História Um casal diferente (Yaoi, reescrita) - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Drama, Lgbt, Romance, Um Casal Diferente
Visualizações 29
Palavras 1.673
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, LGBT, Mistério, Orange, Romance e Novela, Suspense, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá pessoas, estou de volta com o capitulo 002 da Fic, espero que gostem, e la nas notas finais eu sempre deixo o link pros jornais que estou fazendo o review dos capítulos reescritos.
Bem, vou deixar vocês lerem o capitulo, até lá embaixo!

Capítulo 2 - Geovana


Fanfic / Fanfiction Um casal diferente (Yaoi, reescrita) - Capítulo 2 - Geovana

...Casa do Douglas... 

O garoto chegou em casa e foi direto para seu quarto, se jogou sobre a cama ainda desforrada e ficou pensando no que havia feito.  

—E se ele contar pra todo mundo? E se ele...  

—Douglas! —A voz de sua mãe irritada do outro lado da porta não ajudou na preocupação do garoto. Ela entrou no quarto e o coração dele disparou. —O que aconteceu com seu pé, me deixa ver... —Ela sentou na beirada do colchão. —Me ligaram da escola porque você machucou o pé e depois sumiu das aulas.  

—Eu matei as últimas aulas. —Falou aliviado. —Meu pé não estava me deixando andar, subir de volta pra sala ia doer muito mais.  

—Por que não pediu para eu ir te buscar seu doido! —Ela deu um cascudo nele e foi até o armário, pegou uma faixa que ele usava para malhar. —Eu vou enfaixar isso e você tome mais cuidado jogando bola viu? Olha só isso... —Enrolou o pé com a faixa. —Logo agora que sua tia queria te ver, ela voltou de viagem e está com saudades.  

—Depois eu passo lá pra falar com ela mãe... —Douglas falou irritado com aquela situação, não gostava que sua mãe o tratasse como uma criança. —Obrigado.  

—Se cuida hein moleque. —Ela levantou da cama e saiu do quarto.  

Douglas sussurrou algo como “chata” enquanto ela saia, ele se deitou de bruços e cobriu a cabeça com o travesseiro, aqueles olhos azuis não saiam de sua cabeça, sabia que estava errado, mas só de lembrar daquele garoto, aqueles lábios... Pensou que deveria ter aproveitado mais. Apertou o travesseiro sobre a cabeça, não queria pensar naquilo, não podia pensar na verdade, esse mesmo menino poderia acabar com a reputação dele.  

Ele passou o resto do dia na cama, afinal seu pé ainda estava doendo por causa do acidente.  

...Dia seguinte... 

Ele acordou duas horas de ir pra escola, a ansiedade e o medo não deixavam ele dormir direito, passou o tempo imaginado os finais que aquilo poderia ter tomado, pensou se tivesse esperado mais, talvez esperado o garoto agir, mas nesses pensamentos sempre que Gabriel falava com ele, era como se ele tivesse na verdade tentando se afastar.  

...  

—Filho, vai se atrasar pra escola... —Ela entrou no quarto. 

Douglas fingiu estar dormindo, sua mãe não era tão severa quanto a presença do garoto na escola, só ligava para as notas, contato que estivessem boas ele podia faltar alguns dias, ainda mais com o pé naquele estado, ainda devia estar doendo.  

—*Desculpa. —Ela falou sussurrando e fechando a porta devagar pra não fazer barulho.  

—Não, eu ‘to acordado. —Douglas tirou o cobertor. —Estava só com preguiça, meu pé nem dói mais. —Sorriu. 

—Então ‘ta bom filho, vai se arrumar enquanto faço o café. —Falou e saiu. 

Douglas queria saber a resposta de Gabriel, mesmo que se fosse para xinga-lo ou zoar com ele por ser gay, ele precisava saber.  

 

...Escola...  

Douglas entrou na escola e olhou para todas as pessoas, tentava ver se alguém já tinha conhecimento da notícia, mas ninguém estava nem olhando pra ele, subiu para a sala aliviado, ainda mancava um pouco, mas não o atrapalhava para subir as escadas.  

Na sala ele procurou o novato, ele estava lá como se nada tivesse acontecido, vendo que Douglas o olhava ele abaixou a cabeça e fingiu estar dormindo, aparentemente não queria conversar agora, Douglas foi para seu lugar e agiu como se nada tivesse acontecido também.  

... 

As pessoas estavam se arrumando para sair pro intervalo, os amigos de Douglas tinham saído na frente para garantir lugar na cantina, Gabriel estava saindo com as garotas que eram as últimas na sala, era o momento perfeito.  

—Ei meninas, eu preciso falar com o novato um pouquinho. —Douglas falou parando na frente delas.  

—Nós estamos indo pra cantina Douglas, não queremos perder o lugar. —Uma delas falou irritada.  

—Não vai demorar, é sobre um trabalho extra que eu tenho. —Gabriel falou rindo sem graça. 

—Tudo bem, mas nós não vamos guardar lugar. —A mesma garota falou e saiu com as outras.  

Gabriel respirou fundo, as garotas pareciam era irrita-lo com o jeito delas.  

—Escute. —Douglas fechou a porta e ficou atrás pra ninguém abrir. —Eu não deveria ter feito aquilo, eu fui apressado e... —Olhou nos olhos dele e ele parecia estar calmo. —Descul... 

—Não precisa pedir desculpas. —Gabriel o cortou. —Eu... Meio que gostei, então não precisa se desculpar. —Falou ficando vermelho. 

Douglas ficou paralisado com aquela informação, então ele tinha gostado? De repente tudo que queria falar pareceu ser varrido da mente dele, ficou vermelho igual um tomate e tentou falar. 

—Então... —Ficou sem palavras, odiava essa sensação. —Err... Então você quer sair qualquer hora dessas pra começarmos direito? —Falou e deu um sorriso meio bobo.  

—Claro! —Gabriel falou meio rindo do garoto estar vermelho, mas seus olhos estavam brilhando. 

Douglas saiu da frente da porta e abriu passagem para ele, mas assim que Gabriel ia passar ele tornou a fechar e pegou o garoto pelo braço.  

—Na verdade... —Olhou nos olhos dele e viu a surpresa na expressão. —Vamos começar agora. 

Douglas deu um beijo nele, dessa vez com o consentimento, o puxava mais pra perto para sentir o corpo de Gabriel, novamente sentia que o que estava fazendo era o certo, eliminando qualquer duvida que ainda tinha.  

—Uau. —Gabriel falou se separando, deu pra ver que agora ele estava vermelho também. —Eu não estava esperando por essa, mas estou feliz que o fez.  

—Eu também! —Falou dando um sorriso de canto. —Vamos antes que alguém desconfie. —Abriram a porta e foram para o intervalo.  

... Aula de historia...  

—Bom dia alunos! —O professor falou chegando com uma expressão fechada, como se pudesse matar alguém. —Hoje como eu combinei vou passar um trabalho valendo cinco pontos, isso é metade da nota então quem não fizer estará de recuperação! —Ele riu. —Equipe de três pessoas, dois minutos para arrumarem os grupos! —Apitou. 

O professor de história era o mesmo de educação física, então seus jeitos não eram os melhores para ensinar essa matéria.  

Os alunos começaram a falar em uma bagunça, a real definição de caos em uma sala de aula, eles sabiam que eram literalmente dois minutos ou pagavam com pontos, em questão de segundo as pessoas já estavam com os grupos montados.  

—Foi mal Doug, nós já fechamos o grupo. —Um dos amigos dele falou com um meio sorriso.  

—Tudo bem, eu vou fazer com o novato mesmo. —Deu de ombros. Olhou para Gabriel que parecia estar na mesma situação. Levou sua mesa e sentou junto a ele. 

—Parece que ficamos separados dos grupinhos hein. —Ele sorriu. —*Eu achei ótimo. —Falou baixo com Douglas.  

—*Eu mal posso esperar pra ficarmos a sós pra fazer esse trabalho. —Respondeu também falando baixo e dando um sorriso de canto.  

O professor apitou vendo que o tempo tinha acabado.  

—Tem alguém ainda sem grupo para se juntar aos garotos ali? —O professor se referiu a Gabriel e Douglas e passou o olho na turma vendo se alguém estava sozinho.  

Um braço tão branco quanto a neve se ergueu na frente da sala, nem o professor acreditou que aquela garota tinha passado despercebida do lado dele, algumas pessoas da sala ficaram tão surpresas quanto por nunca terem reparado.  

—Então pode se juntar a eles. —O professor falou meio assustado pelo ocorrido. —Então vamos começar a anotar, abram os cade... 

—Licença professor. —Uma garota falou da porta. —Estão te ligando lá na direção, é seu filho.  

—Claro que é, sempre é... —Falou irritado. —Vocês vão lendo da pagina 90 a 102 enquanto eu vou atender a ligação. —Saiu da sala.  

Os alunos começaram a guardar os materiais e fechar as mochilas.  

—Ei, por que todos estão guardando as coisas? —Gabriel perguntou para Douglas.  

—Ah sim, quando o professor sai ele fica geralmente uma hora pra lá, o que é o tempo da aula dele acabar, ele nunca volta antes. —Douglas falou sorrindo. —Ei, falando nisso que tal irmos na lanchonete ali da esquina? 

—Quando forem fazer o trabalho é só me chamar. —A garota falou chegando de repente neles e saindo.  

—Vamos conhece-la com isso, boa ideia! —Gabriel falou sorrindo e pegando sua mochila. —Ei, espera ai... —Foi atrás dela.  

—Vamos nos conhecer melhor com isso. —Douglas falou sozinho, queria ir a sós com Gabriel, se bem que com a garota ficava menos na cara o romance.  

Lanchonete.... 

Gabriel conseguiu levar a garota que parecia estar relutante em estar ali, enquanto Douglas fazia os pedidos eles ficaram conversando.  

—A garçonete já vai trazer. —Falou se sentando na frente dos dois. —Então... Qual o seu nome? —Perguntou para a garota.  

Antes de Douglas perceber Gabriel já estava falando com ela como se fossem melhores amigos, o moreno ficou sem entender nada.  

—Douglas, a Geovana é otaku. —Falou sorrindo.  

—Uma o que? —Ficou confuso.  

—Eu gosto de animes tanto quanto ele, eu não sabia. Eu teria falado com você antes, mas você foi se juntar com as outras garotas e... —A garota que se passava como fantasma estava totalmente confortável com Gabriel.  

—Ah entendi. —Douglas falou depois de ouvir a explicação. —Eu gosto mais de series, não sou um fã dos desenhos animados.  

Gabriel e Geovana o encararam como se fossem fuzila-lo com os olhos.  

—Não está mais aqui quem falou isso! —Percebeu que disse algo errado.  

Eles comeram e se despediram da Geovana, a casa dela ficava do lado oposto para onde iam, o plano de ficar a sós com Gabriel não tinha dado certo, mas ficou feliz por ele conhecer alguém novo na escola.  

—Por falar nisso. —Gabriel falou do lado do moreno. —Foi mal trazer ela, eu sabia que queria me conhecer melhor, mas eu fiquei meio tímido. —Deu um meio sorriso corando.  

—Sem problemas, eu até gostei de você fazer uma amiga aqui, pra quem é novo na cidade isso é ótimo. —Sorriu. —Sem falar que você pode me recompensar depois. —Deu um meio sorriso, que era carregado com certa malicia.  

... 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...