História Um Caloroso Abraço - MiTw - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias TazerCraft
Visualizações 106
Palavras 1.818
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hey, é um capítulo curtinho comparado aos outros

Nos encontramos nas notas finais

Boa leitura

Capítulo 4 - O Amor


Fanfic / Fanfiction Um Caloroso Abraço - MiTw - Capítulo 4 - O Amor

Sexta - feira 

          [ Alguns Anos Atrás ]

" Os corpos se entrelaçavam, num calor imenso no quarto escuro, a mulher de unhas grandes arranhava as costas e a nuca do homem que lhe segurava pelas pernas que se envolviam na sua cintura contra a parede, o desejo se transmitia  entre os dois o homem atacava o pescoço da jovem, que arfava em pura luxuria 

Os dois estavam loucos para aproveitar o pouco tempo um com o outro 

    ⁃    Ivone! - Ouviram uma voz grossa fora daquele quarto 

Se separaram assustados, a garota ajeitava os cabelos enquanto o homem limpava o canto da boca 

    ⁃    Saia primeiro, de umas batidas na porta quando você e ele forem, e depois de um tempo vou sair - o homem avisou a moça 

    ⁃    Okay - Deu um último selo em seus lábios , passou a mão entre as roupas para disfarçar o amasso e abriu a porta - Oi amor! - A mulher foi em direção a voz" 

            [ Dias Atuais ]

Tarik sempre foi daquelas pessoas que acreditava no amor e no poder que exalava dessas quatro letrinhas 

Era daqueles que dava suspiros em filmes clichês, que sonhava no colégio ter a cena tão repetitiva de os livros caírem os olhos se encontrarem e as mãos se tocarem e ali, duas almas gêmeas feitas especialmente uma para a outra se tornarem uma só 

Depois que percebeu que garotas não eram algo do seu gosto, ele não achava estranho, afinal por ter uma crença tão grande no amor o fez ter um visão aberta de que amar não era algo ruim 

Por onde passava, ouvia pessoas reclamando que o que estava em falta no mundo era amor, ele só não entendia como essas mesmas pessoas, quando viam um casal homossexual os atacavam com ódio 

O mundo está cheio de hipocrisia não é mesmo?

Amor, nunca foi algo simples para ele explicar como se sentia em relação ao sentimento, só que Tarik também nunca foi daqueles que pensava em amor, e estagnava na história de que o amor só vive em um casal 

Para ele amor ultrapassava qualquer barreira, sua mãe sempre foi quem lhe deu esperanças sobre o amor, não, ela não passava horas falando sobre como era e  coisas do gênero, só que depois que só eram ele e ela, via a luta da mulher, sua dedicação suas batalhas a admirava por estar fazendo isso por ele, por amor 

Tarik não podia dizer que amava Mikhael, afinal seria muito insensato de sua parte falar que ama a quem só viu uma vez na vida por meros minutos e trocou números de telefone 

Ele esperava não criar expectativas, não queria moldar Mikhael, queria o conhecê-lo, queria conhecer o molde que a vida ofereceu a ele 

Para ele Mikhael só foi listado como, extremamente lindo e engraçado, nada mais, afinal as duas coisas são algo que ninguém pode negar 

Ele comprovava isso em sua mente, enquanto ria de Mike, em um vídeo de uma game play de terror, os gritos que o rosado dava eram estridentes

Por sorte não havia colocado fones, ficaria com sérios problemas auditivos 

Ele passou a madrugada inteira sem pregar o olho, não podia controlar quando percebia mais um vídeo de Mike chegava ao fim ele passava para outro, notou em todas as filmagens que o menino tinha um brilho no olhar, e ficava feliz por que percebia a felicidade do outro com seu trabalho 

Ele o entendia, tinha o mesmo amor pelo sonho da profissão de fotógrafo e só de pensar nisso seu corpo se agitava internamente em ansiedade para iniciar a faculdade, ele queria tanto poder realizar seu sonho, queria ter seu estúdio, queria aprender a fazer mil e uma edições, queria tudo que o sonho pudesse lhe proporcionar 

Estava de baixo das cobertas notando o quarto claro, já estava na hora de levantar, uma preguiça gostosa da manha invadia seu corpo, não devia não ter ido dormir iria ficar com olheiras por sua pele ser tão clara, mas agora já estava feito

Foi ao banheiro do corredor da parte superior da casa, onde fez suas necessidades e higienes, desceu para cozinha sentindo um cheiro de panquecas 

E quando chegou a mesa encontrou várias, a massa enrolava um recheio de queijo, esse qual sua mãe adorava fazer, encontrou a mulher animada jogando o resto de massa do liquidificador na frigideira onde mexia e fazia a forma arredondada 

    ⁃    Bom dia mãe - Tarik a cumprimentou, ele teve vontade de a abraçar por trás e lhe dar um beijo na bochecha como era de costume, só que claro, mais uma vez as brigas interferiam no relacionamento de mãe e filho, ele não lembra qual foi a última vez que teve um contanto concreto de carinho com sua mãe depois de toda confusão sobre sua orientação sexual 

    ⁃    Bom dia filho - A mulher se virou colocando a última panqueca em um prato, pegando o queijo derretido de uma panela e adicionando no meio da massa a enrolando e colocando junto à pilha de enroladinhos 

    ⁃    Isso está com um cheiro maravilhoso - Se sentou à mesa onde um suco de laranja junto às panquecas se encontrava, o serviu num copo que estava na mesa junto com prato e talheres, onde colocou uma das panquecas 

    ⁃    Estava com saudades de fazê-las - Também se sentou, e da mesma forma que o filho, se serviu de suco e uma panqueca - Eu recebi a ligação da faculdade, agora está tudo certo com os documentos - Sorriu, enquanto cortava um pedaço da panqueca e colocou na boca, se deliciando com o queijo derretido - Eu não perdi o jeito para fazer isso - Os dois riram 

    ⁃    Que bom, finalmente tudo certo - Tarik também comia se deliciando com o alimento - Está tudo uma delicia mãe - Sorriu contente de lembrar, todas as manhãs antes de ir para escola sua mãe fazia para ele, também lembrava que quando era a manhã de seu aniversário, sua mãe quebrava a regra de que logo cedo não podia comer doces fazia com recheio de brigadeiro de panela, Tarik adorava 

    ⁃    É bom ver você crescendo, Deus vai iniciar a faculdade Tarik, lembro como se fosse ontem eu lhe levando para o primeiro ano da escola, eu estava com tanto medo de como você ia fazer amigos, era tão tímido - Ele lembrava, nunca foi muito social, fazer amigos para ele eram coisas difíceis, as pessoas tinham que ir falar com ele se não, não conversava com ninguém - E logo logo estará trabalhando - Bateu palminhas animada pelo filho 

    ⁃    Sabe que se a senhora não me impedisse já teria feito um curso de menor aprendiz - Comentou lembrando como sua mãe não quis que ele trabalhasse, disse que ele era muito novo e que não precisava se preocupar com isso, pois não era a hora para aquelas coisas 

    ⁃    Mas eu não queria que você trabalhasse, afinal para que? - A mãe falou despreocupada 

    ⁃    Mãe, a senhora quase se matou a minha vida inteira trabalhando para me sustentar, o mais justo seria eu lhe ajudar pelo menos com alguma despesa - Comentou mordendo o último pedaço da panqueca, se levantando colocando o prato na pia esperando a mãe terminar para lavar a louça 

    ⁃    Não pensou em mim me matando de trabalhar quando me falou que era, uh, gay - A mulher levantou o olhar para filho com o prato agora sem nada em mãos 

Tarik ficou com um olhar perdido, triste ela via magoa ali e bom Tarik, sentia sua garganta fechar seus olhos arderem a animação que estava tendo de manhã sumiu, suas vistas se embaçaram com os lágrimas descendo com cada vez mais tristeza, era desprezado por sua própria mãe, a sua heroína, e por uma coisa que ele nunca conseguiria mudar 

    ⁃    Tarik, não.. - A mulher sussurrou amargamente arrependida, tentando encostar no ombro do filho com sua mãe para puxar em um abraço 

    ⁃    Não me toca por favor - Falou em um tom firme mas embargado, pegou o prato da mulher em mãos e se virou para a pia - Pode deixar, eu lavo a louça - Ivone encarou as costas do filho enquanto ele adicionava detergente na esponja para lavar a louça, viu como seu menino ficou triste, o que estava havendo com eles? 
 
Deixamos que nossos preconceitos nos ceguem, julgamos sem saber e sem perceber contribuímos para um mundo cada vez mais monstruoso e com falta de amor 

*****************************

Mikhael nunca foi daqueles que acreditava em amor à primeira vista muito menos daqueles que choravam com filmes românticos

Sempre foi muito cético sobre toda essa magia que o cinema tentava colocar em um casal de apaixonados 

Realista, era assim que se denominava, ele não esperava o príncipe encantado num cavalo branco

Muito menos a pessoa perfeita que se encaixaria nele como se eles fossem feitos um para o outro

Ele desejava amar alguém, é claro, afinal até a pessoa que jura a sua vida toda que não precisa de ninguém, quer se apaixonar, quer alguém que possa chamar de seu 

Podia ser clichê seus pensamentos sobre Tarik, só não conseguia controlar, pensava o quanto nunca sentiu por ninguém o que senti pelo garoto que viu uma vez na vida 

O quanto em poucas mensagens o garoto conseguia o deixar bobo e totalmente fora de órbita 

Não entendia, como achava o sorriso de Tarik um dos mais lindos do mundo, ou porquê seus olhos pareciam tão encantadores

A ansiedade de encontrar o garoto era enorme 

Enquanto ele se ajeitava para gravar um vídeo tinha esse turbilhão de pensamentos o atormentando, não era possível estar apaixonado por uma pessoa que viu uma vez na vida, ele não era mais um adolescente 

Ligava a webcam, puxando os cabelos rosados para trás com os dedos 

    ⁃    Fala galera aqui quem fala é o moço Mike, e no vídeo de hoje teremos um jogo de terror! - Fez uma careta "assustadora" no final da frase - É um vídeo que me pediram para fazer, de uma moda que está tendo na internet sobre um tal número assombrado que veio do Japão, onde a pessoa do tal contato, se denomina momo - Fazia gestos com as mãos enquanto fazia a explicação - Vamos para o jogo - Após dar um mínimo sorriso para a câmera, fez um gesto com as mãos, que indicava para seu amigo Tayr cortar na hora da edição, até ele começar a gravar a tela do computador com o jogo fez o gesto novamente - Então vamos jogar....


*****************************

Mikhael e Tarik aguardam ansiosamente por sábado, eles não aguentam mais à vontade de se encontrar estão completamente confusos do que sentem ou o que não sentem

Mal eles sabem que a partir de amanhã, suas vidas se entrelaçaram 

E passaram por muitas coisas 


Notas Finais


Eu estou animada!

A partir daqui começaremos a história, basicamente os primeiros capítulos foram para conhecerem mais os personagens e coisas do tipo

Deixem sua opinião ou crítica

Espero que tenham gostado ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...