História Um cheiro nada doce - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amizade, Countryhumans, Desvios Do Cânone, Final Feliz, Holanda, Jamaica, Primeira Vez, Profanidade, Romance
Visualizações 46
Palavras 665
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drabble, Fluffy, Slash, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Drogas, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Primeiramente meus crianços pelo amor das batatas fritas sagradas não usem drogas okei, isso só vai te jogar em um abismo de dependência.

Essa fanfic é para vocês, queridos fãs desse peyring. Dói-me que fanfic para estes dois tenha tão poucas, esta é apenas para testar minha criatividade com eles.

Capítulo 1 - Único


 

Diz-se que a relação entre dois caras cheira mais doce do que os lilases de primavera, mas para nossos heróis o relacionamento há muito cheirava a grama e outros tipos de lixo.

 

Dois caras estavam sentados em uma sala encharcada de marijuana, o primeira era claramente o mais velho e mais alto que o segundo. Oh, este é o Holanda, um cara alto, de 23 anos, vestido com seu moletom preto favorito e jeans cinza, ele beliscou algum tipo de papel em sua boca, e com certeza, essa é outra droga que seu amigo encontrou em algum lugar, inalando como da última vez, o holandês leva os dedos aos lábios e tira esse lixo, era tão ruim para ele que já estava bom.

 

O segundo era Jamaica, um cara de cerca de 18 anos, usava uma camiseta preta e combinando calça jeans preta, aparentemente ele nem se quer havia começado, mas simplesmente vira o pacote na mão e olha para ele com um olhar ausente.

 

- Hey, pequeno, o que você está pensando, sobre a eternidade? Ou você já é ... é ... como ele - o mais velho não conseguia lembrar.

 

- Holanda, você não me entende agora, você nem lembra, mas de quem eu sou culpado? No passado, uma colônia da Grã-Bretanha e agora estou andando sob a América. Se não fosse toda essa besteira, talvez a maconha fosse proibida. - suspirando, o mais novo joga o batente em uma urna próxima.

 

- Senhor, você normalmente não pensa sobre isso, você está falando bobagem diferente, mas isso ... você ainda está sóbrio? - disse Holanda, ele simplesmente não entendia o que seu amigo estava falando. - Certo, Sr. Filósofo, se a grama não puder te animar, eu vou! - exclamou o tricolor - Olha, cada família tem a sua ovelha negra, você tem uma orientação familiar, e há dois deles, Canadá e América.

 

- Eh?, - Perguntou Jamaica, esperando alguma coisa.

 

- Vamos ver o que!

 

- Em que sentido?

 

- Vamos chupar - exclamou o mais velho, a partir do qual os olhos de seu interlocutor se arregalaram.

 

- O que você está dizendo, realmente!? Nós somos estes ... como eles … - objetou o mais novo.

 

- Não é realmente algo que você não quer tentar?

 

- Não.

 

- Vamos lá, vivemos apenas uma vez.

 

- Apenas não fale a ninguém, ok? - com um suspiro, o jamaicano aceita.

 

- Bem, isso é ótimo! Eu quero ficar de pé - tendo terminado, o holandês levanta Jamaica a seus pés, pelo pulso e habilmente o pressiona contra a parede com papel de parede branco.

 

O rosto do passivo fica corado, o constrangimento ridículo cobre-o e ele olha em toda parte, mas não para Holanda.

 

- Pronto? - Por algum motivo, o ativo pede, ele sabe que a resposta será "não", portanto ele toma a iniciativa em suas próprias mãos. Sem esperar por uma resposta, ele ergue a cabeça do sujeito pelo queixo e agarrou-se aos lábios do outro. No início, Jamaica tentou se afastar, mas depois cedeu e começou desajeitadamente responder bem, em princípio, ele foi o primeiro a quebrar um beijo tão quente.

 

- Eu já acendi, - emite um tricolor.

 

- Sim, bem, você deveria ter me avisado, eu quase morri. - respondeu o país insular.

 

- Ouça, eu estive pensando, há muito tempo que nos conhecemos... merda, eu não sou o mestre do discurso. Bem, na verdade, eu amo você, filho da puta, case comigo - após estas palavras, ambos congelaram, e o silêncio tomou conta do lugar - isto é, não saia, vamos nos encontrar. Porra, isso foi de má qualidade.

 

- E eu gostei. Por que não? Vamos lá - Jamaica respondeu sorrindo. - Tenho apenas a angústia de você ficar sóbrio e esquecer tudo. - o passivo queimou um buraco no chão sob o olhar de Holanda.

 

- A droga que você me deu é muito fraca, estou sóbrio desde o momento em que você começou a reclamar da vida.

 


Notas Finais


Quanto a mim, este emparelhamento e interessante do que milhões de fanfics Rusame idênticos. Mas nada contra as fanfic Rusame, só acho que devíamos fazer sobre os outros países. Comentários são bem vindos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...