cômodo. 

 

Antes de ir para seu quarto, olhou novamente para seu filho, o percebendo dormir tranquilamente. Ela o amava, era o seu maior tesouro, um dos mais valiosos. Depois disso, ela seguiu para seu cômodo e se deitou ao lado do marido, que já dormia profundamente.

 

~~07:40 da manhã

 

Já havia amanhecido em Seul. O canto dos pássaros soavam e o sol  iluminando o dia e a casa dos Kim’s, vizinhos dos Park’s. Kim Taehyung era um velho amigo de Jimin, e vivia na casa do menor. Ele e Jimin dividiam a janela, já que as casas eram próximas, podendo ver tudo que acontecia um na casa do outro.

 

Como de costume, todos os dias Taehyung acordava cedo e tomava seu banho quente, já que em Seul fazia um pouco de frio, mesmo estando na primavera.  Estava terminando de se vestir, quando viu a sombra de seu vizinho na cortina. O mesmo tinha acabando de cair no chão, por causa do despertador, que tinha acabado de tocar. Ele riu e chegou mais perto de sua janela para observar melhor o menor.

 

Jimin por sua vez, ainda no chão de seu quarto, reclama de dor no bumbum, já que tinha caído sentado. Passava a destra no traseiro, tentando aliviar a dor. Meio sonolento ainda, se levantou ainda passando a mão onde doía em si. Foi até a cortina para abri-la e deu de cara com seu vizinho intrometido, senhor Kim Taehyung. O loiro fechou o cenho e corou, pois sabia que o mesmo tinha visto a cena de si caindo de bunda no chão há poucos minutos atrás.

 

O moreno ria para Jimin e via que o garoto estava envergonhado. Então, tratou de parar de rir e acenou para o menor, que sorriu sem mostrar os dentes e acenando com a cabeça. Taehyung pensou em dizer um ‘’Bom dia vizinho’’ mas não conseguiu, apenas deu um tchau e saiu da vista do outro. O loiro sem entender, foi tomar seu banho, já que a entrevista de emprego seria às 11 da manhã.

 

Já depois do banho, Jimin apenas enrolado com uma toalha na cintura, andou por seu quarto indo pegar a roupa que tinha separado no dia anterior. Colocou uma música alta no aparelho celular para tocar e começou a se arrumar. Dançando alegremente, nem percebeu que tinha um espectador, que assistia a tudo.

 

Taehyung não conseguiu sair da janela, enquanto via Jimin dançando lindamente pelo cômodo. Sorria por ver que seu ‘velho” amigo estava feliz. Há muito tempo, não via o loiro tão contente. Sentiu seu coração acelerar por vê-lo assim. Ficou sem reação, quando Jimin rebolou até o chão, com uma música sexy que tocava. O de cabelos pretos não estava preparado para aquilo. Apenas fechou as cortinas correndo, fazendo um grande barulho, pois até Jimin escutou. O mesmo foi olhar e percebeu a sombra de seu vizinho na cortina fechada e riu, voltando para sua dança. 

 

Já Taehyung, respirava rápido. Apenas suspirou e ignorou o amiguinho que ficou um pouco “Feliz” com aquela dança sensual. Começou a pensar em coisas que deixavam-o broxa. Em poucos segundos, foi voltando ao normal. Quando já estava tudo calmo, deu mais uma olhadinha para a janela do vizinho e não viu mais o menor ali. Bateu com a testa na janela, se encostando, e torcendo para não ter sido visto.

 

Desde quando Jimin fora morar na casa ao lado, Taehyung sempre tentou mostrar, de alguma forma, que gostava do garoto, mas a vergonha era tamanha. Sempre que ele tinha coragem para fazer isso, algo o atrapalhava ou até mesmo o loiro não queria papo, nem com ele e nem com ninguém. Queria de alguma forma mostrar, se aproximar do menor, mas não sabia como e estava disposto a fazer isso com a ajuda de um amigo, que conhecia desde a infância.

 

Na casa dos Park estava tudo tranquilo. Jimin estava feliz, não era mais aquele menino fechado e triste, que todos falavam mal e não levava a sério. Todo arrumado, com sua pasta em mãos , desceu as escadas indo até a cozinha, onde estava seus pais. Sorriu ao vê sua mãe preparando o café da manhã para todos. Sentou-se ao lado do pai, que lia a parte de esportes do jornal e tomava sua xícara de café, como todos os dias.

 

Já tinha tempo que a família Park não se reunia assim para tomar café da manhã. Sua mãe ainda não tinha visto o filho sentado na mesa, apenas seu pai, que sorria abertamente. Quando ela se virou para colocar uns pães na cesta, tomou um susto ao vê-lo ali sentado, e derrubando a comida no chão.

 

— Jimin? — falou assustada e com a voz chorosa, pois fazia tempo que o mesmo não sentava à mesa com os pais. Isso foi um baque para a mesma.

 

O loiro se aproximou da mesma e abraçou forte, como nunca tinha abraçado antes. Isso fez a Sra.Park cair em lágrimas, pois fazia tempo que seu filho não lhe abraçava assim. Ainda meio trêmula, separou-se do abraço do menor, esse que sorria e ajudava a mãe recolher os pães caídos.

 

Após catar tudo do chão, Jimin sentou-se novamente a mesa. Sua mãe estava ainda meio nervosa por ver o filho depois de muito tempo, se reunir junto a eles, isso era uma mudança extraordinária na vida de todos daquela casa. Os pais do loiro não estavam acreditando na pequena mudança que ele teve de ontem pra hoje. Queriam perguntar, mas estavam com medo da reação que Jimin poderia ter e voltar a ser aquele garoto depressivo outra vez e não queriam isso, de jeito nenhum.

 

— Porque me olham tanto? — Jimin perguntou assustado, pois os mesmo estavam boquiabertos com a figura do garoto.  — To feio por um acaso? Com alguma coisa na cara? Espinha? Falem algo! — disse num tom engraçado, fazendo os mesmos começarem a rir do que o loiro dizia. Não entendendo nada, começou a tomar seu café da manhã, meio emburrado pelas risadas de seus pais, mas continuou ali na mesa.

 

Quando terminaram o café, Jimin ajudou sua mãe a tirar a mesa. Pegou os objetos que usou e começou a lavar. A Sra Park apenas observava e isso a deixava muito feliz. A mesma ia lavar as coisas que seu marido e ela usaram, mas o menor foi mais rápido, pegando tudo e lavando, impressionando ainda mais os dois mais velhos que ali estavam. 

 

Ao terminar, secou suas mãos e foi até a sala, percebendo apenas sua mãe ali. Respirou antes de chegar perto da mais velha e seguiu o caminho até o sofá, onde ela estava sentada.  Chegou por trás da mulher e tocou seu ombro, assustando-a.

 

— Jimin! Ai que susto filho! — disse a mesma com a mão no coração — O que faz aqui ainda? Você tem que se arrumar pra entrevista! — falou e o loiro assentiu afirmando e sentando ao lado da mãe. O mesmo ficou meio envergonhado, e não disse nada. A mãe notou o nervosismo do filho e acariciou os cabelos do menor, afastando dos olhos, já que estavam grandes demais. — Filho, quer me falar algo? — o menor assentiu — Então diga, estou ouvindo… — disse sorrindo.

 

O loiro suspirou e apenas começou a abraçar a mãe. A mesma não entendeu, apenas cedeu o abraço ao filho, que estava chorando em seu ombro.

 

— Me desculpa por tudo mamãe! Eu sinto muito! — disse chorando

 

— Meu filho, você não tem que pedir desculpas… Eu te amo de qualquer jeito!

 

— Eu também amo você e o papai… me desculpa! — disse soltando-se do abraço da mais velha, que secou as lágrimas que desciam pelo rosto do mais novo. Conversaram e riram por várias horas. Fazia tempo que não ficavam assim. Quando deu o horário de Jimin ir a entrevista, ele se levantou e abraçou sua mãe, se despedindo da mesma.

 

Subiu ao seu quarto e começou a se trocar. Arrumou os cabelos e passou um perfume qualquer. Estava bem vestido, com uma vestimenta decente para uma entrevista de emprego. Pegou seu celular, carteira e a pasta com seus documentos e desceu até a sala. Avistou sua mãe de longe, mas não disse um tchau se quer, apenas saiu de casa, logo pedindo o Uber, que não demorou a chegar, pois estava perto dali. Entrou no carro, deu bom dia ao motorista e logo seguiu destino. 

 

Alguns minutos depois, foi avisado pelo motorista que tinham chegado ao local. Tomou um susto ao ver a casa enorme em sua frente. Estava nervoso e antes de sair do carro, respirou fundo. O motorista até achou que ele estivesse passando mal e ofereceu uma água, para Jimin ficar mais calmo. Quando percebeu sua calmaria, desceu do carro. Seguiu até a porta do local, tocando a campainha em seguida e uma moça logo abriu a porta.

 

— Bom dia, Pois não? — a mulher falou educadamente

 

— Bom dia, eu me chamo Park Jimin e vim pela vaga de babá… 

 

— Ah sim, pode entrar, vou chamar a patroa! — ela disse saindo de vista e deixando Jimin sozinho.

 

Ao ficar sozinho ali, observou aquela imensa casa por inteira. Estava abismado com todo aquele luxo do local. Sabia que a pessoa era rica, mas nem tanto assim. Olhava os retratos da família, tinha alguns antigos e outros novos. Ele se surpreendeu com uma foto de um garoto, parecia um coelhinho de tão fofo, e imaginou que seria dele que tratava o emprego de babá. Enquanto ele olhava o retrato, foi chamado, desta vez era uma voz diferente, mas feminina, que o assustou, fazendo colocar a foto de volta no lugar.

 

— Park Jimin? — falou a mulher o chamando

 

— S-sim.. 

 

— Prazer, sou Jeon Somin, Mãe do Jungkook! — disse sorrindo e estendendo a destra para Jimin. O menor fez o mesmo, sorrindo.

 

— O prazer é meu, senhora Jeon! 

 

— Vamos, temos muito que conversar agora… — disse andando, e o menor logo a seguiu. No caminho, escutou uma voz grossa de Homem. Tentou ver de quem era, já que era curioso, mas não conseguiu.

 

Passaram várias horas presos no escritório da senhora Jeon, essa que fazia muitas perguntas. Já Jimin, estava ficando entediado com tudo, mas prometeu a sua mãe que iria ser forte, por ela.

 

— Bom senhor Park… — Jimin a olhou assustado — Gostei muito de você, não tem experiência, mas mesmo assim é um ótima pessoa para o cargo. — disse sorrindo, fazendo Park suspirar fundo. As mãos do menor soavam frio de tanto nervoso e queria logo receber a decisão da mulher. — Iremos fazer assim… Você passará por um período de adaptação aqui em casa! — falou fazendo Jimin sorrir — Terá que dormir aqui por um mês, até eu ter minha decisão final. Sei que vai ser duro, mas confio em ti. — sorriu ao menor e se levantou para cumprimentá-lo. — Bem vindo à família Jeon, senhor Park!

 

— Muito obrigado senhora, prometo me esforçar bastante! — disse sorrindo

 

— Bom, você começa amanhã… Vá para casa e traga suas coisas!

 

— Pode deixar senhora... — disse fazendo a futura patroa rir. 

 

— Não precisa voltar hoje, durma em casa e venha pela manhã, as 8! — o loiro assentiu apertando novamente a mão da mulher mais velha.

 

Se despediu da mulher e seguiu seu rumo para casa. Antes disso, decidiu passar num mercado e comprar algumas besteiras para comer no caminho. Depois disso, foi caminhando para sua residência, queria logo dizer a nova novidade para seus pais.

 

Ao passar num beco, sentiu alguém ali por perto, mas ignorou e continuo a andar. Ele sentiu novamente aquele calor e acelerou seu passo com medo. Quando já estava perto da saída do beco, viu duas sombras passando ao seu lado.

 

— Ai Deus, é agora que eu morro! — falou baixinho



CONTINUA...


Notas Finais


Capítulo feito por @Jikook89

Beijinhos anjos e não deixem de comentar e deixar alguma sugestão nos comentários, ajudam muito! ksksks

O próximo será postado pela minha chará @Serendipxty_


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...