História Um Cigano gostoso - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags 3kim!brotp, Chinchila, Jungkook!cigano, Kooktae, Kookv, Minjoon, Nachin, Nammin, Nathã Day, Propriedade Da Chin, Sope, Taehyung!fotógrafo, Taekook, Vkook, Vmin!broken, Whyseokgirl, Yoonseok
Visualizações 718
Palavras 4.812
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Fluffy, Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


ONTEM FOI O ANIVERSÁRIO DO CARINHA MAIS LINDO E AMADO DA MINHA VIDA INTEIRINHAAAA!!! @/hyungbae FEZ 1 ANO E 7 MESES DE VIDA (ou foram 17 anos? Nunca saberemos!) E É POR ISSO QUE EU ESCREVI ESSA ONE TODA BOBINHA PARA O MEU NENÉM!

FELIZ ANIVERSÁRIO, NATHÃ ❤

Capítulo 1 - Coroa de flores, roupa colorida e sorrisos


Não, Taehyung não acreditava que estava ali, fazendo aquilo.


— Hoseok hyung, me diz que você está brincando, por favor. — pediu choroso, para o amigo mais velho. 

— Desde quando eu brinco com coisa séria, Taehyung?! Eu vou descobrir se o Yoongi está me traindo, ou não! — puxava o Kim pelo pulso para dentro da tenda, pouco se importando se algum conhecido o veria entrando ali.


Pois é, Hoseok estava na tenda de um cigano. E havia trazido o melhor amigo consigo, mesmo contra a vontade do loiro.


— Eu vou te matar, Hoseok!

— Tá bom, Tae, tá bom.


Ao entrarem na tenda, tudo ficou escuro, sendo meramente iluminado por uma bola de cristal arroxeada que se encontrava bem no centro, sob uma mesinha de vidro.


— Entrem, entrem, e não tenham medo. — disse uma voz.


Mesmo com um tiquinho de medo, Hoseok fez o que foi dito, arrastando Taehyung até o meio da tenda.

E então, tudo ficou claro novamente, revelando um rapaz moreno que usava uma coroa de flores e roupas multicoloridas. Um rapaz muito bonito diga-se de passagem, mas que na cabeça de Taehyung soava mais como “é gostosinho pena que 'tá pagando de falso cartomante”.


— Kim Taehyung e Jung Hoseok, certo?

— Como você sabe os nossos nomes?! — o mais velho já estava deveras impressionado com o cigano.

— É óbvio que ele nos escutou conversando lá fora, hyung!

— Mas como ele sabe que eu sou Jung e você Kim?


Ok, agora o loiro fora pego de surpresa, mas isso não seria o suficiente para se convencer com aquela ladainha toda. Essa história de ciganos não existe!


— Hm, pode ter sido sorte.

— Eu não sou um principiante, Kim. Tenho bastante experiência com a vida. — sorriu para o rapaz, que desviou os olhos e encarou qualquer coisa que não fosse o maldito cigano. — Bom, mas para para complementar a minha ficha também sou; vidente, feiticeiro, astrólogo, trago o amor em 7 dias e às vezes trabalho em uma padaria.

— Uau! — Hoseok bateu palmas para o cigano, tão jovem e com um currículo extraordinário. — Então, já que você é um vidente, creio que saiba o que eu vim fazer aqui, certo?

— Você veio descobrir se o seu namorado te trai.

— Nossa!


Taehyung revirou os olhos, xingando-se mentalmente por ter atendido a ligação do Jung.


— Vou fazer uma breve consulta em minha bola de cristal e já te dou a resposta.


O moreno ficou quieto, fazendo movimentos estranhos com as mãos enquanto olhava para o objeto de vidro com atenção; como se algo muito incrível estivesse acontecendo em meio a fumaça roxa.


— Ora, ora…

— O que foi, Sr. Cigano?!

— Você tem muita sorte, Hoseok. O seu namorado, Yoongi, é fiel a você e te ama muito.


Os olhinhos de Hoseok brilharam e ele sorriu largo, abraçando Taehyung demasiadamente forte.


— Ai, hyung! Que saco! — Reclamou o loiro, cruzando os braços em seguida — Já podemos ir embora? Não aguento mais esse cheiro de incenso.

— Calma, Tae, eu não te trouxe aqui só pra minha consulta, você vai se consultar com o cigano também.

— Como é que é?!

— Isso mesmo. — o mais velho, pela milésima vez no dia, arrastou o amigo pelo pulso, o deixando frente a frente ao moreno — Então, Sr. Cigano… Quer dizer, posso te chamar assim, né? Você parece ser bem mais novo do que eu, e não sei como me comportar.

— “Sr. Cigano” parece bom. — disse contendo o riso.

— Então, Sr. Cigano, eu quero que você arranje alguém para o Tae, sabe? Eu sei que amor não é tudo na vida, mas desde que ele terminou o último namoro se tornou uma pessoa muito amargurada e quieta.

— Ei! Você não pode contar essas coisas para qualquer um! Ele é um desconhecido. — ralhou com o melhor amigo, por ter sido exposto daquela forma.

— Eu não sou qualquer um, Taehyung. Sou o seu futuro namorado.

— O quê?! Até parece!

— Mas não sou eu que estou falando isso, é a bola de cristal! — afirmou, apontando para a mesma, fazendo com que Hoseok e Taehyung se aproximassem lentamente para ver o que estava sendo refletido.


Imagens de Taehyung e do cigano juntos, eram refletidas na bola de cristal. E não podia se dizer que eles eram apenas amigos, afinal amigos não beijam, fazem sexo e adotam crianças, né?


— Eu realmente não sei o que dizer… — Hoseok estava boquiaberto e impressionado.

— Isso nunca aconteceu antes… — O cigano disse pensativo — A bola de cristal sempre me mostrou enigmas e nunca imagens tão claras.

— Então, está resolvido! Taehyung fica com o cigano!

— ‘Cê tá doido, Jung?! Eu nem conheço esse cara!

— Mas ficou bastante interessado em mim quando entrou na tenda, né? Você não parava de me olhar.

— Não seja tão convencido! — e saiu da tenda batendo os pés.

— Deixa ele. Um dia vai aceitar o fato de que vocês vão se casar. — riu — Quanto custa a consulta?

— Relaxa, a primeira sempre é de graça.

— Jura? — o cigano assentiu — Legal. Enfim, preciso ir. Nos vemos por aí, Sr. Cigano! — se despediu.

— Até breve, Hoseok!


O cigano Jeongguk tinha que admitir, realmente ficou um pouco intrigado com Taehyung e as imagens que foram refletidas em sua bola de cristal.



-



— Ah, Hoseok! Não me diz que tu acreditou mesmo nas baboseiras daquele cara?!

— Ele pareceu bastante sincero pra mim, e sim, eu acreditei.


Taehyung franziu o cenho e suspirou.


— Pra mim foi tudo abobrinha.

— Vai me dizer que você não ia gostar de ter o cigano como namorado? Ele é lindo!

— Me polpe, Hoseok. Até parece que eu, Kim Taehyung, fotógrafo bem conceituado, me envolveria com um cigano da ralé. — disse presunçoso — E bom, meu caro, beleza não é tudo.

— Eu sei, eu sei. Eu só acho que já passou da hora de você superar o Jimin, entende? O seu jeito triste me preocupa, Tae. E agora, o Jimin namora o seu irmão, não a nada que você possa fazer perante a isso… Enfim, acho melhor ir pra casa. Se cuide, viu?

— Pode deixar, se cuide também, hyung.


Após se despedir do melhor amigo, Taehyung foi para a sua casa. Chegou na mesma e foi direto para a sua sala de trabalho, tentando se esquecer da conversa com Hoseok e lembrando-se vagamente das centenas de fotos que tinha para editar e revelar para levar ao trabalho no dia seguinte.

Droga, talvez tivesse que virar a madrugada para dar conta de todo aquele trabalho.


— Eu deveria ter pedido a ajuda do Hoseok com tudo isso… — Se lamentou. — ‘Tô lascado.

— Conversando sozinho, irmãozinho? — Namjoon adentrou na sala escura de revelação de fotos, tropeçando em uma mesa e quase caindo de cara no chão — Ai!

— Hyung, você precisa ter um pouco mais de cuidado.

— Eu não tenho culpa se você deixa as coisas espalhadas por todo o canto e eu não conseguir enxergar nada nesse breu. — bufou. — Ouvi a sua voz vindo daqui e vim ver se precisava de alguma coisa.


Taehyung de fato precisava de ajuda, mas quando Namjoon, o irmão do meio, decidia ajudá-lo, as coisas acabavam quebrando ou explodindo. Não queria ter a sua sala de revelação totalmente destruída.


— Hmm, nada não, hyung… Você sabe que horas o Jin hyung chega do trabalho?

— Seokjin foi viajar hoje mais cedo para uma conferência, irmãozinho. Só volta daqui duas semanas.

— ‘Cê tá brincando comigo!

— É sério, Tae. Olha a mensagem que ele me mandou. — entregou o seu celular para o mais novo.


Jin hyung:

Namjoon! Precisei viajar às pressas para uma conferência na China e acho que só volto para casa daqui duas semanas. Cuide do Taehyung e não se esqueçam de irem visitar a mamãe e o papai no final de semana!

PS; É sério, cuide mesmo do Taehyung! Não o deixe trabalhar até tarde e tenha certeza que ele fez todas as refeições.

PS2; Fique longe da minha cozinha e de qualquer objeto eletrônico, por favor, não exploda a nossa casa.

PS3; Se você entrar na minha cozinha, eu descobrirei, Kim Namjoon.

Beijos do seu irmão mais velho, Kim Seokjin sz”


A expressão esperançosa de Taehyung de conseguir terminar todo o seu trabalho foi por água abaixo; sem a ajuda do irmão mais velho, seria impossível!

Todavia, quando ainda estava com o celular do irmão em mãos, viu uma mensagem do seu ex-namorado, Jimin.


Minnie:

Ei, neném!

Os meus pais foram viajar, o que acha de passar a noite aqui em casa?”


Bloqueou a tela e entregou o celular para Namjoon.


— Você está bem, Tae?

— ‘Tô sim, hyung. — Mentiu — Vou até a cafeteria tomar um cafézinho e já volto.

— Mas já está quase na hora do jantar.

— Peça algo para você comer, hyung. Ou melhor, vá visitar o seu namorado.


Chegou na cafeteria da esquina de sua casa, com os ombros caídos e uma expressão vazia. Estava literalmente fodido, e nem era pelo jeito bom da coisa.

Primeiramente, havia sido largado há pouco tempo pelo namorado, que sequer deu uma explicação plausível para o término, apenas dito que havia se apaixonado pelo seu irmão. E agora, estava prestes a perder o melhor emprego do mundo, por ter sido irresponsável o suficiente para sair de casa com o amigo sem concluir o trabalho.


— Um café forte, por favor. — pediu e se sentou em uma das mesas que ficavam próximas ao balcão.


Decidiu tomar um café bem amargo para quem sabe assim se manter acordado durante toda a noite.


— Aqui está o seu café, senhor.

— Muito obrigado. — agradeceu a atendente com meio sorriso, levando a xícara com o líquido fervente até os lábios.


Quando estava prestes a terminar de bebericar o seu café, Taehyung sentiu uma mão repousando sobre o seu ombro e uma voz pouco conhecida pairar em seus ouvidos.


— Olha só quem encontrei aqui, o meu futuro namorado.


Era o cigano gostoso.


— Ah não, você não. — disse em um muxoxo, soando dramático.


Contudo, o cigano estava totalmente diferente de hoje mais cedo. Sem coroa de flores e roupas espalhafatosas, apenas um jovem normal usando roupas escuras e de cabelo bagunçado.

Taehyung engoliu em seco.

O maldito cigano havia ficado ainda mais bonito e gostosinho em questão de horas.

Como isso era possível?


— Aliás, acho que não te falei o meu nome. — disse já se sentando na mesma mesa que Taehyung, estendendo a mão para cumprimentá-lo. — Jeon Jeongguk, prazer.

— E quem disse que eu quero saber o seu nome?

— Seus olhos dizem isso. — Sorriu. E, sinceramente, foi o sorriso mais lindo que Taehyung jurou ver nos últimos anos — Mas você me parece um pouco pra baixo. O que aconteceu com você, futuro namoradinho?


Taehyung sempre foi péssimo em disfarçar os seus sentimentos.


— Não é nada que vale a pena ser dito. — Olhou para o pulso vazio — Nossa! Olha a hora! Está muito tarde, preciso ir pra casa.

— O seu relógio é invisível, Kim? — Jeongguk perguntou sorrindo, ora fazendo seu pedido com a atendente — Me traga um café expresso e- O que você vai querer beber, Taehyung?

— Não quero nada.

— Traga outra xícara de café pra ele também.

— Eu disse que não queria nada.

— Opa, sério? Não escutei.


O loiro revirou os olhos e cruzou os braços.


— O que acha de me contar o porquê de estar todo irritadinho e triste, hein? Você sabe que vou insistir.

— Por que devo fazer isso? Eu nem te conheço!

— Mas vai conhecer e teremos um futuro juntos, palavras da minha bola de cristal.

— Acho melhor levar aquela bola de vidro para uma manutenção, porque ela está ficando maluca.

— A bola de cristal sempre tem razão, Kim, e ela estava certa quando me mandou vir até aqui atrás de você. Você precisa de ajuda com alguma coisa, não precisa?


Taehyung arregalou os olhos para o moreno.

Como aquele cartomante falsário sabia que ele estava em apuros?!


— Bom… Talvez.

— Eu sabia. A bola de cristal não mente. — afirmou convencido — Mas, então, diga o que você precisa e eu irei ajudá-lo.


Taehyung coçou a nuca e sorriu constrangido.


— Você sabe editar fotos no photoshop?



-



Os dois rapazes se intercalavam no computador e na sala de revelação; ora Taehyung editava, ora Jeongguk ficava na sala escura revelando fotos.


— Faltam menos de 10 fotos. — Jeongguk disse animado para o loiro, prendendo as fotos recém reveladas em varais com prendedores coloridos — Aliás, aonde você comprou esses prendedores? Eles são muito fofos.

— Em uma lojinha de utilidades que fica no centro. Os meus irmãos adoram aquela loja.

— Você tem irmãos? Que legal! Eu sempre quis ter um irmão. Eles são mais velhos, ou mais novos que você?

— Os dois são mais velhos. O Namjoon tem 25 e o Seokjin tem 27. São ótimos irmãos e cuidam muito de mim.


Ficaram naquela conversa familiar por longos minutos, onde Jeongguk disse que era filho único e que o pais haviam se separado quando ele ainda era criança, fazendo com que mantivesse contato só com a mãe e a vó.


— Foi a minha vó que me ensinou tudo o que sei hoje. Desde ler estrelas, até abrir a minha mente para ser um vidente. Mas, vamos mudar de assunto, sei que você não acredita nessas coisas.

— Hm, bom… Cada um acredita no que lhe é conveniente, certo?


Jeongguk assentiu, prendendo a última fotografia no varal de fotos.


— Terminamos.

— Eu nem acredito que tudo ficou pronto antes da meia noite, nossa. — sorriu — Vem, vamos pra cozinha, vou pegar algo para comermos.


Os dois rapazes pegaram alguns petiscos e foram para a varanda, onde conversaram por alguns minutos. Todavia, Taehyung ainda não havia baixado totalmente a guarda para o cigano, mantinha-se desconfiado e, vez ou outra, dava algum corte maroto em uma fala do moreno.


— Um cara tão bonito como você solteiro? Olha, Kim, eu também estou solteiro, sabia? Se isso não for o destino nos dando um sinal, então não sei o que é.

— Você não desiste mesmo, hein? Nos conhecemos hoje e você fica cada vez mais atirado. — riu soprado, admirando a persistência do rapaz.

— Se a minha bola de cristal disse que iremos ficar juntos, então quer dizer que realmente vamos ficar juntos. — afirmou pela centésima vez, muito confiante em seu objeto de trabalho — A bola de cristal-

— “Não mente”. É, eu já sei.

— Está aprendendo direitinho, hein? Talvez, no futuro, nosso filho seja um cigano também, o quê acha?

— Até parece que o nosso filho vai ser um cigano! — Repensou suas palavras tarde demais — Quer dizer, está tarde, vá embora.


Jeongguk riu com a feição constrangida de Taehyung.


— É assim que você trata o cara que te ajudou nas últimas horas com o seu trabalho?

— Ops… Você tem razão. — Tirou a carteira do bolso, contando as cédulas de won — Quanto é que a sua ajuda vai custar?

— Eu não quero o seu dinheiro.

— Como assim? Você me ajudou, precisa ser pago.

— Prefiro ser pago de outra forma… — Sorriu malicioso, levando de imediato um tapa de Taehyung — Ai!

— Se situa! ‘Tá achando que sou desses?!

— Você entendeu tudo errado! Eu ia falar que prefiro ser pago com um encontro.

— Ah… desculpa.

— Tudo bem. — Jeongguk sorriu para o loiro, indo até o parapeito da varanda e se pendurando na mesma — Vou cobrar o nosso encontro, certo?

— O que você está fazendo? Ficou maluco?!

— Eu vou pular, ué.

— Porque você não usa as escadas como qualquer outra pessoa normal?

— Taehyung, eu leio mentes, é óbvio que não sou normal. — deu uma piscadela para o fotógrafo e pulou, caindo no gramado da casa Kim. — Te vejo por aí, futuro namorado.


Taehyung sorriu quando viu o moreno pulando o muro de sua casa. E sorriu sem ao menos saber o porquê.



-



Dias haviam se passado e Taehyung não tinha mais visto Jeongguk. 

Talvez tenha ficado um tiquinho preocupado com o moreno, mas não admitiria isso jamais. Conhecia muito bem o melhor amigo e sabia que ele o zoaria pelo resto de sua vida. Entretanto, mesmo assim contou para Hoseok que encontrou o cigano em uma cafeteria e que o trouxe para sua casa.


— Primeiro tu afirma que o cigano é um charlatão e agora diz que ele te ajudou com as suas fotografias?! Eu realmente não te entendo, Kim Taehyung!

— Eu lembro muito bem o que eu disse! Mas, sei lá… Ele pareceu uma pessoa boa pra mim.

— Confessa, você está interessado nele.


Os olhos do loiro duplicaram de tamanho e ele conteve o gritinho histérico.

Hoseok havia pirado de vez na batatinha!


— ‘Tá doido, hyung?!

— Tá bom, então. Eu só achei engraçado o jeito que você falou sobre ele. Seus olhos brilharam, Tae. — riu, pegando o celular no bolso e digitando algo aleatório — Nem mesmo quando namorava o Jimin seus olhos brilhavam desse jeito.

— Poxa, Hoseok, você realmente sabe como me deixar pra baixo, hein?

— Sou o seu melhor amigo, Taehyung. Cabe a mim jogar na sua cara as verdades da vida.

— Um amigo desses eu nem preciso de inimigo.

— Obrigado, obrigado. Me sinto lisonjeado com tantos elogios. — disse irônico — Agora preciso ir, Yoongi está me esperando para assistirmos um filme.

— Você vai mesmo me trocar por um filme chato com o seu namorado e um balde de pipoca murcha?

— Você não está entendendo, meu anjo. — Afagou as madeixas claras do mais novo — Eu e o Yoongi nunca assistimos o filme, porque estamos ocupados fazendo outra coisa, entende?


Por um segundo, Taehyung imaginou o melhor amigo e o colega de trabalho fazendo sexo; não dormiria naquele dia com toda a certeza.


— Eu nunca mais me sento no sofá da sua casa.

— Não vai mais comer comida feita pelo meu fogão também?

— Como assim, Hoseok?! Vocês já…

— Imagine o que quiser, Tae. — riu — Eu já vou indo porque tenho muita coisa pra fazer, até logo!


Quando o amigo foi embora — e após tantos pensamentos traumáticos para Taehyung —, o loiro decidiu que faria uma breve faxina; não poderia deixar tudo nas costas do irmão mais velho quando este voltasse da conferência, Seokjin estaria exausto.

Recolheu todos os lixos dos cômodos, juntando tudo em um grande saco preto. Mas, quando estava prestes a deixar tudo na frente de casa e trancar o portão, viu uma feição conhecida.


— Jeongguk? — disse baixo e, ao ter certeza que era o moreno, gritou; recebendo um manear de cabeça e um sorriso.


Droga, agora Jeongguk estava vindo exatamente em sua direção.


— Oi, Taehyung. Como você está?

— Hm, oi… Estou bem e você?

— Melhor agora.


Droga, Jeongguk estava sorrindo daquele jeito de novo.

Alguém precisa proibir esse garoto de ficar distribuindo sorrisos por aí!


— Você ainda não desistiu? — riu. Nunca havia conhecido uma pessoa tão persistente quanto Jeongguk.

— E não vou desistir. Você me deve um favor, Kim, e quero que esse favor seja pago com um encontro.

— Quem sabe no dia do nunca, hein?

— Veremos. — o moreno cruzou os braços e sorriu. Sim, ele sorriu de novo!

— Eu nunca te vi caminhando por aqui, mora por perto?

— No final da rua.

— Mentira!

— É sério, — tinha um semblante sereno e despreocupado e, de certa forma, isso chamou a atenção de Taehyung desde que o viu pela primeira vez. — eu sempre morei aqui.

— E como é possível que eu nunca tenha te visto?

— As pessoas não costumam me notar. — respondeu.

— Mas se eu já tivesse te encontrado, tenho certeza que nunca teria te esquecido. — Definitivamente, o loiro deu bandeira — Quer dizer, você é um cigano, né? Deve ser muito conhecido na cidade.

— Só me reconhecem quando estou com a coroa de flores e roupa colorida.

— Sem dúvidas é a sua marca.


Um silêncio confortável se instalou entre os jovens, onde tudo se resumia a olhares.

Silêncio este que, infelizmente, foi quebrado por Jeongguk.


— Bom, eu preciso voltar para casa. Minha mãe está me esperando.

— Ah, tudo bem. Nos vemos por ai, Guk!


Sem perceber, havia dado um apelido ao moreno; este que não disse nada e fingiu que não havia escutado.


— Até logo, Tae!



-



Taehyung olhava para as vitrines do shopping com indiferença — fato esse que era muito estranho para um adorador e fanático por compras —, batendo os pés e com a expressão fechada.

Em outras palavras, Taehyung estava puto.

Havia sido arrastado para fora de casa por Hoseok e obrigado a acompanhar ele, Yoongi, Namjoon e Jimin em um encontro duplo; encontro este que o pobre Kim caçula seria a vela, lógico!


— Ah, se anima ai, Tae. — O Jung sussurrou em seu ouvido, recebendo um olhar mortal do mais novo — Ok, não está mais aqui quem falou.

— Se eu fôsse o Taehyung já teria te matado há muito tempo, Hobi. Onde já se viu trazer o cara em um encontro para deixá-lo sobrando?

— É por isso que eu te amo Yoongi hyung.

— E euzinho? Sou o seu melhor amigo! Não me ama mais?

— Vai se foder, Hoseok. — cruzou os braços e continuou acompanhando o casal, vendo o irmão e o ex andando um pouco mais a frente — Eu amo o meu irmão, mas ele tinha mesmo que namorar justamente o Jimin?

— Coisas da vida que acontecem, Tae… — Hoseok tentou consolá-lo, mas viu logo a frente um rapaz que conseguiria fazer isso muito melhor — Aquele ali não é o Jeongguk?

— Guk?!


O loiro andou/correu até o moreno, sorridente e animado.


— Jeongguk!

— Olá, Taehyung! — foi cumprimentado na mesma intensidade, com um sorriso largo — Decidiu que hoje também era um bom dia para vir ao shopping?

— Na verdade fui obrigado a vir.

— Como assim?


Um pouco mais atrás, estavam os dois casais observando atentamente Taehyung e Jeongguk.


— Quem é aquele cara? — perguntou Jimin, curioso até demais.

— É o ficante do Tae. — Hoseok mentiu sem pensar, levando um leve beliscão de Yoongi — Eles estão se curtindo muito, até pensando em namoro!

— Desde quando eles ficam? E por que o Tae não me contou nada?

— Ah, Namjoon, existem coisas na vida de um homem que não queremos contar para ninguém.


Nesse mesmo instante, os dois se aproximaram, exalando sorrisos.


— Tae, por que não contou que ele está ficando com ele? — Namjoon perguntou na lata, apontando para Jeongguk e fazendo Hoseok entrar em surto interno.

— Nós não estamos ficando!

— Eu sabia, é lógico que o Taehyung ainda está preso no passado e não consegue se apegar a outra pessoa. — Jimin disse presunçoso, abraçando Namjoon de lado.


Jeongguk sentiu o cheiro de ex-namorado chatinho vindo de longe. Não deixaria aquele baixinho falar daquele jeito com o seu mais-que-futuro namorado.

Passou o braço pelo pescoço de Taehyung e sorriu.


— Taetae, você não precisa mais mentir pra eles, ok? É lógico que estamos ficando, e estamos muito felizes por sinal.


A cara de tacho de Jimin foi ‘pro chão.


— Ah, claro, não vou mais mentir. — Repetiu o ato do moreno, envolvendo a sua cintura — Pois é, estamos ficando já há alguns dias e estamos pensando em namorar sério.

— Muita felicidade ao casal! — Namjoon sorriu satisfeito; teve medo que a decisão de namorar o ex do irmão pudesse mudar algo entre eles, mas se tornaram ainda mais próximos, e agora que sabia que Taehyung estava feliz com alguém, se sentia mais aliviado — Vocês formam um casal muito bonito.

— Concordo totalmente. E como melhor amigo do Tae, abençoo essa união.


As bochechas do Kim e do Jeon tomaram uma coloração rubra.


— Bom, acho melhor irmos, o filme já vai começar.


Se despediram e após a saída de todos, Taehyung suspirou aliviado.


— Muito obrigado por pensar rápido e inventar essa mentira, Guk. Eu já estava pensando em me jogar na escada rolante.

— Essa mentira pode se tornar em uma verdade se você quiser, sabia?

— Jeongguk!

— Tá bom, tá bom. — riu — O baixinho é o seu ex-namorado, né?

— Como você sabe? — O moreno arqueou as sobrancelhas — Ah, claro, às vezes esqueço que você também é um vidente. — pela primeira vez não soou debochado, talvez estivesse começando a acreditar um pouquinho naquela loucura — Sim, ele é o meu ex, e atualmente namora o meu irmão do meio.

— Nossa, ele realmente quer fazer parte da sua família.

— Nem me fala.

— Você se sente desconfortável com a presença dele?

— Um pouco, tenho medo que ele só esteja usando o meu irmão.

— Impossível, ele realmente gosta muito do Namjoon. — Jeongguk afirmou, andando ao lado do Kim.

— Que sejam felizes! — Riu — Eu não me importo mais.

— Ah não? Ótimo. Por um momento quase pensei em desistir de você.

— Sério? Isso faria o meu ano! — comentou todo irônico.

— Você fala isso, mas tenho certeza que adora os meus flertes. Admita, Kim, sou irresistível.

— Você é muito convencido, Deus me livre!

— Eu sou ótimo em cantadas!

— Prova!

— Hmm… Ei gato, por acaso o seu pai é dono da TAM?

— Não, ele é um agricultor e mora com a minha mãe em uma fazenda.

— Poxa, Taetae! Não estraga a cantada.

— Ah, foi mal! Fala de novo.

— Não, você perdeu a chance!

— Ah, Guk, por favor!

— Não, Taetae!

— Eu estou implorando, Guk!

— Não, não e não! Aliás, para onde estamos indo?

— Para a praça de alimentação, estou com fome.

— Então, isso é tipo um encontro?!

— Não, Guk! Só estamos indo comer alguma besteirinha.

— Aff, ok.

— Agora fala a cantada de novo.

— Ah, ok. Mas só vou falar porque isso é tipo um encontro.

— Não é!

— Shhh — colocou o indicador sobre os lábios rosados de Taehyung — Gato, por acaso o seu pai é dono da TAM?

— Não, por quê? — uma feição surpresa adornou o seu rosto, que fez o moreno conter a risada.

— Sério? Então, como ele consegue ter um avião como você em casa?


Taehyung riu por dó de Jeongguk ter tido a coragem de passar um cantada tão tosca quanto aquela. E riu de também de si mesmo, por ter gostado da bendita cantada.



-



No encontro no shopping, os rapazes trocaram os contatos e desde então não paravam de se falar; enviavam centenas de mensagens um para o outro durante o dia.


Guk:

O que você está fazendo agora?


Taetae:

Descansando, tive uma manhã cheia no trabalho.

Muitas fotos para editar e revelar.


Guk:

Caso queira um ajudante, estou disponível!


Taetae:

Claro! Vou pensar no seu caso, certo?


Guk:

Ótimo!

Hmm, então quer dizer que você está livre nessa tarde?


Taetae:

Sim!!


Guk:

O que acha de irmos ao parque? Recentemente só temos nos encontrado para jogar videogame.


Taetae:

Acho uma ótima ideia!

Nos encontramos lá daqui uma hora.


Guk:

Ok!


Se encontraram no parque no horário estabelecido e deram um longo abraço.

Até parece que não tinham ido na sorveteria juntos no dia anterior!


— Trouxe algumas frutas e castanhas.

— Legal, trouxe um pouco de mel também, sei que você gosta. — sorriu para o loiro, lambuzando sua bochecha com uma colherada de mel.

— Ei, Guk, você me paga!


Passaram um fim de tarde agradável no parque, compartilhando muitos sorrisos e piadas sem graça.


— Essa mel está muito bom! Como você conseguiu? Geralmente custa caro.

— Economizei um pouco — deu de ombros —, você é o meu Taetae e todo o esforço que faço por você, vale a pena.


Taehyung encarou o moreno com curiosidade, tendo ainda mais certeza que sentimento era aquele que estava tomando conta de seu peito. Não tinha mais como fugir; estava gostando do moreno.

E por mais que tentasse evitar pensar naquela possibilidade, o Jeon já havia impregnado em si de um jeito imensurável.

Taehyung iria se entregar.

Todavia, como falaria? Sempre negou qualquer chance por medo de ser magoado novamente, mas no fundo ele sabia que o mais novo jamais faria isso consigo.

Jeongguk era bem mais que um cigano gostoso, de sorriso bonito e que exalava convicção. Ele era uma pessoa maravilhosa. Uma pessoa tão maravilhosa que Taehyung não via a hora de chamá-lo de seu.

— Então, Guk… — dizia enquanto dedilhava a bochecha alva do jovem — Eu meio que ‘tô gamado em você.

— Que coincidência, porque eu também estou meio gamado em você.


Os dois sorriram.


— Pode parecer engraçado o que vou falar agora, mas o que você acha de namorar comigo, hein?

— Acho uma ideia maravilhosa. — Debruçou sobre o loiro no gramado, o beijando com delicadeza.

— Guk, guk, espera. — afastou um pouco o moreno de si — Eu lembrei de quando te vi pela primeira vez, há algumas semanas atrás.

— Hm, e do quê exatamente o meu Taetae se lembrou?

— A bola de cristal não mente. — sorriu e selou os lábios do não-mais-futuro e sim atual namorado.

Seu atual namorado. 


Notas Finais


MUITO OBRIGADA A TODOS QUE LERAAAAMMMMM!! PRINCIPALMENTE AO MEU NATHÃ BEBEZINHO!!!
FELIZ ANIVERSÁRIO, BEBÊ!!!!!❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...