História Um certo professor - Capítulo 56


Escrita por: ~

Postado
Categorias Lolita
Visualizações 64
Palavras 1.399
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Festa, Ficção Adolescente, Policial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eai rs
Boa leitura

Capítulo 56 - Aquela noite


Fanfic / Fanfiction Um certo professor - Capítulo 56 - Aquela noite

Johnny

- você tá bem?

Encarei Alison sentada no sofá, meio assustada.

- ...to...

Respirei fundo e me sentei ao seu lado. Ela me abraçou, e eu comecei a acariciar seu cabelo, ficando naquela posição por um tempo. 

- me desculpa por não prestar atenção...

- eu já tô bem Johnny...

A beijei e ajeitei nossa cama, me deitando junto dela. Ficamos ali um pouco conversando sobre coisas bobas e logo dormimos.



Aquela manhã prometia me deixar irritado. Acordei com uma dor de cabeça inexplicável, que me fez acordar com um péssimo mal estar.

Peguei alguns comprimidos procurando pelo remédio certo, e o achei logo tomando. Fiz o café da manhã do qual era panqueca e vitamina. Alison acordou e comemos. Logo que minha dor passou, levei Alison para a praia, e ficamos ali mexendo com a areia e molhando os pés. Depois passei duma loja da qual Alison não adivinhara qual era, e eu nem falei. 

Mais tarde tomamos sorvete, e eu passei da casa de Gabriel, ficando por lá. Ele estava jogando vídeo game então não dava muita atenção a nós. Porém, depois pediu uma pizza e refrigerante, e comemos assistindo filme e conversando sobre. 

Decidi que iria dormir lá mesmo, já que fazia muito tempo que eu não dormia lá. Ele trouxe o colchão para a sala.

- vou dormir no sofá então.

- tá bom.

- o que vocês querem jogar agora?

- você só tem jogos de tiro?

Alison perguntou.

- claro que não. Tenho de corrida também.

- então vamos jogar esse.

Ele mostrou alguns que ele tinha e escolhemos o melhor. Passamos horas jogando, Gabriel até saiu pra comprar cerveja e trouxe pra mim e ele tomar, já que Alison não curtia nada daquilo. 

Dormimos tarde, e como prometido, acordamos tarde também. Gabriel disse que queria ver alguns amigos andarem de skate, iria ter um tipo de competição entre eles, e eu acabei aceitando ir. Apesar de ter ficado só por duas horas lá, foi legal, Alison ficou bem animada ao ver como eles sabiam fazer aquilo tão bem, e observava tudo com cuidado.

Quando voltei, aproveitei para deixar a compra que eu tinha feito o outro dia em cima do meu armário, e sai para fazer compras. Alison quis ficar ali, pois estava com preguiça de sair, e eu prometi trazer algo bom para ela comer. 

Alison


Eu estava meio entediada, observando os canais da tv, quando tive a ideia de mexer nas coisas de Johnny. Eu sabia que ele demorava quando ia fazer compras e fui lá. No seu guarda- roupa tinha as mesmas coisas de sempre, seus perfumes, camisetas, shorts, etc. No seu criado-mudo algumas tralhas velhas como um despertador quebrado e um radio.

 No meio de tudo, tinha uma foto meio velha da qual aparentava ser ele, Gabriel, que parecia muito mais novo, é uma garota de cabelos castanhos, da qual abraçava Johnny enquanto tinha uma lata na mão. Talvez aquela poderia ser uma antiga namorada, quem sabe, me deixou meio inquieta, porém eu procurei deixar aquilo pra lá e fechei a gaveta. 

Me lembrei da compra que Johnny fizera antes e vi que era uma sacola, com uma roupa dentro. Abri ela, tirando o lacre e coloquei em cima da cama. Era uma roupa meio indiscreta, de cor preta, uma lingerie muito sensual. Eu ri daquilo, analisando o tecido e tudo mais. Olhei para os lados e resolvi experimentar, só para ver como aquilo ficava em mim, já que Johnny iria querer que eu colocasse aquilo de qualquer forma. 

Ajeitei cada feiche, e após terminar, olhei no espelho assustada. Aquilo ficava estranho, pois eu nunca me imaginava usando uma roupa daquelas, até eu escutar a porta se abrindo. Johnny entrava rápido, colocando as sacolas por cima da mesa enquanto falava no telefone. Me despertei, pegando minhas roupas do chão, mas era bem tarde, na verdade. 

- tá.....entendi... é né seu animal...tudo bem, eu falo com você...

E nesse momento ele entrou, me olhando com os olhos completamente arregalados 

- amanhã...

Desligou o celular, e o deixou cair no chao, me olhando de cima a baixo.

- onde achou isso?

- ....eu...eu...tava em cima do seus armário...eu só queria experimentar...e...

Meu rosto ficou vermelho feito uma pimenta. Ele estava louco só de olhar, mordendo os lábios com força. 

- você tá muito...linda...

- eu vou lá...tirar.

- não.

Dessa vez eu engoli seco, por que percebi como seu tom de voz soou. Fiquei ali parada, sem saber o que fazer. Ele jogou o celular por cima do armário e se aproximou de mim, acariciando meu cabelo. 

Eu respirei fundo, mantendo o olhar ao chão, até ele puxar meu rosto a sua direção pelo meu queixo. 

- eu te amo Alison.

Eu o olhei sorrindo.

- eu te amo... Johnny...

Ele aproximou seu rosto da minha orelha e a mordeu susurrando.

- quer brincar comigo, baby?

Arrepiei com as palavras, beijando sua boca novamente.

- quero...

Ele sorriu, me pegando no colo. 


Johnny

A peguei no colo, e prensei contra a parede, mordendo todo o seu pescoço. Ela arfava e sentia com o coração acelerado, distribuindo beijos pelo meu rosto. Contornei seu corpo sensual com as mãos, analisando ele. Apertei um dos seus peitos, e logo após sua coxa, dando um tapa bem forte. Ela soltou um grito, elevando a cabeça para cima, e eu fui trazendo ela até a cama. 

A joguei lá, e olhei seu corpo completamente louco. Tirei minha camisa, e subi por cima dela, puxando seu sutiã para baixo, mordendo seus seios. Ela fechou os olhos e só sentiu. Me levantei e a puxei, segurando seu pescoço.

- se vire.

Ela se virou sem reclamar, e eu a deitei mais, forçando sua cabeça para baixo, enquanto abaixava sua calcinha lentamente. Apertei seu quadril marcado, observando sua cara, e comecei a dar tapas com uma certa força. Ela gritava, enfiando a cabeça no travesseiro, numa forma de abafar o som, porém eu puxei seu cabelo fazendo com que ela ficasse com a cabeça erguida. 

- grita mais, amor...

Arranhava e dava tapas, alisando sua bunda lentamente. Comecei a apertar seu corpo, principalmente no quadril, vendo que ela se incomodava com aquilo, ri.  me levantei e peguei a corda que estava no armário, passando pela sua pele de leve. 

- vira pra mim.

Ela se virou lentamente, me olhando com a respiração elevada. Sorri de lado, pegando suas mãos e prendendo na cabeceira da cama. Apertei forte e logo após, tirei minha cinta, passando pelo seu abdômen até chegar na sua calcinha. Dei uma cintada de leve ali, fazendo ela gemer baixo, percebia seu peito descer e subir rapidamente, enquanto puxava sua calcinha para baixo, até tira-la por inteiro. Subi por cima da cama e me ajoelhei de frente pra ela, abaixando, até estar bem perto do seu rosto.

Ela fitava meu corpo por cima do seu, as vezes desviando o olhar, e eu a beijei, abaixando até sua intimidade. Ela se afastou e eu a olhei semicerrando os olhos.

- não quer?

- não....

- então eu vou te foder.

Me aproximei, ajoelhando e abri o zíper da calça, tirando juntamente com a box. A fitei, beijando todo o seu pescoço, mordendo sua boca, e deixando um chupão perto do seu peito. Após isso, abri suas pernas lentamente, e ela fechou os olhos mordendo a boca com força. Comecei a penetra-la lentamente, segurando seus braços, e continuei assim, as vezes, a beijando, só fixando meus olhos no seu, vendo cada expressão e ouvindo cada gemido que me deixava paranóico. 

- ah..Alison...eu te amo...

- eu te amo j-johnny....

Naquele momento, comecei a aumentar a velocidade dos movimentos, enquanto mordia seu pescoço. Ela começou a gritar, arfando alto, e eu continuava, aumentando cada vez mais. Comecei a escutar a cama se mexer e não parava, tendo meu corpo colado ao seu. Depois de mais algumas estocadas, eu acabei por gozar, não aguentando e gemendo alto junto a ela. Senti seu corpo estremecer, e se prender ao meu com mais força. 

Observei sua carinha, e sorri de canto, percebendo que ela tinha gozado também. Esperei ela se recuperar, e a beijei, tendo minhas mãos em seus cabelos, o acariciando. 

- gostou é?....

Ela ainda com os olhos fechados, balançou a cabeça positivamente, e eu ri de leve, enxendo sua cara de selinhos. 

Após ela se acalmar totalmente, a levei até o banheiro, em meu colo mesmo, e tomamos banho juntos. Peguei uma camisa minha bem grande e dei para ela usar só para dormir mesmo. Me deitei, e ela logo em seguida, por cima de mim. Fiquei acariciando seu cabelo até pegar no sono.








Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...