História Um Beijo ao Luar - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Durarara!!
Personagens Izaya Orihara, Shizuo Heiwajima
Tags Beijo, Boys Love, Durarara, Izaya Orihara, Kiss, One-shot, Romance, Shizaya, Shizuo Heiwajima, Yaoi
Visualizações 143
Palavras 1.824
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Fluffy, LGBT, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Aproveitando esse domingo/segunda para reescrever umas das primeiras estórias que faço aqui e não acabo apagando depois.

Espero que não tenha decepcionado.

Good luck!

~Jisebi

Capítulo 1 - Only


Em uma manhã ensolarada um loiro irritado contava os passos em meio a multidão, tentando se acalmar com o típico cigarro na boca depois de ter o azar de se encontrar com um grupo de homens mascarados onde estavam perseguindo uma mulher. Mas a mesma acabou se esbarrando com Shizuo Heiwajima que não estava nos melhores dias.

No final, tudo deu errado como previsto. Contudo, quase todos, daquela cidade, sabiam sobre o homem ser assim.


Já estavam acostumados, a minoria. 


E mais, ele estava até calmo comparado aos outros dias, deixando alguns surpresos, mas ele continuaria calmo e tranquilo assim se não visse um pequeno pontinho preto do outro lado apoiado em uma moto – que também era preta.


- IZAYA!!! - Shizuo berrou pegando a placa ao seu lado e o de cabelos negros apenas riu, divertido.


- Bom dia, Shizu-chan! - Disse abrindo os braços para o alto, com um sorriso malicioso estampado no rosto pálido.


Até que Shizuo já não se aguentando praticamente voou na direção do maldito que já pegara sua faca dentro do casaco preto.


Izaya desviou a tempo do golpe de Shizuo que rosnava com os olhos queimando de ódio.


- Se bem que hoje eu estava pensando em você - Confessou girando a faca em seus dedos finos. - Estava entediado, sabe?


Shizuo correu mais uma vez em direção à Izaya, mas o moreno conseguiu esquivar como antes. Já o outro não sendo tão rápido, acabou prestando atenção mais nos movimentos do outro e não notou quando sentiu seu soco atingir algo.

A moto que Izaya tinha acabado de ganhar.


- Vai pagar.


- Quem tem que pagar aqui é você, Izaya! - Rebateu o loiro, pegando o cigarro entre os dedos, jogou no chão e no mesmo instante pisou com brutalidade, soltando a fumaça de seus lábios.


- Bem, essa moto não foi barata e é você quem a deixou em pedacinhos. - O Orihara deu um sorriso olhando para a moto com a mão no queixo e depois para o homem irritado.


- Você vai pagar, Shizu-chan~


O loiro até correria mais uma vez na direção do moreno, mas ele apenas andou até ficar de frente com maldito que arruinou parte de sua vida.

Izaya, aproveitando a aproximação, passou sua mão magra no ombro largo e forte.


- Terá que me comprar algo de presente já que - O moreno murmurava fitando Shizuo que tentava ao máximo não corresponder o olhar. - está chegando o natal. - Sorriu. - Espero que me dê algo bem fofo, senão, algo bem gostoso.


Deu em ênfase na última parte dando seu sorriso mais pervertido ao de cabelos claros.


Enfim, saiu do lugar às pressas deixando um loiro e sua raiva só. A multidão observava toda essa cena, mas o homem pouco se importou continuando sua caminhada, sem rumo algum. Só queria sentar em algum lugar e fumar seu cigarro sem problemas, sem homens, mulheres, multidões, um Izaya testando sua paciência. Só queria um minuto de paz.




.



.



 Estava lá, sentado e observando o pôr do Sol enquanto acendia o cigarro em seus lábios finos.

Shizuo não queria pensar em mais nada, nem mesmo no moreno, mas foi um fracasso total.

Ficou nervoso ao lembrar que aquele bastardo do Izaya queria um presente de natal e ainda por cima, algo fofo ou gostoso –, como foi dito pelo rapaz.

Isso deixava Shizuo com uma irritação imensa, mas ele não resistiu a fazer uma pequena pergunta:


- O que ficaria fofo nele? - Depois de alguns segundos, o de óculos se deu conta de que tinha pensado em voz alta e, imediatamente, olhou para todos os lados e quando se convenceu de que não tinha ninguém perto o bastante para ouvir o absurdo que tinha saído de sua boca, suspirou aliviado.


O mesmo se levantou com as mãos no bolso da calça preta social e saiu andando mexendo nos óculos de vez em quando.


- Esse moleque... - Resmungou, olhando para os carros que passavam do outro lado. - Até parece que algo o serviria.


- É rude da sua parte dizer isso, sabia?


Uma voz familiar se fez presente em um tom irônico e Shizuo revirou os olhos antes de virar o rosto já sabendo quem estaria o aguardando.


Observou o moreno caminhando na pequena parede de cimento que dividia o asfalto da calçada.


- Izaya...- Rosnou.


- Você ama me odiar não é, Shizu-chan? - Indagou Izaya se aproximando do loiro sem medo algum de levar algum golpe. - Sabe eu gostaria que você me entregasse o presente. Imagina, você, todo envergonhado ao me entregar!


E por fim Izaya riu sentindo uma mão máscula e forte em seu pescoço.


- Eu não vou comprar merda nenhuma a você! - Exclamou Shizuo olhando para Izaya que continuava a sorrir.


- Ah, não? - Ele fecha os olhos puxando a mão dele de seu pescoço. - Vou fazer da sua vida um inferno se não me der algo.


- Então faça! Não tenho medo de você, Izaya!


- Que tal lhe fazer de meu escravo sexual? Terá de pagar com o seu corpo ao invés de um presente bobo e ridículo. - Quando Izaya soltou, sério, o loiro ficou sem reação ao escutar isso arrancando um sorriso divertido do rival.


Ele desceu e saiu andando cantarolando depois de dizer que queria o encontrar em seu prédio, hoje mesmo, às nove.


Shizuo andava com o nervosismo a mil. Ele estava por entrar na décima terceira loja de roupas, brinquedos, etc... para achar algo útil à Izaya. Já eram oito e meia e nada.


O loiro estava nervoso por se importar com tal coisa, mas ele era bobão demais para perceber que Izaya estava apenas tirando sarro. Sabia muito bem que o homem iria se importar demais com algo ridículo como aquele.


Ele realmente estava pensando que Izaya realmente poderia fazer ele de escravo sexual.


O loiro tirou os óculos e cerrou os olhos ao ver dois pares de orelhas felinas e pretas – o que lembrou os cabelos curtos e negros do mais velho. Agora Shizuo já tinha algo só tinha que entregar essa coisa para ele e ir embora para ficar em paz novamente.



.



.



Fitou a porta por alguns segundos respirando fundo e relaxando os ombros. A abriu sem permissão, estava no prédio onde o demônio, chamado Izaya Orihara, ficava.

Ao entrar, encontrou o mesmo jogando algum tipo de jogo aleatório sem regra alguma. O de cabelos negros, após perceber a presença dele, virou o corpo para trás ainda sentado no sofá vendo uma pequena caixa na mão grande que possuía algumas veias visíveis.


- Ora, ora... - O moreno olhou para a tela do telefone em cima da mesa de madeira.

- Chegou dois minutos atrasado.


- Chega de enrolação! - Jogou a caixa no sofá onde Izaya estava sentado. - Vou embora.

Já estava a passos abrindo a porta, mas o outro se levantou do sofá atacando uma peça do jogo na nuca do mais alto.


- Não vai me ver experimentando o presente que você me deu com tanto carinho e dedicação, Shizu-chan? - Indagou, se aproveitando da situação e pegando a caixa no sofá o abrindo. - Wahhh!


O moreno abriu um sorriso grande ao ver o conteúdo na caixa então pegou o arco de orelhinhas negras e logo colocou em sua cabeça enquanto Shizuo observava a tudo, calado.


- Então? - Izaya perguntou levantando as sombrancelhas ao encontrar o olhar torto do de óculos, apontando para o arco.


- Isso não combina com você.- Shizuo respondeu abaixando a cabeça, mesmo que ele gostasse de o ver com as duas orelhas de gatinho em sua cabeça não gostava de admitir que realmente achou fofo aquele arco e ainda mais em Izaya.


O de cabelos negros apenas revirou os olhos.



- Então, por que não comprou algo que combinasse? - Revidou.


- Você não disse nada sobre algo fofo e que combinasse com você.


- Mas não disse que não podia comprar. - O loiro ficou olhando para os olhos castanhos do rapaz que se aproximou da outra mesa e deu um pequeno pulo, sentando-se calmamente em cima dela.


- Gosto desse seu jeito. É bom que pelo menos tenho alguém para me distrair. - Ele diz cruzando as pernas, o que chamou a atenção de Shizuo.


- Você gosta de me provocar, seu maldito... - Suspirou o loiro, cansado.


- É o único jeito que tenho para ficar perto de você. - O moreno sussurrou, logo virando a cabeça para a janela atrás de si onde era possível ver a luz forte e azulada da Lua.


O outro depois de segundos quieto se aproximava de Izaya que ouvindo os passos rápidos olhou em direção a ele sorrindo. Shizuo agarrou com força o pescoço de Izaya aproximando seus rostos.

- Qual o seu problema?!


Izaya enlaçou os braços e pernas no corpo forte do outro sorrindo lhe olhando diretamente nos olhos.


- Eu sei que você pensa em mim, mas não admite por medo. - Sussurrou o moreno se aproximando mais do loiro que abraçava mais o corpo quente a cada palavra dita. Assim, seus corpos já estavam colados transmitindo o calor de seus corpos e corações acelerados.


Estavam tão próximos que podiam ouvir as batidas aceleradas de cada um, como se falassem entre si.


A mão que antes estava no pescoço de Izaya já estava abraçando a cintura fina, apenas coberta por uma camisa preta de tecido fino. A cada segundo em que se passava seus olhos se afundavam em um mar de pares castanhos e escuros.


Ficaram longos minutos alí, só apreciando o contato e conexão dos olhares.


Mas antes mesmo que o de cabelos curtos e negros pudesse raciocinar, já sentia os lábios que tanto sonhara às noites.


O Heiwajima, já não se importando mais, agarrou com mais força o corpo do mais velho que apertava mais ainda seus braços e penas envolta de si.


Suas línguas quentes e babadas inesperadamente se encontraram, fazendo os dois soltarem gemidos de surpresa e excitação.


Izaya já tomando uma certa coragem, aprofundou mais o beijo assim fazendo certos barulhos obscenos que se intensificava mais e mais.


Tanto quanto o moreno Shizuo também estava surpreso ao começar tal ato. Não pensou em mais nada apenas colou os seus lábios ao do outro e descobriu que era o seu mais novo vício.


Mas que não poderia ter tão cedo assim.


Os dois se olharam em meio a virada de rostos no beijo fazendo Izaya agarrar os fios ralos da nuca do maior arrancando um gemido rouco que fora abafado pelo beijo.


E Shizuo se dando conta de que estava entregue demais, se afastou empurrando o corpo do outro.


O loiro olhou para o Orihara que passava a ponta da língua entre os lábios.


- Obrigado pelo presente, Shizu-chan.- Izaya agradeceu docemente sem nenhum rastro de ironia ou sarcasmo, estava sendo sincero.


O outro ainda desnorteado pelo beijo apenas negou com a cabeça, e saiu em direção à porta, sem dizer nada.




E ele, naquela noite, percebeu que mesmo se quisesse esquecer aquele beijo não iria pois, seu coração já o desejava. 


Notas Finais


Que tal? ;3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...