História Um BadBoy Na Minha Vida - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Sou Luna
Personagens Ada, Ámbar Benson, Luna Valente, Matteo, Matteo Balsano, Nico, Personagens Originais, Simón
Tags Agressão, Amor, Michael, Paixão, Ruggero
Visualizações 17
Palavras 788
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, LGBT, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Primeiro capítulo da minha fanfic, que também está no wattpad, espero que gostem

Capítulo 1 - 01- Contato Repentino


Michael: Pega o copo e põe só um pouquinho. — eu estava ensinando minha irmãzinha, Júlia, a fazer suco, antes de ir pra escola. 

 Júlia: Pronto! Eu já fiz! Quer experimentar? — ela me ofereceu. 

 Michael: Claro, Srt.Júlia — peguei o copo e levei a boca, bebi bem pouco, não sou fã de suco em pó. Realmente estava bom. — Tá uma delícia. Putz! — falei ao ver que estava atrasado. — Olha Júlia, eu já estou indo. Quarda tudo como prometeu e vai pra onde a babá, está bem? 

 Júlia: Tá bom, Mike! — dei um beijo nela e sai. 

 Bem, me chamo Michael Ronda, ou Mike, como todos me chamam. Vivo no interior de Londres, sou mexicano, vim pra cá faz alguns anos. Vivo com minha irmã mais nova. Já tenho 19 anos e posso morar sozinho. Minha mãe vive viajando, ela tem a vida bastante corrida. Dessa vez ela está no Brasil, está em uma pesquisa para o Câncer e tal. Mas ela deposita dinheiro toda mês. Júlia passa o maior tempo na casa da avó, e eu praticamente, moro sozinho. Antes de ir pra escola, eu sempre passo na casa da minha melhor Amiga, Karol. 

 Karol: MIKE, VEADO!? — ela gritou ao me ver no portão. 

 Michael: Karol, dá pra ser menos escandalosa. E se bem, que a vizinhança toda ouviu. — falei e seguimos caminho. 

 Karol: Eu amo te chamar assim. — ela diz e já estávamos quase perto da escola. 

 Minha escola não era muito longe, eu amava ir apé. Tinha ônibus? Tinha! Mas eu amava ir apé. As vezes encontrava o Rodrigo e seus amigos babacas no caminho, mas dava um jeito de escapar.                                                                                 *** 


 Já tínhamos chegado na escola e vou te dizer, estava mais movimentada que o normal. Até que tinha muitos alunos, Mas alguns desistiam por causa do ensino rigoroso. Quem reprovasse dois anos, sejara seguidos ou não, eram transferidos pra outra escola. 

 Rodrigo: Olha só se não é bizarra e o gayzinho, galera. — esse é o Rodrigo, sempre nos ofendendo. 

 Karol: Cai fora, Rodrigo! Ninguém te chamou aqui. — afirmou Karol, fazendo eles rirem. Não vi graça. 

Rodrigo: Ninguém tá falando com você, Karol — ele fez enfase no nome dela e se voltou a mim. — quero que faça um dever pra mim, é uma ordem. — ele me entregou o caderno acabado. Mas o joguei no chão. 

 Michael: Quer saber... Eu não vou merda nenhuma. — eles se viraram e fez uma cara estranha. 


 Rodrigo: Repete! EU DISSE PRA REPETIR MERDA! — eu repeti. Se deixasse-os fazerem o que bem entendessem, eles iam infernizar minha vida ainda mais. 

 Michael: Eu não — dei uma breve pausa e o olhei firme — vou fazer merda nenhuma. Não sou seu escravo. — ele me empurrou com força, tão com força que cai de bunda no chão. Mas Karol Entrou na frente. 

 Karol: Se vocês não pararem agora, eu vou contar tudo pra diretora. — ele me olhou por um segundo e saiu. Mas antes deixou um recado. — Vai ter próxima, Veadinho — ele saiu. — Mike? Cê tá legal ? — ela me ajudou a levantar 

Michael: Tá, tá tudo bem... — limpei o resto de terra que tinha na minha roupa. 

 Karol: Vamos pra sala. Não deixe que eles fassam você de gato e sapato. — aconselhou 

 Michael: O que quer que eu faça? Não sou nada comparado a eles. Mas esquece... Karol: Tá bem.                            

 Sinceramente odiava a hora do intervalo, se bem que posso chamar aquilo de intervalo, parecia mais a 3° guerra mundial. Aqueles garotos pareciam mais uns canibais. A movimentação aumentou, e algumas garotas, malucas por sinal, começaram a correr. O que diabos tava acontecendo?- pensei Foi aí que ele apareceu, como era lindo, com aquele corpo, aqueles olhos azuis, que por sinal, combinavam perfeitamente com seus cabelos pretos e sua barba bem feita. 

 Michael: Quem é ele ? — perguntei pra Karol 

 Karol: Aquele ? Aquele é o Ruggero, o mais famoso e popular daqui. Ele é do time da escola, pediu transferência para ir pra outra escola e nesse ano voltou. — concluiu ela M

Michael: Ele é lindo, será que namora ? 

Karol: Pera ai, você não tá... 

Michael: Não, me respeita — rimos e o sinal bateu. Todos estavam indo pras suas salas, menos eu e a Karol. 

Karol: Você não passa de mim... — ela saiu na frente. Que infantil Michael: Vamos ver então — passei dela. Sendo rápido como era. Olhei pra trás e ela tava me alcançando, então apressei. Então Vi que tinha esbarrado em alguém. 

 Michael: Ah, desculpa — olhei pra ver quem era, e era o Ruggero, Deus. Como era lindo de perto.   


Notas Finais


ESPERO QUE TENHA GOSTADO!!!


BJS, LUCKE


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...