1. Spirit Fanfics >
  2. Um Bom Marido >
  3. Capítulo Único

História Um Bom Marido - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Essa fanfic é um presente para minha querida esposa, feliz aniversário de novo.
Trata-se de uma oneshot num universo em que Ron e Hermione tem uma relação aberta em que ela é a dominante, se não gosta, não leia e poupe desgostos.
No mais, boa leitura.

Capítulo 1 - Capítulo Único



Ron estava mais relaxado ao sair do banho, e se perguntou, não pela primeira vez, se devia ter se inscrito na Academia de Aurores junto com Harry anos atrás quando decidiram não voltar para Hogwarts. Trabalhar com George tinha parecido uma ideia fantástica no começo, o que podia ser mais divertido que uma loja de artigos de piadas? Bem, era difícil como o inferno quando seu sócio e irmão mais velho deixava toda a burocracia para ele, ocupando-se com a parte criativa. Depois de uma semana muito ocupada, ele estava feliz de poder relaxar no sofá com o rádio ligado e lendo uma revista para se atualizar sobre as contratações do Cannons, talvez na semana seguinte ele e Harry pudessem ir ao jogo se o amigo não estivesse de plantão. 
Ele ouviu a porta e sorriu, Hermione tinha chegado, não era incomum que ela trabalhasse até tarde no Ministério também. 
- Eu estou em casa, querido. - Ela disse, sorrindo e largando a bolsa na mesinha ao lado da porta. - Conseguiu terminar o balanço? 
- Sim, sim. Agora posso ter alguns dias de folga. - Ele disse, satisfeito e largando a revista. 
- Oh, isso é ótimo... isso nos dá tempo para atividades há muito tempo adiadas. 
Ron analisou a esposa com mais cuidado. Hermione estava com aquele olhar satisfeito e calculador, toda vez que ela estava assim, ele terminava o dia muito feliz. Ele sentiu um calor familiar e esquecido há um tempo em seu baixo ventre. 
- Que tipo de atividade, Mione? - Ele perguntou, ansioso por ser do tipo que ele estava pensando. 
O sorriso malicioso que recebeu foi acompanhado por ela baixando o zíper frontal do vestido preto que usava, mostrando uma faixa tentadora de pele e fazendo-o notar que ela tinha ido trabalhar com uma roupa totalmente muggle naquele dia. 
- Atividades conjugais que você não tem tido tempo para executar com qualidade, querido marido. - Ela completou, movendo os ombros para libertar a parte superior do vestido, deixando os seios completamente a mostra e mostrando marcas inquestionáveis de chupões e mordidas. Os mamilos perfurados por delicados piercings ainda estavam duros e orgulhosos, dois picos amarronzados coroados pelo dourado do metal dos enfeites. 
Ele engoliu em seco, pensando em quem teria sido o responsável por satisfazer a esposa no Ministério. Harry era a escolha habitual dela, mas, ele não mordia por ser algo que o repelia, então, ele não tinha ideia de quem tinha sido o felizardo da vez, se ele tivesse muita sorte, ela teria começado a se divertir com alguém que viria mais tarde para acompanhá-los. Luna era uma adição sempre bem vinda, ela era tão criativa e sensual quanto Hermione, um arrepio de excitação subiu por seu corpo só de lembrar delas se revezando para montá-lo impiedosamente enquanto ele estava amarrado e indefeso, mantido ereto por um feitiço. 
- Eu deveria me ofender por essa sua preferência por loiras? - Hermione perguntou, se aproximando, o vestido pendendo de sua cintura. - Por acaso me acha desinteressante e castanha demais? 
Ron sabia que era pura provocação, ela usava legimência com frequência quando estavam fazendo esses tipos de jogos, um pedido que ele tinha aceitado, já que ela se sentia insegura fazendo algumas coisas sem poder se certificar que ele estava gostando. 
-Eu prefiro tudo o que me oferecer, e sabe disso. - Ele disse, com os dedos se fechando nas calças de seu pijama pela proximidade da esposa. 
- Tudo? E se eu te oferecer alguém novo? - Ela perguntou, deslizando o resto do tecido por suas pernas, mostrando que não usou nada por baixo do vestido além da meia calça e a cinta liga que a prendia. Seu pênis pulsou dolorosamente só de pensar em como ela tinha passado o dia todo totalmente acessível, podia imaginá-la perfeitamente composta da cintura para a cima, atrás de sua escrivaninha no Ministério, enquanto estava de pernas abertas com algum desconhecido lambendo-a e brincando com a buceta molhada e necessitada de sua esposa. 
- O que aprontou hoje, Mione? - Ele perguntou, com a boca seca e o coração retumbando de antecipação. 
- O que te faz pensar que sua dedicada esposa aprontou alguma coisa? - Ela devolveu, com diversão nos olhos. - Eu sou a bem portada, você é que vive sendo desobediente e irresponsável e precisa ser castigado. 
Ron corou, o que ela achava adorável, ele nunca parou de corar quando lembrado dos momentos em que ela o punia, ah, as coisas que ela tinha vontade de fazer quando ele ficava tão adoravelmente embaraçado, vermelho e tímido. 
- Mione, não diga coisas assim. - Ele pediu, o rosto tão avermelhado quanto o cabelo. 
- Que tal se eu disser então como ainda estou molhada de foder com Draco Malfoy? Que ainda estou excitada e quero que lamba minha buceta até eu gozar de novo? 
Ela apoiou uma perna no braço da poltrona onde ele estava sentado próximo ao rádio, fazendo com que Ron tivesse uma visão perfeita dos lábios de sua buceta se abrindo, os pelos bem aparados estavam manchados com a lubrificação dela e algo mais espesso. 
- Quer ser um bom menino e me agradar? Quer sair da sua gaiola hoje? Tudo o que precisa fazer é ser um bom marido e agradar sua esposa. - Ela disse. 
Ele não precisava de um segundo convite, é claro. Se inclinou como o marido obediente que era e começou beijando o clítoris inchado e molhado dela, pensando que se não fossem os aros de metal restringindo seu pau, já estaria totalmente duro só de provar o gosto dela misturado com o de outro homem, um dos mais controversos do país e antigo desafeto dele, diga-se de passagem. 
- Bom menino. - Ela elogiou, soltando um som apreciativo quando ele sugou esse botão de prazer como foi tão bem treinado para fazer, roubando-lhe o fôlego e fazendo todo seu sexo pulsar ainda mais. - Ele é bom com a língua também, sabia? Acho que os dias dividindo a sala com ele vão ser mais divertidos agora que sei como ele pode ser bonito ajoelhado no meio das minhas pernas. 
Ela soltou um gemido apreciativo quando ele passou a sugar os lábios inchados de sua buceta, apreciando o gosto e a textura. 
- Ele ficou corado como você quando disse que estava quente demais e desci o zíper do vestido para tomar um ar nos meus seios. - Ela contou, ofegante, sentindo seu canal pulsar e vazar o esperma do homem com quem tinha fodido pouco antes junto com sua lubrificação. Ela estava tão sensível que a língua acariciando os lábios ali estava enviando-lhe a novos níveis de tesão. - Ele disse Granger de maneira tão escandalizada... ah, a cara que ele fez quando eu disse que ia ter que falar com Astoria sobre como ele estava sendo deselegante ao não se oferecer para me ajudar com meu desconforto. Ele estava todo servil e atencioso depois disso, mas, isso não o salvará do castigo... não que ele não vá aproveitar tanto quanto você. 
Ron gemeu de forma triste quando ela se afastou dele, apontando para o chão, onde ele se deitou obedientemente, com uma almofada debaixo da cabeça para garantir que ele não se machucasse e dando a Hermione um bom ângulo para se ajoelhar sobre ele, que choramingou, sentindo seu pênis se inchar e ficar restrito na gaiola de castidade que usava há algum tempo só pela visão erótica de sua esposa pronta para se sentar em seu rosto com o sexo pingando de tesão e com a semente do novo amante. Um girar da varinha dela e sua roupa se desvaneceu, ela inclinou o corpo para a frente, as unhas passearam por sua barriga, indo em direção a seu brinquedo preferido, a gaiola em que o prendia para ter certeza que ele nunca encontraria libertação a não ser com ela.
- Você fica tão bonito assim. - Ela comentou, o dedo indicador esfregando a ponta que tentava escapar da restrição de metal, já encharcada de antecipação.  - Fiquei de mostrar a Astoria como te deixo... queria que fosse assim, tão cheio que pinga o tempo todo por mim, mas, quer sair hoje, não é, querido? 
Ron gemeu ao senti-la segurando seus testículos pesados, ele não gozava há algumas semanas, estava pesado e cheio, a sensibilidade fez seu pau enjaulado pulsar. 
- Ah... se quiser, pode só me ajudar a tirar um pouco de pressão. - Ele disse, sentindo o rosto queimar e tentando ser sutil. 
Ela riu. 
- Que marido dedicado, quer dizer que está disposto a ficar trancadinho como um bom menino se eu te colocar de quatro na nossa cama e te foder com meus dedos até chegar na sua próstata e te fazer soltar um pouco dessa semente toda? - Ela perguntou, acariciando seus testículos cheios, ela não gostava de sutileza na cama, nem de ficar sem respostas. 
- Sim, isso. - Ele disse, soando desesperado, porque estava. As carícias em seus genitais eram uma tortura e ela sabia, as unhas passando por seu púbis depilado e coxas, o indicador esfregando a ponta sensível. 
- Abra as pernas. - Ela ordenou e ele obedeceu, sentindo os dedos da esposa descendo por seu períneo e acariciando sua entrada com suavidade, ela não o usava ali há tanto tempo. - Acho que vou precisar fazer isso mesmo... prometi a ela que poderia te foder, aparentemente sua bunda em calças apertadas de quadribol sempre foram um tema entre as garotas da sonserina. Vai deixá-la te abrir e foder enquanto eu assisto? Vai ser um menino muito bom e mostrar como geme bonito com um pau nessa bunda gostosa?  
Ron engasgou com o ar só de pensar nisso. 
- Sim, sim. 
- Ótimo! - Hermione ronronou, baixando os quadris e endireitando o corpo para estar onde mais gostava: sentada no rosto do marido, sendo fodida por aquela língua bem treinada. - Isso mesmo, amor, bem ai. 
Ela fechou os olhos, deixando os quadris se moverem junto com a língua de Ron, sentindo como esfregava todo seu sexo por aquela língua quente e aveludada, ela gemeu ao sentir as mãos fortes e calejadas segurando suas coxas para parar seu movimento para que ele chupasse seus lábios e enfiasse a língua dentro dela com habilidade, os sons molhados e obscenos mostrando como ele estava sugando a semente do mais novo amante em sua boca, limpando-a como um bom marido e experimentando por si mesmo o sabor misturado dos dois, ele só parava para afastá-la por um pouco de ar, mas, logo voltava a tarefa com voracidade, terminando ele mesmo por movê-la em seu rosto, ajudando-a a rebolar sobre sua boca e língua, esfregando todo o sexo sensível e inchado por seus lábios, queixo e nariz. Ela beliscou e puxou seus mamilos, ofegando e gemendo o nome dele quando chegou num orgasmo ainda mais intenso do que o que teve pela tarde. 
Assim que recuperou um pouco de fôlego e sanidade, ela notou que ainda estava sentada sobre o rosto dele, recebendo lambidas preguiçosas, como se a buceta dela fosse um doce particularmente bom para ele. Ela o deixou continuar com isso, até que as ondas de prazer passassem e seu canal parasse de pulsar intensamente. Ela se virou e deitou sobre o peito do marido, sabia como ele amava sentir seus seios esmagados contra ele, e ela podia sentir como o pênis engaiolado dele vazava imprensado entre eles também. Ela passou o dedo indicador pelos lábios inchados e molhados dele, vendo como toda a parte inferior do rosto dele estava uma bagunça de fluidos. 
- Gostou do sabor dele? 
- Sempre gosto do que se mistura com você. 
Ela sorriu. 
- Eu sabia que estava com um fraco por loiras e loiros... devo convidar Luna também? É tão guloso que terei que emprestá-lo para três pessoas ao mesmo tempo? Vai ter vigor para cuidar de mim desse jeito? 
Ele engoliu em seco, só de pensar nisso. 
- Sempre posso pedir ao Harry que te satisfaça. - Ele disse, mas, logo riu. - Se bem que não sei se ele pode ficar no mesmo lugar que Malfoy sem que comecem a brigar... melhor não. 
Hermione riu. 
- Oh, querido. Quem acha que me disse para falar com Astoria para ter permissão para jogar com o marido dela? 
Ron a olhou chocado e um pouco magoado. 
- Ele nunca me disse. 
- Não fique triste, ele pensava que te chatearia, por que não passa por Grimmauld Place e conversam? Eu já disse a ele que não era legal esconder esse tipo de coisa de você. 
Ron assentiu, ele e Harry já tinham chegado ao ponto em que reconheciam que além de se amarem como amigos, podiam ter intimidade física. Ele ainda estava tremendo, sempre acontecia quando não gozava depois de uma cena do tipo. 
- Vou chamá-lo pelo flú depois. - Ron prometeu. 
- Ótimo, não gosto dos dois com temas mal resolvidos. - Ela disse, sorrindo. - Agora, quer que eu te dê aquela massagem na próstata na banheira? Precisa tirar um pouco dessa semente de você, e definitivamente, precisamos relaxar na água. 
Ele corou adoravelmente e assentiu, deixando-a puxá-lo para o banheiro. 


Notas Finais


E foi isso.
Nos lemos por ai.
Não desisti de nenhuma fic que está no perfil, notem que quando desisto eu deleto.
Beijos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...