História Um babá quase perfeito - Capítulo 1


Escrita por: , Mr_ghost77 e QueTopTaeTop

Visualizações 302
Palavras 5.782
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


@Aako: Oi, povinho lindo que é Taehyung Top stan ≧ω≦
Titia Aako voltou, dessa vez num projeto e num desafio de duplas por conta do especial de 200 seguidores❤❤❤ aproveitem e dêem uma olhada lá viu? 👀
Tô bem animada para saber o que vocês achar (๑>ᴗ<๑), eu particularmente gostei muito

O plot foi desenvolvido por mim e pela Mr_Ghost77, e é bem legal <3
A gente foi escrevendo juntas e misturando nossas escritas, ficou uma coisa legal.
O tema foi sorteado assim como as duplas, e a gente conseguiu fazer bem rápido (๑>ᴗ<๑)
Espero que deem muito amor à essa família <3
Até lá embaixo

A Mr_Ghost77 é meio tímida pra falar aqui, mas ela é gente boa viu? :3

Capítulo 1 - C1: Virando babá


Fanfic / Fanfiction Um babá quase perfeito - Capítulo 1 - C1: Virando babá

 

 

 

 

Taehyung, corria contra o tempo para chegar em casa, o trânsito caótico lhe irritava de tal maneira, que o deixava assustado até, nunca havia sido do tipo estressado. Depois de horas sentado no banco de seu carro, finalmente o mesmo havia conseguido chegar em casa.

 

Assim que abriu a porta, encontrou Yeri, com uma expressão cansada.

 

– Yeri, cheguei. – O moreno disse assim que colocou os pés na sala

 

– Finalmente, Taehyung. –  a loira disse ironicamente e Taehyung revirou os olhos – Pensei que só chegaria ano que vem – Ela disse Ironicamente e Taehyung revirou os olhos – Não consegui fazer Minjae parar de chorar, Minah também tentou e não consegui e Jaehyun está tentando at– Yeri foi interrompida por um choro feminino

 

– Minha princesinha também? – Taehyung choramingou e correu até a sala, encontrando Minah chorando e sendo amparado por Jaehyun, que também segurava Minjae tentando acalma-lo

 

– Papai! – Jaehyun, assim que o viu, exclamou, com uma expressão de choro que fez Taehyung correr até eles.

 

– Eu estou aqui, meus amores. – O moreno pegou Minjae no colo, que já tinha parado de chorar assim que viu a imagem do pai, Minah parou de chorar também e se aconchegou ao lado do Pai, e Jaehyun se sentou igualmente ao lado dele também

 

– Porque MinJae estava chorando? – Perguntou preocupado

 

– Ele só começou a chorar, talvez fosse de saudades sua mesmo. – Yeri respondeu chegando a sala e sentando no tapete, de frente para Taehyung – Oppa, eu preciso ir para a faculdade, meu horário já bateu, e eu já estou ficando atrasada. – Yeri reclamou – Como vai fazer para cuidar deles? – Ela perguntou

 

– Sim, sim. Eu sei, eu vou leva-los para a empresa, no momento não tenho ninguém de confiança para cuidar deles. Pode me ajudar a preparar a bolsa deles? – Yeri assentiu e se levantou

 

– Vou preparar a mamadeira do Minjae antes, Ok. – Taehyung assentiu

 

– Jae, me ajuda com seus irmãos? – Ele perguntou é o garotinho concordou rapidamente. Taehyung levantou e Minah levantou junto dele, o seguindo.

 

Jaehyun, pegou sua mochila e começou a arrumar sozinho, colocou alguns brinquedos e uma caderninho de colorir.

 

– Coloque, a escova de dentes, pasta, o fio dental, uma roupa limpa, cuecas e uma escovar agora para seus cabelos. – o pai pediu arrumando as coisinhas do caçula.

 

– Papai, olha, eu também arrumei a minha – A pequenina Minah, disse, mostrando a mochila preferida da Cardcaptor Sakura, com seus pertences dentro, um vestidinho amarelo, uma pantufa de gatinho, alguns brinquedos, e sua caixinha de música.

 

– Muito bem, essa é minha menina. – Taehyung sorriu em aprovação – Não esqueça sua escova de dentes, filha.

 

Taehyung terminou de vestir MinJae e olhou em volta, as mochilas estavam prontas e todos já estavam vestidos.

 

– Será que faltou, alguma coisa? – Ele perguntou a si mesmo – Ok, pipo, fraudas, roupinha limpa, brinquedos, mordedor, babador, toalhinha... O que falta pro meu anjinho?

 

 

– As mamadeiras e as papinhas já estão prontas, está tudo na lancheira deles – Yeri apareceu com as lancheiras na mão. – Está frio lá fora, usem um casaco. – A garota pediu

 

Enquanto Yeri ajudava com os casacos das crianças, Taehyung foi se arrumar e trocar de roupa. Quando voltou, todos já estavam arrumados e prontos. Minah vestia um casaco da Cardcaptor Sakura, Jaehyun usava um do Kumamon e Minjae usava um do Mickey Mouse.

 

– Yeri, quer carona para universidade?

 

– Você ainda pergunta? Claro que sim.

 

Assim, os dois foram para o carro, e ajeitaram as crianças no banco de trás. Taehyung entrou e logo em seguida Yeri entrou também. O trajeto até a universidade foi rápido e logo já haviam chegado ao destino de Yeri, Taehyung estacionou o carro e esperou Yeri descer.

 

– A titia já vai. Amo vocês, e até depois – Yeri disse apressada e mandou beijos para cada criança

 

– Okay, crianças, agora rumo à empresa do Papai – Taehyung disse e deu partida no carro

 

– Papai, a gente vai ver o tio Nam? – Jaehyun perguntou curioso

 

– E a tia Jonnie? – E Minah pergunto também

 

– Sim, sim. Mas eles estarão ocupados, então não terão muito tempo. – respondeu prestando atenção no trânsito.

 

– Mais papai, eu quero ver a tia Irene! – Minah exclamou alto e Taehyung Suspirou

 

– Ok, mas vocês irão se comportar, certo? – Perguntou ele aos filhos.

 

– Sim, papai – Os dois mais velhos responderam em uníssono, enquanto Minjae se distraia com o mordedor.

 

– Certo…

 

Chegando na empresa, Taehyung estacionou o carro no estacionamento privado da KT entertainment e saiu do carro, dando de cara com Irene; madrinha de sua filha, saindo também de seu carro. Taehyung deu ar de graças e correu até a mais velha.

 

– Irene, meu anjo, minha linda, meu sol do meio dia – Taehyung a chamou, com os olhos brilhando

 

– Que merda você fez agora Taehyung? – A mulher de longos e belíssimos cabelos num tom alaranjado, perguntou

 

– Nossa, quanto amor, pela minha pessoa – Taehyung comentou secamente – As crianças estão no carro, e a Minah quer ver você – disse rápido para não dar tempo de Irene retrucar. A assessora pessoal do Kim quase deixou o copo de café cair junto ao seu queixo.

 

– Tia Joonie! – Minah gritou animada quando seu pai abriu a porta

 

– Princesa?... Minjae... Jaehyun... – olhou para os três pequeno – Taehyung?... Princesinha! – a pegou no colo com cuidado para não derrubar café quente nela.

 

 

Taehyung tirou Jaehyun e Minjae do carro, enquanto Irene pegou Minah no colo, Jaehyun andava ao lado de Taehyung e MinJae ia no colo do mesmo

 

– Porque os trouxe hoje, aconteceu algo com Yeri – Ela perguntou enquanto os dois entravam no elevador

 

– Por favor, coloque um anúncio de babá no mural da empresa e na entrada também, eu preciso urgentemente. – suspirou pesado – Yeri vai entrar em período de provas e não poderá mais tomar conta deles – Taehyung explicou num tom apreensivo

 

– Ok, ok. – Irene concordou e entraram no elevador – Eu disse a você que deveria, arrumar uma babá rápido, mas você não me escutou, como sempre né. – A laranjada reclamou e rolou os olhos – Crianças são proibidas aqui, mas não as crianças do chefe. – murmurou – Vou providenciar os anúncios.

 

Para evitar pessoas, eles pegaram um elevador especial, criado apenas para ele.

 

– Eu sei, Irene, mas as babás nunca ficam mais de dois meses, você sabe como é difícil. – Ele disse calmamente, enquanto  ninava MinJae – As crianças não gostam das babás e elas nunca têm paciências com eles – suspirou pesado – Quando for fazer o anúncio deixe meu nome nele.

Realmente, eram meninas sem paciência para os três pequenos, principalmente para Minjae que sempre chorava e não parava sem seu papa.

 

 

 

“Realmente, não houve uma babá boa, ninguém era de confiança, todas só queriam apenas uma noite de sexo com ele é o seu dinheiro, isso o irritava profundamente” – pensou o Kim

 

– Também, aprontam para caramba, né Minah. – Ela olhou diretamente para a garotinha que deu ombros

 

– Não quero nenhuma babá má, eu quero ficar com meu pai – A menininha disse meio emburrada

 

– É, elas só querem pegar o nosso pai para elas. Nem cuidam da gente direito – Jaehyun que até então estava quieto, agarrado a perna do pai, disse – São apenas piranhas interesseiras – Ele terminou e Taehyung arregalou os olhos, enquanto Irene riu

 

– Onde aprendeu isso Kim Jaehyun – Ele perguntou – Eu não te ensinei palavras feias

 

– O tio Nam me ensinou. – Taehyung bufou

 

– Ah, tinha que ser! Aquela peste! Escute querido, não diga mais essa palavra, ok? – Jaehyun assentiu com um sorrisinho.

 

Evitaram pessoas curiosas , indo pelo elevador particular dos superiores (Taehyung, Irene e uma pequena equipe que tinha cargos altos).

-Minjae não gosta de elevadores. – o pai comentou ninando o filho no colo, que já estava choramingando de novo por entrar na caixa metálica.

Minah ajeitava sua coroa no espelho e seus cabelos, enquanto Jaehyun estava agarrado à perna do pai, quieto.

 

 

– Está bem papai. – Assim, a porta do elevador abriu e eles começaram a andar pelo longo corredor

 

– Vocês irão ficar na sala do Appa de vocês, ok? Porém, minha sala é ao lado, aquela ali oh – Irene apontou para a sala e eles assentiram – Até mais tarde Taehyung

 

– Vamos, crianças, entrem. – Todos entraram na sala, e a primeira coisa que Taehyung fez, foi colocar o tapetinho divertido dos filhos no chão. – Nada de sapatos no tapete, ok.- falou sério – Fiquem de olho no MinJae e não deixem que ele coloque nada na boca, eu estarei ocupado, porém se precisarem de algo é só pedir – Minah assentiu e Taehyung colocou MinJae em cima do tapetinho, que logo começou a brincar nas partes musicais.

 

– Appa, não esquece da comida do MinJae. – Jaehyun disse alto, enquanto se distraia com a vista maravilhosa que a janela de vidro do prédio lhe dava.

 

– Ah sim. Ok – Taehyung se bateu internamente por quase esquecer da comida do filho

 

“Eu realmente preciso de uma babá” – pensou desesperado.

 

 

(...)

 

Dois jovens homens, andavam lado a lado, entrando e saindo de lojas e estabelecimentos.

 

– Jimin, eu estou cansado – Yoongi resmungou rabugento como sempre

 

– Ah, sim claro. – revirou os olhos – E eu não né ? – O loiro perguntou irônico – Você precisa de um emprego ou vai acabar se afogando nesse mar de dívidas que você tem e...

– Como se não me bastasse ter a porra da minha música roubada, ainda tenho que andar meio mundo para tentar achar um caralho de emprego, pior que tá não fica – O rosto do Min, estava ficando tão vermelho que ele poderia até mesmo ser comparado a um tomate maduro.

 

– Ah, você pode apostar que fica sim. –  Jimin disse e recebeu um dedo do meio de Yoongi – Ainda temos alguns currículos para entregar, ok.

 

– Não sei porque faz isso Jimin, o Jeon tem dinheiro para dar e vender, você poderia passar toda sua vida sem trabalhar que ainda iria sobrar. – Yoongi comentou baixo

 

– Eu não quero passar minha vida inteira dependendo do Jungkook, Yoon. Não sou nenhum interesseiro, como a mãe dele diz... – Jimin e Yoongi pararam em frente a empresa KT Entertainment, no exato momento em que uma mulher de cabelos loiros, colocou alguns anúncios colados na parede e no mural enorme.

 

 

Os dois se aproximaram e começaram a ler.

 

– Ah, pensei que pudesse ser audições, parece que ainda não abriram vagas, então.

 

– Ele é bonito – Jimin comentou – Claro que Jungkook é mais, mas ele também é muito lindo

 

– Verdade, eu pegava de boa – brincou, e a mulher que antes colocava os anúncios, agora se encontrava parada escutando a conversa dos dois.

 

– Deixem de ser idiotas e iludidos, o senhor Kim, nunca daria uma chance sequer para vocês, dois pobretões sem senso de moda, ainda mais gays, que horrível! – A mulher comentou com um ar superior

 

– Claro e nem a uma varapau que nem tu, não é mesmo, certeza que ele prefere a azeda que é só uma secretária – Yoongi disse ácido. A recepcionista bateu o pé no chão irritada e voltou para dento. Yoongi olhou para o anúncio de novo – É para cuidar dos filhos deles... Eu não sou muito chegado em crianças, mas também não tenho nada contra, não custa tentar. – deu de ombros e sorriu para Jimin

Jimin riu até se contorcer, irritando o mais velho.

 

– Você? Mal sabe cuidar de si mesmo, quem dirá de crianças né – Ele zombou ainda rindo

 

– Eu sei cuidar de mim, sim! E eu cuidava dos meus primos...– O Min rebateu irritado

 

– Ah sim, claro que sabe. – o mais novo voltou a brincar – Eu nem quero tentar, já tenho duas crianças para puxar meu cabelo.

 

– Ele diz aqui que recebe a qualquer hora – falou olhando o papel – Vou agora.

 

– Ok, então eu pego a vaga da loja de doces. – o loiro disse.

 

Os dois entraram na empresa e, deram de cara com a mesma mulher de antes, que os olhava com uma expressão de desagrado.

 

– O que querem aqui? – Ela perguntou num tom irritado

 

– Eu quero me candidatar à vaga, aqui diz que ele está recebendo a qualquer hora. – A mulher murmurou algumas coisas sem sentindo e pediu um tempinho

 

– Sou preguiçoso, mas sei limpar direito, e também sei cozinhar, não tenho nada contra crianças, então sou um bom candidato – Disse pensativo

 

-Esconda bem suas tatuagens, talvez o pai não goste.... Ele deve estar bem desesperado, o grande Kim Taehyung que deve ser muito ocupado, quer receber qualquer um e a qualquer hora.

 

A recepcionista o chamou e lhe entregou um crachá

 

– Você pode subir, mas com o segurança. – A loira falou

– Não sou ladrão, querida. – Soltou – Jimin, me espera aqui, logo, logo eu volto.

–Sem problemas. – Sentou no sofá e pegou seu celular – Tem internet liberada aqui.

 

Assim que Yoongi entrou no elevador, pelo menos cinco garotas desesperadas entraram na empresa. O segurança o levou até a sala, seguiu até o final do corredor, como a recepcionista havia dito. Irene já havia pegado as crianças e levado para sua sala, para não atrapalhar Taehyung nas entrevistas.

 

O Min chegou perto da porta e deu três batidas escutando um entre e assim ele o fez.

 

Quando entrou, o Min estagnou.

– “O Kim é muito mais deslumbrante pessoalmente do que nas fotos, e também tem uma aparência muito jovem, achei que fosse mais velho, ou talvez ele só seja bem cuidado” – Yoongi pensou antes de sair de seus devaneios e se curvar.

 

– Bom dia. – O Min disse, primeiro

– Bom dia, senhor...? – Yoongi estranhou, já que ele era um rapaz, bem jovem.

– Min Yoongi, é um prazer. – Disse meio nervoso

– É candidato à vaga de babá? Certo?

– Se eu estou aqui, né – O Kim estreitou os olhos para o menor, e Yoongi deu um sorriso sem graça – Desculpe, força do hábito... Mas, por que não? O senhor deve saber muito bem que homens também sabem cuidar de crianças.

– Sente-se, por favor. – Taehyung pediu – Tem currículo?

– Ah, sou formado em música. –  Disse meio acanhado – Não acho que seja útil.

– Eu gostaria de ver, notas e recomendações também são úteis. – Pediu – Tem quantos anos? – Perguntou quando recebeu a pequena pasta.

– 24...

– Tem uma idade boa. – Taehyung disse, folheando os papéis. – Experiência com crianças?

– Pouca... – disse incomodado – Já cuidei de alguns primos pequenos quando eu era adolescente, e também de filhos de vizinhas.

“Um ponto negativo” – O Min pensou ainda meio nervoso

– E não gostava de sair, para festas ou algo assim durante sua adolescência? Ou agora?

– Eu nunca fui muito fã de lugares cheios...

– Isso é bom, quer dizer que você deveria ser alguém bem responsável, certo. – O Min sorriu aliviado com a fala do empresário – Mas com bebês chorões? – finalmente os olhares se encontraram.

– Ah... Suas crianças choram muito? – O Min perguntou encarando pela primeira vez, o Kim

– Somente o mais novo.

– Sou meio sensível a barulhos, mas nada muito grave, eu já cuidei de bebês chorões também. – O Min deu de ombros – São todos meninos?  – Ele perguntou

– Não, eu tenho uma menina também. É a do meio, minha princesinha.

– Sem querer ser rude, mas já sendo, ela é birrenta? – Perguntou, já um pouco mais leve.

– Não, é uma boa garota, é que é minha única menina, por isso o apelido “minha princesinha”

– Ah, então sem problemas, eu sei fazer penteados e coisas com miçanga ou algo assim.

– Diy?

– Isso.

– Já trabalhou com isso?

– Eu estou sempre fazendo algum bico. – Disse amuado e levemente corado

– Sabe fazer cozinhar ou limpar ?

– Ah, não sou nenhum chefe de cozinha, mais sei cozinhar algumas coisas, e sim sei limpar, não sou fã de bagunça, tenho um pouco de TOC até. – encolheu os ombros um pouco – Mas não sou nenhum maníaco.

– Ok. Sabe fazer comidas leves e sem muita gordura?

– Sei sim

– Ok e sabe cuidar de animais?

– Sim, sim! – Disse mais animado com um sorriso largo, mesmo que quisesse conter.

– Gomar roupas de grife e lavar?

– Já trabalhei com isso também, sei ser bastante cuidadoso

– Isso é bom, a senhora Kang não gosta de passar minhas roupas...Por fim o mais velho tem sete anos e é calmo e quieto.

– Tudo bem, gosto de crianças quietas.

– Como vê, sou um pai desesperado, a minha amiga que cuida deles vai entrar na semana de provas da universidade. – Soltou com uma careta – Pode começar amanhã?

– E-eu... Consegui mesmo o emprego?

– Sim, o salário é bom, eu garanto. Se conseguir ficar mais de uma semana eu posso dar uma olhada em uma de suas músicas.

– I..isso é ótimo! Olha muito obrigado Senhor Kim, você não sabe o tamanho da minha felicidade – O Min respondeu ficando de pé – sorriu largo – Pera... Mais de uma semana? – Olhou-o confuso – Senhor Kim... Seus filhos são exterminadores de babá?

– Me pegou no pulo. – Suspirou – Foi o primeiro que me questionou disso... Ah, bem, talvez você possa ter alguns problemas com eles, sabe perderam a mãe muito cedo. Sempre que eu arrumo uma babá nova, eles a expulsão com a desculpa de que elas vão me roubar deles – Taehyung disse, meio sem graça – Como se eu realmente fosse dar uma chance a elas – Ele murmurou baixinho – O mais velho é o líder de tudo, não consigo evitar, então ele e Minah meio que aprontam muito, mas talvez um rapaz eles levem melhor.

– Não querem uma nova mãe, estou certo?

– Você é bom. – Disse com um sorriso ao ver a esperteza do Min

– Obrigado, aceito o desafio, conheço todos os truques e pegadinhas, eu já fui o cabeça dos esquemas. – Brincou – Não sei se isso é muito bom, mas me livrei de vinte babás em apenas um ano.

– Contratado com toda certeza. – Estendeu sua mão – Quem expulsa sabe como não ser expulsado.

– Eu terei de usar um uniforme ou algo assim? – Questionou

– Bem, não exatamente, venha de roupas pretas ou branca, eu só tinha uniformes para mulheres, então, vou te dar esse bônus...Pode usar branco e preto?

 

Yoongi olhou suas próprias roupas, blusa branca, com um casaco preto grosso por cima e uma calça preta também.

 

– Posso sim. – Disse com um sorriso pequeno.

– Gostei de você. – O maior disse sorrindo – Vou ficar com o currículo para ter suas informações pessoais. As informações que você precisa, serão mandadas para o seu e-mail.

– Sim senhor, obrigado. – Se curvou animado e seguiu até a porta – Vou dar o meu melhor.

– Eu que agradeço. – Sorriu diferente para o baixinho que saiu apressado – Senhorita Na. – Disse pelo telefone – Pode dispensar as moças, a vaga foi preenchida. – Sorriu para si mesmo

 

Assim que devolveu o telefone no gancho, Irene entrou na sala com Minjae no colo

– Conseguiu alguém? – Irene perguntou, e MinJae esticou os bracinhos para Taehyung – Ele quer o pai.

– Sim, dessa vez um profissional na área, e rapaz. – O moreno brincou, pegando o caçula no colo, enquanto os outros dois entravam. – Já que é um rapaz, dessa vez, assim, não corre risco de ele me roubar de vocês, igual aquelas mulheres, certo? – Ele disse encarando Minah e Jaehyun, que comemoram – Então tratem ele bem.

– EBA! – Os dois comemoraram e bateram as palmas juntos

– Um rapaz é – Irene disse maliciosamente, encarando o Kim

– É apenas trabalho, Irene – E o moreno respondeu rolando os olhos.

 

(...)

 

Assim que o elevador abriu, Yoongi correu  até Jimin e o puxou para fora da empresa, vendo em seguida um  tumulto de moças indignadas.

 

 

– JIMIN, EU CONSEGUI! – O Min pulou em cima do Park que caiu com tudo no chão

 

– Ai! Yoongi sai de cima de mim, seu gordo. Isso é bom, quer dizer que não vai ser despejado – O loiro sorriu com a felicidade do amigo

 

– Isso é maravilhoso! – O Min disse feliz

 

Os dois comemoram, chamando atenção de algumas pessoas

 

 – Ok, vamos sair daqui e ir comemorar em outro lugar – Jimin disse sorrindo cúmplice – Se aquelas meninas souberem, te matam aqui mesmo.

– São três crianças para cuidar, ele disse que elas não são bagunceiras, mas eu tenho minhas desconfianças, ainda terei que lavar e fazer comida para eles – Yoongi dizia cada detalhe da entrevista, animado

– Roupas de gente rica são caras, cê toma cuidado hein.

– Será que ele é muito estressado com essas questões de roupas? – Yoongi se perguntou – Eu me lembro que o Jeon já fechou uma lavanderia por causa disso –  comentou risonho

– Cala boca, se você tivesse ternos importados da Alemanha, e manchassem eles, você também ficaria puto – Jimin, disse defendendo seu namorado

– Mas não faria birra como o Jeon. – Yoongi implicou

– Ah, pelo menos eu tenho namorado ok. Vamos pra loja de doces, preciso do emprego. – O Park terminou, puxando Yoongi, que revirou os olhos

 

 

Yoongi correu escadas acima, tão rápido e silencioso quanto uma cobra, para não dar de cara com o síndico, não queria outra bronca por causa do aluguel atrasado, e conseguiu mesmo com as sacolas de compras batendo contra seu próprio corpo.

Entrou apressado e trancou a porta, logo acendendo a luz do cubículo em que morava, dava para o gasto, afinal, era o que conseguia pagar com os bicos que fazia.

O Min havia comprado alguma comidas leves, para testar, seu potencial na cozinha.

– Certo – não havia ficado tão ruim – ... Agora passar roupas. – com as mãos livres de odor, passou as roupas que usaria na casa do Kim amanhã – Preciso de um banho. – e realmente, estava todo sujo e fedorento.

Depois de toar um banho relaxante e colocar um pijama confortável, foi se deitar e já iria dormir, se não tivesse sentido seu celular vibrar.

Era uma mensagem, quando abriu, quase deu um berro.

 

Eram informações do trabalho.

 

– Não pode ser – Ele murmurou, olhando para o celular, com as informações. Iria ganhar 15.000, para cuidar, banhar e alimentar as crianças.

Continuou olhando, teria de estar no endereço às nove da manhã, bem vestido e apresentável, que levasse coisas pessoais porque passaria basicamente o dia lá. Sua carga horária era de oito horas, mas poderia passar disso e ele receberia por tal, poderia chegar a dormir lá por alguns dias.

 – Bom demais pra ser verdade. – Sorriu para a tela – Ele vai explicar tudo amanhã na casa. – Leu por fim. – Certo, acho melhor eu dormir logo.

 

Ele se virou para o lado, desligou o celular e adormeceu com um sorriso no rosto

 

No dia seguinte, Yoongi acordou disposto, afinal queria os 15 mil. Tomou seu café da manhã simples mas reforçado, para então poder se banhar e colocar a roupa bem alinhada. Colocou um colete preto por cima da blusa de mangas branca e calçou sapatos sociais, pegando sua mochila arrumada.

 

– Ok, Min Yoongi, são só crianças, você já foi uma, você consegue. – Recitou para si mesmo

 

Trancou seu apartamento e desceu as escadas sorrateiramente, uma pena, que foi em vão.

 

– Min Yoongi! – Parou na hora – Está fugindo?

 

– Olha, seu Kyung, eu realmente vou pagar, eu consegui um emprego novo realmente, Bom e estou indo agora mesmo. – Falou com um sorriso nervoso – Eu só preciso de uma semana.

 

– Já está com dois meses de aluguel atrasado. – Yoongi encolheu os ombros – Vamos cortar seu gás amanhã. – Yoongi arregalou os olhos, iria morrer de frio – Nem adianta choramingar, estou irredutível, aprenda a pagar suas contas.

 

Yoongi concordou e saiu do prédio, chamando um táxi.

 

– Esse endereço, por favor. – O Min deu graças a Deus, que o caminho não seria tão longe, a ponto de ficar caro demais.  – Aqui. – entregou o dinheiro e saiu do veículo – Eu sabia que ele era rico e já tinha visto essa mansão... Mas caramba! Que enorme! – ficou estupefato e tocou a campainha se assustando ao ver o porteiro parado ali – .

 

– Nome?

 

– Er... Min Yoongi, eu sou o babá. – Disse nervoso

 

– Estivemos lhe esperando, cinco moças vieram aqui falando ser a babá, pode entrar. – abriu a porta com segurança forte. – Vai receber a cópia da chave da entrada de funcionário com a senhor Kang.

 

– Obrigado. – agradeceu e seguiu pelo longo caminho bonito – Extravagante... – comentou quando viu a fonte no meio de um jardim bem verde e muito bem cuidado – Um parquinho. – sorriu ao ver o playground particular, parecia divertido, com um pula-pula grande, escorrega, balanços, caixa de areia, cavalinhos e um mini roda gigante.

 

– Min Yoongi. – Se assustou com a voz grave – Estivemos lhe esperando. – Sorriu amarelo – Os danadinhos acordaram.

 

Se apressou para chegar até o novo patrão.

 

– Estou bem assustado por conta do salário.

 

– Achou pouco? Posso melhorar.

 

– N-nada disso! Na verdade é muito, demais para um babá... Perdão, mas me fez pensar que suas crianças realmente vão tentar me cozinhar vivo.

 

– Ah. – o maior riu fraco – Eles ainda não sabem ligar o fogão, é mais fácil tentarem te afogar na piscina ou te enterrar vivo. – mesmo que uma brincadeira Yoongi não conseguiu não ficar nervoso – Sabe nadar né?... – Yoongi ainda estava pasmo – Brincadeira. – soltou um riso e o convidou para entrar.

 

-Eu... Não sei nadar muito bem. – soltou – Espero que não seja um problema.

 

-Não é, tem a piscina das crianças, ela é rasa até para você.

 

“Ele me chamou de baixinho indiretamente? É isso mesmo, produção?”

 

– Jaehyun, Minah, Minjae. – Chamou suas crianças – A pessoa que vai cuidar de vocês chegou, sejam gentis e bonzinhos. – os três apareceram, todos ainda de pijamas e o mais novo caminhando com certa dificuldade – Minjae ainda anda meio devagar, ele começou tarde. – explicou – Se apresentem os dois mais velhos.

 

-Kim Minah. – a garotinha falou sorrindo – Você é mulher? – tombou a cabeça para o lado.

 

“Adorável”

 

– Não, sou um homem. – Disse e deu um sorriso, seu famoso sorriso gengival.

 

A garotinha sorriu achando fofo.

 

-Kim Jaehyun. – o mais velho falou num tom apático e se curvou

 

“É esse que vai dar trabalho”

 

– Minjae! – O mais novinho gritou batendo palminhas e depois fazendo 3 com os dedos

 

– Prazer em conhecer todos. – falou sorrindo pela fofura do maknae – Meu nove é Min Yoongi

– É fofo! – Minah falou e voltou para o sofá, cheio de bonecas.

– Eu vou mostrar a casa para ele, se comportem aqui até a Yeri chamar para comer.

 

Yoongi acenou para as crianças e seguiu o patrão.

 

– Acredito que aqui seja o local que passará maior parte do seu tempo. – abriu uma porta azul – A sala de brincadeiras, aqui não deve entrar comida. – Yoongi concordou achando tudo aquilo lindo. Como queria ter nascido filho de Kim Taehyung. – Aqui é o quarto dos três, por enquanto fica mais fácil se todos dormirem juntos, mesmo que seja um problema Minjae acordar chorando e acordar os irmãos.

 

– Babá eletrônica? – questionou.

 

– Sim, no quarto deles, na sala de brincadeira, os receptores estão na cozinha, no seu quarto, no meu e no meu escritório.

 

– Meu quarto?...

 

– Vou te levar lá, logo mais, terão noites que eu precisarei de você aqui o dia inteiro.

 

– Tipo um plantão. – concordou – Tudo bem.

 

– Aqui é o meu quarto. – uma porta depois do quarto dos filhos – Entre nós dois tem apenas um biblioteca, não muito grande, mas meu santuário.

 

– Uau. – sorriu admirado, gostava da palavra biblioteca. O Kim notou o brilho no rosto do menor e sorriu fraco com isso.

 

-O banheiro social. – apontou para a porta em frente – Mas seu quarto tem um, acho que é o suficiente.

 

Yoongi concordou, seguindo o mais velho.

 

– Meu escritório, se eu estiver aqui, só me chame para real emergências, odeio ser interrompido durante o trabalho.

 

– Sim senhor.

 

– A varanda. – o levou até ela – Jaehyun tem costume de vir aqui quando está muito triste, espero que não tenha de vir muito aqui, não gosto do meu filho chorando

 

– Eu...Vou fazer o possível para ajudar. – falou meio incerto, preocupado inclusive.

 

– Vamos, preciso mostrar a área de serviço, cozinha e seu quarto.

 

– Sala de jantar. – passaram e as crianças continuavam na sala, comendo e assistindo desenho – Cozinha. – entraram e viram uma senhora de certa idade. – senhora Kang, esse é o babá novo. – disse

 

– Oi, meu rapaz, você não é muito novo para ser babá?

 

– É só o rosto. – brincou – Sou adulto, Min Yoongi, é um prazer.

 

– Kang Eubin, prazer.

 

Seguiram para os fundo da cozinha.

 

– Aqui é a lavanderia e nesse quarto que você passa as roupas. – mostrou um quarto que parecia a loja em que trabalhou antes, bem profissional, apenas um pouco menor.

 

–Seu quarto. – o levou até um quarto não muito grande, eram duas portas, uma azul e uma roxa, ele ficou com a roxa. – Ainda tem um pouco da decoração da antiga babá, mas pode mexer como quiser, tem uma TV, pode usar a vontade, durante as sonecas das crianças.

 

– Sim senhor, já é muito. – sorriu doce e admirou o quarto, mesmo pequeno, era muito para um empregado.

 

Tinha até mesmo ar condicionado, velho e pequeno, mas tinha.

 

– O aquecedor é meio velho, mas dá pro gasto. – falou tocando na máquina com rodinhas – Sente muito frio?

 

– Um pouco sim... – lembrou-se de que o gás de sua casa seria cortado

 

– O armário é pequeno, mas creio que não precise de mais que isso

 

– Eu achei grande na verdade. – Brincou e colocou sua mochila lá dentro – É mais do que eu jamais poderia imaginar, obrigada senhor Kim.

 

– Pode me chamar de Taehyung.

 

– Por enquanto acho que senhor Kim seja mais adequado. – falou meio tímido – O que mais eu preciso saber das crianças? Comidas, gostos, horários.

 

– Ah. – pegou uma pasta – Aqui tem tudo, o horário de cada um, as refeições, gostos, quanto à saúde e contatos dos médicos da famílias, que também estão espalhados na casa, e na cozinha tem um mural com o cardápio deles, no banheiro tem um com os horários dos banhos e no quarto um com os horários de dormir.

 

– O senhor é bem responsável. – sorriu doce, admirando-o – Seus filhos não poderiam ter pai melhor.

 

– Ah, obrigado. – falou tímido – Eu tento meu melhor... Vou deixar você aqui e ficar lá com meus filhos, dê uma olhada em tudo.

 

– Sim. – se curvou e soltou um suspiro ao se notar sozinho – Certeza que o mais velho vai querer me pôr pra fora. – soltou e caminhou lentamente até o travesseiro – Uma rã, uma aranha ou outra coisa? – puxou o travesseiro com força, e logo um palhaço de brinquedo pulou em sua direção – Caixa mágica, puf, iniciante. – sorriu e ajeitou o travesseiro.

 

O quarto era bom e a cama muito macia, com panos cheirosos. As paredes eram em um tom pastel de laranja e creme, o banheiro não era grande, mas suficiente para ele. A televisão ficava presa na parede e tinha uma mesa que poderia ser de estudos de outras babás. Pegou seu celular e informou tudo à Jimin, antes de ir ler todas as folhas da pasta.

 

– Minah é alérgica a amendoim, certo, Jaehyun é alérgico a creme de avelã.

Começou a fazer notas mentais.

 

– Estou pronto para ir. – saiu do quarto e foi até à sala.

 

– Vamos todos ser gentis e legais com o Yoongi, ele é um bom rapaz.

 

Taehyung entregou seu mais novo para Yoongi, que aceitou Minjae no colo, mas ficou nervoso.

 

– Ele gostou de você. – o Kim sussurrou, porque Minjae não tinha chorado, mas sim se ajeitado no colo do maior.

 

– Ah. – sorriu largo

 

– Eu preciso ir trabalhar, a senhora Kang ajuda no resto. – falou e saiu apressado.

 

– Não vai ser fácil pra você, só porque é homem. – Jaehyun falou para Yoongi, que deu de ombros, mais interessado na mãozinha de Minjae que apertava suas bochechas.

 

– Não sou de me render. – disse com um sorriso – Gostei do palhaço, mas eu esperava uma rã.

 

-Eu disse pra gente pegar uma rã. – Minah disse sorridente.

 

“A cúmplice”

 

– Não tem rã aqui, só no jardim e agente não pode sair de noite eu já disse. – resmungou de braços cruzados e Yoongi sorriu, sentando com o pequeno ainda em seu colo.

 

– Problemas com o cabelo? – perguntou para a menina que tentava tirar o lacinho dos cabelos.

 

– Tá todo enlinhado. – choramingo

 

Yoongi avistou uma escova rosa com gliter e pegou.

 

-Senta aqui pra eu te ajudar, prometo não puxar muito.

 

– De dedinho?

 

– De dedinho. – juntaram os mindinhos e a pequena sentou em frente a Yoongi, que deixou Minjae ir para o tapetinho. – Está bem emaranhado mesmo, mas eu dou um jeito pra ficar bem bonito. – começou a pentear, de baixo para cima, se livrando dos nós.

 

-Ai. – resmungou uma vez.

 

– Desculpa, mas você, é uma menina forte e aguenta mais um pouquinho né?

 

– Siiim!

 

Jaehyun estava ocupado colorindo para dar atenção aos dois.

Quando Yoongi terminou de fazer o cabelo da pequena, Taehyung apareceu com seu terno bonito e alinhado.

 

– Venham se despedir do papai. – chamou – Só volto pra jantar, infelizmente. – ouviu o choramingo dos três, agarrados a si – Minah, seu cabelo está lindo, fez sozinha?

 

– O oppa fez pra mim. – apontou para Yoongi, animada com o elogio – Ele vai fazer meu cabelo pra festa da Sunny! – disse

“Festa?...” – olhou confuso para o Kim

 

– Tudo que você quiser. – disse e a beijou na testa, igualmente aos outros. – Se o Minjae chorar muito, pode me ligar, eu venho, Jaehyun se comporte. – disse ao mais velho

 

– Por favor, entenda o seu pai. – pediu sério – agora eu tenho de ir mesmo.

 

 

Yoongi estava dando a papinha de Minjae, enquanto Minah e Jaehyun se deliciavam com frutas frescas cortadas, era o lanche da manhã.

 

– Qual idade de vocês dois? – perguntou

 

– Eu tenho cinco, mas sou mais esperta que todo mundo da minha sala, eu poderia ter seis! – Minah falou animada

 

– Sete. – Jaehyun respondeu – Mas também sou mais maduro que isso

 

– Eu pensei mesmo. – disse – Você tem um ar de ser responsável.

 

Jaehyun bem tentou esconder o sorrisinho.

 

– Tes! – Minjae disse

 

– Também um menino muito esperto. – sorriu e limpou o cantinho de sua boca – Vocês vão brincar do que hoje? Já se programaram?

 

– Não vai dizer o que a gente tem de brincar? – Jaehyun questionou – Que novidade, as outras vinham falando pra gente brincar de isso e aquilo ou ir lá fora.

 

-Vocês tem idade suficiente para escolher do que brincar, não?

 

– Eu quero brincar de dança! – Minah falou

 

– Saulo! – Minjae disso – Dino! Dino!

 

– Ele tem um monte de dinossauros, é isso. – Jaehyun falou – Eu prefiro vídeo game.

 

– Sério? Video game é legal, mas por que não brinca de alguma coisa que faça você se mexer.

 

– Xbox.

 

– Ai não... – soltou num suspiro

 

– Você joga comigo.

 

– Sabia. – abaixou a cabeça – Eu sou ruim em esportes, bem ruim. – Disse com um sorriso – Só basquete eu fico salvo, mas de resto…

 

– Tem uma quadra aqui, lá tem uma cesta, podemos jogar de tarde.

 

“RICOS!”

 

– Pode ser, eu vou gostar. – tirou Minjae da cadeirinha e tirou seu babador, limpando-o depois. – Vamos pro quarto de brincadeiras?

 

– Sim. – Minah limpou a boca e Jaehyun também.

 

Na sala, tinha uma máquina de dança igual de fliperamas, Minah foi logo para ela.Jaehyun para o Xbox e Yoongi com Minjae para um tapete com rochas macias e vários dinossauros.

 

– Oppa, dança comigo? – Minah pediu

– Não sou bom nisso. – Disse e foi até a pequena – Mas você está indo muito bem.

 

– Eu vou debutar como idol na empresa do papai! – disse sorridente – Vou ser rapper! – comemorou

 

– Sabe que eu sou rapper? Eu gosto também. – disse

 

– Uou! Depois me ensina? Eu sei pouco. – continuou dançando

 

– Só se você me ensinar a dançar. – disse e a pequena concordou.

 

“Eles não são tão ruins... Ainda.”


Notas Finais


@Aako: Perdoem os erros, sim? ;-; Alguns passam despercebidos
Então? Ficou bom?
Eu já me apaixonei pelas três crianças ≧ω≦
Espero que realmente tenham gostado e achado bom :")
Até o próximo capítulo, pessoal!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...