1. Spirit Fanfics >
  2. Um beijo por uma alma - Jasiper >
  3. Encontros e desencontros

História Um beijo por uma alma - Jasiper - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


Oie!! Até que não fiquei tanto tempo longe daqui kkkkkk Vocês tem meu coração por não fazer macumba ksksk (cof lolozinhaaaa cof)
Bom, como eu tô fazendo pelo cll, talvez tenha erros, eu fiz a betagem (alias to aberta pra fazer betagem ok?) mas deve ter uns erros então relevem.
Sem mais delongas,
Goditi questo viaggio!

Capítulo 8 - Encontros e desencontros


Fanfic / Fanfiction Um beijo por uma alma - Jasiper - Capítulo 8 - Encontros e desencontros

Piper abre a porta e...

- Quem é você? - Pergunta, ainda na porta.

- Alguém, ao contrário de você - Drew responde pelo garoto, cruzando os braços.

- O Will sabe que você tava beijando ele? Ou isso é algo que não diz respeito a ele? - Pergunta Piper, fechando a porta. Se ela queria brincar, Piper ajudava, brincando pior.

- É claro que não, eu não preciso falar tudo pra ele, não é? - Ela retruca, mas Piper nota que algo está errado.

- Você tá traindo um namorado incrível com, sem ofensa...? - Piper começa, gesticulando para o garoto.

- Octavian. - O loiro se apresenta.

"Onde já ouvi esse nome?" Piper se pergunta mentalmente.

- Todo mundo apresentado, acho que agora você pode parar de nos importunar - Drew fala, como quem não quer nada, andando, até chegar bem perto de Piper - Acho bom que você não fale para ninguém a respeito disso. Não quero ter uma irmã talarica e mentirosa. -Ela termina, com um tom de voz ameaçador e um sorriso que, provavelmente, seria fofinho, não fosse por seu olhar.


~*~

 

A semana passou rápido, sem mais imprevistos. O que estava na boca de todos os alunos era quem tinha pegado quem, muitos já haviam descoberto quem era, o que não era o caso de Piper.

- Tá você não se lembra de quem era então? - Nico pedia, pela bilionésima vez para a morena.

- Deu né, Nico? Você não é detetive. - Thalia tentava parar o menor - E não me venha com o argumento de que leu e olhou Sherlock Holmes muitas vezes.

- Mas não custa tentar - Ele replica.

- Olha, eu tô com a Pips. Não lembro nem o que comi ontem, quem dirá quem peguei semana passada. - Calypso fala, enquanto tentava entender onde a conversa havia começado.

 

 

- Você só ta falando isso porque não pegou ninguém, Nico - Thalia fala pra quem quiser ouvir dentro do maldito refeitório.

- Como se você tivesse pegado alguém, senhorita Grace - Nico replica.

- Aha! - Annabeth solta um grito, assustando todos na mesa, que achavam que ela não estava prestando atenção na conversa por estar lendo um livro - As perguntas são as seguintes, primeiramente : Thalia, onde você tava quando acabamos o joguinho "saldável" que jogávamos?

- Fui pra mesa de som, trocar um pouco de lugar com o Nico - Falou, dando de ombros.

- Ok, Nico: A Thalia chegou logo na mesa de som? - Annie pede, se virando pra Nico.

- Sei lá, né, Annie. - Nico fala, completando em seguida - Não fico cuidando o horário quando tô discoteando.

- Interessante. Ok, outra pergunta pra você, Nico. Onde você estava quando a Thalia assumiu a mesa?

- Fui ao banheiro, logicamente, já que estava a duas horas trabalhando. - Nico fala, simplista.

- E quem você encontrou lá? - Annabeth perguntou, com um sorriso que dizia: 'sei que está escondendo algo, então fala logo'.

Se Nico percebeu este olhar, fingiu não ligar.

- Presta atenção minha loira favorita: Tinha varias pessoas da nossa escola lá, como não encontraria alguém conhecido.

- Então encontrou alguém. - Annabeth afirmou, não perguntou.

Nico olhou de soslaio para algum lugar, pelo canto do olho, a única palavra que passava pela sua cabeça era "Droga. Droga. Droga!".  Ele ainda se espantava com a genialidade da garota em sua frente. Poderia facilmente ser apenas mais uma patricinha mimada, mas ela escolherá ser a melhor em tudo o que fazia, se não era a melhor em algo, ela, com toda a certeza, estava no top 3. Encurralado como um gatinho indefeso, em um beco, por um cachorro de olhos cinzas, típico. Ele desviou o olhar de Annabeth por um segundo, mas foi o suficiente para ela cair na risada.

- Eu sabia! Ainda é a festa dos Stool's! Se não tiver pegação não seria! Você pegou alguém, mas não quer falar! - Annabeth falava, entre risos - Espero que seja seu príncipe de olhos azuis.

- Ok , Annie, já entendemos - Hazel vai na defesa do irmão, o que, de certa forma, apenas confirmou mais a teoria de Annabeth - Mas você não falou se pegou alguém ou não na festa.

- É verdade Annabeth Chase. Você ainda não falou. - Thalia lançou um olhar eletrizante com uma de suas sobrancelhas erguidas, acompanhadas de um belo sorriso travesso.

Quando Annie iria responder, o sinal tocou.

- Tenho história agora. Vamos apresentar um trabalho. - Todos começam a se levantar da mesa.

- Salva pelo gongo, Chase. - Piper fala perto da loira - Mas sei que você pegou alguém - Falou em sussurro na ouvido da mesma, que lhe lançou um olhar confuso de "como?" - Filha de Afrodite, não se esqueça. Quero saber de tudo mais tarde. - E saiu atrás de Hazel, já que faziam a aula juntas, deixando uma Annabeth confusa, sem palavras (o que era raro) e totalmente chocada, mas que se recuperou rapidamente, indo para sua aula de inglês.

Com todo o alvoroço que as meninas fizeram, não notaram que deixaram um moreno sozinho, que pegou o celular e digitou uma mensagem para alguém.

�� : Preciso conversar. Sala vazia, segundo andar, perto da sala do zelador.

Alguns segundos depois ele recebeu outra mensagem.

��: Ok, no intervalo das aulas estarei lá.
Nico não sabia o que lhe impressionava mais: O fato da pessoa responder rápido ou de encontra-lo durante um tempo precioso.


~*~

 

Ok, aquilo não estava nos planos da Mc Lean, mas a apresentação saiu melhor do que o esperado.

-Akai Ito - Falaram em uníssono.

- O famoso fio vermelho que já uniu milhares de almas - O Grace continuou - Uma lenda famosa, que surgiu na China e foi se espalhando por todo Oriente.
 

Enquanto ele falava para a turma, Piper, com um fio vermelho, que estava atado no mindinho do Grace e no dela, ia andando por toda a sala, que já estava emaranhada por conta do fio. Ela ia recolhendo devagar, formando um pequeno novelo em sua mão, até que sua hora de falar chega-se. Claro que, sempre prestando atenção ao parceiro de trabalho.
 

A segurança, a pose, os gestos naturais nas horas certas, a pequena cicatriz em seus lábios provocados por uma brincadeira que fizerá no auge de seus três ano, o olhar, percorrendo a sala inteira, a boca se mexendo, provocando a sensação de que eram macios seus lábios..."Acorda Piper, é só um trabalho! Depois disso ele nem vai olhar na sua cara!" Ela tentava se convencer.

- Mesmo sendo criada na China, o Japão também adotou a lenda que sofreu modificações. Em vez de estar amarado ao tornozelo, esta amarrada no mindinho. - Dessa vez foi Piper quem falou, ainda enrolando o fio. Os holofotes eram todos dela agora, coisa que ela queria entregar o mais rápido o possível para Jason - O deus que cuida desse fio, chama-se Yue Xià Laorén, o antigo santo "casamenteiro", um deus lunar que vivia na lua ou no 'Yue Ming', o equivalente a Hades, na mitologia grega.

- Quanto mais longo o fio, mais tristes as pessoas estão e vice-versa. - A vez de Jason havia chegado, o que fazia Piper agradecer e trabalhar mais rápido enrolando o fio - Ainda de acordo com a lenda, não importa quantos romances vivermos, apenas viveremos o "amor verdadeiro" quando encontrarmos. Suas versões mais conhecidas são a Chinesa e a Japonesa.

Piper apressou o trabalho, para chegar mais rápido perto de Jason. Quando chegou, depois de certos segundos em um silêncio meio constrangedor para ela, já que todos os olhares estavam sobre a garota e ela odiava isso desde sempre, ela finalmente chegou no final do fio.

-Há ainda uma juramento japonês, Yubikiri Genmam, que é um juramento do dedo mindinho, foi inspirado nessa lenda.

Nesse momento, para o "gran finale", os dois deram os mindinhos  entoaram juntos:

- Yubikuri genma: Uso tsuitara hari sen bon nomasu yubi kitta - Falaram olhando um nos olhos do outro.

O Grace soltou rapidamente os mindinhos e olhou para a classe. O que foi aquilo? Medo de algo? Falta de segurança? Mesmo não sabendo dizer o que era, Piper tinha certeza que conhecia aquele olhar, mas não sabia de onde.

- Em mandarim, a frase significa: Promesa do dedo mindinho: Se eu estiver a mentir, engolirei 1.000 agulhas e cortarei meu dedo.

- Em muitas animações, tanto no Oriente quanto no Ocidente, essa lenda foi muito utilizada - Jason continuou, desviando levemente o olhar para Piper, que fitava o chão - Nos famosos animes, por exemplo, foi muito bem usada. Em Kimi no na Wa, ou your name,  o fio vermelho faz com que os protagonistas quebrem o espaço e tempo. Em Kai to uso, essa lenda é questionada pelo governo, que decide com quem cada pessoa casa. Em nosso clássico Naruto, ela vem em duas formas: No cabelo da Kushina Uzumaki, que faz com que ela e Minato Namikaze fiquem juntos e, mais para frente, o fio vermelho seria o cachecol que Hinata deu a Naruto.
Piper colocou-se ao lado dele, afim de falar a última parte.

- "Um fio invisível conecta os que estão destinados a conhecer-se... Independente do tempo, lugar ou circunstância... O fio pode estica ou emaranhar-se, mas nunca partir." - A ultima parte foi acompanhada do Grace, para logo agradecerem com uma reverencia.

Uma salva de palmas foi ouvida. Vários bravos do Sr. Bruner foram ouvidos, enquanto caminhavam para suas classes.
As apresentações se seguiram normalmente, bem, quase. Frank, o aluno novo na escola quase saiu correndo quando foi sua vez de apresentar, não por conta de Hazel, mas pela plateia. A única pessoa que ele já tinha falado da sala era Hazel, fora ela, ele não conhecia ninguém, o que lhe provocou uma idéia absurda, mas uma idéia.


~*~

 

Na saída para o intervalo das aulas, Frank esperou até que Hazel saísse da sala para pedir a ela.

- Oi - Ele falou, colocando uma mão em seu ombro, ao vê-la passar peli arco da porta.

- O-oi - Ela respondeu, meio hesitante.

- Te assustei? - Ele perguntou, de modo culpado, mas que ela achava fofo, ao ponto de querer esmagar ele em um abraço de urso.

- Apenas estava distraída - Ela apontou para os fines em seu pescoço.

- Ah, claro, bom, então deixa pra lá. - Falou, passando a mão pelo cabelo ralo.

- Não, tudo bem, pode falar - Ela abriu um sorriso de tirar o fôlego de qualquer um, principalmente do maior em sua frente.

- Bom, é que estava pensando - Meio hesitante, ele começou - Sou novo por aqui, e bem, gostaria de conhecer a cidade.

- Por que não perguntou para seus amigos? - Alí estava, havia levado um fora da única garota que tivera coragem de falar.

- Então - Ele ainda tentava " Que vergonha Fai, nenhum Zhang nunca desistiria tão facilmente!" Era o que passava por sua mente - Todos os garotos estão em suas aulas extra curriculares, ocupados demais, então pensei de você me apresentar para a cidade.

- Isso é um encontro, Zhang ? - Ela insinuou, com o dedo em riste para ele, mas com um sorriso travesso aparecendo nos lábios.

- Não! Quero dizer sim! Um encontro de amigos! - Ele falou rapidamente.

- Amigos. Humm. No sábado, as duas horas no parque central. - A idéia havia dado certo - Não se atrase.
Frank concordou com a cabeça, já saindo para a próxima aula, mas Hazel o parou com um leve toque no entre-braço. Ele se virou curioso.

- Acho que amigos tem o número um do outro - Ela falou, entregando o celular para ele salvar seu número.

Ele abriu um sorriso tímido, pegando o celular e digitando.


~*~

 

Dentro da sala, Piper e Jason, juntamente com o senhor Bruner, falavam um pouco sobre a apresentação. Ele já os elogiara muitas vezes, mesmo dizendo que a pronúncia estava um pouco errada -isso era mandarim, não inglês- mas mesmo assim "magnífico", como ele mesmo enfatizou muitas vezes. Logo, restavam apenas os dois na sala.

- Ei, Piper! - Jason chamou.

- O que foi, Grace? - Ela falou normalmente, ainda guardando suas coisas.

- Pode me passar seu número? - Ele perguntou, em quanto terminava de arrumar suas coisas.

- Não gosto de passar meu número para desconhecidos.

- Não sou desconhecido. Você já foi varias vezes na minha casa. - Ele parecia ofendido.

- Fui sim, mas a convite de Thalia. - Ela já estava saindo.
Ele parou na frente dela.

- Vai, nos conhecemos a um tempo e você até já conseguiu falar comigo por mais de meia hora sem me ofender - Ele falou.

Lembranças vieram a mente de Piper, algo que ela queria ter esquecido, mas que continuava ali, assombrando-a.

"- Eu nem sei quem você é."

Aquelas palavras ainda estavam a perturbando, mesmo depois de anos.

- Não Grace. E não insista. - Ela passou por ele, em direção a próxima aula, mesmo que sou plano fosse se trancar no banheiro e chorar um pouco.

O loiro que ficou pra trás, novamente não entendeu o por quê daquilo. Era só o maldito número do celular. Nada de mais, mas ele viu nos olhos da morena que a mesma estava longe, perdida em pensamento. Mas se algo que ele fez no passado atormentava ela, ele teria que descobrir o que era.
 


Notas Finais


Um pouco de cultura pop kskks pq eu gosto
Essa lenda cara, minha favorita de todo o universo, então eu tive que colocar uma referência. As informações eu pesquisei, então são certas. Vcs tão com moral comigo né?

Vamos pra oq interessa: VOCÊS SABEM QUE O TIO RICK VAI FAZER UM SPIN-OFF DE SOLANGELO EM UM FUTURO LIVRO?? EU TÔ SURTANI PELO MEU SHIP OTP SUPREMO! HAAAAAAAAHAAAAAAHA

OK, até o próximo.

XOXO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...